A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Sector do Leite: constrangimentos e desafios Organização: EuroDeputada M. Patrão Neves

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Sector do Leite: constrangimentos e desafios Organização: EuroDeputada M. Patrão Neves"— Transcrição da apresentação:

1 O Sector do Leite: constrangimentos e desafios Organização: EuroDeputada M. Patrão Neves

2 Em relação às quotas do leite, não sou eu que viro as costas. Foi um debate que já se fez entre os Estados Membros, no Conselho, e foi uma decisão que foi tomada. E eu penso que o facto de se voltar a esse mecanismo tem o risco de se destabilizar os agricultores e o mercado, já que a decisão foi tomada. Dacian Ciolos, Audição, 19 Janeiro, 2010

3 1. defender a manutenção das quotas leiteiras Em Maio passado, durante a campanha eleitoral, disse que importava: 2. começar a prepararmo-nos para o severo embate do fim das quotas através de: (1) uma política nacional de compensações à produção (2) uma política regional de ajuda à reestruturação (ou mesmo à conversão) (3) um compromisso político e social de requalificação e reorientação da produção num investimento na diversidade, especificidade e qualidade dos produtos, a partir do investimento na inovação

4 - assisti às várias intervenções da Comissária Fischer Boel quer na Comissão da Agricultura e Desenvolvimento Rural, quer no plenário Já no Parlamento Europeu, e a partir de Setembro, data em que o confronto entre o Parlamento e a Comissária Fischer Boel foi mais intenso : - interpelei-a em Plenário acerca da manutenção das quotas leiteiras num contexto, como o presente de grande volatilidade de preços, endividamento dos agricultores, e crescente número de abandonos da profissão - insatisfeita com a resposta, enviei-lhe uma pergunta prioritária - recebi a resposta em Dezembro, tendo convocado uma conferência de imprensa, no dia 18 de Dezembro, para divulgar essa mesma resposta

5 2. No respeitante à questão de congelar os aumentos das quotas, a Comissão não tenciona deixar de respeitar as conclusões do «Exame de Saúde». Como confirmado pelos chefes de Estado, o aumento das quotas é uma parte essencial e inseparável do pacote do «Exame de Saúde», que não pode ser excluída. Fischer Boel, Resposta, Dezembro, 2009

6 3. O Grupo de Alto Nível para o sector leiteiro, que se reuniu pela primeira vez em 13 de Outubro de 2009, analisará questões essenciais para o futuro do sector leiteiro (dado que as quotas leiteiras terminam em 1 de Abril de 2015), nomeadamente as relações contratuais entre os produtores de leite e as centrais leiteiras, a forma de reforçar o poder negocial dos produtores, de melhorar a transparência do mercado e a informação aos consumidores e de tratar o problema da volatilidade do mercado, bem como as questões da inovação, da qualidade e da investigação.

7 Todavia, as perspectivas a longo prazo para o sector do leite permanecem positivas e está fora de questão fazer marcha atrás no processo de reforma da PAC dos últimos 20 anos caracterizado por uma maior orientação para o mercado, pelo melhoramento da competitividade dos agricultores e por um menor recurso às medidas de apoio ao mercado, susceptíveis de criarem distorção do comércio, como o confirmaram o «Exame de Saúde», em Novembro de 2008, e o Conselho Europeu, em Junho de 2009.

8 O Sector do Leite: constrangimentos e desafios (workshop) Organização: EuroDeputada M. Patrão Neves Auditório da Cooperativa Agrícola Bom Pastor São Miguel, Ponta Delgada 5 de Fevereiro de 2010, 10:00h - 14:00h 09:30h ‑ Acolhimento dos participantes 10:00h ‑ Sessão de Abertura M. Patrão Neves, EuroDeputada Noé Rodrigues, Secretário Regional da Agricultura e Florestas José Paixão, da Comissão Europeia Jorge Rita, Presidente da Federação Agrícola dos Açores Vergílio Oliveira, Presidente da Ass. dos Jovens Agricultores Micaelenses 10:15h ‑ O Sector do Leite após 2015 José Paixão, da Comissão Europeia 10:45h ‑ O Sector do Leite no contexto da agricultura regional e nacional Noé Rodrigues, Secretário Regional da Agricultura e Florestas 11:15h- Debate 11:45h - Pausa para café 12:15h – Mesa Redonda: Requisitos para a sustentabilidade e desenvolvimento do sector leiteiro nos Açores Jorge Rita, Presidente da Federação Agrícola dos Açores Vergílio Oliveira, Presidente da As. Jovens Agricultores Micaelenses 13:05h- Debate 13:45h – Conclusões e Encerramento do Workshop

9 [...] a solução não é olhar para trás, mas arranjar uma modalidade que permita que a eliminação das quotas abra oportunidades para alguns produtores e não afecte regiões específicas com problemas específicos. Para estas regiões penso que é necessário arranjar instrumentos adaptados e farei o melhor para que assim seja. Dacian Ciolos, Audição, 19 Janeiro, 2010

10 1. Estaremos no fim de um ciclo, o da monocultura da vaca ? 2. E os demais produtos agrícolas açorianos com provas dadas, não poderão constituir alternativas ? 3. Quais os desafios para o sector do leite ?

11 3.1. O fim das quotas implicará sempre: - o abaixamento de preços à produção - a insustentabilidade das pequenas e médias explorações e o seu redimensionamento - a necessidade de manutenção dos caudais de produção e a reestruturação do sistema produtivo

12 3. Quais os desafios para o sector do leite ? 3.2. Ao mesmo tempo ter-se-á de: - baixar os custos de produção - promover mais e melhor organização e corporativismo - criar capacidade de concorrência no mercado externo (novos produtos, com valor acrescentado, agressividade e ousadia dos empresários regionais, imagem de marca certificada e associada ao modo ecológico de produção)

13 3. Quais os desafios para o sector do leite ? Para enfrentar estes desafios seria urgente dispor de: - boas estatísticas e informação rigorosa sobre o real consumo de alimentos concentrados por litro de leite produzido e o nosso grau de dependência externa - custos da produção em todas as nossas ilhas, isto é, elementos que pudessem reforçar uma posição negocial futura tendo em vista a obtenção de apoios financeiros - perspectivas do comportamento do mercado interno e relacionamento com o funcionamento com o mercado mundial, para avaliar as possíveis consequências para a produção açoriana

14 3. Quais os desafios para o sector do leite ? 3.4. Para que mecanismos de sustentação da produção temos de apontar? Que mecanismos reguladores do mercado podemos ter, que actuem não apenas ao nível da oferta mas também da procura, que combatam a volatilidade dos preços, mantenham uma estabilidade entre a oferta e a procura (e não passem por uma via administrativa)? Dacian Ciolos, Audição, 19 Janeiro, 2010

15 3. Quais os desafios para o sector do leite ? 3.4. Para que mecanismos de sustentação da produção temos de apontar? - devemos começar por referir os fundos comunitários e, neste âmbito, a questão é saber quanto nos poderá caber, quanto será permitido obter pela PAC - devemos referir também o POSEI ao abrigo do qual poderão ser programados mecanismos de sustentação do mercado açoriano, independentes ou complementares aos previstos na OCM - algum modelo de contratualização? Como fazê-lo hoje a nível europeu? E apenas actuaria a nível da oferta...? E a procura?

16 3. Quais os desafios para o sector do leite ? 3.4. Para que mecanismos de sustentação da produção temos de apontar? - programas de consumo associados a marketing para garantir volumes de procura? E os países exportadores de produtos lácteos de baixo custo...? - mais envolvimento dos produtores no processo de tratamento, transformação e comercialização, num plano cooperativo mais alargado, e reduzindo a distância entre a venda do produtor e a compra do consumidor...?

17 Os desafios fundamentais a enfrentar, colocam-se ao nível do mercado


Carregar ppt "O Sector do Leite: constrangimentos e desafios Organização: EuroDeputada M. Patrão Neves"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google