A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FÓRUM SOCIAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 28 a 31 de maio de 2008 Prefeitura de Campinas, SP Painel Novo modelo de produção agrícola: SIPAES Sistemas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FÓRUM SOCIAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 28 a 31 de maio de 2008 Prefeitura de Campinas, SP Painel Novo modelo de produção agrícola: SIPAES Sistemas."— Transcrição da apresentação:

1 FÓRUM SOCIAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 28 a 31 de maio de 2008 Prefeitura de Campinas, SP Painel Novo modelo de produção agrícola: SIPAES Sistemas Integrados de Produção de Alimentos, Energia e Serviços Ambientais

2 Enrique Ortega Laboratório de Engenharia Ecológica Faculdade de Engenharia de Alimentos, Unicamp Sobre a necessidade dos Sistemas Integrados de Produção de Alimentos, Energia e Serviços Ambientais (SIPAES)

3 Um novo marco de referencia para analisar projetos de desenvolvimento 2.Crise do paradigma do Crescimento (o modelo de dependência econômica e consumo insustentável capitalista) que gera desastres: destruição das florestas, concentração da propriedade, êxodo rural e concentração da população nas cidades, poluição industrial e agrícola, perda da biodiversidade, alienação, etc. 3.Exigências do Desenvolvimento sustentável 4.O conceito de SIPAES 1.Crise do petróleo e do Aquecimento Global

4 Pico da extração de petróleo Onde estamos? Aqui! Solar Eólica Hídrica Biológica Nova base de energias e materiais renováveis Petróleo Degradação do ambiente!

5 Consumo médio de petróleo no mundo 4. 5 barris por pessoa por ano 640 litros de petróleo por pessoa por ano EUA e UE = 5x 2 litros de petróleo por pessoa por dia (aprox.)

6

7 Por quanto tempo ainda teremos petróleo? O petróleo move a civilização atual. A natureza levou mais de 100 milhões de anos para produzir os estoques a ser usados em apenas 100 anos, de 1925 a O custo de extração aumenta e a energia líquida se reduz. O estilo de desenvolvimento industrial consiste na substituição de trabalho biológico e humano por petróleo: 2 litros de gasolina (nosso consumo diário) fornecem energia equivalente a 9 dias de trabalho humano. O consumo de um cidadão do primeiro mundo (10 litros) = 45 trabalhadores.

8 Porque é tão importante o petróleo? O consumo de um cidadão do primeiro mundo (10 litros) = 45 trabalhadores. O consumo diário de um cidadão do terceiro mundo (2 litros) = 9 trabalhadores.

9 Aumento do preço do petróleo Os preços internacionais do petróleo cru importado pelos EUA desde 1860, até o ano 1990 e a projeção para o período de 1990 a 2010 Até 1973 o preço médio do petróleo era 10 dólares/barril, durante o embargo duplicou e, em 1979, por pressão da OPEP, quadruplicou. 138 Depois o preço declinou devido a: a)medidas para conservação de energia; b)queda do crescimento da economia mundial; c)aumento da produção da União Soviética e Mar do Norte; d)ações de controle político e militar sobre os países do Oriente Médio.

10 Modificação do padrão de consumo e do estilo de vida!!!!

11 12 anos para atuar Poluição Mudanças climáticas Esgotamento da água potável Crise do petróleo 4 anos para atuar

12 Maior concentração do dióxido de carbono O aumento das emissões dos gases com efeito estufa (principalmente CO 2 ) tem provocado o aquecimento da Biosfera. Até 2100 a previsão é que a temperatura do planeta suba entre 2,5 e 6 graus Celsius. Estratificação em três zonas: de precaução, de perigo e de perigo extremo Os efeitos poderão ser semelhantes aos ocorridos anos atrás no final da última Era Glacial: (a) degelo das calotas polares e do permafrost, com conseqüente aumento do nível do mar e inundação das áreas costeiras; (b) migração de um terço da população mundial ; (c) extinção de ecossistemas de alta produtividade, etc. Extinção da espécie humana

13

14 Kyoto Protocol

15

16 A era do petróleo será breve. Completou 100 anos e levara 50 anos para acabar. Não ficaremos completamente “sem petróleo”, pois ao ficar escasso ele se tornará caro, excessivamente caro. A era do petróleo Milhões de barris Anos DC

17 Todos os problemas estão interligados. Pico de extração = + carvão = + caos climático; Caos climático = secas e alagamentos = declínio da produção agrícola; Declínio da produção agrícola = + terra aberta para agricultura = desertificação e perda de biodiversidade + CO 2 das queimadas; + terra para a agricultura = + produtos industriais + N 2 O Declínio da economia = + uso de carvão = + poluição.

18 Temperatura da Biosfera Há 500 milhões de anos a temperatura média, a umidade e a concentração de oxigênio e CO 2 na atmosfera se mantêm praticamente constantes, graças ao sistema de controle termodinâmico da Terra. 6 2,5 Ao romper este equilíbrio a temperatura pode aumentar com conseqüências altamente danosas aos ecossistemas.

19 Podemos fazer recuar as marés do Caos Climático? Podemos achar alternativas para o petróleo? Podemos re-estruturar a economia mundial? Podemos prevenir a crise convergente?

20 Crescimento versus Desenvolvimento Sustentável O atual modelo de desenvolvimento vive ao mesmo tempo seu apogeu e a sua maior crise. Considera-se que nas décadas seguintes terá que ser substituído. Cabe aos grupos conscientes e interessados da sociedade global estudar e propor as alternativas ao modelo atual. Na elaboração de alternativas precisamos usar ferramentas apropriadas que incorporem uma visão científica ecossistêmica.

21 População humana Evolução desde 1600 e projeção até 2100 do número total de seres humanos. A capacidade de suporte renovável está entre 1 e 3 bilhões de pessoas.

22 Para alimentar uma pessoa é necessário em média 0,26 ha, às taxas correntes da produtividade do solo (rendimento físico por área). Área agrícola disponível versus área agrícola necessária A combinação de vários fatores pode retardar o cruzamento das curvas. 1) redução das taxas de crescimento; 2) preservação e recuperação das terras aráveis; 3) aumento da produtividade da terra; e 4) modificação dos padrões de consumo das populações mais ricas.

23 Existência de um limite na área disponível para alimentar a população humana 3 bilhões de hectares de terra arável são necessários para alimentar 12 bilhões de pessoas. Este espaço existe, porém é ocupado por espécies animais, algumas ameaçadas de extinção, e também é o habitat de variedades selvagens. Assim, o custo ecológico e econômico é proibitivo. Então são necessários esforços para preservar a terra arável e manter ou aumentar os rendimentos agrícolas usando tecnologias não agressivas ao ambiente e à população.

24 Espécies remanescentes e extinção líquida por dia A perda da biodiversidade é crítica! Apenas 150 variedades de plantas agrícolas alimentares são usadas hoje em dia, comprometendo a qualidade de vida. Apenas 3 grãos (o arroz, o trigo e o milho) fornecem 50% da energia requerida pela população humana! Monoculturas com fertilizantes e pesticidas derivados do petróleo com alto impacto ambiental

25 Modelo de Produção atual Uso de grande quantidade de insumos químicos derivados do petróleo; Transformação do espaço rural em grandes áreas de monocultura, êxodo rural e concentração da riqueza em poucas mãos; Poucos cultivares e poucos empregos; No caso dos transgênicos soma-se o grande investimento em pesquisa e produção, com perda da autonomia e soberania; Poucas alternativas de consumo; Homogeneização cultural (perda dos valores da sustentabilidade).

26 Alternativas para a agricultura Em contraposição a agricultura extensiva, as formas de manejo agroecológico, tem como base o aproveitamento das fontes de energia disponíveis localmente, especialmente a energia biológica (biodiversidade) que permite incorporar materiais naturais para nutrição das plantas. Essas unidades mostram resultados positivos: - melhora da qualidade alimentar, - um maior número de pessoas trabalhando no campo com maior autonomia sobre o processo produtivo e sustentabilidade.

27 Área de produção de alimentos e biocombustíveis para o mercado regional Ecossistemas naturais (serviços ambientais) Exemplos de Modelos de produção

28 Lotes ou parcelas individuais: subsistemas de baixa intensidade com produção para consumo local e atender um pouco do mercado regional Áreas reduzidas de ecossistemas naturais e poucos serviços ambientais Modelo 1: parcelas ou lotes individuais

29 A monocultura agrícola se baseia no uso de recursos não renováveis, concentra a propriedade e a riqueza, gera desemprego, gera erosão, poluição, degradação cultural, perda de biodiversidade, aquecimento global. Ecossistemas naturais reduzidos ao mínimo. Modelo 2: monocultura Fertilizantes, Pesticidas, Herbicidas, Maquinário, Combustível Modelo agrícola do Agronegócio Não pagam a perda de serviços ambientais e as externalidades negativas que provocam!

30 Beneficiamento industrial Sistema integrado: Bosque nativo, Agrofloresta, Parcela individual, Criação animal, Produção de biomassa energética e Industrialização Modelo 3: eco-unidade Vegetação nativa Agro- floresta Cultivos energéticos Pastos, grãos, arbustos Gado Parcela individual Pessoas Energia de biomassa Alimentos beneficiados Aproveitamento de resíduos SIPAES Serviços ambientais e as externalidades positivas!

31 Cenários do IPCC

32 (a) Cenário A1: Continuação do crescimento econômico rápido; Avanço nas tecnologias atuais; Homogeneização cultural; Concentração da riqueza; Pico da população em 2050 e depois sua redução; Uso intensivo de combustíveis fósseis. (b) Cenário A2: Mundo heterogêneo com fortes identidades locais; Desenvolvimento econômico com foco regional; Contínuo aumento da população mundial; Ajuste tecnológico vagaroso; (c) Cenário B1: Pico da população em 2050 e depois sua redução; Estrutura econômica voltada aos serviços e comunicação; Redução do uso de materiais; Desenvolvimento de tecnologias limpas; Voltado para a sustentabilidade global. (d) Cenário B2: Soluções locais para a sustentabilidade; ainda há um aumento da população mundial (menor que nos outros cenários); Diversificação tecnológica; Desenvolvimento econômico à níveis intermediários. (e) Cenário B3: Acordos globais para soluções locais

33 Um cenário B3 corresponderia a um mundo descentralizado no qual o foco estaria na ruralização ecológica com eco- unidades que levariam em conta a capacidade de suporte humana com recursos renováveis, garantindo com ações intensas a sustentabilidade econômica, social e ambiental. B3 : Acordos globais para soluções locais Esse cenário está orientado à proteção da Biosfera e eqüidade social. Exige uma nova capacidade de interpretar o mundo com base em um processo de educação ecossistêmica rápido e abrangente. Os trabalhos de pesquisadores notáveis como H.T. Odum, F. Gunther, W.E. Rees, I. Sachs podem ajudar na transição a um novo modelo social e econômico integrado a natureza.

34 Espero que o mundo futuro seja assim!Sustentável!

35 O mundo de hoje sobrecarregado e dependente O mundo sustentável O passado: a urbanização econômica

36 Preservação de: calotas polares, glaciares, permafrost, desertos, selva, vegetações nativas Agricultura, pesca, pecuária e silvicultura Moradias Comércio e indústrias Governo, informações e finanças Energia, materiais, informação, gestão Informação, materiais transformados, visão ampla do sistema Equidade: trocas justas e compromissos Sustentabilidade: uso de recursos renováveis ruralização e consumo consciente, seqüestro de carbono Área de mata nativa que suporta a flora e fauna locais

37 Agradeço a atenção e fico a disposição! A apresentação está disponível no site do Laboratório de Engenharia Ecológica, FEA, Unicamp. Contatos:


Carregar ppt "FÓRUM SOCIAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 28 a 31 de maio de 2008 Prefeitura de Campinas, SP Painel Novo modelo de produção agrícola: SIPAES Sistemas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google