A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO BIOLOGIA-2°E.M Profª: Cristiane M. Zanini.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO BIOLOGIA-2°E.M Profª: Cristiane M. Zanini."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO BIOLOGIA-2°E.M Profª: Cristiane M. Zanini

2 HERANÇA SANGUÍNEA

3 São conhecidos, na espécie humana, cerca de 20 sistemas de classificação sanguínea. Os três principais utilizados na análise serão: ABO, MN e Rh. São conhecidos, na espécie humana, cerca de 20 sistemas de classificação sanguínea. Os três principais utilizados na análise serão: ABO, MN e Rh. Esses 3 sistemas são transmitidos independentemente, pois os alelos estão em cromossomos não homólogos. Esses 3 sistemas são transmitidos independentemente, pois os alelos estão em cromossomos não homólogos.

4 SISTEMA ABO Os grupos sanguíneos no sistema ABO são em número de quatro determinados geneticamente. Os grupos sanguíneos no sistema ABO são em número de quatro determinados geneticamente. Os fenótipos são manifestados por três alelos: I A, I B, i. Os fenótipos são manifestados por três alelos: I A, I B, i. I deve-se à palavra Isoaglutinação. I deve-se à palavra Isoaglutinação.

5 Da relação de Dominância entre os pares de alelos formados é que se obtém os diferentes tipos de Sangue formado (fenótipo). Da relação de Dominância entre os pares de alelos formados é que se obtém os diferentes tipos de Sangue formado (fenótipo).

6 GENÓTIPOFENÓTIPO I A I A i Sangue A I B I B i Sangue B I A I B Sangue AB i Sangue O

7

8 Como o alelo i só consegue manifestar fenótipo quando está em dose dupla ele é recessivo em relação à IIGrupo O é Homozigoto Recessivo. Como o alelo i só consegue manifestar fenótipo quando está em dose dupla ele é recessivo em relação à I A e I B. Grupo O é Homozigoto Recessivo. Porém quando os alelos I A e I B estão juntos, ocorre um caso de Co-dominância e o indivíduo será AB. Porém quando os alelos I A e I B estão juntos, ocorre um caso de Co-dominância e o indivíduo será AB.

9 DETERMINAÇÃO DO SISTEMA ABO O sangue depois de centrifugado se divide em duas partes distintas. O sangue depois de centrifugado se divide em duas partes distintas. –Plasma: parte líquida e de menor densidade. –Elementos Figurados: parte que se encontram as células ou pedaços delas, como por exemplo: Hemácias, Leucócitos e Plaquetas.

10 No sistema ABO existem 2 tipos de proteínas atuando como antígenos conhecidos como Aglutinogênio e são determinados por um alelo. No sistema ABO existem 2 tipos de proteínas atuando como antígenos conhecidos como Aglutinogênio e são determinados por um alelo. –Aglutinógeno (Antígeno) A é determinado por alelo –Aglutinógeno (Antígeno) A é determinado por alelo I A. – –Aglutinógeno (Antígeno) B é determinado por alelo I B. – –O alelo i não produz antígeno.

11 Sendo assim, indivíduos: Sendo assim, indivíduos: – – I A I A ou I A i possuem antígeno A – – I B I B ou I B i possuem antígeno B – –I A I B possuem antígeno A e B – –i i não possuem antígenos

12

13 Além do antígeno nas hemácias, encontra- se no plasma sanguíneo uma outra proteína atuando dessa vez como Anticorpo, conhecida como Aglutinina. Além do antígeno nas hemácias, encontra- se no plasma sanguíneo uma outra proteína atuando dessa vez como Anticorpo, conhecida como Aglutinina. A reação de antígeno-anticorpo é muito específica e no sistema sanguíneo pode causar a Aglutinação. A reação de antígeno-anticorpo é muito específica e no sistema sanguíneo pode causar a Aglutinação.

14 Existem 2 tipos de aglutininas que podem ocorrer no plasma. Existem 2 tipos de aglutininas que podem ocorrer no plasma. –Anti-A que reage com o antígeno A –Anti-B que reage com o antígeno B

15 Sendo assim, pessoas com antígeno A não apresentam anticorpo Anti-A. Já nas pessoas com antígeno B, é o inverso, pois não apresem o anticorpo Anti-B. Sendo assim, pessoas com antígeno A não apresentam anticorpo Anti-A. Já nas pessoas com antígeno B, é o inverso, pois não apresem o anticorpo Anti-B. Logo indivíduos com antígeno A devem apresentar anticorpo Anti-B. O inverso ocorre com o antígeno B. Logo indivíduos com antígeno A devem apresentar anticorpo Anti-B. O inverso ocorre com o antígeno B.

16 Pessoas do grupo AB não possuem esses anticorpos, senão a aglutinação ocorria já internamente. Pessoas do grupo AB não possuem esses anticorpos, senão a aglutinação ocorria já internamente. Pessoas do grupo O por não apresentarem antígenos, possuem os dois anticorpos em seu plasma. Pessoas do grupo O por não apresentarem antígenos, possuem os dois anticorpos em seu plasma.

17 GRUPO SANGUÍNEO ANTÍGENO OU AGLUTINOGÊNIO ANTICORPO OU AGLUTININA AAANTI-B BBANTI-A ABA e B O ANTI-A e ANTI-B

18 TIPAGEM SANGUÍNEA - ABO Esse teste é feito para se descobrir qual o tipo sanguíneo de uma pessoa. Esse teste é feito para se descobrir qual o tipo sanguíneo de uma pessoa. O teste consiste em colocar em uma lâmina um pouco de soro Anti-A e um pouco de soro Anti-B sem misturar os dois. O teste consiste em colocar em uma lâmina um pouco de soro Anti-A e um pouco de soro Anti-B sem misturar os dois.

19 Depois é acrescentado um pouco da amostra de sangue da pessoa em cada um dos dois anticorpos. Depois é acrescentado um pouco da amostra de sangue da pessoa em cada um dos dois anticorpos. O resultado pode se encontrado de 4 formas: O resultado pode se encontrado de 4 formas:

20

21

22 TRANSFUSÕES DE SANGUE Para que ocorra uma transfusão bem sucedida é necessário haver a compatibilidade de doador/receptor. Para que ocorra uma transfusão bem sucedida é necessário haver a compatibilidade de doador/receptor. Para isso o antígeno do doador não pode se ligar ao anticorpo do receptor causando Aglutinação. Para isso o antígeno do doador não pode se ligar ao anticorpo do receptor causando Aglutinação.

23 Um exemplo com sangue do tipo A. Seu antígeno é o A e seu anticorpo é Anti-B. Um exemplo com sangue do tipo A. Seu antígeno é o A e seu anticorpo é Anti-B. Se ele doar para um indivíduo de sangue B irá ocorrer a aglutinação, pois o anticorpo do B é o Anti-A.

24 O doador do tipo O pode doar para qualquer outro tipo pois não possuí antígeno nas hemácias. Por isso o denominamos Doador Universal. O doador do tipo O pode doar para qualquer outro tipo pois não possuí antígeno nas hemácias. Por isso o denominamos Doador Universal. Já o do tipo AB pode receber de qualquer um pois não possui nenhum anticorpo no plasma. Conhecido como Receptor Universal. Já o do tipo AB pode receber de qualquer um pois não possui nenhum anticorpo no plasma. Conhecido como Receptor Universal.

25

26

27

28 SISTEMA MN No ano de 1927, foram descobertos dois outros Aglutinogênios no sangue humano e foram conhecidos como Aglutinogênio M e Aglutinogênio N. No ano de 1927, foram descobertos dois outros Aglutinogênios no sangue humano e foram conhecidos como Aglutinogênio M e Aglutinogênio N. Ao estudarem à fundo verificaram que algumas pessoas possuíam um desses e outras os dois juntos. Aí se estabeleceu o Sistema MN. Ao estudarem à fundo verificaram que algumas pessoas possuíam um desses e outras os dois juntos. Aí se estabeleceu o Sistema MN.

29 Os grupos sanguíneos neste sistema são determinados por um par de alelos co- dominantes. Diferente do ABO que é um caso de Alelos Múltiplos. Os grupos sanguíneos neste sistema são determinados por um par de alelos co- dominantes. Diferente do ABO que é um caso de Alelos Múltiplos. Uma outra diferença é que os anticorpos não ocorrem naturalmente no plasma. Uma outra diferença é que os anticorpos não ocorrem naturalmente no plasma.

30 GENÓTIPOSFENÓTIPO L M L M ou MMGrupo M L N L N ou NNGrupo N L M L N ou MNGrupo MN

31 SISTEMA Rh Esses terceiro sistema foi descoberto com experimentos envolvendo macacos do gênero Rhesus, espécie classificada hoje como Macaca mullata. Esses terceiro sistema foi descoberto com experimentos envolvendo macacos do gênero Rhesus, espécie classificada hoje como Macaca mullata. Pesquisadores verificaram que ao injetar sangue do macaco em cobaias, essas produziam anticorpos. Pesquisadores verificaram que ao injetar sangue do macaco em cobaias, essas produziam anticorpos.

32 Esses anticorpos foram devolvidos ao sangue do macaco e ocorreu a coagulação. Esses anticorpos foram devolvidos ao sangue do macaco e ocorreu a coagulação. Chegaram à conclusão que no sangue do macaco existia um fator (antígeno) e chamaram de fator Rh. O anticorpo criado na cobaia foi denominado Anti-Rh. Chegaram à conclusão que no sangue do macaco existia um fator (antígeno) e chamaram de fator Rh. O anticorpo criado na cobaia foi denominado Anti-Rh.

33 Com testes em humanos, foi verificado que de 75 à 80% das pessoas ocorria Aglutinação (coagulação) e em 25 à 20% não ocorria. Com testes em humanos, foi verificado que de 75 à 80% das pessoas ocorria Aglutinação (coagulação) e em 25 à 20% não ocorria. Classificaram então a maioria que aglutinava como fator + e a minoria fator negativo. Classificaram então a maioria que aglutinava como fator + e a minoria fator negativo.

34 O anticorpo no plasma ocorre muito parecido como no caso do grupo MN. Para haver o anticorpo, esse deve ser criado através de transfusões. O anticorpo no plasma ocorre muito parecido como no caso do grupo MN. Para haver o anticorpo, esse deve ser criado através de transfusões.

35 Como existiu essa diferença de três para um (3+ : 1-), significa dizer que esse é um caso de dominância completa. Logo seus alelos serão: Como existiu essa diferença de três para um (3+ : 1-), significa dizer que esse é um caso de dominância completa. Logo seus alelos serão: –RR ou Rr determinarão fenótipo Rh+ –rr determinarão fenótipo Rh-

36 ERITROBLASTOSE FETAL UM CASO PARTICULAR Essa doença é também chamada de Doença Hemolítica do Recém-Nascido. Essa doença é também chamada de Doença Hemolítica do Recém-Nascido. Caracteriza-se pela destruição das hemácias do feto ou do recém-nascido. Caracteriza-se pela destruição das hemácias do feto ou do recém-nascido.

37 A Eritroblastose ocorre quando mulheres Rh- sensibilizadas anteriormente têm um filho de sangue Rh+ A Eritroblastose ocorre quando mulheres Rh- sensibilizadas anteriormente têm um filho de sangue Rh+ Essa sensibilização ocorre por transfusão de sangue ou gestação anterior, ambas com sangue Rh+ envolvido. Essa sensibilização ocorre por transfusão de sangue ou gestação anterior, ambas com sangue Rh+ envolvido.

38 Na gestação ocorre passagem, da mãe para o filho e vice-versa, pela placenta apenas de substâncias presentes no plasma. Na gestação ocorre passagem, da mãe para o filho e vice-versa, pela placenta apenas de substâncias presentes no plasma. Porém, no momento do parto, a placenta se descola e as hemácias do feto podem passar para o sangue da mãe, fazendo com que entre 15 e 20 dias a mãe comece a produzir anticorpo. Porém, no momento do parto, a placenta se descola e as hemácias do feto podem passar para o sangue da mãe, fazendo com que entre 15 e 20 dias a mãe comece a produzir anticorpo.

39 Desse modo, a única probabilidade do primeiro filho pegar a doença é se a mãe participou de transfusão recebendo sangue Rh+, anteriormente. Desse modo, a única probabilidade do primeiro filho pegar a doença é se a mãe participou de transfusão recebendo sangue Rh+, anteriormente.

40 A partir da segunda gestação, se o filho for Rh+ novamente, a mãe já se encontra sensibilizada com o anticorpo Anti-Rh no seu plasma que irá passar para o feto provocando a destruição de suas hemácias. A partir da segunda gestação, se o filho for Rh+ novamente, a mãe já se encontra sensibilizada com o anticorpo Anti-Rh no seu plasma que irá passar para o feto provocando a destruição de suas hemácias.

41

42


Carregar ppt "SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO BIOLOGIA-2°E.M Profª: Cristiane M. Zanini."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google