A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Artrópodes, etiquetas, bits e mapas – uma perspectiva do processo de produzir e partilhar dados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Artrópodes, etiquetas, bits e mapas – uma perspectiva do processo de produzir e partilhar dados."— Transcrição da apresentação:

1 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Artrópodes, etiquetas, bits e mapas – uma perspectiva do processo de produzir e partilhar dados biogeográficos fiáveis Pedro Cardoso Museu de História Natural da Dinamarca

2 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) O que posso obter do GBIF enquanto investigador ? Como condicionei o meu trabalho tendo em vista vir a fornecer dados para o GBIF ? Questões ?

3 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) O que posso obter do GBIF ? Usar aracnídeos (e outros artrópodes) para definir áreas/habitats prioritários para conservação. Impossível? 7 pecados mortais: 1.Muitas espécies por descrever ou detectar; 2.Distribuição desconhecida; 3.Não existem protocolos standardizados; 4.Poucos taxonomistas; 5.Resposta a variações ambientais desconhecida; 6.Pouca simpatia/empatia pelos animais; 7.Política e lobbies.

4 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Distribuição desconhecida Anapistula sp. (Symphytognathidae) -Nova espécie para a ciência -Nova família para a Europa -Única troglóbia desta família gondwaniana -Distribuição <1km2, 3 cavidades -Habitat ameaçado -Microhabitat extremamente restrito -Baixa capacidade de reprodução? -Possível partenogénese? -Baixa variabilidade genética? -Capacidade de dispersão virtualmente nula? -Risco de extinção antes da descrição?

5 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Distribuição desconhecida Eukoenenia cf. mirabilis (Palpigrada) -Nova ordem para Portugal -Um único local: Gruta do Frade

6 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Distribuição desconhecida Tenuiphantes tenuis Pholcus phalangioides Catálogo de aranhas de Portugal:

7 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Iberesia machadoi Zodarion styliferum Distribuição desconhecida Catálogo de aranhas de Portugal:

8 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) O que ganho em partilhar dados ? Checklist actualizada desde 1999 Desde 2006 catálogo (html, java, php, mySQL & google maps) Válido como publicação citável Fauna Europaea Colaborações em projectos diversos Recurso para investigadores/estudantes

9 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Informação correcta/actual ? Imaginação fértil de muitos autores (Franganillo Balboa 1910/20, Wunderlich 1980/...) Registos antigos Mudanças na taxonomia (Nemesiidae) Destruição de habitat (Nemesia berlandi) Georreferenciação desadequada (Portugal?)

10 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Cuidados a ter com dados ? Graus de confiança de identificação Expertise do autor, ano de identificação Erro espacial na georreferenciação Verificação de colecções existentes Não basta copiar dados acriticamente! Mas e as colecções perdidas? Amélia Bacelar...

11 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Mas e as colecções perdidas?

12 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Usar aracnídeos (e outros artrópodes) para definir áreas/habitats prioritários para conservação. Impossível? 7 “pecados mortais”: 1.Muitas espécies por descrever ou detectar; 2.Distribuição desconhecida; 3.Não existem protocolos standardizados; 4.Poucos taxonomistas; 5.Resposta a variações ambientais desconhecida; 6.Pouca simpatia/empatia pelos animais; 7.Política e lobbies. Que dados posso dar ao GBIF ?

13 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Não existem protocolos standardizados ? Solução? Idealizar, testar e pôr em prática protocolos de avaliação de diversidade que garantam máxima adequabilidade, eficiência, flexibilidade e transparência: Amostrar uma parte substancial e conhecida da comunidade (adequabilidade) Mínimo esforço (eficiência) Adaptável aos recursos existentes (flexibilidade) Todas as opções facilmente compreensíveis (transparência) Como atingir objectivos? Abordagem que optimize tempo, métodos e esforço: Época e duração das amostragens (tempo) Estratégias e técnicas a aplicar (métodos) Intensidade de colheita (esforço)

14 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Trabalho de campo PNDI (2001) PNSAC (2002) RNPB (2002) PNVG (2000/3/6) PNA (2004) PNPG (2005) 2 fases: /3 - Baixa intensidade, 24 áreas, anual, 1 colector, 1/3 métodos /6 - Alta intensidade, 3 x 1ha, 8/10 dias, 8/10 colectores, 6/10 métodos

15 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Trabalho de campo

16 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Quando amostrar?

17 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Quando amostrar?AbrilMaioJunhoJulho 1 a metade 2 a metade 1 a metade 2 a metade 1 a metade 2 a metade 1 a metade 2 a metade NorteDensoevitar Okóptimo Okevitar Esparso OkóptimoOkevitar Aberto OkóptimoOkevitar CentroDenso Okóptimo Okevitar Esparso Okóptimo Okevitar Aberto Okóptimo Okevitar SulDenso Okóptimo Okevitar Esparso OkóptimoOkevitar Aberto OkóptimoOkevitar

18 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Métodos

19 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Métodos

20 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? MétodosAerialGroundBeatSweepPitfallAerial----- Ground0.655***----- Beat0.438*** *** Sweep *** *** *** Pitfall *** *** *** *** ANOSIM

21 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Dia vs. Noite

22 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Dia vs. Noite

23 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Dia vs. NoiteD1D2N1N2D D N10.061*0.063**----- N20.063**0.064** ANOSIM

24 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Experiência dos colectores

25 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Experiência dos colectores

26 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Como amostrar? Experiência dos colectores ANOSIM

27 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Quanto amostrar?

28 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Quanto amostrar?

29 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Inventário completo impossível Esforço aumenta exponencialmente Esforço tem de ser adequado a objectivos e recursos disponíveis Pré-definição de diferentes níveis de “completeness” Quanto amostrar?

30 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Vantagens dos níveis pré-definidos (e.g. 50%, 70%, 90%) Comparabilidade entre áreas Garantida ao nível de menor esforço (e.g. 50%) Esforço adaptável aos recursos Quanto amostrar?

31 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Número de espécies de aranhas em Portugal

32 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Número de registos (records) de aranhas em Portugal (especie x local) - 90% “GBIF-ready”

33 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Registos por espécie

34 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) O futuro (2007-) Qualquer que seja o objectivo, porque não? Máxima diversidade com mínimo esforço Comparabilidade entre estudos Futuros trabalhos em cooperação Outros taxa Dados realmente adequados para utilizadores GBIF!

35 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Onde ficam colecções/conhecimento ? - Colecções nacionais de artrópodes seriam ideais para GBIF.pt - Recursos materiais - Recursos humanos - “Recursos políticos” - Em Portugal qual a situação? MNHN / Museu Bocage ? - E.g.: minha colecção no ZMUC: exemplares identificados - 600/700 spp. - à volta de 50 n.sp., estando já descritas: - Amphiledorus ungoliantae (SNM – Alemanha) - Iberesia machadoi (MHNH – França) - Zodarion atlanticum (SNM – Alemanha) - Zodarion bacelarae (MNHN - Portugal) - Zodarion duriense (MNHN – França) - Zodarion guadianense (MNHN – França) - Zodarion lusitanicum (MNHN – França) - Postdoc – ZMUC, PhD ? - Biopirataria ou salvaguarda das colecções ?

36 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) 3 pontos fundamentais no fornecimento de dados para GBIF: 1. Colecções 2. Validação de dados 3. Protocolos standard Resumindo

37 O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Até breve! Pedro Cardoso Mail: Web:


Carregar ppt "O GBIF visto pelo fornecedor de dados (domínio animal) Artrópodes, etiquetas, bits e mapas – uma perspectiva do processo de produzir e partilhar dados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google