A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nomenclatura em Técnica Cirúrgica E Materiais de Síntese José A. Francisco Walter Rosamila Pedro Monsessian.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nomenclatura em Técnica Cirúrgica E Materiais de Síntese José A. Francisco Walter Rosamila Pedro Monsessian."— Transcrição da apresentação:

1 Nomenclatura em Técnica Cirúrgica E Materiais de Síntese José A. Francisco Walter Rosamila Pedro Monsessian

2 Nomenclatura em Técnica Cirúrgica t Do latim: Nomen: nome Calare: Chamar, convocar t Entende-se por nomenclatura, os termos empregados em uma ciência, uma técnica ou uma arte, assim como a classificação desses termos.

3 Nomenclatura em Técnica Cirúrgica t Cada grupo de termos tem uma etimologia diversa, podendo-se classificar a formação dos mesmos em: -Sufixação ; -Epônimos (utilizando-se o nome do idealizador da técnica ou instrumento); -Sinônimos; -Termos híbridos (agregando-se duas palavras ou elementos de procedência linguística diferentes;

4 Nomenclatura em Técnica Cirúrgica

5

6

7

8

9

10

11

12

13 Materiais de Síntese t Os materiais de síntese são destinados a promover a união dos tecidos entre si até sua cicatrização; t Dentre eles iremos abordar as agulhas cirúrgicas e os fios cirúrgicos;

14 Materiais de Síntese t Agulhas cirúrgicas: - A agulha cirúrgica corresponde a uma pequena e fina haste de aço polido; -As agulhas tem por função promover a passagem do fio pelo tecido com o menor trauma possível; - Se dividem em fundo (região em contato com o fio), corpo e ponta; - São classificadas quanto ao trauma que produzem (traumáticas e atraumáticas), quanto ao seu formato (circulares ou retas). Quanto ao trauma a classificação é vaga.

15 Materiais de Síntese t Agulhas Cirúrgicas: -Aceita-se como agulha atraumática aquela que possui sua ponta cilíndrica e traumática a de ponta cortante ou tringular. t Classificação: -Quanto a forma e comprimento(retas,mistas,curvas); -Quanto a forma geométrica da secção transversal do corpo e forma da ponta; -Quanto à implantação do fio (olho); -Quanto a resistência;

16 Materiais de Síntese Quanto a forma e comprimento(costumam variar de 3 à 75mm):

17 Materiais de Síntese Forma geométrica de secção transversa do corpo e forma da ponta da agulha: - Quanto a este critério as agulhas podem ser cilíndricas, prismáticas(triangular,quadrangular, hexagonal...)

18 Materiais de Síntese

19

20 Quanto a implantação do fio as agulhas podem ser: -Atraumática(sem olho), a agulha já vem com o fio de sutura implantado; -Traumática(com olho), a agulha vem sem o fio de sutura implantado.

21 Materiais de Síntese t Resistência: - Diz respeito à relação entre a área da secção transversa da agulha e seu comprimento.Quanto a este item as agulhas podem ser: - Finas ou delicadas; -Normais; -Fortes ou robustas;

22 Materiais de Síntese t Relação entre as formas do corpo e ponta da agulha e aplicações: CORPO PONTA PRINCIPAIS APLICAÇÕES -CILÍNDRICA PONTIAGUDA MAIOR PARTE DOS TECIDOS COM EXCEÇÃO DE PELE E APONEUROSE -CILÍNDRICA TRIANGULAR TECIDOS CALCIFICADOS, LIGAMENTOS, PERIÓSTEO, TENDÃO -CILÍNDRICA ROMBA TECIDOS FRIÁVEIS, BAÇO,FÍGADO, RINS, PÂNCREAS, COLO UTERINO -PRISMÁTICA TRIANGULAR TRIANGULAR PELE, APONEUROSE, TENDÃO, LIGAMENTO, CAVIDADE NASAL, ORAL -PRISMÁTICA TRIANGULAR PELE -TRIANGULAR INVERSA INVERSA APONEUROSE, TENDÃO, LIGAMENTO, FÁSCIA -PRISMÁTICA QUADRANGULAR CILÍNDRICA CIRURGIAS CARDIOVASCULARES -PRISMÁTICA QUADRANGULAR LANCEOLADA ESTERNORRAFIAS -PRISMÁTICA QUADRANGULAR ESPATULADA OFTALMOLOGIA EX: TRANSPLANTE DE CÓRNEA -PRISMÁTICA HEXAGON OFTALMOLOGIA EX: CIRURGIAS DA ESCLERA E MICROCIRURGIAS

23 Materiais de Síntese t Fios cirúrgicos: -Corresponde a uma estrutura constituída por um ou vários filamentos de material cuja origem pode ser vegetal, animal, mineral ou sintética; -A finalidade dos fios cirúrgicos é a de, transpassados pelos tecidos por intermédio das agulhas cirúrgicas, promover a sua reunião, por meio de nós e suturas, até a sua cicatrização;

24 Materiais de Síntese t Características do fio ideal: -Grande resistência a tração e torção; -Maleabilidade e flexibilidade; -Boa capacidade de se confeccionar um nó com este fio; -calibre fino e regular; -Baixa elasticidade; -Baixo custo; -Facilidade de esterilização; -Ausência de reação tecidual; -Manutenção da força tênsil por tempo suficiente;

25 Materiais de Síntese t Os fios cirúrgicos são classificados de acordo com quatro critérios básicos: -Quanto à origem; -Quanto à absorção; -Quanto ao número de filamentos; -Quanto à espessura;

26 Materiais de Síntese t Origem: -Biológicos: -animais: catgut, fios de crina de cavalo, fios de seda, tendão de canguru; -vegetais: fios de algodão, fios de linho; -minerais: fios de aço inoxidável; -Sintéticos: fios de nylon, de poliglactina 910 (Vicryl), de polidioxanona(PDS II)

27 Materiais de Síntese t Absorvíveis e Inabsorvíveis: - Fios absorvíveis: compostos por materiais degradáveis pelo organismo, são utilizados em tecidos cuja cicatrização se dá de maneira mais rápida: ex: peritônio, vias biliares, via urogenital, cirurgias ginecológicas; -Os mais comuns são: biológicos de origem animal: catgut(simples,cromado ou rapidamente absorvível), sintéticos(polímero de ácido poliglicólico), Dexon, Vicryl, Monocryl, PDS II(polidioxanona)

28 Materiais de Síntese t Fios inabsorvíveis: compostos por materiais não degradáveis pelo organismo permanecendo no mesmo ou deteriorando-se com o tempo; t São utilizados de uma forma geral, em tecidos de mais demorada cicatrização. Ex: pele, aponeuroses, ossos, nervos, cirurgias oftálmicas, cirurgias contaminadas; t Os mais comuns são: -biológicos: fio de seda, fio de linho; -minerais: fio de aço; -sintéticos: nylon, prolene, fios de poliéster;

29 Materiais de Síntese t Monofilamentares e multifilamentares: - Monofilamentares: compostos por um único filamento de material; -menos maleáveis e flexíveis se comparados aos multifilamentares; -pelo fato de possuírem um único filamento, dificultam a permanência de microorganismos no fio, sendo os preferidos para cirurgias contaminadas; -uma das indicações mais comuns para o uso de fios monofilamentares é a cirurgia vascular;

30 Materiais de Síntese t Multifilamentares: compostos por vários filamentos de material, podem ser torcidos ou trançados; -Podem ser vestidos por teflon, silicone ou polibutilato, possibilitando um melhor deslizamento pelo tecido, diminuindo atrito; -Costumam ser mais maleáveis e flexíveis que os monofilamentares; -Favorecem a permanência de microorganismos por entre suas fibras sendo, portanto, contra-indicados em cirurgias contaminadas;

31 Materiais de Síntese ABS - fios de ácido poliglicólico

32 Materiais de Síntese t Espessura: a espessura do fio é comumente referida em números, quanto maior o número, maior a espessura deste fio: MENOR DIÂMETRO MAIOR DIÂMETRO

33 Materiais de Síntese t Descrição dos fios: RESISTÊNCIA TÊNSIL (DIAS) TEMPO ABSORÇÃO(DIAS) CATGUT SIMPLES CATGUT CROMADO 15 á CATGUT RAPIDAMENTE 8 21 À 42 ABSORVÍVEL POLY VICRYL MONOCRYL À 119 NYLON

34 Bibliografia t GOFFI, F.Schimidt- Téc. Cirúgica 4º ed. Ed. Ateneu 1996 t MAGALHÃES, H. P.-Téc. Cirúrgica e Cirurgia Experimental São Paulo ED. Sarvier t CORRÊA, A.N.- Clínica Cirúrgica 3º ed. Ed. Sarvier


Carregar ppt "Nomenclatura em Técnica Cirúrgica E Materiais de Síntese José A. Francisco Walter Rosamila Pedro Monsessian."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google