A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FIOS E SUTURAS Prof. MD. MSc. Hélio Alves CIRURGIA AMBULATORIAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FIOS E SUTURAS Prof. MD. MSc. Hélio Alves CIRURGIA AMBULATORIAL."— Transcrição da apresentação:

1 FIOS E SUTURAS Prof. MD. MSc. Hélio Alves CIRURGIA AMBULATORIAL

2 Referências Bibliográficas GOFFI, F.S. Técnica Cirúrgica – Bases Anatômicas, Fisiopatológicas e Técnicas da Cirurgia. 4ª Edição. Atheneu. São Paulo PEREIRA, J.L. in FONSECA, F. P.; ROCHA, P. R. S. Cirurgia Ambulatorial. 2ª Edição. Guanabara Koogan. São Paulo SABISTON JR., D. C. Tratado de Cirurgia – As Bases Biológicas da Prática Cirúrgica Moderna. 15ª Edição. Guanabara Koogan. São Paulo agulha atraumática INTRODUÇÃO Fios de sutura cirúrgica são materiais utilizados para aproximar tecidos incisados cirurgicamente ou lacerados em traumatismos e para ligar vasos sangüíneos.

3 Suturas absorvíveis sintéticas perdem sua força tênsil a partir de 60 dias, enquanto as suturas inabsorvíveis devem manter-se inalteradas. São chamadas de mistos os fios produzidos com ambos os materiais tais como o poliéster com polipropileno e o algodão encapado com poliéster. Características físicas dos fios: Diâmetro do fio: determinado em milímetros e expressado em zeros. Quanto menor o calibre do fio, maior o número de zeros. Os fios de menor calibre são os de n° 12-0, cujo diâmetro varia de 0,001 a 0,01 mm e os de maior calibre são o de n° 3, cujo diâmetro oscila entre 0,60 e 0,80 mm. menos calibrosomais calibroso Usam-se fios mais finos em tecidos mais delicados e em locais sem tensão e fios mais grossos em tecidos mais grosseiros ou em tecidos com mais tensão. Por exemplo: para suturar parede muscular do útero (espesso) usa-se fio 2-0 ou 0 (grosso), pele de face (delicada) usa-se fio 5-0 ou 6-0 (fino), para microcirurgia vascular (muito delicado) usa-se fio 8-0 ou 10-0 (muito fino). Força tênsil: é determinada dividindo-se a força necessária para romper o fio pelo seu diâmetro. A força tênsil depende do calibre do fio e do material com o qual ele é fabricado. O diâmetro do fio varia de acordo com o material que o forma, isto é, nem todos os fios com o mesmo número tem o mesmo diâmetro, pois a determinação desse número é dada pela resistência tênsil do fio. Quando se compara fios de mesmo material, quanto maior o calibre do fio, maior sua resistência. E quando se compara fios de mesmo calibre, porém de materiais diferentes a força tênsil varia de acordo com a tabela abaixo: MENOS RESISTENTES Categute simplesAlgodão Categute cromadoSeda PoligliconatoPolipropileno PolidioxanonePoliamida Ácido poliglicólicoPoliéster PoliglactinaAço AbsorvíveisInabsorvíveis MAIS RESISTENTES Absor ção de fluidos: determinada pela capacidade que o fio tem de absorver fluidos ao ser totalmente imerso.Os multifilamentados como a seda e o algodão têm maior capilaridade e absorção de fluídos. Os monofilamentares tem muito pouca capacidade de absorver fluidos. Os fios multifilamentares, por mecanismo de capilaridade, ao absorverem fluidos, tamb é m favorecem a migra ção de microrganismos atravéz das tramas do fio, por isso não são indicados para suturas na pele. Elasticidade: é a capacidade que o fio tem de retornar à sua forma e tamanho originais após tracionamento. Quando se comparam fios de mesmo material os mais finos s ã o mais el á s Entre as propriedades dos fios de sutura temos: Plasticidade é a capacidade de manter-se sob a nova forma após tracionado. 7 - Coeficiente de atrito. Fio com alto coeficiente de atrito tendem a não deslizar nos tecidos mas é mais difícil de desatar o nó cirúrgico espontaneamente. 8 - Reação tecidual depende do fio de sutura como mostra o quadro, por ordem decrescente: Aço Inoxidável (-) PolibutesterAço Inoxidável PolipropilenoPoliéster Poliamida Monofilamentado Multifilamentado (+) Inabsorvíveis Sintéticos Poliglactina 910 (-)Linho (+) PolidioxanoneSeda (Monofilamentado) (+)Algodão Poliglactina 910 (-)Categute Cromado Ácido Poliglicólico (PGA) Categute Simples Absorvíveis Sintéticos (Multifilamentado) (+) Absorvíveis Orgânicos (Multifilamentado) (+) - Reação tecidual aos diferentes fios existentes no mercado. O sinal (+) mostra os que dão maiores reações, enquanto o sinal (-) apresenta os menos irritantes. Suturas favorecem a cicatrização de ferimentos ou incisões por primeira intenção. Os fios utilizados para sutura e ligadura cirúrgica estão divididos em 2 grandes grupos: absorvíveis e inabsorvíveis.

4 Suturas absorvíveis sintéticas perdem sua força tênsil a partir de 60 dias, enquanto as suturas inabsorvíveis devem manter-se inalteradas. São chamadas de mistos os fios produzidos com ambos os materiais tais como o poliéster com polipropileno e o algodão encapado com poliéster. Características físicas dos fios: Diâmetro do fio: determinado em milímetros e expressado em zeros. Quanto menor o calibre do fio, maior o número de zeros. Os fios de menor calibre são os de n° 12-0, cujo diâmetro varia de 0,001 a 0,01 mm e os de maior calibre são o de n° 3, cujo diâmetro oscila entre 0,60 e 0,80 mm. menos calibrosomais calibroso Usam-se fios mais finos em tecidos mais delicados e em locais sem tensão e fios mais grossos em tecidos mais grosseiros ou em tecidos com mais tensão. Por exemplo: para suturar parede muscular do útero (espesso) usa-se fio 2-0 ou 0 (grosso), pele de face (delicada) usa-se fio 5-0 ou 6-0 (fino), para microcirurgia vascular (muito delicado) usa-se fio 8-0 ou 10-0 (muito fino). Força tênsil: é determinada dividindo-se a força necessária para romper o fio pelo seu diâmetro. A força tênsil depende do calibre do fio e do material com o qual ele é fabricado. O diâmetro do fio varia de acordo com o material que o forma, isto é, nem todos os fios com o mesmo número tem o mesmo diâmetro, pois a determinação desse número é dada pela resistência tênsil do fio. Quando se compara fios de mesmo material, quanto maior o calibre do fio, maior sua resistência. E quando se compara fios de mesmo calibre, porém de materiais diferentes a força tênsil varia de acordo com a tabela abaixo: MENOS RESISTENTES Categute simplesAlgodão Categute cromadoSeda PoligliconatoPolipropileno PolidioxanonePoliamida Ácido poliglicólicoPoliéster PoliglactinaAço AbsorvíveisInabsorvíveis MAIS RESISTENTES Absor ção de fluidos: determinada pela capacidade que o fio tem de absorver fluidos ao ser totalmente imerso.Os multifilamentados como a seda e o algodão têm maior capilaridade e absorção de fluídos. Os monofilamentares tem muito pouca capacidade de absorver fluidos. Os fios multifilamentares, por mecanismo de capilaridade, ao absorverem fluidos, tamb é m favorecem a migra ção de microrganismos atravéz das tramas do fio, por isso não são indicados para suturas na pele. Elasticidade: é a capacidade que o fio tem de retornar à sua forma e tamanho originais após tracionamento. Quando se comparam fios de mesmo material os mais finos s ã o mais el á s Entre as propriedades dos fios de sutura temos: Plasticidade é a capacidade de manter-se sob a nova forma após tracionado. 7 - Coeficiente de atrito. Fio com alto coeficiente de atrito tendem a não deslizar nos tecidos mas é mais difícil de desatar o nó cirúrgico espontaneamente. 8 - Reação tecidual depende do fio de sutura como mostra o quadro, por ordem decrescente: Aço Inoxidável (-) PolibutesterAço Inoxidável PolipropilenoPoliéster Poliamida Monofilamentado Multifilamentado (+) Inabsorvíveis Sintéticos Poliglactina 910 (-)Linho (+) PolidioxanoneSeda (Monofilamentado) (+)Algodão Poliglactina 910 (-)Categute Cromado Ácido Poliglicólico (PGA) Categute Simples Absorvíveis Sintéticos (Multifilamentado) (+) Absorvíveis Orgânicos (Multifilamentado) (+) - Reação tecidual aos diferentes fios existentes no mercado. O sinal (+) mostra os que dão maiores reações, enquanto o sinal (-) apresenta os menos irritantes. O fio ideal: alta resistência à ruptura permitindo o uso de fios de calibre menores; facilidade de manuseio; boa segurança do nó; adequada resistência tênsil;

5 INTRODUÇÃO Os fios de sutura cirúrgica são materiais utilizados para aproximar tecidos incisados cirurgicamente ou lacerados em traumatismos e para ligar vasos sangüíneos. As suturas favorecem a cicatrização de ferimentos ou incisões por primeira intenção. Os fios utilizados para sutura e ligadura cirúrgica estão divididos em 2 grandes grupos: absorvíveis e inabsorvíveis. Os fios absorvíveis perdem gradualmente sua resistência à tração até serem fagocitados ou hidrolisados. Eles podem ser de origem animal (Catgut Simples e Cromado) ou sintéticos multi ou monofilamentares (Poliglactina e Polidioxanona). Os fios inabsorvíveis se mantém no tecido onde foram implantados e podem ser de origem animal (Seda), mineral (Aço), vegetal (Algodão ou Linho) ou sintéticos (Poliamida, Poliéster, Polipropileno). O fio ideal para cada tipo de sutura deve apresentar determinadas características, como: alta resistência à ruptura permitindo o uso de fios de calibre menores; facilidade de manuseio; boa segurança do nó; adequada resistência tênsil; boa visualização mesmo quando molhados de sangue no leito cirúrgico; baixa reação tecidual; não ser carcinogênico; não favorecer início ou manutenção de infecção; manutenção das integridade da sutura até a fase proliferativa da cicatrização; baixo custo; O fio ideal para cada tipo de tecido ou região depende de certas particularidades, como: tipo de tecido a ser suturado; localização do tecido a ser suturado; espessura do tecido a ser suturado; tamanho da incisão; tempo necessário para a cicatrização do tecido; se há tensão sobre o tecido; condições clínicas e características do paciente (idade, estado nutricional, doenças) preferência do cirurgião; FIOS DE SUTURA De acordo com a capacidade de absorção, os fios são classificados como: absorvíveis – o fio é reabsorvido com o passar do tempo: categute, ácido poliglicólico, poligliconato, poliglactina, polidioxanone, polibutester. inabsorvíveis – o fio não se modifica ou se modifica muito pouco com o tempo: seda, algodão, linho, aço, poliamida, poliéster, polipropileno, perlon. Os fios de seda, algodão e linho tem um tempo de absorção tão longo, que na prática são considerados inabsorvíveis. De acordo com a estrutura, os fios são classificados como: monofilamentar: cada fio é composto de um único filamento compacto. Exemplos: poligliconato, aço, polidioxanone, poliamida, polipropileno, polibutester, poliéster. multifilamentar: cada fio é composto por vários filamentos trançados ou torcidos entre si. Exemplos: algodão, seda, linho, categute, ácido poliglicólico, poliglactina, poliamida, poliéster, perlon. De acordo com o material com que são fabricados, os fios são classificados como: natural animal: seda, categute. vegetal: algodão, linho. mineral: aço. sintético: poligliconato, polidioxanone, poliamida, polipropileno, polibutester, poliéster, ácido poliglicólico, poliglactina, poliamida, poliéster, perlon. Classificação geral dos fios: Suturas absorvíveis sintéticas perdem sua força tênsil a partir de 60 dias, enquanto as suturas inabsorvíveis devem manter-se inalteradas. São chamadas de mistos os fios produzidos com ambos os materiais tais como o poliéster com polipropileno e o algodão encapado com poliéster. Características físicas dos fios: Diâmetro do fio: determinado em milímetros e expressado em zeros. Quanto menor o calibre do fio, maior o número de zeros. Os fios de menor calibre são os de n° 12-0, cujo diâmetro varia de 0,001 a 0,01 mm e os de maior calibre são o de n° 3, cujo diâmetro oscila entre 0,60 e 0,80 mm. menos calibrosomais calibroso Usam-se fios mais finos em tecidos mais delicados e em locais sem tensão e fios mais grossos em tecidos mais grosseiros ou em tecidos com mais tensão. Por exemplo: para suturar parede muscular do útero (espesso) usa-se fio 2-0 ou 0 (grosso), pele de face (delicada) usa-se fio 5-0 ou 6-0 (fino), para microcirurgia vascular (muito delicado) usa-se fio 8-0 ou 10-0 (muito fino). Força tênsil: é determinada dividindo-se a força necessária para romper o fio pelo seu diâmetro. A força tênsil depende do calibre do fio e do material com o qual ele é fabricado. O diâmetro do fio varia de acordo com o material que o forma, isto é, nem todos os fios com o mesmo número tem o mesmo diâmetro, pois a determinação desse número é dada pela resistência tênsil do fio. Quando se compara fios de mesmo material, quanto maior o calibre do fio, maior sua resistência. E quando se compara fios de mesmo calibre, porém de materiais diferentes a força tênsil varia de acordo com a tabela abaixo: MENOS RESISTENTES Categute simplesAlgodão Categute cromadoSeda PoligliconatoPolipropileno PolidioxanonePoliamida Ácido poliglicólicoPoliéster PoliglactinaAço AbsorvíveisInabsorvíveis MAIS RESISTENTES Absor ção de fluidos: determinada pela capacidade que o fio tem de absorver fluidos ao ser totalmente imerso.Os multifilamentados como a seda e o algodão têm maior capilaridade e absorção de fluídos. Os monofilamentares tem muito pouca capacidade de absorver fluidos. Os fios multifilamentares, por mecanismo de capilaridade, ao absorverem fluidos, tamb é m favorecem a migra ção de microrganismos atravéz das tramas do fio, por isso não são indicados para suturas na pele. Elasticidade: é a capacidade que o fio tem de retornar à sua forma e tamanho originais após tracionamento. Quando se comparam fios de mesmo material os mais finos s ã o mais el á s Entre as propriedades dos fios de sutura temos: Plasticidade é a capacidade de manter-se sob a nova forma após tracionado. 7 - Coeficiente de atrito. Fio com alto coeficiente de atrito tendem a não deslizar nos tecidos mas é mais difícil de desatar o nó cirúrgico espontaneamente. 8 - Reação tecidual depende do fio de sutura como mostra o quadro, por ordem decrescente: Aço Inoxidável (-) PolibutesterAço Inoxidável PolipropilenoPoliéster Poliamida Monofilamentado Multifilamentado (+) Inabsorvíveis Sintéticos Poliglactina 910 (-)Linho (+) PolidioxanoneSeda (Monofilamentado) (+)Algodão Poliglactina 910 (-)Categute Cromado Ácido Poliglicólico (PGA) Categute Simples Absorvíveis Sintéticos (Multifilamentado) (+) Absorvíveis Orgânicos (Multifilamentado) (+) - Reação tecidual aos diferentes fios existentes no mercado. O sinal (+) mostra os que dão maiores reações, enquanto o sinal (-) apresenta os menos irritantes. boa visualização mesmo quando molhados de sangue; baixa reação tecidual; não ser carcinogênico; não favorecer início ou manutenção de infecção; manutenção das integridade da sutura até a fase proliferativa da cicatrização; baixo custo;

6 INTRODUÇÃO Os fios de sutura cirúrgica são materiais utilizados para aproximar tecidos incisados cirurgicamente ou lacerados em traumatismos e para ligar vasos sangüíneos. As suturas favorecem a cicatrização de ferimentos ou incisões por primeira intenção. Os fios utilizados para sutura e ligadura cirúrgica estão divididos em 2 grandes grupos: absorvíveis e inabsorvíveis. Os fios absorvíveis perdem gradualmente sua resistência à tração até serem fagocitados ou hidrolisados. Eles podem ser de origem animal (Catgut Simples e Cromado) ou sintéticos multi ou monofilamentares (Poliglactina e Polidioxanona). Os fios inabsorvíveis se mantém no tecido onde foram implantados e podem ser de origem animal (Seda), mineral (Aço), vegetal (Algodão ou Linho) ou sintéticos (Poliamida, Poliéster, Polipropileno). O fio ideal para cada tipo de sutura deve apresentar determinadas características, como: alta resistência à ruptura permitindo o uso de fios de calibre menores; facilidade de manuseio; boa segurança do nó; adequada resistência tênsil; boa visualização mesmo quando molhados de sangue no leito cirúrgico; baixa reação tecidual; não ser carcinogênico; não favorecer início ou manutenção de infecção; manutenção das integridade da sutura até a fase proliferativa da cicatrização; baixo custo; O fio ideal para cada tipo de tecido ou região depende de certas particularidades, como: tipo de tecido a ser suturado; localização do tecido a ser suturado; espessura do tecido a ser suturado; tamanho da incisão; tempo necessário para a cicatrização do tecido; se há tensão sobre o tecido; condições clínicas e características do paciente (idade, estado nutricional, doenças) preferência do cirurgião; FIOS DE SUTURA De acordo com a capacidade de absorção, os fios são classificados como: absorvíveis – o fio é reabsorvido com o passar do tempo: categute, ácido poliglicólico, poligliconato, poliglactina, polidioxanone, polibutester. inabsorvíveis – o fio não se modifica ou se modifica muito pouco com o tempo: seda, algodão, linho, aço, poliamida, poliéster, polipropileno, perlon. Os fios de seda, algodão e linho tem um tempo de absorção tão longo, que na prática são considerados inabsorvíveis. De acordo com a estrutura, os fios são classificados como: monofilamentar: cada fio é composto de um único filamento compacto. Exemplos: poligliconato, aço, polidioxanone, poliamida, polipropileno, polibutester, poliéster. multifilamentar: cada fio é composto por vários filamentos trançados ou torcidos entre si. Exemplos: algodão, seda, linho, categute, ácido poliglicólico, poliglactina, poliamida, poliéster, perlon. De acordo com o material com que são fabricados, os fios são classificados como: natural animal: seda, categute. vegetal: algodão, linho. mineral: aço. sintético: poligliconato, polidioxanone, poliamida, polipropileno, polibutester, poliéster, ácido poliglicólico, poliglactina, poliamida, poliéster, perlon. Classificação geral dos fios: Suturas absorvíveis sintéticas perdem sua força tênsil a partir de 60 dias, enquanto as suturas inabsorvíveis devem manter-se inalteradas. São chamadas de mistos os fios produzidos com ambos os materiais tais como o poliéster com polipropileno e o algodão encapado com poliéster. Características físicas dos fios: Diâmetro do fio: determinado em milímetros e expressado em zeros. Quanto menor o calibre do fio, maior o número de zeros. Os fios de menor calibre são os de n° 12-0, cujo diâmetro varia de 0,001 a 0,01 mm e os de maior calibre são o de n° 3, cujo diâmetro oscila entre 0,60 e 0,80 mm. menos calibrosomais calibroso Usam-se fios mais finos em tecidos mais delicados e em locais sem tensão e fios mais grossos em tecidos mais grosseiros ou em tecidos com mais tensão. Por exemplo: para suturar parede muscular do útero (espesso) usa-se fio 2-0 ou 0 (grosso), pele de face (delicada) usa-se fio 5-0 ou 6-0 (fino), para microcirurgia vascular (muito delicado) usa-se fio 8-0 ou 10-0 (muito fino). Força tênsil: é determinada dividindo-se a força necessária para romper o fio pelo seu diâmetro. A força tênsil depende do calibre do fio e do material com o qual ele é fabricado. O diâmetro do fio varia de acordo com o material que o forma, isto é, nem todos os fios com o mesmo número tem o mesmo diâmetro, pois a determinação desse número é dada pela resistência tênsil do fio. Quando se compara fios de mesmo material, quanto maior o calibre do fio, maior sua resistência. E quando se compara fios de mesmo calibre, porém de materiais diferentes a força tênsil varia de acordo com a tabela abaixo: MENOS RESISTENTES Categute simplesAlgodão Categute cromadoSeda PoligliconatoPolipropileno PolidioxanonePoliamida Ácido poliglicólicoPoliéster PoliglactinaAço AbsorvíveisInabsorvíveis MAIS RESISTENTES Absor ção de fluidos: determinada pela capacidade que o fio tem de absorver fluidos ao ser totalmente imerso.Os multifilamentados como a seda e o algodão têm maior capilaridade e absorção de fluídos. Os monofilamentares tem muito pouca capacidade de absorver fluidos. Os fios multifilamentares, por mecanismo de capilaridade, ao absorverem fluidos, tamb é m favorecem a migra ção de microrganismos atravéz das tramas do fio, por isso não são indicados para suturas na pele. Elasticidade: é a capacidade que o fio tem de retornar à sua forma e tamanho originais após tracionamento. Quando se comparam fios de mesmo material os mais finos s ã o mais el á s Entre as propriedades dos fios de sutura temos: Plasticidade é a capacidade de manter-se sob a nova forma após tracionado. 7 - Coeficiente de atrito. Fio com alto coeficiente de atrito tendem a não deslizar nos tecidos mas é mais difícil de desatar o nó cirúrgico espontaneamente. 8 - Reação tecidual depende do fio de sutura como mostra o quadro, por ordem decrescente: Aço Inoxidável (-) PolibutesterAço Inoxidável PolipropilenoPoliéster Poliamida Monofilamentado Multifilamentado (+) Inabsorvíveis Sintéticos Poliglactina 910 (-)Linho (+) PolidioxanoneSeda (Monofilamentado) (+)Algodão Poliglactina 910 (-)Categute Cromado Ácido Poliglicólico (PGA) Categute Simples Absorvíveis Sintéticos (Multifilamentado) (+) Absorvíveis Orgânicos (Multifilamentado) (+) - Reação tecidual aos diferentes fios existentes no mercado. O sinal (+) mostra os que dão maiores reações, enquanto o sinal (-) apresenta os menos irritantes. O fio ideal para cada tipo de tecido ou região depende de certas particularidades, como: tipo de tecido a ser suturado; localização do tecido a ser suturado; espessura do tecido a ser suturado;

7 INTRODUÇÃO Os fios de sutura cirúrgica são materiais utilizados para aproximar tecidos incisados cirurgicamente ou lacerados em traumatismos e para ligar vasos sangüíneos. As suturas favorecem a cicatrização de ferimentos ou incisões por primeira intenção. Os fios utilizados para sutura e ligadura cirúrgica estão divididos em 2 grandes grupos: absorvíveis e inabsorvíveis. Os fios absorvíveis perdem gradualmente sua resistência à tração até serem fagocitados ou hidrolisados. Eles podem ser de origem animal (Catgut Simples e Cromado) ou sintéticos multi ou monofilamentares (Poliglactina e Polidioxanona). Os fios inabsorvíveis se mantém no tecido onde foram implantados e podem ser de origem animal (Seda), mineral (Aço), vegetal (Algodão ou Linho) ou sintéticos (Poliamida, Poliéster, Polipropileno). O fio ideal para cada tipo de sutura deve apresentar determinadas características, como: alta resistência à ruptura permitindo o uso de fios de calibre menores; facilidade de manuseio; boa segurança do nó; adequada resistência tênsil; boa visualização mesmo quando molhados de sangue no leito cirúrgico; baixa reação tecidual; não ser carcinogênico; não favorecer início ou manutenção de infecção; manutenção das integridade da sutura até a fase proliferativa da cicatrização; baixo custo; O fio ideal para cada tipo de tecido ou região depende de certas particularidades, como: tipo de tecido a ser suturado; localização do tecido a ser suturado; espessura do tecido a ser suturado; tamanho da incisão; tempo necessário para a cicatrização do tecido; se há tensão sobre o tecido; condições clínicas e características do paciente (idade, estado nutricional, doenças) preferência do cirurgião; FIOS DE SUTURA De acordo com a capacidade de absorção, os fios são classificados como: absorvíveis – o fio é reabsorvido com o passar do tempo: categute, ácido poliglicólico, poligliconato, poliglactina, polidioxanone, polibutester. inabsorvíveis – o fio não se modifica ou se modifica muito pouco com o tempo: seda, algodão, linho, aço, poliamida, poliéster, polipropileno, perlon. Os fios de seda, algodão e linho tem um tempo de absorção tão longo, que na prática são considerados inabsorvíveis. De acordo com a estrutura, os fios são classificados como: monofilamentar: cada fio é composto de um único filamento compacto. Exemplos: poligliconato, aço, polidioxanone, poliamida, polipropileno, polibutester, poliéster. multifilamentar: cada fio é composto por vários filamentos trançados ou torcidos entre si. Exemplos: algodão, seda, linho, categute, ácido poliglicólico, poliglactina, poliamida, poliéster, perlon. De acordo com o material com que são fabricados, os fios são classificados como: natural animal: seda, categute. vegetal: algodão, linho. mineral: aço. sintético: poligliconato, polidioxanone, poliamida, polipropileno, polibutester, poliéster, ácido poliglicólico, poliglactina, poliamida, poliéster, perlon. Classificação geral dos fios: Suturas absorvíveis sintéticas perdem sua força tênsil a partir de 60 dias, enquanto as suturas inabsorvíveis devem manter-se inalteradas. São chamadas de mistos os fios produzidos com ambos os materiais tais como o poliéster com polipropileno e o algodão encapado com poliéster. Características físicas dos fios: Diâmetro do fio: determinado em milímetros e expressado em zeros. Quanto menor o calibre do fio, maior o número de zeros. Os fios de menor calibre são os de n° 12-0, cujo diâmetro varia de 0,001 a 0,01 mm e os de maior calibre são o de n° 3, cujo diâmetro oscila entre 0,60 e 0,80 mm. menos calibrosomais calibroso Usam-se fios mais finos em tecidos mais delicados e em locais sem tensão e fios mais grossos em tecidos mais grosseiros ou em tecidos com mais tensão. Por exemplo: para suturar parede muscular do útero (espesso) usa-se fio 2-0 ou 0 (grosso), pele de face (delicada) usa-se fio 5-0 ou 6-0 (fino), para microcirurgia vascular (muito delicado) usa-se fio 8-0 ou 10-0 (muito fino). Força tênsil: é determinada dividindo-se a força necessária para romper o fio pelo seu diâmetro. A força tênsil depende do calibre do fio e do material com o qual ele é fabricado. O diâmetro do fio varia de acordo com o material que o forma, isto é, nem todos os fios com o mesmo número tem o mesmo diâmetro, pois a determinação desse número é dada pela resistência tênsil do fio. Quando se compara fios de mesmo material, quanto maior o calibre do fio, maior sua resistência. E quando se compara fios de mesmo calibre, porém de materiais diferentes a força tênsil varia de acordo com a tabela abaixo: MENOS RESISTENTES Categute simplesAlgodão Categute cromadoSeda PoligliconatoPolipropileno PolidioxanonePoliamida Ácido poliglicólicoPoliéster PoliglactinaAço AbsorvíveisInabsorvíveis MAIS RESISTENTES Absor ção de fluidos: determinada pela capacidade que o fio tem de absorver fluidos ao ser totalmente imerso.Os multifilamentados como a seda e o algodão têm maior capilaridade e absorção de fluídos. Os monofilamentares tem muito pouca capacidade de absorver fluidos. Os fios multifilamentares, por mecanismo de capilaridade, ao absorverem fluidos, tamb é m favorecem a migra ção de microrganismos atravéz das tramas do fio, por isso não são indicados para suturas na pele. Elasticidade: é a capacidade que o fio tem de retornar à sua forma e tamanho originais após tracionamento. Quando se comparam fios de mesmo material os mais finos s ã o mais el á s Entre as propriedades dos fios de sutura temos: Plasticidade é a capacidade de manter-se sob a nova forma após tracionado. 7 - Coeficiente de atrito. Fio com alto coeficiente de atrito tendem a não deslizar nos tecidos mas é mais difícil de desatar o nó cirúrgico espontaneamente. 8 - Reação tecidual depende do fio de sutura como mostra o quadro, por ordem decrescente: Aço Inoxidável (-) PolibutesterAço Inoxidável PolipropilenoPoliéster Poliamida Monofilamentado Multifilamentado (+) Inabsorvíveis Sintéticos Poliglactina 910 (-)Linho (+) PolidioxanoneSeda (Monofilamentado) (+)Algodão Poliglactina 910 (-)Categute Cromado Ácido Poliglicólico (PGA) Categute Simples Absorvíveis Sintéticos (Multifilamentado) (+) Absorvíveis Orgânicos (Multifilamentado) (+) - Reação tecidual aos diferentes fios existentes no mercado. O sinal (+) mostra os que dão maiores reações, enquanto o sinal (-) apresenta os menos irritantes. tamanho da incisão; tempo necessário para a cicatrização do tecido; se há tensão sobre o tecido; condições clínicas e características do paciente (idade, estado nutricional, doenças); preferência do cirurgião;

8 Capacidade de absorção: absorvíveis: o fio é reabsorvido com o passar do tempo, por fagocitose ou hidrólise. inabsorvíveis: o fio não se modifica ou se modifica muito pouco com o tempo.

9 Estrutura: monofilamentar: cada fio é composto de um único filamento compacto.

10 multifilamentar: cada fio é composto por vários filamentos trançados ou torcidos entre si.

11 Material: natural animal: seda, categute. vegetal: algodão, linho. mineral: aço. sintético: poliamida, poliéster, ácido poliglicólico, poliglactina.

12 Agrofil Algodãoxxx Seda inacap Seda insecap Seda Cirúrgica xxxSeda categute cromado xxxCategute cromado categute simples xxxCategute simples Min.Veg.Anim. Inabs.Abs.Multifil.Monofil.Sint. Natural nome comercialcapacidade de absorção EstruturaOrigemFio

13

14 Teflon Dacron MersilenexxxPoliéster Nurolonxx Dermalon Mononylo n SuperlonxxxPoliamida Flexonxx Surgaloy Monicrom AciflexxxxAço PDSxxxPolidioxanone Min.Veg.Anim. Inabs.Abs.Multifil.Monofil.Sint. Natural nome comercialcapacidade de absorção EstruturaOrigemFio

15

16 Diâmetro do fio: determinado em milímetros e expresso em zeros. Quanto menor o calibre do fio, maior o número de zeros. menor calibre: n° 12-0 (diâmetro de 0,001 a 0,01 mm) maior calibre: n° 3 (diâmetro de 0,60 a 0,80 mm)

17 calibre maior menor

18 Usam-se fios mais finos em tecidos mais delicados e em locais sem tensão e fios mais grossos em tecidos mais grosseiros ou em tecidos com mais tensão.

19 Força tênsil: é determinada dividindo-se a força necessária para romper o fio pelo seu diâmetro. A força tênsil depende do calibre do fio e do material com o qual ele é fabricado.

20 O diâmetro do fio varia de acordo com o material que o forma, isto é, nem todos os fios com o mesmo número tem o mesmo diâmetro, pois a determinação desse número é dada pela resistência tênsil do fio.

21 Quando se compara fios de mesmo material, quanto maior o calibre do fio, maior sua resistência.

22 Quando se compara fios de mesmo calibre, porém de materiais diferentes a força tênsil varia de acordo com a tabela abaixo:

23 MAIS RESISTENTES InabsorvíveisAbsorvíveis AçoPoliglactina PoliésterÁcido poliglicólico PoliamidaPolidioxanone PolipropilenoPoligliconato SedaCategute cromado AlgodãoCategute simples MENOS RESISTENTES

24 Absorção de fluidos: determinada pela capacidade que o fio tem de absorver fluidos ao ser totalmente imerso.

25 Os multifilamentados como a seda e o algodão têm maior capilaridade e absorção de fluídos. Os monofilamentares tem muito pouca capacidade de absorver fluidos.

26 Os fios multifilamentares, por mecanismo de capilaridade, ao absorverem fluidos, também favorecem a migração de microrganismos atravéz das tramas do fio, por isso não são indicados para suturas na pele.

27 Elasticidade: é a capacidade que o fio tem de retornar à sua forma e tamanho originais após tracionamento. Quando se comparam fios de mesmo material os mais finos são mais elásticos.

28 Plasticidade: é a capacidade de manter-se sob nova forma após tracionado.

29 Coeficiente de atrito: fios com alto coeficiente de atrito tendem a não deslizar nos tecidos mas é mais difícil de desatar o nó cirúrgico espontaneamente.

30 Reação tecidual: é o grau de reatividade do fio, varia conforme o material e o calibre do fio. mais reativos menos reativos naturais > sintéticos animais > vegetais > minerais monofilamentares > polifilamentares

31 Consequências da reação tecidual excessiva: Fenômenos precoces: Corte do tecido (Cutting out) – é o corte pelo fio dos tecidos excessivamente inflamados e amolecidos, ou por excesso de força na confecção do nó.

32 Retardo na cicatrização de feridas. Formação de bridas intraperitoniais (neoformação de tecido fibroso). Predisposição a infecções.

33 Fenômenos tardios: Abscesso local. Formação de cavidades (sinus). Eliminação espontânea e periódica dos fios, associada à descarga de material seroso ou purulento.

34 Formação de granuloma de corpo estranho.

35 Principais fios usados na Cirurgia Ambulatorial:

36 Fios Absorvíveis:

37 Catgut Simples: Composição: É obtido da camada submucosa do intestino delgado de ovelhas ou da camada serosa do intestino delgado dos bovinos. É um fio proteico feito de puro colágeno. Determina uma maior reação inflamatória nos tecidos.

38 Origem: Animal. Construção: Torcido. Cor: Amarelo. Esterilização: Cobalto 60. Resistência Tênsil: 1 dia = 100% 7 dias = 40% 10 dias = 5% Absorção: Cerca de 8 dias (fagocitose).

39 Benefícios: rápida absorção, evitando a permanência de corpos estranhos na intimidade tecidual; baixo preço; pode ser usado na maioria dos tecidos.

40 Desvantagens: maior reação inflamatória; não deve ser usado em suturas sob tensão e tecidos que demorem para cicatrizar, muita memória, fica quebradiço se ressecado.

41 Indicações em Cirurgia Ambulatorial: suturas do tecido adiposo; ligaduras de vasos; suturas de mucosas; suturas de pele de região genital;

42 Apresentação: rolinhos de 2,50 m e 1,50 m de comprimento, caixa com 24 envelopes. números 5-0 a 2

43 Apresentação: agulhados, comprimento e agulhas variadas, caixas com 12 e 24 envelopes. números 6-0 a 1

44 Catgut Cromado: Composição: É similar ao catgut simples porém tratado com bicromato de potássio. Mais resistente que o catgut simples. Determina uma reação inflamatória nos tecidos menos intensa que o catut simples.

45 Origem: Animal. Construção: Torcido. Cor: Marrom. Esterilização: Cobalto 60. Resistência Tênsil: 1 dia = 100% 7 dias = 65% 14 dias = 40% 21 dias = 10% Absorção: Cerca de 20 dias (fagocitose).

46 Benefícios: os mesmos do catgut simples. Desvantagens: os mesmos do catgut simples.

47 Indicações em Cirurgia Ambulatorial: suturas do tecido adiposo; ligaduras de vasos; suturas de mucosas; suturas de pele de região genital; suturas de músculos, aponeuroses e vísceras;

48 Apresentação: rolinhos de 2,50 m e 1,50 m de comprimento, caixa com 24 envelopes. números 5-0 a 2 agulhados, comprimento e agulhas variadas, caixas com 12 e 24 envelopes. números 6-0 a 1

49 Vicryl (Poliglactina 910) : Composição: Glicolida (90%) e Lactida (10%), cobertura de Poliglactina 370 (50%) e Estearato de Cálcio (50%). Origem: Sintético. Construção: Trançado. Cor: Violeta ou incolor. Esterilização: ETO.

50 Resistência Tênsil: 1 dia = 100% 14 dias = 65% 21 dias = 30% a 40% 28 dias = 5% a 10% Absorção: de 56 a 70 dias. Processo de Absorção: Hidrólise.

51 Benefícios: indicado para tecidos de cicatrização mais lenta; mais resistente que o catgut. Desvantagens: mais caro.

52 Indicações em Cirurgia Ambulatorial: suturas do tecido adiposo; ligaduras de vasos; suturas de mucosas; suturas de pele de região genital; suturas de músculos, aponeuroses e vísceras;

53

54 Fios Inabsorvíveis:

55 Algodão: Composição: fibras vegetais de algodão. Multifilamentar. Origem: Natural vegetal. Construção: Trançado. Cor: Azul. Esterilização: Cobalto 60. Processo de Absorção: Fagocitose.

56 Benefícios: macio, fácil manipulação; produz nós firmes; baixo custo; forte

57 Desvantagens: por ser polifilamentar pode transportar germes por capilaridade quando em tecidos úmidos

58 Indicações em Cirurgia Ambulatorial: ligaduras de vasos; suturas de músculos e aponeuroses; NÃO DEVE SER USADO NA PELE!

59

60 Nylon: Composição: obtido a partir de monômeros diferentes de poliamida. Caracteriza-se pela elasticidade e resistência à água. É biologicamente inerte.

61 Origem: Sintético. Construção: Mono ou multifilamentar. Cor: Preto e incolor. Esterilização: Cobalto 60. Resistência Tênsil: 1 dia = 100% 1 ano = 80% 2 anos = 65% 5 anos = 0%

62 Absorção: Degrada-se 20% ao ano. Processo de Absorção: Degradado enzimaticamente e metabolizado pelo organismo.

63 Benefícios: ótima tolerância tissular e resistência tênsil, pode ser usado basicamente em todos os tipos de suturas, monofilamentar, superfície lisa, pouco atrito, facilita a retirada dos pontos, ideal para o fechamento da pele.

64 Desvantagens: baixo coeficiente de fricção, necessita de vários nós para oferecer segurança nos pontos de suturas, pouco maleável, dificulta as manobras de suturas, muita memória.

65 Indicações Cirúrgicas em Cirurgia Ambulatorial: Sutura da pele.

66 ELEMENTOS UTILIZADOS NA SUTURA Agulhas

67 Traumática – fundo falso: Atraumática: Fundo:

68

69 Retas: Semi-retas:

70 Curvas:

71 Corpo: Triangular: Cilíndrica:

72 SUTURAS

73

74

75 Sutura interrompida simples

76

77 Pontos em U horizontal - Sutura de Wolf

78

79 Pontos em U vertical - Sutura de Donatti

80 Pontos em X - Sutura de Sultan

81 Sutura contínua Kurschner

82 Sutura intradérmica

83 MUITO OBRIGADO


Carregar ppt "FIOS E SUTURAS Prof. MD. MSc. Hélio Alves CIRURGIA AMBULATORIAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google