A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capitulo IX Amar ao Próximo Como a Si Mesmo 1Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capitulo IX Amar ao Próximo Como a Si Mesmo 1Nucleo Espirita "A Caminho da Luz""— Transcrição da apresentação:

1 Capitulo IX Amar ao Próximo Como a Si Mesmo 1Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"

2 Items O Maior Mandamento Dai a César o que é de César Intruções dos Espíritos: A Lei de Amor O Egoísmo A Fé e a Caridade Caridade com os Criminosos Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"2

3 O Maior Mandamento Tratai todos os homens, como quereríeis que eles vos tratassem. (S. Lucas, Cap. VI, v.31) Mas os fariseus, quando viram que Jesus tinha feito calar a boca aos saduceus, se ajuntaram em conselho. E um deles,que era doutor da lei, tentando-o, perguntou-lhe: Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Jesus lhes disse: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração,e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas. (Mateus, XII: 34-40) Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"3

4 O Maior Mandamento Jesus nos pediu sómente que amássemos a Deus e ao próximo. Ele ainda nos deu a medida - quanto devemos amar ao próximo? Quando Jesus pediu que amássemos ao próximo como a nós mesmos, o que ele queria dizer? Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"4

5 O Maior Mandamento Por que esse é o maior mandamento? Por que a diferença da Lei Mosaica para a lei de Jesus? A prática dessa lei leva à eliminação do egoísmo e à verdadeira caridade. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"5

6 Dai a César o que é de César Então, retirando-se os fariseus, projetaram entre si comprometê-lo no que falasse. E enviaram-lhe seus discípulos, juntamente com os herodianos, que lhe disseram: Mestre, sabemos que és verdadeiro, e não se te dá de ninguém, porque não levas em conta a pessoa dos homens; dize-nos, pois, qual é o teu parecer: é lícito dar tributo a César ou não? Porém Jesus, conhecendo a sua malícia, disse-lhes: Por que me tentais, hipócritas? Mostrai- me cá a moeda do censo. E eles lhes apresentaram um dinheiro. E Jesus lhes disse: De quem é esta imagem e inscrição? Responderam-lhe eles: De César. Então lhes disse Jesus: Pois dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E quando ouviram isto, admiraram-se, e deixando-o se retiraram. (Mateus, XXII: 15-22; Marcos, XII: 13-17). Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"6

7 Dai a César o que é de César O que podemos concluir da passagem “Dai a César o que é de César”? Em grupos, escrevam situações que demonstrem o ensinamento. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"7

8 Dai a César o que é de César Jesus mostrou com isso, que não cabe a nós julgar ou fazer justiça. Cada um receberá o fruto de suas obras. O julgamento e o emprego da justiça pertencem a Deus, somente. Esse princípio é uma conseqüência daquele que manda agir com os outros como quereríamos que os outros agissem conosco. Condena todo prejuízo moral e material causado aos outros, toda violação dos seus interesses, e prescreve o respeito aos direitos de cada um, como cada um deseja ver os seus respeitados. Estende-se ao cumprimento dos deveres contraídos para com a família, a sociedade, a autoridade, bem como para os indivíduos. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"8

9 Instruções dos Espíritos A Lei do Amor O amor resume a doutrina de Jesus porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. No início, o homem é só instintos; avançado e corrompido, só sensações; instruído e purificado, ele tem sentimentos; e o amor é o requinte do sentimento. Amor – não no sentido vulgar, mas como sol interior, que reúne e condensa em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"9

10 Instruções dos Espíritos A Lei do Amor Sobre-humano. [De sobr(e)- + humano.] Adj. 1. Que supera as forcas humanas ou a natureza do homem. 2. Fig. Sublime, excelso. 3. Sobrenatural (3). [Sin. ger.: extra-humano, super-humano, supra-humano e ultra- humano. Pl.: sobre-humanos.] Novo Aurelio, Séc. XXI Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"10

11 Instruções dos Espíritos: A Lei do Amor “A lei do amor substitui a personalidade pela fusão dos seres e extingue as misérias sociais. Feliz daquele que, sobrelevando-se a Humanidade, ama com imenso amor os seus irmãos em sofrimento!” Amor – primeira palavra do alfabeto divino, nos aproxima de Deus, nos faz “divinos”. O Espiritismo nos traz a segunda palavra - Reencarnação. Lázaro Paris, 1862 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"11

12 A Lei do Amor Por que a reencarnação é a segunda palavra? Livro dos Espíritos pergunta 171 Sobre o que esta baseado o dogma da reencarnação? Sobre a justiça de Deus e a revelação, pois, repetimos sempre: Um bom pai deixa sempre aos seus filhos uma porta aberta ao arrependimento. Não lhe diz a razão que seria injusto privar para sempre, da felicidade eterna, todos aqueles cujo progresso não dependeu deles mesmos? Não são todos os homens filhos de Deus? Sómente entre os egoístas se encontram a iniquidade, o ódio e os castigos sem perdão. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"12

13 A Lei do Amor Benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas. O amor e a caridade são o complemento da lei da justiça, porque amar ao próximo é fazer-lhe todo o bem que está ao nosso alcance e que gostaríamos nos fosse feito a nós mesmos. Tal o sentido das palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros, como irmãos. Livro dos Espiritos, perg. 886 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"13

14 Instruções dos Espíritos: A Lei do Amor O amor é de essência divina. Desde o mais elevado até o mais humilde, todos vós possuis, no fundo do coração, a centelha desse fogo sagrado. É um fato que tendes podido constatar muitas vezes: o homem mais abjeto, o mais vil, o mais criminoso, tem por um ser ou um objeto qualquer uma afeição viva e ardente, à prova de todas as viscissitudes, atingindo frequentemente alturas sublimes. Fénelon Bordeaux, 1861 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"14

15 A Lei do Amor Amar, no sentido profundo do termo, é o homem ser leal, probo, consciencioso, para fazer aos outros aquilo que deseja para si mesmo. É buscar em torno de si a razão íntima de todas as dores que acabrunham o próximo, para dar-lhe alívio. Sansão Membro da Sociedade Espírita de Paris, 1863 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"15

16 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"16 Pois bem: para praticar a lei do amor, como Deus a quer, é necessário que chegueis a amar, pouco a pouco, e indistintamente, a todos os vossos irmãos. Jesus disse: “Amai ao vosso próximo como a vós mesmos”; ora qual é o limite do próximo? Será a família, a seita, a nação? Não: é toda a humanidade! Os efeitos da lei do amor são o aperfeiçoamento moral da raça humana e a felicidade da vida terrena. Os mais rebeldes e os mais viciosos deverão reformar-se, quando presenciarem os benefícios produzidos pela prática desse princípio: “Não façais aos outros o que não quereis que os outros vos façam, mas fazei ao contrário, todo o bem que puderdes. “ Fénelon Bordeaux, 1861

17 O Egoísmo Egoísmo. [Do fr. Égoisme.] S. m. 1. Amor excessivo ao bem próprio, sem consideração aos interesses alheios. 2. Exclusivismo que faz o indivíduo referir tudo a si próprio (v. egocentrismo). [Antôn. Nessas acepç.: altruísmo (1 e 2).] 3. Filáucia, orgulho, presunção. 4. Ét. Doutrina que considera como princípio explicativo dos preceitos morais, e como princípio diretor da conduta humana moral, o interesse individual. 5. Ét. Amor exclusivo e excessivo de si, implicado na subordinação do interesse de outrem ao seu próprio. [Cf., na acepc. 5, amor-próprio e, nas acepç. 4 e 5, abnegação (2) e altruísmo (3).] Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"17

18 O Egoísmo O egoísmo, esta chaga da humanidade, deve desaparecer da Terra, porque impede o seu progresso moral. É ao Espiritismo que cabe a tarefa de fazê-la elevar-se na hierarquia dos mundos. O egoísmo é portanto, o alvo para o qual todos os verdadeiros crentes devem dirigir suas armas, suas forças e sua coragem. Digo coragem, porque esta é a qualidade mais necessária para cada um vencer-se a si mesmo do que para vencer os outros. Que cada qual, portanto, dedique toda a sua atenção em combatê-lo em si próprio, pois esse monstro devorador de todas as inteligências, esse filho do orgulho, é a fonte de todas as misérias terrenas. Ele é a negação da caridade, e, por isso mesmo, o maior obstáculo à felicidade dos homens. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"18

19 O Egoísmo Dentre os vícios, qual se pode considerar como radical? Nós o dissemos muitas vezes: e o egoísmo: dele deriva todo o mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos está o egoísmo. Inutilmente os combatereis e não conseguireis extirpá-los enquanto não houverdes atacado o mal em sua raiz, não houverdes destruído a causa. Que todos os vossos esforços, portanto, tendam para esse objetivo, porque aí está a verdadeira chaga da sociedade. Todo aquele que quer se aproximar, desde esta vida, da perfeição moral, deve extirpar de seu coração todo o sentimento de egoísmo, porque o egoísmo é incompatível com a justiça, o amor e a caridade. Ele neutraliza todas as outras qualidades. LE – per.913 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"19

20 O Egoísmo 916 – O egoísmo, longe de diminuir, aumenta com a civilização, que parece extirpá-lo. Quando os homens tiverem se despojado do egoísmo que os domina, eles viverão como irmãos, não se fazendo mal, entrajudando-se reciprocamente, pelo sentimento mútuo da solidariedade. Então, o forte será o apoio e não o opressor do fraco, e não se verá mais homens a quem falta o necessário, porque todos praticarão a lei da justiça. É o reino do bem que os Espíritos estão encarregados de preparar. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"20

21 O Egoísmo O egoísmo é a fonte de todos os vícios, como a caridade é a fonte de todas as virtudes. Destruir um e desenvolver o outro, tal deve ser o objetivo de todos os esforços do homem, se quer assegurar sua felicidade neste mundo, tanto quanto no futuro. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"21

22 A Fé e a Caridade (...) Porque somente a custa de concessões e de sacrifícios mútuos, é que podeis manter a harmonia entre elementos tão diversos. Tendes razão, entretanto, ao afirmar que a felicidade está reservada ao homem neste mundo, se a procurardes antes na prática do bem do que nos prazeres materiais. A história da cristandade nos fala dos mártires que caminhavam com alegria para o suplício. Hoje, na vossa sociedade, para ser cristão já não se precisa enfrentar a fogueira do mártir, nem o sacrifício da vida, mas única e simplesmente o sacrifício do egoísmo, do orgulho e da vaidade. Triunfareis, se a caridade vos inspirar e fordes sustentados pela fé. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"22

23 A Fé e a Caridade A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque da indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. (L.E questão 886) Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"23

24 A Fé e a Caridade A caridade segundo Jesus é uma ação benfeitora, capaz de modificar a criatura em todos os sentidos, tanto a quem oferta, quanto a quem recebe. Ela é o amor na sua mais alta expressão, é a benevolência conduzindo ao entendimento. Ela é a indulgência despertando a esperança divina no coração; é o esquecimento das ofensas transmutando toda a violência em paz para os sentimentos. Quando o Mestre pediu para amarmos a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a nós mesmos, resumiu Ele o trabalho de caridade na sua claridade, onde se gera a união de todos os seres. A caridade pura não se restringe somente em comida, veste ou teto; ela se estende em todas as direções que possamos entender. Ela salva, porque todo. Gesto de amor nos leva a Deus e nos faz ver Jesus dentro de nós, sorrindo porque ajudou-nos a vencer a nós mesmos. Desfrutamos a vida pela caridade de Deus, desfrutamo-la pelos valores do amor, pela caridade de Jesus. Em todo o trabalho que fizermos, não nos esqueçamos da caridade, pois ela ilumina a vida e nos faz viver na plenitude do amor. A benevolência é tão grande, que ela se manifesta de modo diferente para cada criatura, de acordo com o seu entendimento. Eis aí a justiça nos caminhos da fraternidade. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"24

25 A Fé e a Caridade Quando encontramos um rico, devemos sentir o mesmo amor que ao depararmos com um pobre; devemos despertar a alegria por estarmos diante de um ser humano. Os bens materiais pertencem a um só dono e todos nós somos herdeiros, para usarmos sem que o abuso nos prejudique a vida. Não podemos enganar a vida, manifestando o que não somos, para termos o que não possuímos. O polimento social tem o poder de mudar por fora, mas a intimidade permanece do modo que a evolução atingiu. As mudanças de dentro é que mudam por fora. O que conquistamos são valores eternos, e o que mostramos sem a conquista é breve e o vento leva. A caridade não pode ser aparente, sem vida própria. A verdadeira é luz do coração, na maturidade da alma. Os que desejam viver na ilusão são como aqueles a quem se refere o Evangelho, que recebem a luz, mas permanecem nas trevas. Conforme citado em Atos, no capítulo sete, versículo cinqüenta e três, Estevão assim disse, com propriedade: Vós que recebestes a lei por ministério de anjos, e não a guardastes. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"25

26 A Fé e a Caridade As bênçãos dos Céus, não encontrando ressonância na intimidade, não podem fazer moradia nos escaninhos da alma. A caridade, como entendia Jesus, é solidária e justa em toda a sua amplitude; é ponderada, para escolher com mais discernimento; é alegria com pureza de sentimentos. Ela é o próprio amor querendo nos falar de Deus. Jesus Cristo não somente entendia desta forma a caridade, mas, muito mais, era Ele a própria caridade na manifestação do Pai na Terra. O homem que conhece a caridade e a pratica, não se distancia de ninguém, por ser tal ou qual companheiro inferior em muitos aspectos. Ele se aproxima de todos com a mesma gratidão pela vida, ao colocá-lo junto a todos, compreendendo que todos são filhos do mesmo Deus. Verifiquemos o sol, a chuva e o próprio ar, que não escolhem a quem clareia, a quem mata a sede e sobre quem sopra. A caridade a justiça, na mais alta vibração de amor. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"26

27 A Fé e a Caridade 893. Qual a mais meritória de todas as virtudes? “Toda virtude tem seu mérito próprio, porque todas indicam progresso na senda do bem. Há virtudes sempre que há resistência voluntária ao arrastamento dos maus pendores. A sublimidade da virtude, porém, está no sacrifício do interesse pessoal, pelo bem do próximo, sem pensamento oculto. A mais meritória é a que assenta na mais desinteressada caridade.” Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"27

28 A Fé e a Caridade O egoísmo é a fonte de todos os vícios, como a caridade o é de todas as virtudes. Destruir um e desenvolver a outra, tal deve ser o alvo de todos os esforços do homem, se quiser assegurar a sua felicidade neste mundo, tanto quanto no futuro. (LE questão 917) Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"28

29 A Fé e a Caridade Por que a fé é importante para manter entre os homens uma ordem social capaz de torná- los felizes? Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"29

30 A Fé e a Caridade Fé sem caridade é a lâmpada sem o reservatório da força. Caridade sem fé representa a usina sem a lâmpada. Quem confia em Deus e não ajuda aos semelhantes recolhe- se na contemplação improdutiva à maneira de peça valiosa, mumificada em museu brilhante. Quem pretende ajudar ao próximo, sem confiança em Deus, condena-se à secura, perdendo o contato com o suprimento da energia divina. A fé constitui nosso patrimônio intimo de bênçãos. A caridade é o canal que as espalha, enriquecendo-nos o caminho. Uma confere-nos visão, a outra intensifica-nos o crescimento espiritual para a Eternidade. Sem a primeira, caminharíamos nas sombras. Sem a segunda, permaneceríamos relegados ao poço escuro do nosso egoísmo destruidor. EMMANUEL Livro: “Escrínio de Luz” Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"30

31 Caridade com os Criminosos A verdadeira caridade é um dos mais sublimes ensinamentos de Deus para o mundo. Entre os verdadeiros discípulos da sua doutrina deve reinar perfeita fraternidade. Devem amar os infelizes, os criminosos, como criaturas de Deus, para as quais, desde que se arrependam, serão concedidos o perdão e a misericórdia, como para vós mesmos, pelas faltas que cometeis contra a sua lei. Pensai que sois mais repreensíveis, mais culpados que aqueles aos quais recusais o perdão e a comiseração, porque eles quase sempre não conhecem a Deus, como o conheceis, e lhes será pedido menos do que a vós. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"31

32 Caridade com os Criminosos Amai-vos, pois, como os filhos de um mesmo pai; não façais diferenças entre vós e os infelizes, porque Deus deseja que todos sejam iguais; não desprezeis a ninguém. Deus permite que os grandes criminosos estejam entre vós, para vos servirem de ensinamento. Brevemente, quando os homens forem levados à prática das verdadeiras leis de Deus, esses ensinamentos não serão mais necessários, e todos os Espíritos impuros serão dispersados pelos mundos inferiores, de acordo com as suas tendências. Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"32

33 Caridade com os Criminosos Um homem está em perigo de morte. Para salvá-lo, deve expor a própria vida. Mas sabe-se que é um malvado, e que, se escapar poderá cometer novos crimes. Deve-se, apesar disso, arriscar-se para o salvar? Esta é uma questão bastante grave, e que pode naturalmente apresentar-se ao espírito. Responderei segundo o meu adiantamento moral, desde que se trata de saber se devemos expor a vida, mesmo por um malfeitor. A abnegação é cega. Socorre-se a um inimigo; deve-se socorrer também a um inimigo da sociedade, numa palavra, a um malfeitor. Credes que é somente à morte que se vai arrebatar esse desgraçado? É talvez a toda a sua vida passada. Porque, pensai nisso, – nesses rápidos instantes que lhe arrebatam os últimos momentos da vida, o homem perdido se volta para a sua vida passada, ou melhor, ela se ergue diante dele. A morte, talvez, chegue muito cedo para ele. A reencarnação poderá ser terrível. Lançai-vos, pois, homens! Vós, que a ciência espírita esclareceu, lançai-vos, arrancai-o ao perigo! E então, esse homem, que teria morrido injuriando-vos, talvez se atire nos vossos braços. Entretanto, não deveis perguntar se ele o fará ou não, mas correr em seu socorro, pois, salvando-o, obedeceis a essa voz do coração que vos diz: “Podeis salvá-lo; salvai-o!” LAMMENAIS Paris,1862 Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"33

34 Caridade com os Criminosos Compadece-te de todos os que se confiam ao mal, porque ninguém sabe quantas lágrimas chorará o mandante do sofrimento nas grades do remorso, para lavar-se contra o lodo da culpa. Recorda o Cristo, bendizendo aqueles que Lhe chagaram o coração e segue adiante, abençoando e servindo sempre, na certeza de que os carrascos de hoje serão, sem dúvida, os penitentes de amanhã, sentenciados não por ti mas pelo estigma do remorso que lavram, desprevenidos e insensatos, em desfavor de si mesmos. EMMANUEL Livro: “Escrínio de Luz” Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"34

35 Caridade com os Criminosos Nucleo Espirita "A Caminho da Luz"35


Carregar ppt "Capitulo IX Amar ao Próximo Como a Si Mesmo 1Nucleo Espirita "A Caminho da Luz""

Apresentações semelhantes


Anúncios Google