A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1)Estado de Pernambuco 2)Resíduos Sólidos Urbanos 3)Resíduos da Construção Civil 4)Resíduos Industriais 5)Resíduos do Transporte.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1)Estado de Pernambuco 2)Resíduos Sólidos Urbanos 3)Resíduos da Construção Civil 4)Resíduos Industriais 5)Resíduos do Transporte."— Transcrição da apresentação:

1

2 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1)Estado de Pernambuco 2)Resíduos Sólidos Urbanos 3)Resíduos da Construção Civil 4)Resíduos Industriais 5)Resíduos do Transporte 6)Resíduos de Serviços de Saúde 7)Resíduos dos Serviços de Saneamento Básico 8)Resíduos Agrossilvopastoris 9)Resíduos de Mineração PANORAMA ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

3 ESTADO DE PERNAMBUCO População de habitantes Taxa de Urbanização de 80,2% Densidade demográfica média de 89,63 hab/km²

4 REGIÕES DE DESENVOLVIMENTO DE PERNAMBUCO

5

6 Gráfico 1.1 População por RD Fonte: ITEP, 2012 Gráfico 1.2 Área por RD Fonte: ITEP, 2012 Gráfico 1.3 Densidade Demográfica por RD e para todo o estado de Pernambuco Fonte: ITEP, 2012

7 REGIÕES DE DESENVOLVIMENTO DE PERNAMBUCO UF e Regiões de Desenvolvimento Anos RD Agreste Central RD Agreste Meridional RD Agreste Setentrional RD Mata Norte RD Mata Sul RD Metropolitana RD Sertão Central RD Sertão de Itaparica RD Sertão do Araripe RD Sertão do Moxotó RD Sertão do Pajeú RD Sertão do São Francisco PERNAMBUCO Tabela 1.3 Projeção da População do Estado de Pernambuco e das Regiões de Desenvolvimento Fonte: Agência Condepe/Fidem- Gerência de Pesquisa – GPES, 2012

8 PANORAMA ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Fonte: ITEP, 2012

9 COMPOSIÇÃO GRAVIMÉTRICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS

10 A participação média relativa de materiais recicláveis nos resíduos sólidos produzidos no Estado é de 25,70%, indica um valor absoluto de aproximadamente t/dia destes materiais Potencial de comercialização, considerando os preços médios atuais por tonelada dos principais materiais recicláveis (vidro, plástico, papelão e metal ferroso) apontam para perdas da ordem de R$ 40 milhões/mês. Cabe ressaltar o valor relativo de 56% de matéria orgânica presente nos resíduos sólidos urbanos, com forte potencial de transformação em composto orgânico (fertilizante natural).

11 INFRAESTRUTURA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA PÚBLICA Recursos Humanos: pessoas; Veículos e Equipamentos – Coleta: 2.900; Destino Final: 460; Número de Funcionários/habitante: 6,29; Produtividade: 300,30 Kg/fun/dia; Custo unitário dos serviços de limpeza urbana: R$ ,34/ton.mês; Custo anual dos serviços de limpeza urbana: R$ ,73/ano; Cobertura dos serviços – Limpeza: 78%; Varrição: 76%; Coleta: 86%.

12 DESTINAÇÃO FINAL O transbordo é praticamente inexistente, assim como o tratamento que ocorre em poucos municípios.

13 DESTINAÇÃO FINAL

14 Em relação às quantidades, cerca de 58% dos resíduos produzidos no estado já são destinados a aterros sanitários.

15 DESTINAÇÃO FINAL

16

17 PERNAMBUCO (2011) - 39 lixões inativos e 145 lixões ativos. 5 (cinco) em remediação, com Autorização Ambiental (AA): Mirueira, em Paulista; Cabo de Santo Agostinho; Aguazinha, em Olinda; Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes; e, Raso da Catarina, em Petrolina ÁREAS ÓRFÃS – DESTINAÇÃO FINAL INADEQUADA (ÁREAS INATIVAS)

18 CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS Existem cerca de 8 mil catadores de materiais recicláveis no Estado, embora os documentos existentes registrem apenas São 50 associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis organizadas (ou em processo de formalização), das quais 22 estão localizadas na RMR e 28 entidades nos municípios do interior de Pernambuco.

19 RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL – RCC Em 2011 foram coletadas (pelas empresas que obtiveram licenciamento ambiental) ,33 toneladas (1.571 toneladas por mês), na CTR Candeias, RMR e na CTR Petrolina, no Sertão Pernambucano. Em 2012 a Ciclo Ambiental, localizada no município de Camaragibe, RMR, nos meses de abril a junho, recebeu em média toneladas de RCC por mês. O SINDUSCON/PE estima que a geração de RCC na RMR é de ton/dia. Para o restante do estado, ton/dia. 30% da geração de RCC é de responsabilidade das construtoras.

20 RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL – RCC Destino final dos RCC – Área de Transbordo e Triagem Ciclo Ambiental (Camaragibe); Britagem para reaproveitamento do material; De acordo com o SINDUSCON/PE, apenas 5% dos RCC são transportados até a Ciclo Ambiental. Pesquisas indicam que cerca de 90% dos RCC possuem potencial de reutilização e de reciclagem. Setor produtivo que gera mais resíduos sólidos – cerca de 50% dos resíduos produzidos nas grandes cidades. Há mais de 150 pontos de disposição irregular dos RCC

21 RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Industriais – 2003 (CPRH) Maiores geradores: RMR, Mata Norte e Mata Sul Usinas de açúcar: 90% do total gerado no Estado. O total quantificado da geração de resíduos inventariados foi de ,70 t/ano (2003). Com relação à destinação final obteve-se que:  5,38% sem destino definido;  86,51% tiveram tratamento, disposição e reutilização na própria unidade industrial ;e,  8,11% que tiveram tratamento, reutilização, reciclagem ou disposição final fora da unidade industrial.

22 RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS Do total produzido, 1,11% dos resíduos são classificados como perigosos, sendo compostos basicamente por:  Óleo lubrificante usado: 60,6%;  Resíduos de laboratórios industriais: 19,4%; e  Óleo combustível usado: 2,6%. O Cadastro Industrial de Pernambuco , elaborado pela FIEPE, existem estabelecimentos industriais no estado. Destinos Finais na RMR: CTR Igarassu e Stericycle Tratamento de Resíduos Quantidade de resíduos dispostos nas duas unidades: ton/mês.

23 RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE Baixa disponibilidade de dados para diagnóstico da gestão geração e disposição final dos resíduos sólidos; De acordo com a ANVISA:  83% do lixo gerado em portos e aeroportos são descartados em lixões ou aterros sanitários;  15% são incinerados;  2% são desinfetados em autoclaves. Resíduos gerados no Porto do Recife, em 2011:  Volume produzido: m³/mês;  Destino final: CTR Candeias;  Resíduos de limpeza e conservação (52%), resíduos de bordo (19%), outros (29%);  Resíduos recicláveis são armazenados separadamente na área de transbordo.

24 RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE Resíduos gerados no Complexo Portuário de Suape, em 2011:  Geração: 10,5 ton/mês;  Destino final: CTR Candeias;  Resíduos orgânicos e recicláveis. Nos 5 primeiros meses de 2012:  Geração média: 12 ton/mês;  Reciclados doados a Associação dos Agentes de Reciclagem do Ipojuca – RECICLE, nas seguintes quantidades:  Papel/papelão: Kg;  Plástico: 151 Kg;  Metais: 60 Kg; e  Vidro: 17 Kg.

25 RESÍDUOS DO SERVIÇO DE SAÚDE – RSS Elaboração dos PGRSS (APEVISA)  2011: 1.056;  2012: 700 (somente no primeiro semestre). Em 2009, existiam leitos, o que gera uma média de 1,47 leito/1000 hab. Estimativa de produção da APEVISA: 2,5 Kg/leito.dia; Número de leitos estimados 2012: ; Produção de RSS estimada: 52,5 ton/dia; ton/mês. Segundo dados da Stericycle Tratamento de Resíduos, no 1º trimestre de 2012, foram incinerados em média 720 ton/mês (24 t/dia - RMR).

26 RESÍDUOS DO SERVIÇO DE SAÚDE – RSS A Stericycle Petrolina processa cerca de 35 ton/mês de RSS. Capacidade instalada  Recife: 50 ton/dia;  Petrolina: 1,8 ton/dia. De acordo com a APEVISA:  Recolhido nas Secretarias de Saúde: 160 ton/mês;  Recolhido nos 6 maiores hospitais: 133 ton/mês;  5 hospitais – Recife;  1 hospital – Caruaru.

27 RESÍDUOS SÓLIDOS DE MINERAÇÃO A atividade de mineração em Pernambuco é representada por:  minerais industriais (gipsita, calcários, argilas, areias, rochas de revestimento/ornamentais);  materiais de uso imediato na construção civil (rochas britadas, areia, argila, saibro); e  água mineral. Concessões de lavra de minerais metálicos:  4 (quatro) de ouro, em Serrita; e  2 (duas) de ilmenita, em Floresta  todas paralisadas e quando operaram não precisavam de barragens de rejeitos, nem apresentavam operações que impactassem o meio ambiente de forma diferente das lavras de minerais industriais a céu aberto.

28 RESÍDUOS SÓLIDOS DE MINERAÇÃO Resíduos gerados pela mineração em Pernambuco:  Capeamentos (a parte estéril sobreposta às jazidas), dispostos buscando preencher as cavas e suavizar a modificação do relevo decorrente das extrações;  Poeiras de britagem, que se busca mitigar pela umidificação das operações de cominuição.  Refugos: perdas decorrentes das extrações de rochas de revestimentos, os quais têm sido aproveitados para a produção de britas (rochas ornamentais) e de produtos secundários ornamentais (composição com cacos de quartizitos). Não existem no Estado usinas de beneficiamento com produção de concentrados de minério e decorrente geração de rejeitos.

29 RESÍDUOS AGROSSILVOPASTORIS Regulamentado pela Lei Federal nº 9.974/00; Sistema de destinação final de embalagens de agrotóxico com responsabilidades compartilhadas; De acordo com o Relatório Anual do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias - inpEV (2004) Pernambuco devolveu 28,2% do volume de embalagens colocadas no mercado.

30 RESÍDUOS AGROSSILVOPASTORIS 2 (duas) centrais de recebimento de embalagens de agrotóxico:  Carpina, na Mata Norte; e  Petrolina, no Sertão Pernambucano. Instalada em Petrolina a Central de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos, localizada no Núcleo 1, do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho, começou em 2003 o trabalho de coleta de embalagens de agrotóxicos. As centrais recebem em média 10 toneladas de embalagens por mês para serem prensadas. Esse material é enviado a São Paulo para reciclagem.

31 RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO 198 Estações de Tratamento de Água – ETA (187 COMPESA)

32 RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO Demais Unidades:  8 (oito) ETAs na Mata Sul, nos municípios de: Água Preta, Amaraji, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Palmares e Xexéu;  1 (uma) ETA na Mata Norte, no município de Itambé;  1 (uma) ETA no Agreste Meridional, no município de Iati;  1 (uma) ETA no Sertão do Moxotó, no município de Inajá. O destino do lodo das ETAs operadas pela Compesa é em geral, o lançamento no corpo de água mais próximo.

33 Equipe Técnica do ITEP Bertrand Sampaio de Alencar Ana Paula Batista Lemos Ferreira Mônica Luize Sarabia Rebecca Rolim Milet Tatiana Calado Maria das Vitórias do Nascimento Fabíola de Souza Gomes Simone Karine Silva da Paixão Suzete Correia da Silva Felipe Alves Daniel Quintino Cristiana Coutinho

34 Muito Obrigado! Bertrand Sampaio Coordenador Técnico (81)


Carregar ppt "ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1)Estado de Pernambuco 2)Resíduos Sólidos Urbanos 3)Resíduos da Construção Civil 4)Resíduos Industriais 5)Resíduos do Transporte."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google