A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As atividades desenvolvidas tiveram como base o “Plano de ação para monitoramento do Plano de Desenvolvimento da Escola – PDE”. Sendo as etapas do PDE:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As atividades desenvolvidas tiveram como base o “Plano de ação para monitoramento do Plano de Desenvolvimento da Escola – PDE”. Sendo as etapas do PDE:"— Transcrição da apresentação:

1 As atividades desenvolvidas tiveram como base o “Plano de ação para monitoramento do Plano de Desenvolvimento da Escola – PDE”. Sendo as etapas do PDE: 1- Sensibilização e Adesão ao PDE- Escola, 2- Formação na Metodologia e 3- Monitoramento.

2 A etapa de Monitoramento do Programa de PDE-Escola em Alagoas foi o objeto do Plano de Ação. A formação dos comitês de monitoramento se deu em dois momentos. O primeiro foi no período de 05, 06, 12, 13 e 28/08/08. E o segundo em 2009 nos períodos 16,17 e 18/02/09 e 03, 04, 05, 06, 10, 11, 12 e 13/03/09 e dias 13,15,16 e 23/04/09.

3 O primeiro momento foi realizado no CENFOR (CENTRO DE FORMAÇÃO SEE/AL) com as COORDENADORIAS DE EDUCAÇÃO - CEs (3ª, 5ª, 6ª e 10ª). O objetivo foi Capacitar os Comitês Estratégicos municipais em análise de PDE e proporcionar conhecimentos sobre os instrumentos de monitoramento do PDE – Escola nacional, tendo em vista sua aplicação nas unidades escolares.

4 O Público alvo foram 102 Comitês estratégicos municipais. A formação teve como conteúdo: Monitoramento do PDE-Escola; Oficina de Análise de um PDE (Situações indesejadas, pontos críticos, incoerências); Etapas e instrumentos de Monitoramento do PDE-Escola; Elaboração da Proposta de monitoramento do estado.

5 Durante o processo de formação dos comitês o contexto social-político interferiu nesta formação,sendo perpassado pelas eleições para Prefeitos e Vereadores e Eleição para Diretor de Escola na rede pública estadual de ensino. Este cenário dificultou a formação integral de todos os comitês já que 45 Comitês não participaram da formação na metodologia (2008)

6 Já no segundo momento, tivemos a participação da Equipe de monitoramento da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEEE), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), representantes dos comitês dos municípios e técnicos das coordenadorias. As formações foram realizadas nos municípios de Maragogi e Barra de São Miguel com técnicos das Secretarias Municipais e Estadual, Gestores e coordenadores. O objetivo foi formar na metodologia do PDE- Escola os sujeitos participantes desse processo das Escolas 2009.E monitoramento nas CEs (1ª,2ª,4ª,7ª,9ª,10ª,12ª,13ª e 14ª).

7 Alguns municípios fazem parte do PDE escola e não enviaram seus representantes para a formação (Porto de Pedras, Piaçabuçu).

8 Durante a formação houve a participação dos professores (Prof. Ms. Tiago Leandro Cruz Neto; Profª Ms. Elione Diógenes e Profª Drª Edna Prado) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) em palestras proferidas aos participantes cujo tema foi “Planejamento e participação democrática da comunidade escolar na gestão educacional”

9 Durante o processo de formação nos dias 03, 04, 05, 06, 10, 11, 12 e 13/03/09, foram aplicados questionários com os participantes com o objetivo de colher algumas informações sobre o processo de gestão das escolas e perfil dos participantes. No processo de formação, foram aplicados 130 questionários com os gestores, 37 com os técnicos e 123 com os coordenadores, totalizando 290.

10 DADOS INTERESSANTES DOS QUESTIOÁRIOS Sabem informar o IDEB de sua escola: 82% dos gestores e 67% dos coordenadores disseram que sim Grêmio estudantil: 93% dos gestores e 88% dos coordenadores disseram não ter grêmio estudantil na escola Reformulação do Projeto Político Pedagógico: 29% dos gestores e 33% dos coordenadores afirmaram que nunca foi reformulado

11 PROCESSO DE MONITORAMENTO PDE-ESCOLA EM ALAGOAS (2008/2009) Em 2008 o processo de monitoramento só atingiu a primeira etapa do mesmo tendo como objetivo a formação dos comitês, desenvolvido através da sensibilização e adesão ao PDE-escola e a formação na metodologia e o assessoramento.

12 Em março /abril/ maio de 2009, foi realizado o monitoramento dos comitês como forma de acompanhamento dos trabalhos nas escolas 2008 e 2009 (objetivo: inserção dos Planos no SIMEC).

13 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA UFAL Sistematização dos Municípios que apresentaram portaria de formação do comitê estratégico. Essa atividade possibilitou uma observação mais detalhada das cidades que tem comitê, se o comitê comparece ou não nas formações continuada e possibilitou conhecer também as cidades que não possui comitê estratégico

14 os Municípios que não apresentaram portaria do Comitê Estratégicos em 2008: Arapiraca, Atalaia, Batalha, Cajueiro, Campo Alegre, Colônia de Leopoldina, Craibas, Delmiro Gouveia, Estrela de Alagoas, Igaci, Maceió, Mata Grande, Matriz de Camaragibe, Minador do Negrão, Olho D Casado, Pariconha, Paulo Jacinto, Pindoba, Porto Real do Colégio, Roteiro, São Jose da Tapera,são Miguel dos Campos,Viçosa.

15 organizada a sistematização por CE e rede de ensino das ações por blocos, considerando quais ações foram planejadas pelas escolas de acordo com as categorias: materiais solicitados para infra-estrutura pedagógica da escola, materiais pedagógicos para capacitação, formação dos recursos-humanos da escola e ações e projetos.

16 Apresentação do trabalho sobre o PDE escola no III Encontro de Pesquisa em Educação de Alagoas realizado nos dias 03, 04, 05 de dezembro de 2008 na Universidade Federal de Alagoas, pelos estudantes de mestrado da Educação Brasileira da UFAL, onde o objetivo foi apresentar o processo de desenvolvimento do PDE escola em Alagoas e os dados iniciais obtidos nesse processo.

17 Aplicação de questionários com os participantes durante a formação de gestores, coordenadores e técnicos, com o objetivo de colher algumas informações sobre o processo de gestão das escolas e perfil dos participantes.

18 Considerações Finais Em 2008, o processo de monitoramento se deu como um assessoramento as CE's dos municípios liderado pelo grupo de sistematização da SEE através de reuniões visando um trabalho de sensibilização e adesão junto às escolas e na formação na metodologia desse processo, através de reuniões, palestras e oficinas oferecidas pelo grupo de monitoramento.

19 Em 2009 esse monitoramento ocorreu de maneira mais direcionada, através de reuniões com as CE'S (técnicos, coordenadores e gestores) das escolas visando esclarecer dúvidas sobre o processo do PDE escola

20 Questões postas no processo de monitoramento 1.A utilização dos recursos recebidos pelas escolas (como aplicar esses recursos); 2.a inserção da escola no Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação (SIMEC), no qual o tempo é considerado insuficiente para a inserção; 3.As barreiras existentes para que as escolas se adeqüem as regras de acessibilidade e ao PROINFO; 4. A burocracia existente no sistema público que atrapalha na hora de executar as ações nas escolas (ACESSIBILIDADE - solicitação de serviço ao setor de engenharia da SEE);

21 5.A questão política que envolve e interfere diretamente na gestão escolar; 6.A dificuldade dos comitês municipais em orientar as escolas; 7.As mudanças constantes dos gestores municipais de educação que dificulta no trabalho da escola e impede o avanço no desenvolvimento da educação; 8.O desinteresse de um número considerável de professores e funcionários em melhorar sua formação; 9.Incoerência nas ações propostas pela escola na elaboração do PDE. É percebido uma preocupação muito grande das escolas em cumprir o prazo estabelecido pelo MEC e utilizar os recursos recebidos, como consequencia existe a aquisição, muitas vezes, de materiais e equipamentos que na maioria das vezes não são utilizados pelas escolas e/ ou não contribuem para a melhoria da qualidade do ensino-aprendizagem. 10.A questão política que envolve e interfere diretamente na gestão escolar;

22 11. Ausência de infra-estrutura nas CE’s para acompanhamento e monitoramento das escolas e comitês. 12.Gestores sem acesso à internet. 13.Estrutura física na SEE dificulta o acompanhamento com melhor qualidade do processo PDE. 14.Comunicação SEE – Municípios apresenta dificuldades (ESCOLA – CM)

23 15- PROCESSO na elaboração do PDE vem sendo desconsiderado, implicando em Planos que não condizem muitas vezes com impactos melhores na realidade. (Aspecto técnico X Político) Os planos têm sido percebidos mais como um instrumento financeiro onde a preocupação com o gasto dos recursos tem sido a principal tônica.

24 PROPOSTAS 1.DISPONIBILIZAÇÃO DA SEE DE ESTRUTURA PARA MONITORAMENTO PERMANENTE (espaço, computadores com internet). 2.Reunião com o Secretario de Educação do Estado para apresentar as demandas e propostas relacionadas ao PDE SEMINÁRIO AONDE SEJA DISCUTIDA AS QUESTÕES CONCEITUAIS DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DO PDE (PARTICIPAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, AUTONOMIA, PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO) 4.SEMINÁRIO QUE DISCUTA AS QUESTÕES TÉCNICAS DE ELABORAÇÃO DO PDE (NOÇÕES BÁSICAS DE PLANEJAMENTO) 5.AÇÕES DE FORMAÇÃO no segundo semestre(Formação, Palestras por CE)


Carregar ppt "As atividades desenvolvidas tiveram como base o “Plano de ação para monitoramento do Plano de Desenvolvimento da Escola – PDE”. Sendo as etapas do PDE:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google