A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

C APÍTULO I As Cegueiras do Conhecimento O Erro e Ilusão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "C APÍTULO I As Cegueiras do Conhecimento O Erro e Ilusão."— Transcrição da apresentação:

1 C APÍTULO I As Cegueiras do Conhecimento O Erro e Ilusão

2 1. O CALCANHAR - DE - AQUILES DO CONHECIMENTO erro o Conhecimento ameaçado pelo erro e pela ilusão  Perturbações aleatórias  Ruídos

3 P ERCEÇÕES Traduções e reconstruções cerebrais com bases em estímulos ou sinais captados pelos sentidos. Erros de perceção

4 O conhecimento sob a forma de palavra, de ideia e de teoria LinguagemPensamento Sujeito ao erro

5 Inteligênci a Afetividade Causa da pesquisa filosófica e científica Portanto a capacidade de emoções é indispensável ao estabelecimento de comportamentos racionais.

6 1.1 E RROS MENTAIS o A fantasia e o imaginário 2% Conexão com o exterior 98% Fundamento interno Mundo psíquico relativamente independente que fermenta os sonhos, os desejos, as ideias, as fantasias e este mundo infiltra-se no nosso modo de ver o mundo

7 o Mentira para si próprio As mentes são dotadas de um potencial de mentir para si próprio que é uma fonte de erros e ilusões. o Memória Seleciona as lembranças que nos convém Recalca as lembranças menos favoráveis

8 1.2 E RROS INTELECTUAIS A logica organizadora do sistema de ideias nega a informação que não lhe interessa e que não pode assimilar. As teorias cientificas são as únicas que admitem ser refutadas ainda que manifestem resistência. As doutrinas que são teorias fechadas não aceitam qualquer crítica que aponte para os seus erros.

9 1.3 E RROS DA RAZÃO Atividade da mente Permite a distinção entre o real e o imaginário, o subjetivo e o objetivo Racionalidade construtiva Racionalidade crítica Elabora teorias Deve permanecer aberta para não se converter em racionalização Exercida sobre os erros e ilusões das crenças, doutrinas e teorias

10 Racionalização Sistema lógico perfeito que se fundamenta na dedução ou indução autocrítica A verdadeira racionalidade não é só crítica, mas autocrítica. Racionalização Racionalidade FechadaAberta

11 1.4 A S C EGUEIRAS PARADIGMÁTICAS

12 Um paradigma define-se:  Promoção/Seleção dos conceitos mestres da inteligibilidade Ordem Matéria (nas conceções Deterministas) (nas conceções materialistas) Estrutura Espírito (nas conceções Estruturalistas) espiritualistas)

13 Paradigma:  Seleciona e privilegia operações lógicas Pertinentes e evidentes (ex: exclusão-inclusão,disjunção-conjunção,implicação-negação)  Atribui validade e universalidade à lógica que elege

14 A SSIM, OS INDIVÍDUOS CONHECEM, PENSAM E AGEM CONFORME PARADIGMAS INSCRITOS CULTURALMENTE NELES

15 E XEMPLO - D OIS PARADIGMAS OPOSTOS ACERCA DA RELAÇÃO HOMEM / NATUREZA 1º. Inclui o ser humano na natureza e qualquer discurso que obedeça a este paradigma faz dele um ser natural e reconhece a natureza humana 2º. Faz a divisão entre homem e natureza e especifica o que há no homem por exclusão da natureza Embora opostos,ambos impedem que se conceba a realidade humana como única e que se separa o homem e a natureza.

16 Em suma, o paradigma:  instaura relações primordiais que formam verdades inquestionáveis(axiomas)  Determina conceitos  Comanda discursos e teorias

17 O GRANDE PARADIGMA DO O CIDENTE - D ESCARTES Separa o sujeito e o objeto,nas suas esferas próprias:  filosofia e pesquisa reflexiva  ciência e pesquisa objetiva  É um paradigma porque determina os conceitos soberanos e efetua uma relação lógica: a disjunção  Faz um desdobramento do mesmo mundo:  1º. O mundo dos objetos submetidos a observações, experimentações  2º. O mundo de sujeitos que se questionam sobre problemas de existência, comunicação


Carregar ppt "C APÍTULO I As Cegueiras do Conhecimento O Erro e Ilusão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google