A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As origens e adaptação dos primatas. A maioria da ordem dos placentários aparece no cenozóico, a partir de formas simples semelhantes aos musaranhos que.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As origens e adaptação dos primatas. A maioria da ordem dos placentários aparece no cenozóico, a partir de formas simples semelhantes aos musaranhos que."— Transcrição da apresentação:

1 As origens e adaptação dos primatas

2 A maioria da ordem dos placentários aparece no cenozóico, a partir de formas simples semelhantes aos musaranhos que são insectívoros. A ordem dos primatas segue a mesma regra, pois, seus fósseis mais antigos (dentes e mandíbulas isolados do Cretácio superior e Paleoceno inferior (70-65mya) não se distinguem dos insectívoros. A diferença é que estes primatas antigos eram omnívoros pela sua dentição, adaptados a vida arborícola, (Plesiadapiformes  Purgatórius, E.U.A.

3 Períodos geológicos

4 Prossímios - visão estereoscópica e as mão adaptadas para agarrar, os prossímios são antigos, já registados no Eoceno, cujo o tamanho dos esqueletos fósseis era de um gato. Estes primatas eram mais próximos aos insectívoros, por este motivo são colocados na subordem dos prossimii (pré-macacos), verdadeiros ancestrais dos primatas e que deram origem à segundo subordem a dos Antropoidea ( macacos comuns, superiores e o homem).

5 Os prossímios estavam bem espalhados no início do Cenozóico, mas a sua decadência foi de grande rapidez, logo após o aparecimento dos macacos verdadeiros no Oligóceno (35mya), mas não foram totalmente extintos, hoje restringe-se em Madagascar, Ásia tropical e nas Filipinas (Lemuroides, Tarsioides), Aye-Aye.

6 Anthropoidea - a mais evoluída dos primatas e inclui três superfamilias: a dos Ceboidea (macacos do novo mundo), os Cercopithecoidea (macacos do velho mundo) e a Hominoidea caracterizada por ausência da cauda (pongídeos- representados por gorilas, chimpanzés, gibões e homem). A separação deles aparece no Oligoceno época transitória para espécies mais evoluídas no Mioceno.

7 O que é um primata? Principais características

8  Os pés e as mãos dos primatas são normalmente muito sensíveis;  Os dedos e as palmas das mãos e dos pés têm impressões digitais (verdadeiros órgãos do tacto) e auxiliam na percepção do mundo exterior;  as glândulas de suor ajudam a reduzir a possibilidade de escorregar e aumentam a sensibilidade no apoio a uma locomoção arbórea;

9  A grande flexibilidade dos membros dos primatas permite-lhes uma locomoção em diagonal, i.e., o braço direito move-se para a frente em simultâneo com a perna esquerda.

10  Os primatas tendem a ter um cérebro relativamente grande, em relação ao tamanho do corpo.  Os primatas também se desenvolvem mais lentamente, atingindo mais tarde a maturidade sexual, o que faz com que tenham uma maior esperança da vida. Isto significa que destinam uma grande parte da sua vida à aprendizagem;

11

12

13

14 Radiação dos primatas  Cretácio Superior/Paleoceno Inferior-primatas muito primitivos com o tamanho muito reduzido que se compara com os insectívoros Purgatorius(Plesiadapiformes);  Paleoceno Superior/Eoceno Inferior (Lemurformes e Tarsierformes);  Eoceno Superior/Oligoceno Inferior-primatas superiores primitivos (arboreos, quadrupedes com cérebro relativamente maior;  Oligoceno Superior/Mioceno Inferior-primatas superiores quadrupedes terrestres e arbóreos;  Final do Terciário/Quaternário-vários macacos superiores com o esmalte fino nos dentes, surge e desenvolvem-se os Hominídeos.

15 O comportamento dos primatas  Existem várias formas de adaptação dos primatas em nichos ecológicos diferentes. É a partir daí que se define o seu comportamento: a)locomoção: Quadrupeda, bípede, salto, arbórea, terrestre, mão aberta, nós dos dedos, braciação; b)alimentação: carne, frutos, folhas, insectos; c)comportamento social: idade, sexo, noivado, poligamia, monogamia; d)habitat: muito diverso, mas essencialmente nas zonas tropicais e equatorial; e)Dentição: 2 incisivos, 1 canino, 2 premolares, 3 molares ( ) de cada lado, em cima e em baixo; f)cognitivo: fala, língua, comunicação, instrumentos; g)sexual: diurnal, nocturnal, dicromatismo sexual, dimorfismo sexual, bissexual, etc.

16 Hominóides do Terciário  Durante o Mioceno médio e superior, a mudança global do clima produziu geralmente o frio nas latitudes médias e altas e secura nas latitudes baixas.  Na África oriental, o clima seco sazonal acompanhado com movimentos da crosta terrestre em larga escala reduziu a floresta tropical que foi substituída com a floresta tropical aberto. Os fósseis deste período são menos abundantes do que o Mioceno inicial.  Apenas os fósseis do proconsul que aparecem até aproximadamente 8-9 milhões de anos.

17  O segundo hominóide em que os fósseis aparecem em todas as estações do Kenya é o Kenyapithecus, datado entre milhões de anos.  O fóssil do Aegyptopithecus é o mais antigo que aparece em Fayum datado aproximadamente a 32 milhões de anos. Outros fósseis importantes que aparecem neste período são:  África – Apidium aparece em Fayum no Eoceno superior (38 milhões de anos) – contem duas formas phiomense e moustafai que pode ser ancestral dos macacos do velho mundo ou oreopithecus, o macaco do Plioceno da Itália. Aegyptopithecus Apidium

18  O Parapithecus aparece também em Fayum no Eoceno superior (38 milões de anos), apresenta as mesmas características do Apidium. Pela dentição, pode ter sido ancestral dos Anthropoidea.  Propliopithecus (30-35milhões de anos), este sugere-se que seja o ancestral do fóssil do gibão Pliopithecus das formações miocénicas e pliocénicas da França.  Ramapithecus que aparece em todo velho mundo é mais aceite como Hominídeo Mio-Pliocénico (10-8 milhões de anos). É provável que seja um ancestral directo do Homo sapiens. Parapithecus Propliopithecus

19  Sivapithecus é outro hominóide do Mioceno superior (10- 8 milhões de anos) que aparece em todo velho mundo, o provável ancestral de orangotango;  Europa – o Pliopithecus é o primeiro hominóide que aparece neste velho continente no Mioceno (16-11 milhões de anos), considerado como o ancestral do gibão, tinha o rabo que os actuais não têm;  O Dryopithecus é outro hominóide que aparece na Europa assim como na Ásia é o pongídeo do Mio- Pliocénico (14-8 milhões de anos) provável ancestral tanto do homem como dos pongídeos actuais. Sivapithecus Pliopithecus Dryopithecus

20  O Ouranopithecus é um hominóide do Mioceno superior ( milhões de anos), com o tamanho de um chimpanzé;  O Ramapithecus que aparece em todo velho mundo é mais aceite como Hominídeo Mio- Pliocénico (10-8 milhões de anos). É provável que seja um ancestral directo de Homo;  O Sivapithecus é outro hominóide do Mioceno superior (10-8 milhões de anos) que aparece em todo velho mundo, o provável ancestral de orangotango. Ouranopithecus Sivapithecus

21  Ásia - Dryopithecus – pongídeo do Mio-Pliocénico provável ancestral tanto do homem como dos pongídeos actuais. O estudo desta espécie é de maior importância para a nossa compreensão sobre a evolução dos Hominídeos. Uma das espécies D. indicus da Índia é possível ser ancestral do macaco gigante anormal do Plio-Pleistoceno (9-1 milhões de anos), conhecido por Gigantopithecus – os fósseis dessa espécie vieram do norte da Índia e China.  O Ramapithecus que aparece em todo velho mundo é mais aceite como Hominídeo Mio-Pliocénico (10-8 milhões de anos). É provável que seja um ancestral directo do Homo.  Sivapithecus é outro hominóide do Mioceno superior (10-8 milhões de anos) que aparece em todo velho mundo, o provável ancestral de orangotango. Dryopithecus Gigantopithecus Sivapithecus

22  Reconstituição hipotética dos primatas terciários, a partir dos seus esqueletos encontrados em Fayum (Egipto, África), Europa e Ásia.  Nota-se o Ramapithecus ao lado de Gigantopithecus como o mais evoluido neste grupo de primatas.

23  No final do Mioceno, entre 6.5 milhões de anos e 5 milhões de anos, regista-se um frio agudo. Mas a partir dos 5 milhões de anos, o clima melhora bastante.  Contudo, no Plioceno médio, 3.2 milhões de anos, a temperatura cai de novo iniciando a formação das glaciações nos continentes nortenhos e um padrão da oscilação climática cíclica entre um longo intervalo do frio e o aquecimento curto.  O intervalo do frio intensificou-se aparentemente entre 2.5 milhões de anos e de novo entre anos.  Em África a floresta tropical foi substituída por bosques abertos e savana que ocupava a maior parte do continente, havia ainda floresta equatorial e de montanha.  O clima quente passou para clima frio e seco que influencia também na fauna. Há grande diminuição da chuva. É nessas condições que aparece e irradia os hominídeos Plio- Pleistocénicos.


Carregar ppt "As origens e adaptação dos primatas. A maioria da ordem dos placentários aparece no cenozóico, a partir de formas simples semelhantes aos musaranhos que."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google