A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Trabalho de Química Alunos: Carlos Mendonça, Érica Santana, Gabriel Mussi e João Pedro Professora: Maria Fernanda Torres.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Trabalho de Química Alunos: Carlos Mendonça, Érica Santana, Gabriel Mussi e João Pedro Professora: Maria Fernanda Torres."— Transcrição da apresentação:

1 Trabalho de Química Alunos: Carlos Mendonça, Érica Santana, Gabriel Mussi e João Pedro Professora: Maria Fernanda Torres

2 Aborda o Acidente nuclear Chernobyl

3 Em 26 de abril de 1986, ocorreu na Ucrânia o pior acidente nuclear da história. Causado por falha humana, o acidente aconteceu por problemas em hastes de controle do reator que foram mal projetadas e por erros no manuseio da máquina. Dentre as conseqüências do acidente cita-se a poeira radioativa que atingiu onde hoje situa-se a Ucrânia, Bielorússia, Rússia e parte da Europa contaminando os seres viventes destes país. O número de pessoas mortas na explosão foi de 56, mas a contagem final das vítimas fatais ultrapassa 4 mil, já que trabalhadores correram um alto risco de contrair câncer décadas após o acidente. Na madrugada do dia 26, a equipe responsável pelo plantão aproveitou o desligamento de rotina da unidade 4 para realizar um experimento que buscava verificar o que aconteceria com as bombas de resfriamento se houvesse interrupção de energia, mais especificamente, no momento do intervalo entre a interrupção e a ativação dos geradores de emergência. As bombas de resfriamento assumem um importante papel em uma usina nuclear, pois consegue bloquear o aumento das temperaturas dos reatores, local que armazena o combustível nuclear, impedindo assim trágicas conseqüências.

4 Para tal experimento, a equipe desligou o sistema de segurança da unidade para evitar que houvesse interrupção de energia no reator e ainda reduziram a capacidade de energia do reator em 25%, o que motivou o acidente. A queda de energia foi maior do que a planejada, fazendo com que a equipe agisse rapidamente para reverter a situação. Porém, uma grande onda energética foi criada e o reator emergencial não funcionou para impedir a mesma. Para tal experimento, a equipe desligou o sistema de segurança da unidade para evitar que houvesse interrupção de energia no reator e ainda reduziram a capacidade de energia do reator em 25%, o que motivou o acidente. A queda de energia foi maior do que a planejada, fazendo com que a equipe agisse rapidamente para reverter a situação. Porém, uma grande onda energética foi criada e o reator emergencial não funcionou para impedir a mesma.

5 O crescimento acelerado de energia fez com que os reatores recebessem energia em quantidade maior do que suportava, causando uma grande explosão de 2000ºC de temperatura, o que impulsionou o incêndio do grafite existente que moderava os nêutrons no reator. O grafite por muitos dias permaneceu queimando, fazendo com que inúmeras tentativas de cessar fogo e impedir mais liberação de material radioativo fossem em vão. Não se sabe ao certo a quantidade de radiação liberada, pois as estatísticas das autoridades soviéticas foram distorcidas com o intuito de ocultar a real situação do problema. O crescimento acelerado de energia fez com que os reatores recebessem energia em quantidade maior do que suportava, causando uma grande explosão de 2000ºC de temperatura, o que impulsionou o incêndio do grafite existente que moderava os nêutrons no reator. O grafite por muitos dias permaneceu queimando, fazendo com que inúmeras tentativas de cessar fogo e impedir mais liberação de material radioativo fossem em vão. Não se sabe ao certo a quantidade de radiação liberada, pois as estatísticas das autoridades soviéticas foram distorcidas com o intuito de ocultar a real situação do problema.

6 Após o acidente foi construída uma estrutura de concreto e aço sobre o local acidentado e contaminado, o que recebeu o nome de sarcófago. O sarcófago tem a finalidade de impedir a liberação dos 95% do combustível nuclear ainda existente no local.

7 A Cidade de Chernobyl após ao Acidente Após 20 anos sem manutenção, a maioria dos edifícios estão úmidos e com manutenção precária. Após 20 anos sem manutenção, a maioria dos edifícios estão úmidos e com manutenção precária.

8 Os sobreviventes do acidente enfrentam graves doenças sendo que a mais comum é o câncer da tiróide que apresentou mais de quatro mil casos. A doença foi causada pela grande quantidade de iodo 131 libertado na explosão, que ao ser ingerido ou inalado, fica concentrado na glândula tiróide. Acidente aumentou a incidência também de doenças cardiovasculares e do número de malformações fetais e mutações cromossômicas

9 Vila abandonada nos arredores do acidente. Homenagem aos mortos no acidente

10 Fonte  ernobyl-acidente-nuclear.htm ernobyl-acidente-nuclear.htm ernobyl-acidente-nuclear.htm


Carregar ppt "Trabalho de Química Alunos: Carlos Mendonça, Érica Santana, Gabriel Mussi e João Pedro Professora: Maria Fernanda Torres."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google