A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Distribuição de Frequencias ESTATISTICA Aula 4 1 PROF: CÉLIO SOUZA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Distribuição de Frequencias ESTATISTICA Aula 4 1 PROF: CÉLIO SOUZA."— Transcrição da apresentação:

1 Distribuição de Frequencias ESTATISTICA Aula 4 1 PROF: CÉLIO SOUZA

2 DISTRIBUIÇÃO DE FREQUENCIAS Objetivo da aula: a)como realizar a distribuição de freqüências. b)Quais os tipos de distribuição de freqüências. c)Construir tabelas e gráficos.

3 DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIAS É um tipo de apresentação que condensa uma coleção de dados conforme as frequências ou repetições de seus valores. A construção da distribuição de frequência depende do tipo de dados com os quais se está lidando: contínuos ou discretos. Uma distribuição de frequência pode ser apresentada sob a forma gráfica ou tabelar.

4 ORGANIZAÇÃO DOS DADOS - TABULAÇÃO DE DADOS Dados brutos: forma como os dados são encontrados inicialmente na pesquisa. Rol – é a organização dos dados de forma ordenada, normalmente na ordem crescente de grandeza. Distribuição de Frequências – com que freqüência aparece determinado valor de uma variável. Essa pode ser absoluta, relativa, porcentual e acumulativa. Frequências Absoluta: contagem dos dados sem manipulação, valor numérico. Frequências Relativa: Resultados dos dados são mostrados por valores de quocientes (razão) ex. taxa, índices, percentagem.

5 – Frequência absoluta simples (fi): é o número de informações verificadas em cada classe. – Frequência total: é a soma de todas as informações observadas. – Frequência relativa simples (fri): é o quociente entre a freqüência da classe e a freqüência total. – Frequência acumulada (Fri): é obtida através da soma da freqüência daquela classe mais as freqüências de todas as classes anteriores. ELEMENTOS DISTRIBUIÇÕES DE FREQÜÊNCIAS

6 Distribuição de Frequência Anos (x) n. professores(fi)1 21 31 41 53 61 72 81 91 101 Dados brutos: 10 – 8 – 9 – 6 – 5 – 3 – 2 – 7 – 1 – 5 – 4 – 7- 5. Rol = 1, 2, 3, 4, 5, 5,5, 6, 7, 7, 8, 9,10 EX. Anos de experiência de professores de educação física.

7 Exemplo de Distribuição de Freqüência para Variáveis Discretas Número de faltas por disciplina. Supor uma amostra constituída dos 25 disciplinas do curso de graduação: Handebol = 4; Atletismo= 2; Biomecânica = 3; Capoeira = nenhum; Anatomia = 5; Folclore = 1; Dança = 3; Ética = nenhum; Metodologia de Pesquisa = 6; Metodologia da Ed. Física= 4; Desenvolvimento motor= 4; Didática = nenhum; Avaliação do Ensino = 1; Leitura e Produção = 1; Saúde Coletiva = 3; Teoria do Esporte = 7; Natação = 5; Ginástica I = 1; Ginástica II = 3; Cineantropometria = 2; Gestão de Eventos = 0; Basquetebol = 2; Anatomia = 3; Organização Curricular = 4

8 Da maneira como apresentada acima são dados primários ou dados brutos. O rol fica: 0 0 0 0 1 1 1 1 2 2 2 3 3 3 3 3 3 4 4 4 4 5 5 6 7

9 DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA ABSOLUTA (F i ) Relacionam categorias ou classes de valores, juntamente com contagens (ou freqüência) do número de valores que se enquadram em cada categoria. Faltasfi 004 1 203 306 404 502 601 7 ∑ fi25 Atenção o Exemplo é para Variáveis Discretas.

10 Distribuições de freqüência Etapas para a construção de tabelas de frequências para dados agrupados (classes) : 1) Encontrar o menor e o maior valores (denominados mínimo e máximo) do conjunto de dados. 2) A seguir, encontra-se a amplitude total da distribuição (AT ), que a diferença entre limite superior ( L min ) da amostra (pode-se aumentar uma casa decimal ) pelo limite inferior( l min ). Este resultado será dividido pelo número de classes que se quiser ( valores entre 4 a 7) 3) Para montar basta contar o número de elementos que pertencem a cada classe (frequência).

11 ELEMENTOS DISTRIBUIÇÕES DE FREQÜÊNCIAS – Classes: cada uma das linhas contendo um intervalo de valores. As classes são limitadas por dois valores: limite inferior de classe (li) e limite superior de classe (Li). Maneiras de expressar os limites de classes: 10  -- 12: compreende todos os valores entre 10 e 12, excluindo o 12. 10 -- 12: limites aparentes; os limites reais nesta situação são 9,5 e 12,5. – Amplitude de classe: é a diferença entre dois limites inferiores de classe consecutivos (hi = Li - li ). – Ponto médio da classe: é a média aritmética simples entre o limite superior e o inferior de uma mesma classe (pmi = hi/2).

12 Exemplo de Distribuição de Frequência para Variáveis Continuas

13 DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA ABSOLUTA (F i ) A t e n ç ã o o E x e m p l o é p a r a V a r i á v e i s C o n t i n u a s. O simbolo I-- em (150 I –– 156 )significa que o primeiro ( l 1) pertence a classe, mas o segundo L 2 não está nesta classe e sim na segunda classe.

14 OUTRAS ANALISES Estatura (cm)fifriFri 150 I–– 1562 0,06 156 I–– 1622 0,060,11 162 I–– 1688 0,220,33 168 I–– 1749 0,250,58 174 I–– 1807 0,190,78 180 I–– 1866 0,170,94 186 I–– 1922 0,061,00 ∑36 1,003,81 A soma sempre será 1,0 Fazer sempre o arrendam ento dos dados.

15 Distribuições de Freqüências Na construção de tabelas de freqüência, devemos observar as seguintes diretrizes: – As classes devem ser mutuamente excludentes. – Todas as classes devem ser incluídas, mesmo as de freqüência zero. – Procurar utilizar a mesma amplitude para todas as classes. – Escolher números convenientes para limites de classe. – A soma das frequências das diversas classes deve ser igual ao número de observações originais.

16 Exercícios de distribuição de frequências.


Carregar ppt "Distribuição de Frequencias ESTATISTICA Aula 4 1 PROF: CÉLIO SOUZA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google