A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A estruturação da cadeia da madeira manejada no Alto Solimões Subsídios para reflexão abril / 2006 PROJETO FLORESTA VIVA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A estruturação da cadeia da madeira manejada no Alto Solimões Subsídios para reflexão abril / 2006 PROJETO FLORESTA VIVA."— Transcrição da apresentação:

1 A estruturação da cadeia da madeira manejada no Alto Solimões Subsídios para reflexão abril / 2006 PROJETO FLORESTA VIVA

2 A reflexão exposta nessa apresentação foi desenvolvida pelo projeto Floresta Viva para subsidiar o processo de estruturação da cadeia produtiva do Alto Solimões. Os autores da reflexão são Laerte Nogueira (engenheiro florestal) e Jean François Kibler (engenheiro agro-economista), ambos membros da equipe central do projeto.

3 O Projeto Floresta Viva (PFV) tem por objetivo a promoção do manejo florestal sustentável com enfoque na produção e comercialização de madeira no Estado do Amazonas. Está sendo implementado pelo Grupo de Pesquisa e Intercâmbios Técnológicos (GRET) e a Agência de Florestas e Negócios Sustentáveis do Estado do Amazonas (AFLORAM), em parceria com a Escola Agrotécnica Federal de Manaus (EAFM), a Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação tecnológica (FUCAPI), e o Instituto de Desenvolvimento Sustentável de Mamiraua (IDSM). O projeto é co-financiado pelo Governo do Estado do Amazonas por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDS), e através do GRET pela Comissão Européia (prog. UE “Florestas tropicais e outras florestas dos paises em desenvolvimento” - Linha orçamental B7 – referência do projeto : ENV/2004/ ). O projeto iniciou em junho de 2005, para uma duração de 36 meses.

4 O ALTO SOLIMOES Solimões Amazonas

5 9 municípios ALTO SOLIMÕESALTO SOLIMÕES ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB

6 PROCESSOS PASSADOS, ATUAIS E PROJETADOS ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E E E xtratores de madeira

7 1993 – criação da AMRAS PROCESSOSPROCESSOS ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E AMRAS Associação dos Madeireiros e Reflorestadores do Alto Solimões E

8 2006 – criação da COOPAS PROCESSOSPROCESSOS ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E E AMRAS COOPFAS E E Cooperativa de Produção Florestal do Alto Solimões

9 2006 – criação de 9 associações municipais de extratores pela AMRAS ? PROCESSOSPROCESSOS ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E E => Federação ?AMRAS COOPFAS E E Associação Municipal de Extratores AME

10 As respectivas funções de cada nível PROCESSOSPROCESSOS ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E E AMRAS COOPFAS A definir ?? 1. Adquirir, transportar, classificar, beneficiar, armazenar e comercializar madeira; 2. Adquirir área para PM; 3. Elaborar PM para os cooperados; 4. Adquirir financiamento; 5. Gerenciar serraria 6. Educação ambiental 1. Defesa dos interesses da « classe » junto ao poder público 2. captar recursos E E AME

11 ANÁLISE DO PROCESSO ORGANIZATIVO ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E E AMRAS COOPFAS E E Critérios de análise : - geográfico - social - cadeia - organizacional AME

12 A realidade geográfica / econômica do setor da madeira : 3 pólos ? ANÁLISEANÁLISE ATN BC TBT SPO SAI AM TNT JUT FB E E E E E E E E E E E E E E AMRAS COOPFAS E E AME PÓLO I PÓLO II PÓLO III Centrado no p ó lo 1 Sede em BC Centrado no p ó lo 1 Sede em BC A madeira não sobe

13 Extratores patronais e pequenos extratores ? ANÁLISEANÁLISE ATN BC TBT E E E E E AMRAS COOPFAS e E e e E E E POLO I POLO II POLO III e e Assoc Motoserristas BC Coop Motoserristas TBT AME AME / AMRAS não abrange o conjunto dos extratores dos municípios

14 Outros atores : moveleiros e entrepostos ? ANÁLISEANÁLISE ATN BC TBT E E E E E AMRAS COOPFAS e E e e E E E POLO I POLO II POLO III e e M M M M M M Assoc. dos Produt. de Artefatos de Madeira - ASPAM Assoc dos Moveleiros, Artesãos e Carpinteiros do Alto Solimões - AMACAS Assoc de Moveleiros de Atalaia do Norte? AMRAS não abrange o conjunto dos atores do p ó lo Ent Entrepostos TBT AME

15 O objetivo perseguido O objetivo : desenvolver a atividade madeireira de forma economicamente viável, socialmente justa e ecologicamente sustentável Esse objetivo pressupõe: Criar as condições de viabilização da cadeia: acesso à terra, assitência técnica, financiamento, beneficiamento, mercado … Envolver a maioria dos atores que hoje vivem da madeira Envolver os grandes e pequenos : acesso a terra, assistência técnica, financiamento, mercado … Prever mecanismos de planejamento da produção entre atores Prever mecanismos de negociação justa entre atores Prever mecanismos de monitoramento / fiscalização da cadeia ANÁLISEANÁLISE

16 Problemas e temores dos atores da cadeia Problemas e temores dos atores : Ex ribeirinhos dos rios se tornaram pequenos motoserristas para sobreviver => não tem terra e assistência técnica para PM => madeira clandestina Comunidades são pouco atendidas pela AFLORAM => madeira clandestina Moveleiros não tem garantia de madeira da serraria AMRAS => madeira clandestina => querem fazer PM Entrepostos sofrem concorrência da madeira clandestina dos motoserristas => compram madeira clandestina Projeto de exportação de madeira (pisos …) preocupa ainda mais os moveleiros sobre a disponibilidade e o preço da madeira … REFLEXÃOREFLEXÃO ANÁLISEANÁLISE

17 O que se esperaria das organizações A estruturação da cadeia e organização dos atores da cadeia deveriam apontar para: O fortalecimento das capacidades de cada categoria de atores da cadeia em desenvolver as suas atividades e defender os seus interesses O fortalecimento das capacidades do setor em defender os seus interesses frente ao poder público O fortalecimento das capacidades do setor para se articular com o mercado A criação de espaços e mecanismos de planejamento, negociação entre atores A criação de dispositivos de monitoramento e fiscalização da cadeia ANÁLISEANÁLISE

18 Um guia de análise das organizações Elementos de caracterização das organizações ANÁLISEANÁLISE Abrangência geográfica : - comunidade, microregião - município, - pólo, - calha Composição social : - mono atores (de classe), - multi atores (setorial) Objetivo : - viabilização atividade econômica - relação poder público - organização interna no setor Estatuto jurídico : - associação, - cooperativa

19 ATN BC TBT E E E E E COOPFAS e E e e E E E POLO I POLO II POLO III e e M M M M M M Área : pólo Caráter Social : setorial Objetivo : relação poder publico, organização interna ao setor, serviço aos atores Tipo : Associação ? Ent AME Área : município Caráter Social : classe Objetivo : viabilização atividade econômica, organização interna da classe, negociação com outros atores do setor Tipo : associação, cooperativa AMRAS ? Área : calha (3 p ó los) Caráter Social : setorial Objetivo : relação poder público ? Tipo : federação ? ANÁLISEANÁLISE Uma configuração de organizações


Carregar ppt "A estruturação da cadeia da madeira manejada no Alto Solimões Subsídios para reflexão abril / 2006 PROJETO FLORESTA VIVA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google