A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nomes: Mª Eduarda Corleto, Renata Silveira e Renata Ritmann. Nº: 24, 37 e 38.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nomes: Mª Eduarda Corleto, Renata Silveira e Renata Ritmann. Nº: 24, 37 e 38."— Transcrição da apresentação:

1

2 Nomes: Mª Eduarda Corleto, Renata Silveira e Renata Ritmann. Nº: 24, 37 e 38.

3  Sujeito Simples;  Sujeito Composto;  Sujeito Indeterminado;  Sujeito Desinencial;  Sujeito Inexistente;

4  Neste sujeito, temos um núcleo na oração.  Ex.:  Paulo ligou para a escola.  Alguém gritou!

5  Neste sujeito, temos dois ou mais núcleos na oração.  Ex.:  João e Fernanda são namorados.  Maçã, abacaxi e melão são frutas saborosas.

6  Temos dois tipos:  3ª pessoa do singular + “-se”:  Precisa-se de faxineiras.  Trata-se de um assunto muito importante.  3ª pessoa do plural:  Compraram uma casa linda.  Comeram antes de mim.

7  É classificado através da desinência do verbo, quando não há um termo referente:  Contamos com a presença de todos!  Falei com muita gente na festa.

8  Neste sujeito, temos 3 tipos que são:  Fenômenos da natureza:  Choveu em Porto Alegre.  Ventou muito essa noite.  Verbo Haver:  Há muitas reuniões hoje.  Haverá passeio nesse ano.  Verbos ser e estar indicando tempo ocorrido:  É cedo!  Faz 10 dias!

9  OD – Objeto Direto  OI – Objeto Indireto

10  É o objeto em que não tem uma preposição para ligá-lo ao verbo.  Comprei sorvete. Comprei (o quê?) sorvete.

11  É o objeto em que tem uma preposição ligando- o ao verbo.  Obedeçam aos professores. Obedeçam (a quem?) aos professores.

12  VTD é o verbo de ação que vem antes do OD na oração, ex.: O cachorro comeu o osso/ Pintei a parede do quarto.  VTI é o verbo de ação que vem antes do OI na oração, ex.: Ela precisa de você/ Assistimos ao filme de terror.  VI é o verbo intransitivo, ex.: Choveu em Porto Alegre/ Nevou bastante em Las Vegas.  VTDI é o verbo de ação que vem antes do OD e do OI juntos na oração, ex.: A senhora doou alimentos aos pobres/ Damos dinheiro aos bons amigos.

13  Ser, ex.: Os alunos serão aprovados.  Estar, ex.: Está muito tarde.  Permanecer, ex.: Ele permaneceu quieto a aula inteira.  Torna-se, ex.: A ficção tornou-se realidade.  Ficar, ex.: Você fique até mais tarde...  Continuar, ex.: Continue assim, que você irá passar.  Parecer, ex.: Ele parece muito engraçado.

14  Na oração o conetivo pode ser: um dos verbos de ligação, uma conjunção ou uma preposição.  Ex.:  Cremos em Deus  Otávio permaneceu rei.

15  Na oração o AADN. pode ser: um artigo, um adjetivo, um pronome possessivo ou um pronome demonstrativo;  Ex.:  O menino é chato.  O bom professor é mais fácil de entender.

16  O CN passa por 3 fases que são: 1) há na oração um advérbio, um adjetivo ou um substantivo abstrato; 2) na oração, terá uma preposição do CN: A, DE, EM, PARA, COM e POR. Também pode ter um adjunto adnominal em contração com a preposição. O termo desta oração será o CN.  Ex.:  Carla mora perto do colégio!

17  Voz Ativa:  Nesta voz, o sujeito simples será o sujeito agente, ex.: A chuva provocou inundações no centro da cidade. O provocou é a voz ativa.  Voz Passiva:  Nesta voz, o sujeito simples será o sujeito paciente, ex.: As joias foram encontradas no porta-malas do carro pela polícia. Quando for a voz passiva, terá o ser + particípio, e o polícia será o agente da passiva, e será precedido por um POR, PELA ou PELO.

18  Tipos de AADV.:  De tempo;  De lugar;  De modo;  De negação;  De afirmação;  De dúvida;  De intensidade;  De meio;  De causa  De companhia;  De finalidade;  De oposição;  De argumento;  De assunto;  De preço;  De matéria;  De acréscimo;  De concessão;  De condição;  De conformidade;  De substituição;

19  De tempo:  Na oração, nós vamos ter a pergunta “quando?” para saber se é mesmo um AADV. de tempo.  Ex.: O avião chagará a qualquer momento.  De lugar:  Na oração, nós vamos ter a pergunta “onde?” para saber se é mesmo um AADV. de lugar.  Ex.: De vez em quando, vou ao cinema.  De modo:  Na oração, nós vamos ter a pergunta “como?” para saber se é mesmo um AADV. de modo.  Ex.: Os namorados caminhavam lado a lado.

20  De negação:  Nesta oração nós vamos ter uma negação (negar alguma coisa).  Não o procurei mais.  De afirmação:  Nesta oração nós vamos afirmar alguma coisa.  Sem dúvida alguma, iremos até ai amanhã.  De dúvida:  Na oração de AADV nós vamos ter uma dúvida, quase sempre no início da oração.  Quem sabe, conseguiremos a vaga na faculdade.

21  De intensidade:  Na oração, nós vamos ter alguma palavra ou termo que indiquem intensidade.  Ele bebeu em excesso.  De meio:  Indica o instrumento usado para que a ação seja praticada.  Gosto de viajar de avião.  De causa:  Na oração, nós vamos ter alguma causa como por exemplo:  O poço secou com o calor.

22  De companhia:  A pergunta desse AADV é “com quem?” ou seja, com quem a pessoa estava, está ou estará.  Estudarei com você.  De finalidade:  A pergunta desse AADV, é “para quê?” ou seja, para uma finalidade na oração.  Convidei meus amigos para uma festa.  De oposição:  Na oração desse AADV geralmente nós vamos ter a presença das palavras contra ou com.  O Santos jogará com o Palmeiras. / O Inter jogará contra o Grêmio.

23  De argumento:  Ocorrerá esse AADV. com as expressões “chegar de” e “bastar de” no modo imperativo.  Chega de brigas. / Basta de incompetência.  De assunto:  Ocorrerá esse AADV., quando houver verbo indicando comunicação entre as pessoas usando a preposição “de “ ou “sobre”, a locução prepositiva “acerca de” ou “a respeito de”.  Conversamos sobre você ontem.  De preço:  Para ser AADV. de preço, nós sempre vamos ter na frente do preço o verbo custar. Mas quando forem usadas as expressões “caro” ou “barato” ou o preço com números não precisamos escrever este verbo.  Paguei R$ 400,00 pelas roupas novas./ Essa bolsa custa muito caro.

24  De matéria:  Ocorrerá esse AADV. com verbos que identifiquem fabricação, feitio, construção modificados por uma matéria.  Fiz de ouro o meu colar.  De acréscimo:  Na oração deste AADV., nós vamos ter sempre a palavra além, que vai significar o acréscimo da oração.  Além da tristeza, sentia um profundo mal-estar.  De concessão:  Ocorrerá esse AADV. na indicação de fatores contrários iniciados por: apesar de, embora, inobstante...  Apesar de você, sou feliz.

25  De condição:  Na oração, vai ter sempre a palavra “sem”, para identificar a condição:  Sem disciplina, não há educação.  De conformidade:  Nesse AADV., vai ter na oração a palavra conforme, indicando onde está a conformidade.  Faça tudo conforme os regulamentos da empresa.  De substituição:  AADV. vai ter sempre uma substituição, ou seja, trocar uma coisa pela outra.  Abandonou suas convicções por privilégios.

26  É a explicação da palavra anterior, que fica entre vírgulas, por exemplo:  Lula, ex-presidente da república, saiu da política.


Carregar ppt "Nomes: Mª Eduarda Corleto, Renata Silveira e Renata Ritmann. Nº: 24, 37 e 38."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google