A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Margarida Coimbra1 A biblioteca escolar e os ambientes digitais CONTEÚDOS 1.A escola e os objectivos da educação para o século XXI 2. A BE e a Sociedade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Margarida Coimbra1 A biblioteca escolar e os ambientes digitais CONTEÚDOS 1.A escola e os objectivos da educação para o século XXI 2. A BE e a Sociedade."— Transcrição da apresentação:

1 Margarida Coimbra1 A biblioteca escolar e os ambientes digitais CONTEÚDOS 1.A escola e os objectivos da educação para o século XXI 2. A BE e a Sociedade da Informação 3.O papel das bibliotecas digitais e da Internet na educação 4. Os novos ambientes digitais 5.A biblioteca híbrida 6. O desenvolvimento das colecções em ambientes digitais 7.A organização da informação

2 Margarida Coimbra2 A biblioteca escolar e os ambientes digitais CONTEÚDOS 8. A arquitectura da informação 9. Vantagens da biblioteca digital 10. Limitações, dificuldades e alterações da biblioteca digital

3 Margarida Coimbra3 A biblioteca escolar e os ambientes digitais A informação assume actualmente um papel central na sociedade ao ponto de esta se denominar da Sociedade da Informação. As TIC transformaram radicalmente não só as nossas maneiras de comunicar, mas também de trabalhar, decidir, de pensar. A Sociedade da Informação constitui um desafio que tem que ser enfrentado com determinação de modo a adequar o país e os cidadãos às profundas mudanças daí resultantes. A

4 Margarida Coimbra4 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Em Portugal o Livro Verde para a Sociedade da Informação (1997) na Medida 1.1 define que os estabelecimentos de ensino de todos os níveis devem ser dotados de computadores dispondo de acesso à Internet. O mesmo documento na Medida 1.2. propunha lançar programa para dotar bibliotecas e arquivos públicos com computadores ligados à Internet e a Medida 1.3 defendia a necessidade de promover programas de informação ao cidadão.

5 Margarida Coimbra5 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Mas a tecnologia em si mesma não serve para justificar a escola, não é um fim da educação, não é a panaceia que resolve todos os problemas. O elemento central em educação é o processo ensino- aprendizagem. Todavia a escola não deve ignorar estes meios porque se o fizer desacredita-se como instituição. A verdadeira incógnita é saber se os professores irão apossar-se das tecnologias como auxílio ao ensino, para dar aulas cada vez mais bem ilustradas por apresentações multimedia, ou para mudar de paradigma e concentrar-se na criação, na gestão e na regulação de situações de aprendizagem?

6 Margarida Coimbra6 A biblioteca escolar e os ambientes digitais O facto de a Escola já não ser única responsável pela guarda e passagem do essencial dos saberes constituídos, face à acessibilidade do conhecimento que se prevê crescente, é inegável. Em contrapartida existem dimensões no papel da Escola que não são desempenhadas por nenhuma outra instituição. A necessidade de a escola proporcionar, no seu currículo, os saberes de referência, nos vários campos do conhecimento, para que o aluno se possa movimentar por si mesmo na sua aprendizagem futura, na actividade profissional, na actualização de que vier a necessitar.

7 Margarida Coimbra7 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Além do potencial formativo relevante, a Escola desenvolve as competências sociais e cognitivas mais complexas, pela reflexão sobre e com diferentes padrões culturais. A educação no séc. XXI deve, segundo Jacques Delors, estruturar-se em torno de quatro aprendizagens fundamentais: Aprender a conhecer: numa sociedade tão complexa como a nossa, acumular muita informação pode não ser nada de substancialmente útil se não formos treinados a aprender a pesquisá-la, interpretá-la, classificá-la, criticá-la, avaliá-la e aplicá-la adequadamente a novos contextos. E isto devemos saber fazer ao longo de toda a vida.

8 Margarida Coimbra8 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Aprender a fazer: isto implica aprender diferentes habilidades para ser capaz de fazer frente a um grande número de situações novas que se nos apresentam. Implica desenvolver capacidades que nos permitem inovar para melhorar as condições de vida de todos os habitantes do planeta. Aprender a viver juntos: é aprender a cooperar, a aceitar a diversidade e a valorizá-la como uma riqueza, significa também aprender a desenvolver projectos comuns para podermos enfrentar adequadamente os conflitos respeitantes aos direitos de todos.

9 Margarida Coimbra9 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Aprender a ser: é aprender a desenvolver ao máximo as nossas capacidades, as nossas múltiplas inteligências: desde a lógico- matemática, a linguística que até agora têm sido as mais valorizadas no contexto escolar, mas também a inteligência de relacionamento interpessoal e intra-pessoal, para compreendermos os outros e a nós mesmos.

10 Margarida Coimbra10 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Num mundo em que a informação e o conhecimento científico e tecnológico se produzem a ritmo acelerado e em que é necessário formar pessoas capazes de acompanhar essas mudanças, cabe às escolas e às BE a função essencial de criar e desenvolver nos alunos competências de informação, contribuindo para que os cidadãos se tornem mais conscientes, informados e participantes e para desenvolvimento da sociedade em geral.

11 Margarida Coimbra11 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Actualmente os conhecimentos são adquiridos através de: Transmissão pelo docente Observação e experiências práticas Conhecimentos adquiridos nos documentos Pelo papel desempenhado por esta última forma a biblioteca escolar faz parte integrante do sistema de ensino. Principais características da biblioteca escolar tradicional:

12 Margarida Coimbra12 A biblioteca escolar e os ambientes digitais espaço aberto a alunos e professores espaço que agrupa um conjunto de documentos físicos espaço estruturado, classificado, dotado de instrumentos de recuperação e de acesso aos documentos estão associados serviços é também um lugar de estudo Com o advento da biblioteca digital o utilizador tem acesso remoto ao conteúdos e aos serviços das bibliotecas e outras

13 Margarida Coimbra13 A biblioteca escolar e os ambientes digitais fontes de informação, na possibilidade de reproduzir, ultrapassar e ampliar os serviços das bibliotecas tradicionais, aproveitando as potencialidades do armazenamento e comunicação digitais para desenvolver serviços mais personalizados e amigáveis. Para promover o acesso e utilização de informação multimédia e reduzir as barreiras de distância (geográfica e organizacional) e tempo no acesso à informação.

14 Margarida Coimbra14 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Três aspectos principais caracterizam as bibliotecas digitais: Elas irão armazenar e dar acesso a volumes cada vez maiores de informação multimédia (texto, imagem, som, vídeo…) em suportes digitais e diversos formatos, a par da existência do suporte impresso; Em segundo lugar estarão acessíveis aos seus potenciais utilizadores a qualquer hora e de qualquer lugar. E os utilizadores poderão obter não apenas informação secundária (ex. registos bibliográficos), mas também informação primária (conteúdo integral dos documentos...)

15 Margarida Coimbra15 A biblioteca escolar e os ambientes digitais Finalmente as bibliotecas digitais permitirão de forma transparente para os utilizadores, a pesquisa e o acesso às suas colecções locais ou a qualquer outra fonte de informação existente nas redes de comunicação onde estejam integradas. A possibilidade de ligação virtual entre todas as bibliotecas transformará cada uma delas num nó de uma biblioteca digital à escala planetária.


Carregar ppt "Margarida Coimbra1 A biblioteca escolar e os ambientes digitais CONTEÚDOS 1.A escola e os objectivos da educação para o século XXI 2. A BE e a Sociedade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google