A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CARPINETTI, 2012, CAP. 01) A EVOLUÇÃO DO CONCEITO E DA PRÁTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CARPINETTI, 2012, CAP. 01) A EVOLUÇÃO DO CONCEITO E DA PRÁTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE."— Transcrição da apresentação:

1 CARPINETTI, 2012, CAP. 01) A EVOLUÇÃO DO CONCEITO E DA PRÁTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE

2  A qualidade é subjetiva  Qualidade está associada aos atributos do bem;  Qualidade está associada à satisfação dos clientes (adequação ao uso);  Qualidade como atendimento as especificações do produto.  Qualidade associada ao valor relativo do produto O CONCEITO DE QUALIDADE

3 ATRIBUTOS DA QUALIDADE

4 ATRIBUTOS DA QUALIDADE (CONT.)

5  Qualidade do produto acompanha correspondente analise econômica  Custo de ciclo de vida do produto  Custo de aquisição; custo de operação; custo de manutenção, reparo e custo de descarte...entre outros. “Um produto de qualidade é aquele que no mercado apresenta o desempenho esperado a um preço aceitável (ou se possível avaliar, a um custo de ciclo de vida aceitável)”. QUALIDADE SOB O PONTO DE VISTA DO USUÁRIO

6 Expectativa x Percepção adquirida. RELAÇÃO SATISFAÇÃO DO CLIENTE X QUALIDADE

7  Adequação às especificações;  Adequação ao uso;  Adequação aos custos;  Adequação a requisitos latentes  (Shiba, Graham e Walden, 1993) PROCESSO EVOLUTIVO DO CONCEITO DE QUALIDADE

8  Final da década de 20  Shewart desenvolve as cartas de controle do processo  Inicio da gestão da qualidade no processo produtivo  Contrariava os princípios tayloristas – para este, não cabia ao setor de produção o controle da qualidade  Década de 30  Inicio do controle da qualidade por amostragem – técnicas de inspeção  Década de 50  Novas dimensões incluindo para etapas mais à jusante e a montante do ciclo produtivo. PRÁTICA DE GESTÃO DA QUALIDADE

9 EVOLUÇÃO DA QUALIDADE Total Quality Management Garantia da Qualidade Controle da Qualidade Inspeção Detecção de Erro Retificação Métodos estatísticos Desempenho de processo Padrões de qualidade Sistemas da Qualidade Custo da qualidade Solução de problemas Planejamento da qualidade Estratégia de qualidade Grupos de trabalho Envolvimento de clientes e fornecedores

10 “Qualidade é a adequação ao uso.” Para Juran, chega-se à Qualidade através das seguintes atividades: Planejamento: estabelecimento de objetivos e dos meios para alcançá-los – desde as metas de Qualidade até o desenvolvimento de controle de processos; Controle: definição do que deve ser controlado, meios para avaliar o desempenho, comparação do desempenho com as metas e ações corretivas; Aperfeiçoamento: busca de alto nível de desempenho. CONTRIBUIÇÕES DE JURAN

11  Nova dimensão ao controle da qualidade  Incluindo todas as atividades do ciclo produtivo do desenvolvimento ao pós venda.  Todos direcionados para atender as expectativas do cliente;  O conceito de qualidade deveria ser incorporado em todos os processos da organização.  Conceito de qualidade  Pequeno q – Atividades focadas no controle da produção de produtos manufaturados)  Grande Q – Atividades de gestão da qualidade no ciclo de vida do produto (ou serviço).  Desenvolveu o espiral da função da qualidade CONT...

12 ESPIRAL DO PROGRESSO NA QUALIDADE DE JURAN

13

14 AS CONTRIBUIÇÕES DE FEIGENBAUM Inicio do controle da qualidade total

15 Pela teoria de Deming, o aprimoramento dos processos se dá através da melhoria contínua, cujo principal instrumento é o ciclo PDCA. “Qualidade é a capacidade de satisfazer desejos.” AS CONTRIBUIÇÕES DE DEMING

16

17 OS 14 PONTOS DE DEMING 1.Criar constância de propósito de aperfeiçoamento do produto e serviço, a fim de torná-los competitivos, perpetuá-los no mercado e gerar empregos. 2.Adotar uma nova filosofia. Vivemos numa nova era econômica. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidade e assumir a liderança em direção à transformação. 3.Acabar com a dependência de inspeção para a obtenção da qualidade. Eliminar a necessidade de inspeção em massa, priorizando a internalização da qualidade do produto. 4.Acabar com a prática de negócios compensador baseado apenas no preço. Em vez disso, minimizar o custo total. Insistir na idéia de um único fornecedor para cada item, desenvolvendo relacionamentos duradouros, calcados na qualidade e na confiança. 5.Aperfeiçoar constante e continuamente todo o processo de planejamento, produção e serviços, com o objetivo de aumentar a qualidade e a produtividade e, conseqüentemente, reduzir os custos. 6.Fornecer treinamento no local de trabalho. 7.Adotar e estabelecer liderança. O objetivo da liderança é ajudar as pessoas a realizar um trabalho melhor. Assim como a liderança dos trabalhadores, a liderança empresarial necessita de uma completa reformulação.

18 8.Eliminar o medo. 9.Quebrar as barreiras entre departamentos. Os colaboradores dos setores de pesquisa, projetos, vendas, compras ou produção devem trabalhar em equipe, tornando-se capazes de antecipar problemas que possam surgir durante a produção ou durante a utilização dos produtos ou serviços. 10.Eliminar slogans, exortações, e metas dirigidas aos empregados. 11.Eliminar padrões artificiais (cotas numéricas) para o chão de fábrica, a administração por objetivos (APO) e a administração através de números e metas numéricas. 12.Remover barreiras que despojem as pessoas de orgulho no trabalho. A atenção dos supervisores deve voltar-se para a qualidade e não para números. Remover as barreiras que usurpam dos colaboradores das áreas administrativas e de planejamento/engenharia o justo direito de orgulhar-se do produto de seu trabalho. Isso significa a abolição das avaliações de desempenho ou de mérito e da administração por objetivos ou por números. 13.Estabelecer um programa rigoroso de educação e auto-aperfeiçoamento para todo o pessoal. 14.Colocar todos da empresa para trabalhar de modo a realizar a transformação. A transformação é tarefa de todos CONT.. 14 PONTOS DE DEMING

19  Qualidade implica na participação de todos e no trabalho em grupo;  Ênfase no lado humano  Vê o processo como um conjunto de causas que devem ser controladas para se obter bons produtos e serviços  Diagrama de causa e efeito AS CONTRIBUIÇÕES DE ISHIKAWA

20  1968 – JUSE  Participação de todos os departamentos e envolvimento de todos os empregados no controle da qualidade total;  Entusiasmo com educação e treinamento em qualidade;  Atividades de Círculos de controle da qualidade;  Auditorias do presidente e participação em prêmios;  Uso de métodos estatístico;  Campanhas nacionais de promoção da qualidade O TQC NO ESTILO JAPONÊS

21 GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE

22 “Produto ou serviço de Qualidade é aquele que atende perfeitamente, de forma confiável, de forma segura e no tempo certo as necessidades dos clientes.” orientação pelo cliente; qualidade em primeiro lugar; ação orientada por prioridades; ação orientada por fatos e dados; controle de processos; controle de dispersão; Falconi propõe 11 princípios para o alcance da Qualidade Total: próximo processo é seu cliente; controle a montante; ação de bloqueio; respeito pelo empregado como ser humano; e comprometimento da alta direção. AS CONTRIBUIÇÕES DE FALCONI

23  Benefícios da TQM : quebra de barreiras entre departamentos; concepção de cliente interno; melhoramento contínuo.  Dificuldades da adoção de TQM : dificuldades de comunicação; comprometimento; profissionalização. GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL

24 QUALIDADE TOTAL (TQM) – CONT. Pirâmide Tradicional de Autoridade Pirâmide de Cabeça para Baixo Diretoria Chefia Técnicos Trabalhadores Clientes Trabalhadores Unidades de Apoio Diretoria

25

26  Custos das falhas internas;  Refugo  Retrabalho;  Reinspeção  Redução do preço de venda devida à baixa qualidade  Custos devido a falhas externas  Assistência técnica no período de garantia;  Rompimento de contrato;  Custo por ações na justiça. ANALISE DOS CUSTOS DA QUALIDADE

27  Custos de avaliação da qualidade  Inspeção e testes de recebimento;  Inspeção em processos;  Inspeção final e teste;  Auditorias da qualidade;  Manutenção da rastreabilidade e acuracidade de equipamentos de inspeção e teste.  Custos de prevenção  Planejamento da qualidade;  Revisão de novos produtos em desenvolvimento;  Controle do processo;  Auditorias da qualidade;  Qualificação e desenvolvimento de fornecedores;  Treinamento. ANALISE DOS CUSTOS DA QUALIDADE

28 MODELO ECONÔMICO DO CUSTO DA QUALIDADE

29 VARIAÇÃO DOS CUSTO DE QUALIDADE

30 MELHORIA DA QUALIDADE E MANUTENÇÃO DOS CUSTOS TOTAIS

31  Por que nas últimas décadas, gestão da qualidade se tornou tão importante? Considere a evolução do conceito da qualidade.  Como a gestão da qualidade pode contribuir para a melhoria de resultados financeiros da sua empresa?  Quais os custos da qualidade? Justifique. ATIVIDADE 1


Carregar ppt "CARPINETTI, 2012, CAP. 01) A EVOLUÇÃO DO CONCEITO E DA PRÁTICA DA GESTÃO DA QUALIDADE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google