A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

 Dado e Informação O dado é o resultado da observação (representação) de um evento, enquanto a informação é o modo como um dado é organizado para orientar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: " Dado e Informação O dado é o resultado da observação (representação) de um evento, enquanto a informação é o modo como um dado é organizado para orientar."— Transcrição da apresentação:

1

2  Dado e Informação O dado é o resultado da observação (representação) de um evento, enquanto a informação é o modo como um dado é organizado para orientar uma questão ou uma decisão. O dado é o resultado da observação (representação) de um evento, enquanto a informação é o modo como um dado é organizado para orientar uma questão ou uma decisão.  Comunicação É o processo genérico de tradução da informação de um domínio para um ou mais domínios através de um meio (físico, digital, etc) É o processo genérico de tradução da informação de um domínio para um ou mais domínios através de um meio (físico, digital, etc) É o processo de troca de informação e idéias. Um processo ativo que envolve codificação, transmissão, decodificação de mensagens É o processo de troca de informação e idéias. Um processo ativo que envolve codificação, transmissão, decodificação de mensagens

3 INTEROPERABILIDADE FUNCIONAL INTEROPERABILIDADE SEMÂNTICA “Habilidade de 2 ou mais sistemas ou componentes de e que foi trocada” “Habilidade de 2 ou mais sistemas ou componentes de trocar informação e usar a informação que foi trocada” [IEEE Standard Computer Dictionary: A Compilation of IEEE Standard Computer Glossaries, IEEE, 1990]

4

5  Melhoria da comunicação entre prestadores da assistência, governo e fontes pagadoras;  Maior facilidade na obtenção de informação para estudos epidemiológicos e definição de políticas em saúde;  Habilidade para executar análise custo-benefício de investimentos na área da saúde;  Transferência de informação na rede de atenção levando a menor custo e maior qualidade na assistência;  Possibilidade de comparação e análise de desempenho institucional, levando à otimização de recursos e aumento da qualidade.

6 “ É um documento estabelecido por consenso e aprovado por um grupo reconhecido, que define para uso geral e repetido um conjunto de regras, protocolos ou características de processos com o objetivo de ordenar e organizar atividades em contextos específicos para o benefício de todos ” International Standards Organization - ISO

7  ISO - International Standards Organization ISO/TC 215 -Health Information and Communications Technology ISO/TC 215 -Health Information and Communications Technology  CEN - European Committee for Standardization CEN/TC 251 -Health Informatics CEN/TC 251 -Health Informatics  ANSI - American National Standards Institute HL7, ACR/NEMA DICOM, ASC X12, ASTM, IEEE HL7, ACR/NEMA DICOM, ASC X12, ASTM, IEEE  ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas CEEIS – Comissão de Estudo Especial de Informática em Saúde CEEIS – Comissão de Estudo Especial de Informática em Saúde

8  Transmissão / comunicação e Conteúdo DICOM DICOM HL7 HL7 LOINC, ASTM E1238 LOINC, ASTM E1238 TISS, TUSS TISS, TUSS  Vocabulários CID, CIF, ICPC (OMS) CID, CIF, ICPC (OMS) SNOMED CT SNOMED CT NANDA, NIC, HHCC (Enfermagem) NANDA, NIC, HHCC (Enfermagem)  Segurança HIPAA (Health Insurance Portability and Accountability Act) HIPAA (Health Insurance Portability and Accountability Act) SBIS/CFM SBIS/CFM

9

10 n ACR- American College of Radiology n NEMA-National Electrical Manufacturers Association n 1983: formaram um comitê para desenvolver um padrão: u que promovesse a comunicação da informação de imagem digital sem considerar o fabricante; u que facilitasse o desenvolvimento e expansão do PACS (Picture Archiving & Communication System); u que permitisse a criação de bancos de dados para informação de diagnósticos; u que interrogasse esses B.D. por equipamentos distribuídos geograficamente, local ou remotos.

11 Rede de alta velocidade HIS/MIS Arquivamento Modalidade de Imagem Web-based RIS/PACS/EMR RIS Estação de visualização HL-7 DICOM PACS Firewall PACS DB DICOM RAID Reconhecimento de voz

12  A meta inicial para o desenvolvimento de um padrão para a transmissão e armazenamento de imagens digitais foi permitir a recuperação de imagens e informações associadas de equipamentos diversos em um formato específico, que seria o mesmo para qualquer fabricante;  A essência do padrão DICOM é que ele prescreve um conjunto uniforme e bem compreendido de regras para a comunicação de imagens digitais.

13 MAGN ETOM Information Management System Storage, Query/Retrieve, Study Component Query/Retrieve, Patient & Study Management Query/Retrieve Results Management Print Management Media Exchange LiteBox

14 File Meta information Meta info version (0x0001) SOP class (DICOMDIR) Xfer Syntax (Ex: Little Endian Explicit) Directory information Descriptor (Ex: README) First dir Record Last dir Record Patient 1 directory Record Pointer to other patients (Pat2, Pat3..) Lower level dir (STUDY1, STUDY2...) Name ID Date of Birth Sex Patient 2... Patient 3... Patient x... Study 1 directory Record Pointer to other studies (Stud2, Stud3..) Lower level dir (Series1, Series2...) Description UID Date and time Study ID Study x... Study 3... Study 2... Image 1 directory Record Pointer to other studies (Image1, Image2..) No lower level dir File ID (Ex: XA0001.dcm) Xfer Syntax UID in file (Litle End., JPEG, etc..) Image Type (Original, Primary, Planes...) Image number (Ex: 102) Samples per pixel (1) Photometric interpretation (Monochrome2,...) Number of Rows, Columns, etc... Image 3... Image 2... I mage x...

15 Ex2: Study Module Ex1: Patient Module

16

17

18

19

20

21

22 Elemento1 Elemento2Elemento Elementox ordem de transmissão TAGVR Value length Value Field Elemento de dado: Campo opcional- depende de Sintaxe de Transferência negociada entre duas aplicações Tag: um par ordenado de 16 bits (uint) representando o Número do Grupo e o Número do Elemento VR:uma sequência de caracteres de 2 bytes. O VR de um dado Data Element Tag deverá ser definido no Dicionário de Dados (parte 6 do padrão) VL: um número inteiro (uint) de 16 ou 32 bits contendo o número explícito de bytes do Value Field OU o valor FFFFFFFFH que determina um Value Field de tamanho indefinido. Value Field:um número par de bytes contendo os valores do Elemento de dados. O tipo de dado é determinado pelo VR. Pode ser delimitado por Itens Delimitadores de Sequência quando VR for de tamanho indef.

23  Verification - Serviço para verificar uma comunicação DICOM DICOM Ping ou C-ECHO  MWM – Modality Worklist Management – Tráfego de informações com o servidor Worklist (Ex. nome do paciente, tipo de estudo, data de nascimento, numero de registro, etc.)  MPPS – Modality Performed Procedure Step – Monitora os passos do exame e do paciente (ex. Exame agendado, exame realizado, exame impresso, exame assinado, etc.).  C-Store – Envio do exame para outro local (Ex. Armazenamento no DICOM Server e envio para Workstation).  Storage Commitment – Confirma se todas as imagens do exame foram transferidas para o destino.  Print – Impressão das imagens em impressora DICOM.  Query/Retrive – Pesquisa no banco de dados e transferência do arquivo.

24  Documentação técnica (Hardware e Software) com instrução para cada componente DICOM Descreve os serviços DICOM suportados Prever possíveis funcionalidades  Deve-se especificar os serviços DICOM na proposta de compra, pois são vendidos separadamente como opcionais  A compra de um equipamento não-DICOM ou sem o serviço DICOM pode significar o isolamento do equipamento no momento da integração com outros sistemas.

25

26 troca de informações  É uma organização voluntária, sem fins lucrativos, voltada para o desenvolvimento de padrões e especificações para permitir troca de informações entre sistemas de informações de saúde. ANSI  É certificada (Accredited Standards Developing Organization) desde 1994 pelo ANSI para desenvolver padrões para a área da saúde. protocolo intercâmbio de dados eletrônicos  Health Level Seven – é um protocolo internacional para intercâmbio de dados eletrônicos em todos os ambientes da área da saúde, integrando informações de natureza clínica e administrativa.

27  O Termo “ Level 7 ” refere-se ao mais alto nível do modelo de comunicação do Open System Interconnection (OSI) da ISO (International Organization for Standardization)  ISO desenvolveu OSI RM Open Systems Interconnection Reference Model Sete níveis de modelo de comunicação Cada um tem uma função bem definida O sétimo nível deu origem ao HL7 1Físico (RJ45) 2Enlace (Ethernet) 3Rede (IP) 4Transporte (TCP-IP) ComunicaçãoComunicação 6Apresentação (MLP) 5Sessão (Socket) Função 7Aplicação Modelo de Comunicação em 7 níveis OSI ativa ou desativa a transmissão elétrica e mecânica de canais para vários equipamentos serve para transferência de blocos de dados entre terminais conectados fisicamente fornece roteador e switch de mensagens entre nodos adjacentes na rede fornece um canal de transmissão de ponta a ponta abre comunicação, estabelece dialogo e mantém a conecção, incluindo controle para a transferência de mensagens assegura que a mensagem foi transferida em um formato interpretável A camada de aplicação, a única parte do sistema aparente para o usuário, fornece serviço que facilita a troca de informações

28  laboratório  radiologia  farmácia  administração  medicina nuclear  nutrição  terapia respiratória  Fisioterapia  ECG  EEG  Sumário de alta  Relato de cirurgia  Anotações clínicas  Evolução  Prescrições médicas  Relatos  Evolução do paciente  Repositório de dados médicos  Planejamento de cuidados  Agendamento  Saúde pública  Estudos especiais  Administração de clientes UsoConteúdo

29 MSH|^~\&|ADMIN|MCM|LABADT|MCM| |SECURITY|ADT^A01|MSG00001|P|2.4 | EVN|A01| || PID|1||PATID1234^5^M11^ADT1^MR^MCM~ ^^^USSSA^SS||JONES^WILLIAM^A^III|| |M­||C|1200 N ELM STREET^^GREENSBORO^NC^27401 ‑ 1020|GL|(919) | (919) ||M||PATID ^2^M10^ADT1^AN^A| |9­87654^NC| NK1|1|JONES^BARBARA^K|WI^WIFE||||NK^NEXT OF KIN PV1|1|I|2000^2012^01||||004777^LEBAUER^SIDNEY^J.|||SUR||­||ADM|A0­| Patient William A. Jones, III was admitted on August 18, 1988 at 11:23 a.m. To be attended by doctor Sidney J. Lebauer (#004777) for surgery (SUR). He has been assigned to room 2012, bed 01 on nursing unit His next of kin is his wife, Barbara K. Jones.

30 HL7 v MensagemDefinidaporsegmentos [ ] Opcional { } Pode ser repetida

31 MSH|^~\&|ADMIN|MCM|LABADT|MCM| |SECURITY|ADT^A01|MSG00001|P|2.4 EVN|A01| PID|1||PATID1234^5^M11^ADT1^MR^MCM~ ^^^USSSA^SS||JONES^WILLIAM^A^III|| |M­||C|1200 N ELM STREET^^GREENSBORO^NC^27401 ‑ 1020|GL|(919) | (919) ||M||PATID ^2^M10^ADT1^AN^A| |9­87654^NC| NK1|1|JONES^BARBARA^K|WI^WIFE||||NK^NEXT OF KIN PV1|1|I|2000^2012^01||||004777^LEBAUER^SIDNEY^J.|||SUR||­||ADM|A0­| SEQLENDTOPTRP/#TBL#ITEM#ELEMENT NAME 14SIO 00104Set ID - Patient ID 220CXO 00105Patient ID (External ID) 320CXRY 00106Patient ID (Internal ID) 420CXOY 00107Alternate Patient ID - PID 548XPNRY 00108Patient Name 648XPNO 00109Mother’s Maiden Name 726TSO 00110Date/Time of Birth 81ISO Sex 948XPNOY 00112Patient Alias 101ISO Race 11106XADOY 00114Patient Address 124ISO 00115County Code 1340XTNOY 00116Phone Number - Home

32

33  coleção de nomes (termos) e códigos para a identificação de resultados de laboratório e observações clínicas  uso nos padrões HL7 e ASTM E1238  vocabulário de estrutura multiaxial e explícita (composição de novos termos)  possui mais de

34  Bioquímica  Urina  Toxicologia  Hematologia  Microbiologia  Antibiograma  Susceptibilties  Immunologia/Serologia  Genética Molecular  Contagem de Células  Alergia  Banco de Sangue  Marcadores celulares  Testes de Pele  Coagulação  Citologia  Testes Fertilidade  Antígenos HLA  Patologia Cirúrgica

35  Em Solicitação de Exames  Em Instrumentos de investigação  Para Relatórios ou laudos com texto livre e observações discretas  Para Relatórios de Clinical Trials  Para colocar anexos nas mensagens HIPAA  Para definir exames de laboratório de notificação obrigatória em saúde pública  Para definir variáveis utilizadas em regras de controle de qualidade  Para o RES

36

37  Guia de Consulta  Guia de Serviços Profissionais/Serviço Auxiliar Diagnóstico e Terapia  Guia de Solicitação de Internação  Guia de Resumo de Internação  Guia de Honorário Individual  Guia de Tratamento odontológico  Guia de Outras Despesas

38  Autorização de Procedimentos  Eligibilidade (c/biometria)  Cancelamento de Guia  Re-apresentação de Guia  Demonstrativos Pagamentos  Demonstrativos Glosas

39

40 A Sample Workflow A Sample Workflow E. Informações sobre o paciente são enviadas para o Sistema de informação da Radiologia (RIS) por meio de uma transação HL7. F. Se for necessário o trabalho de laboratório, o HIS envia as informações dos pacientes via HL7-ADT e pedidos via HL7-ORM. G. HIS envia pedido de exame de imagem para o RIS via HL7-ORM. H. O Equpamento requista a Worklist do RIS via DICOM-MWL. I. Equipamento envia informação sobre o procedimento realizado para o RIS via DICOM-MPPS. J. RIS envia informação sobre Quando, Como, e Qual passo do procedimento foi completado para o HIS via HL7-ORM K. RIS envia notificação de procedimento realizado ao PACS via DICOM-MPPS-NOTIFY. via DICOM-MPPS-NOTIFY. L. PACS requisita informação sobre o procedimento realizado ao RIS via DICOM-MPPS-RETRIEVE. M. Equipamento envia imagens para o PACS via DICOM-STORE. N. Equipamento requisita ao PACS informação quando todas as Imagens foram armazenadas via DICOM-STORAGE-COMMITMENT. O. Depois de todas as imagens serem arquivadas, o PACS notifica o equipamento via notifica o equipamento via DICOM-STORAGE-COMMITMENT-NOTIFICATION. DICOM-STORAGE-COMMITMENT-NOTIFICATION. P. Query/Retrieve Q. O PACS envia imagens e informações a estação de visualização Da Radiologia R. Radiologista reavalia a informação e dita o laudo, S. Query/Retrieve. T. Resposta ao Query/Retrieve, Normalmente, o Web Server possui o diagnóstico do exame já integrado as imagens U. Laudo final é enviado para PACS e RIS para sua distribuição apropriada. Tal distribuição pode ocorrer de diferentes maneiras. V. Se um laboratório externo foi utilizado, a cobrança pode ser transmitida via o padrão ASTM (EUA) TIIS/TUSS (Brasil). W. Os resultados podem ser armazenados no RIS A.Pacientes procuram os médicos que determinam que Algum exame de imagens deve ser realizado B. Solicitação do exame é encaminhada para o Administrador C. Informações dos pacientes e do exame a ser realizado São inseridos no SIH D. O agendamento do exame é realizado. Exemplo de Interoperabilidade Exemplo de Interoperabilidade Modality Worklist (MWL) Modality Performed Procedure Step (MPPS) StorageCommitment MPPSRetrieve StoreImages Patient Admittance (ADT) Ordered Procedure (ORM) Query/Retrieve StoreImagesMPPSNotify Procedure Complete ADT/ ORM Lab/ Results ORU ORU ASTM Resultados Query/Retrieve StoreImages RIS Equipamento Visualização Laudo HISHISHISHIS PACS Lab WEBServer DICOM HL7 E FF G H I JK L M N P Q R S T U V W O Store Report Store Report SR or ORU ORU

41

42  Definem os termos a serem utilizados na descrição da informação em saúde.  Os vocabulários são sistemas de classificação que adotam alguma lógica específica na sua construção, como por exemplo, estrutura em árvore (hierarquias) de generalização e especialização

43  mais conhecido e utilizado vocabulário em saúde no mundo  atualmente está na versão 10 mas muitas organizações ainda utilizam a versão 9  classifica as doenças de acordo com a topografia e outros critérios  

44  Oferece a base científica para a compreensão e o estudo dos determinantes da saúde, dos resultados e das condições relacionadas com a saúde;  Estabelece uma linguagem comum para a descrição da saúde e dos estados relacionados com a saúde;  Permite a comparação de dados entre países, entre disciplinas relacionadas com os cuidados de saúde, entre serviços, e em diferentes momentos ao longo do tempo;  Proporciona um esquema de codificação para sistemas de informação de saúde.

45  WONCA (Confederação Internacional dos Médicos de Família)  Mundialmente utilizada, sendo muito difundida na Europa e hoje está traduzida em mais de 16 línguas, inclusive o português  Tabela de estrutura biaxial, com quase termos classificados

46 organismo (L) topografia (T) morfologia (M) doença (D) função (F) agentes químicos (C) agentes físicos (A) contexto social (S) ocupação (J) procedimentos (P) modificadores gerais (G)

47  Exemplo :  “Houve internação de emergência (P ) de um cozinheiro de navio (J-53150) apresentando febre (F ) e calafrios (F-03260). Achou-se uma inflamação aguda (M-41000) da mucosa gástrica (T-57010) e duodenal (T-58210), causada por Vibrio cholerae (L ). O diagnóstico é cólera (DE-11600)”.

48  NANDA - North American Diagnoses Association -  NIC - Nursing Intervention Classification Sytems -  HHCC - Home Health Care Classification

49

50  Busca de equilíbrio entre a necessidade de acesso e a privacidade  Tendência de usar níveis de segurança  Tópicos principais : Integridade e consistência da informação Integridade e consistência da informação  Garante que os dados foram coletados corretamente  Garantia que os dados não podem ser alterados Autenticação do usuário Autenticação do usuário  Garantia que o usuário é quem diz ser. LEVE, FORTE Privacidade e Confidencialidade Privacidade e Confidencialidade  Garantia do sigilo dos dados  Garantia de proteção de acesso

51  Aprova as "Normas Técnicas para o Uso de Sistemas Informatizados para a Guarda e Manuseio do Prontuário Médico“ 

52  Objetivo Central:  As organizações de saúde que quiserem substituir o registro em papel pelo registro digital, deverão utilizar sistemas que atendam os requisitos abaixo: 1.Integridade da Informação e Qualidade do Serviço 2.Cópia de Segurança 3.Bancos de Dados 4.Privacidade e Confidencialidade 5.Autenticação 6.Auditoria 7.Transmissão de Dados 8.Certificação do Software Órgão Certificador

53

54 DEFINIÇÃO E ADOÇÃO DOS PADRÕES DE INTEROPERABILIDADE DE INFORMAÇÕES DE SAÚDE - CATÁLOGO DE SERVIÇOS: Para a interoperabilidade entre os sistemas dos SUS será utilizada a tecnologia Web Service, no padrão SOAP 1.1 (Simple Object Access Protocol) ou superior. Para a garantia de segurança e integridade de informações será adotado o padrão WS-Security para criptografia e assinatura digital das informações.

55 CATÁLOGO DE PADRÕES DE INFORMAÇÃO: Sistemas legados - XML Schemas Registro Eletrônico em Saúde (RES) – OpenEHR Resultados e solicitações de exames - HL7 Termos clínicos – SNOMED CT Saúde suplementar – TISS Arquitetura do documento clínico – HL7 CDA Exames de imagem – DICOM Exames laboratoriais - LOINC Outros : CID, CIAP-2, TUSS e CBHPM e tabela SUS.

56 OBRIGADO !


Carregar ppt " Dado e Informação O dado é o resultado da observação (representação) de um evento, enquanto a informação é o modo como um dado é organizado para orientar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google