A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EDUCAÇÃO EM SAÚDE João M. Lucas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EDUCAÇÃO EM SAÚDE João M. Lucas."— Transcrição da apresentação:

1 ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA CURSO DE LICENCIATURA EM ENFERMAGEM 1º ANO-2º SEMESTRE/ANO LETIVO DE 2012 a 2013 TURMA – F

2 Os conceitos de Educação e de Saúde estão em contínua reconstrução. Prática dos Enfermeiros de Cuidados de Saúde Primários: - Inicio precoce de hábitos de vida prejudiciais à saúde, - Autorresponsabilização pela própria saúde,

3  Grande numero de problemas de saúde resulta de ações diretas e intencionais do Homem,  Os portugueses têm pouca informação sobre problemas de saúde e potenciais riscos,  Deixam estes problemas entregues a Deus e à sorte, não se envolvem neste processo que lhes diz inteiramente respeito 3João Lucas FEV2010

4  Até há poucos anos a saúde era abordada apenas numa perspectiva do modelo biológico:  O individuo era dividido em partes e só era observada a parte afetada ou a sintomatologia que estava associada a determinado problema. 4João Lucas FEV2010

5  A educação para a saúde (EpS) seguia o mesma linha:  - Prendia-se na transmissão de informação ou de recomendações baseadas no poder técnico, não respeitando a individualidade, nem a dimensão social, nem tão pouco as determinantes culturais. 5João Lucas FEV2010

6  O individuo não era envolvido no processo educativo, assumindo apenas o papel de “objeto” apesar de se tratar da sua própria saúde. 6João Lucas FEV2010

7  Atualmente, este processo está particularmente centrado no individuo como um todo, integrado num grupo/família/comunidade e é chamado a participar de pleno direito neste mesmo processo, tendo sempre em conta o seu saber e experiencia de vida 7João Lucas FEV2010

8  Cada vez mais é necessário um modelo de EpS que propicie a oportunidade de fazer com que os indivíduos busquem, dentro da sua realidade, alternativas favoráveis às mudanças necessárias. 8João Lucas FEV2010

9  A Educação para a Saúde enquanto prática dos Enfermeiros:  inclui o individuo,  valoriza as suas capacidades,  estimula a procura das causas e analisa as suas implicações com o único objetivo de os ajudar a enfrentar os problemas. 9João Lucas FEV2010

10  Deve ser um modelo simples, prático, que valorize a realidade dos indivíduos, as suas vivencias e experiencias, seus saberes e conhecimentos, objetivando o desenvolvimento cognitivo, crítico, e autónomo a fim de proporcionar uma educação para a saúde centrada e fundamentada numa politica de confiança e respeito mútuos. 10João Lucas FEV2010

11  As atividades da EpS são amplas e englobam:  o aconselhamento a doentes,  formação em serviço,  educação formal, em grupo (SES),  educação individual (Consultas de Enfermagem de vigilância de saúde), campanhas publicitárias,  trabalho comunitário de intervenção programada. 11João Lucas FEV2010

12 Onde se exerce a EpS?  - Instituições de ensino de todos os níveis (Creches, infantários, escolas, universidades, etc.)  - Instituições de Saúde – Hospitais, Centros de Saúde, lares de Idosos, …  - Zonas comerciais e de lazer, Locais de trabalho, prisões, etc.  (Rodrigues, Pereira e Barroso, 2005, p.46) 12João Lucas FEV2010

13  Promover e educar para a saúde é uma questão de cidadania, sendo imperioso o envolvimento de todos, cabendo maior responsabilidade aos que maior formação possuírem.  A EpS há muito que é considerada uma parte integrante dos esforços desenvolvidos para a Promoção da Saúde e Prevenção dos problemas de Saúde 13João Lucas FEV2010

14  A maioria destes problemas de saúde, também conhecidos por problemas de saúde da civilização, tem a sua origem em duas grandes determinantes:  - o ambiente  - os estilos de vida 14João Lucas FEV2010

15  A EpS deve ser dirigida a toda a comunidade em geral, mas é nos mais jovens que devemos centrar a nossa particular atenção, tendo em conta alguns aspetos particulares: 15João Lucas FEV2010

16  1- No nosso País o ensino é obrigatório, pelo que todas as crianças passam pela escola e é na escola que são implementados os programas de Educação para a Saúde. 16João Lucas FEV2010

17 2- É na infância e na juventude que se adquirem e adotam certos hábitos e comportamentos que interferem, direta ou indiretamente, com a qualidade de saúde no presente e no futuro. 17João Lucas FEV2010

18  3- É na infância e na adolescência que se torna mais fácil a assimilação de conhecimentos e a aprendizagem, sendo nestes estádios de desenvolvimento que se torna mais fácil a implementação dos programas de Educação para Saúde. 18João Lucas FEV2010

19  Quando as crianças e os adolescentes terminam a sua formação escolar, são portadores de conhecimentos, princípios e valores, desenvolvidos com a EpS, que lhes permitirão saber cuidar mais da sua saúde e da saúde dos que lhe são mais próximos (Família, amigos, grupos de pares, etc.), levando-os a adoção de comportamentos e estilos de vida responsáveis e conscientes que lhes proporcionarão um desenvolvimento equilibrado a nível físico, mental e social. 19João Lucas FEV2010

20  Torna-se cada vez mais preocupante a adoção de comportamentos e estilos de vida pelos nossos jovens, que se iniciam desde logo na escola básica, agudizam-se na escola secundária e agravam-se significativamente no ensino superior.  Por isso mesmo, a Educação para a Saúde deve desenvolver-se ao longo de toda a formação escolar e académica dos nossos jovens. 20João Lucas FEV2010

21  Se nas idades mais jovens a nossa preocupação deve ter em conta hábitos precoces de consumo de álcool, tabaco, hábitos alimentares pouco saudáveis, sedentarismo, etc., nos mais crescidos os problemas são mais sérios e exigem dos profissionais de saúde maiores preocupações, nomeadamente com vivência da sexualidade de risco, consumo de drogas ilícitas, alcool, tabaco, etc. 21João Lucas FEV2010

22  Educação em Saúde, porquê?  “Porque a educação é capaz de modificar o comportamento do Homem” (Drugg; Ortiz, 1994). 22João Lucas FEV2010

23  - Educação é um processo de desenvolvimento pessoal e social, que prepara as pessoas para enfrentarem as alterações quotidianas, numa perspectiva de capacitação e evolução contínuas. 23João Lucas FEV2010

24  A Educação …., … deve criar uma possibilidade de o educando construir o seu próprio conhecimento, baseado no conhecimento que ele traz de seu dia-a-dia familiar  (Freire, 1996) 24João Lucas FEV2010

25  Objetivos da Educação para a Saúde:  Promover alterações positivas nos comportamentos de saúde:  - Mudança de conhecimentos e de crenças (é fundamental conhecer as crenças dos indivíduos),  - Mudança de atitudes e valores,  - Capacidade para tomar decisões,  - Estabelecimento de ambientes saudáveis,  - Mudanças sociais (Ex.: lei reguladora da publicidade, do tabaco, etc.) 25João Lucas FEV2010

26  o Educador em Saúde….deve também…  …criar possibilidades e situações onde o educando possa refletir sobre as suas vivencias e experiencias de vida pessoal e familiar, para construir o seu conhecimento bem estruturado e bem fundamentado. 26João Lucas FEV2010

27  Torna-se necessário “pegar” nesse conhecimento/saberes e reconstrui-lo e desenvolve-lo para lá da simples experiencia. 27João Lucas FEV2010

28  A evolução e consequente melhoria da qualidade de vida das famílias e das comunidades atuais estão na emergência de novos problemas de saúde, consequentes da adoção de novos hábitos e estilos de vida das sociedades modernas, dos países industrializados.  “A EpS tem vindo a ser internacionalmente reconhecida, como parte integrante dos esforços para a prevenção da doença e a promoção da saúde”. (Rodrigues et all; 2005:16) 28João Lucas FEV2010

29 EDUCAÇÃO FORMAL Escolar INFORMAL Familia e grupos NAO FORMAL Instituições nao escolares Proposta da Declaração de Nairobi (1976) 29João Lucas FEV2010

30  “a educação é definida pela criação de condições para que cada pessoa possa desenvolver integral e harmoniosamente todas as suas capacidades e que as coloque ao serviço da Comunidade”  (Declaração de Nairobi; 1976) 30João Lucas FEV2010

31  A EpS é uma combinação de experiencias de aprendizagem para predispor, capacitar e reforçar os comportamentos voluntários que fomentem a saúde das pessoas, grupos e comunidades  EpS consiste em dotar as pessoas de valores, conhecimentos e comportamentos que lhes permitam tomar decisões adequadas à sua saúde e bem-estar físico, social e mental e também da saúde das pessoas envolventes, concedendo-lhes assim um papel mais interventivo (Ministério da Saúde) 31João Lucas FEV2010

32  “o indivíduo deve ser considerado o centro da EpS, atendendo às suas características individuais no domínio afetivo, cognitivo, cultural ou espiritual”  Qual é o foco da Educação para a Saúde?  “…são as atitudes e os comportamentos de saúde”  (Rodrigues, Pereira e Barroso, 2005, p.16) 32João Lucas FEV2010

33  Um comportamento em saúde “é um padrão de comportamento observável, tal como:  - as ações,  - os hábitos,  que se relacionam com a manutenção, a cura e a melhoria da saúde.” João Lucas FEV201033

34  A EpS concentra-se prioritariamente na mudança de comportamento individual ou de fatores intrapessoais (tais como atitudes ou crenças) considerados determinantes do comportamento, a fim de promover um melhor estado de saúde. João Lucas FEV201034

35  O foco da EpS centra-se na complexidade das respostas humanas, nos processos, contextos e motivações de decisão de onde emergem essas respostas, de forma que cada cidadão se assuma como o principal responsável pela sua própria saúde (Auto-responsabilização) 35João Lucas FEV2010

36  Educar envolve processo de ensino/aprendizagem.  Ensinar é um processo que tem como objetivos: 1- Modificar o comportamento do indivíduo por intermédio da aprendizagem; 36João Lucas FEV2010

37 2- Habilitar cada individuo a orientar a sua própria aprendizagem, a ter iniciativa, a cultivar a autoconfiança, a esforçar-se a desenvolver a criatividade, a entrosar-se com o seu semelhante, a fim de poder participar na sociedade como pessoa consciente, eficiente e responsável  A aprendizagem é um processo pessoal, porquanto está interligado com as características individuais de cada ser humano: “Só o indivíduo pode aprender, ninguém pode aprender em seu lugar”  (Giordan, 1998). 37João Lucas FEV2010

38 EducaçãoAprendizagem Tomadas de decisão Comportamentos novos INDIVIDUO/GRUPO/ FAMÍLIA Educação/ensino/aprendizagem Melhorar as capacidades Motivação Mudança Novas competências 38João Lucas FEV2010

39 Motivação: Necessária á aprendizagem  - Valorativa – porque estou a aprender?  - Expectativa – Serei capaz de realizar isto?  - Afetiva – Como me sinto perante isto? João Lucas FEV201039

40  Quanto á sua natureza, a Aprendizagem apresenta três princípios:  - Cognitivo – pensar,  - Afetivo – sentir,  - Psicomotor – agir. 40João Lucas FEV2010

41 DOMINIOS DA APRENDIZAGEM Cognitivo (Pensar) Afetivo (Sentir) Psicomotor (Agir) Memorização, reconhecimento, argumentação, compreensão(capacidades cognitivas individuais) Mudança nas atitudes e nos valores… Desempenho de tarefas/procedimentos 41João Lucas FEV2010

42 SÍNTESE EDUCAÇÃO - tem como objectivo criar e proporcionar acontecimentos que facilitem a aprendizagem. APRENDIZAGEM: Processo de obter conhecimento e mestria resultando em mudança de comportamento MOTIVAÇÃO Valorativa ( pq estou a aprender isto?) Expectativa (consigo realizar isto?) Afectiva (como me sinto perante isto?) COMPONENTE 42João Lucas FEV2010

43 PROCESSO DE ENSINO NA EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE Avaliação da necessidade de aprendizagem Avaliação da motivação Declaração do diagnóstico e estabelecimento dos objectivos com o utente/grupo Ensino - aprendizagem Avaliação e reensino se necessário 43João Lucas FEV2010


Carregar ppt "EDUCAÇÃO EM SAÚDE João M. Lucas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google