A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I Workshop da Pós-Graduação da UNESP A Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Medicina Veterinária e Zootecnia e Recursos Pesqueiros: Balanço.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I Workshop da Pós-Graduação da UNESP A Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Medicina Veterinária e Zootecnia e Recursos Pesqueiros: Balanço."— Transcrição da apresentação:

1 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP A Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Medicina Veterinária e Zootecnia e Recursos Pesqueiros: Balanço e Perspectivas Paulo Sávio Lopes Coordenador da Área de Zootecnia e Recursos Pesqueiros da CAPES ou Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia

2 A Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Medicina Veterinária e Zootecnia e Recursos Pesqueiros: Balanço e Perspectivas n A CAPES n Dados da Pós-Graduação no Brasil n Dados da Grande Área de Ciências Agrárias n Dados das Áreas de C. T. de Alimentos, M. Veterinária e Zootecnia/Recursos Pesqueiros n Qualis da Grande Área de Ciências Agrárias n Critérios de avaliação n Sistema SIR n Considerações Finais I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

3 n A Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (atual CAPES) foi criada em 11 de julho de 1951, pelo Decreto nº , com o objetivo de "assegurar a existência de pessoal especializado em quantidade e qualidade suficientes para atender às necessidades dos empreendimentos públicos e privados que visam ao desenvolvimento do país". A CAPES I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

4 n A CAPES foi reconhecida como órgão responsável pela elaboração do Plano Nacional de Pós-Graduação Stricto Sensu, em 1981, pelo Decreto nº n A tarefa de coordenar a avaliação da pós-graduação fortaleceu o papel da CAPES. n O Programa de Acompanhamento e Avaliação, além de contribuir para a criação de mecanismos efetivos de controle de qualidade, tem aprofundado a relação da CAPES com a comunidade científica e acadêmica. A CAPES I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

5 Diretoria de Programas e Bolsas no País I Workshop da Pós-Graduação da UNESP A CAPES

6 n Programa Demanda Social – DS. n Programa de Fomento à Pós-Graduação – PROF. n Programa de Excelência Acadêmica – PROEX n Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Superior Particulares – PROSUP. Programas e Bolsas no País I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

7 n Programa de Apoio a Projetos Institucionais com a Participação de Recém Doutores – PRODOC. Programa de Formação Continuada e de Fixação de Jovens Doutores I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Programas e Bolsas no País

8 n PROCAD Nacional. n Amazônia Azul. n Pró-Equipamentos. n Pró-Engenharias. n TV Digital. n Edital MCT/CNPq – MEC/CAPES, para Publicação de Revistas Cientificas. n Parcerias com as FAPs Fomento à Pós-Graduação (Programas em Andamento, por Editais) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Programas e Bolsas no País

9 n Programa Nacional de Pós-Doutorado – PNPD. n Programa de Incentivo a Produção de Ciência e Tecnologia, nas Universidades com o apoio das Empresas - Lei do ICT (Renuncia Fiscal). Fomento à Pós-Graduação (Programas Estratégicos) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Programas e Bolsas no País

10 Coordenação-Geral de Programas de Cooperação Internacional (CGCI) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

11 n Desenvolver as atividades da pós-graduação brasileira no contexto mundial. n Apoiar os grupos de pesquisa brasileiros, principalmente por meio do intercâmbio internacional, buscando a excelência da pós-graduação no país. I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Objetivos da Cooperação Internacional Cooperação Internacional – CGCI

12 n Bolsas e Auxílios Individuais. n Projetos Conjuntos de Pesquisa. n Parcerias Universitárias. n Cursos no Exterior. n Escola de Altos Estudos. Programas I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Cooperação Internacional – CGCI

13 n Editais Alemanha;Alemanha; Argentina;Argentina; Espanha;Espanha; Estados Unidos;Estados Unidos; França;França; Holanda;Holanda; Portugal;Portugal; etc.etc. Projetos Conjuntos de Pesquisa e Parcerias Universitárias I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Cooperação Internacional – CGCI

14 n Financia a participação de professores estrangeiros de altíssimo nível em instituições de ensino superior brasileiras. n Fluxo contínuo. n Os cursos devem contar créditos aos estudantes do programa proponente. n Tradução simultânea. n Cursos disseminados via internet. n Todo o material do curso é registrado (CDs, DVDs e livros ). Escola de Altos Estudos I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Cooperação Internacional – CGCI

15 Dados da Pós-Graduação no Brasil I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

16 DIMENSÃO DO SISTEMA PÓS-GRADUAÇÃO NO BRASIL (Avaliações Trienais de 2004 e 2007) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

17 DIMENSÃO DO SISTEMA PÓS-GRADUAÇÃO NO BRASIL (Avaliações Trienais de 2004 e 2007) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

18 DIMENSÃO DO SISTEMA PÓS-GRADUAÇÃO NO BRASIL (Avaliações Trienais de 2004 e 2007) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

19 CRESCIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO (Todas as Áreas) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

20 CRESCIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO (Ciências Agrárias)

21 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP CRESCIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO (Ciências Agrárias I)

22 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP CRESCIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO (Ciência e Tecnologia de Alimentos)

23 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP CRESCIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO (Medicina Veterinária)

24 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP CRESCIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO (Zootecnia e Recursos Pesqueiros)

25 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Área e Dependência Administrativa) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

26 PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (POR REGIÃO – 2008) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

27 PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (POR REGIÃO – 2008) 00022Norte Total Sul Sudeste 10056Nordeste 00011Centro-Oeste M/DFDMTotal Ciência e Tecnologia de Alimentos Região I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

28 PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (POR REGIÃO – 2008) 00000Norte Total 40048Sul Sudeste 30058Nordeste 20035Centro-Oeste M/DFDMTotal Medicina Veterinária Região I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

29 PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (POR REGIÃO – 2008) 10023Norte Total 60028Sul Sudeste Nordeste 01023Centro-Oeste M/DFDMTotal Zootecnia e Recursos Pesqueiros Região I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

30 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Todas as Áreas ) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

31 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Todas as Áreas) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

32 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Ciências Agrárias) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

33 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Ciências Agrárias I) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

34 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Ciência e Tecnologia de Alimentos) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

35 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Medicina Veterinária) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

36 TOTAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Distribuição/Conceito – Zootecnia e Recursos Pesqueiros) I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

37 QUALIS Grande Área de Ciências Agrárias I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

38 Critérios de Classificação de Periódicos Científicos QUALIS 2007 – 2009 n Grande Área: Ciências Agrárias Ciências Agrárias I Ciência e Tecnologia de Alimentos Medicina Veterinária Zootecnia e Recursos Pesqueiros

39 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios de Classificação de Periódicos Científicos QUALIS 2007 – 2009 Classif.PesosCritérios A1100Fator de impacto JCR 1,500 A285Fator de imp. JCR 0,750 a 1,499 B170Fator de imp JCR 0,001 a 0,749 B260Indexado em pelo menos QUATRO bases B350Indexado em pelo menos TRÊS bases B430Indexado em pelo menos DUAS bases B510Indexado em pelo menos UMA base C0Não relevante para a área

40 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios de Classificação de Periódicos Científicos QUALIS 2007 – 2009 Classif.PesosCritérios A1100Fator de impacto JCR 1,500 A285Fator de imp. JCR 0,750 a 1,499 B170Fator de imp JCR 0,001 a 0,749 B260Indexado em pelo menos QUATRO bases B350Indexado em pelo menos TRÊS bases B430Indexado em pelo menos DUAS bases B510Indexado em pelo menos UMA base C0Não relevante para a área

41 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios de Classificação de Periódicos Científicos QUALIS 2007 – 2009 Classif.PesosCritérios A1100Fator de impacto JCR 1,500 A285Fator de imp. JCR 0,750 a 1,499 B170Fator de imp JCR 0,001 a 0,749 B260Indexado em pelo menos QUATRO bases B350Indexado em pelo menos TRÊS bases B430Indexado em pelo menos DUAS bases B510Indexado em pelo menos UMA base C0Não relevante para a área

42 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios de Classificação de Periódicos Científicos QUALIS 2007 – 2009 Classif.PesosCritérios A1100Fator de impacto JCR 1,500 A285Fator de imp. JCR 0,750 a 1,499 B170Fator de imp JCR 0,001 a 0,749 B260Indexado em pelo menos QUATRO bases B350Indexado em pelo menos TRÊS bases B430Indexado em pelo menos DUAS bases B510Indexado em pelo menos UMA base C0Não relevante para a área

43 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios de Classificação de Periódicos Científicos QUALIS 2007 – 2009 Área Bases Indexadoras Ciências Agr. IISICABBIOSISSCIELOAGRIS C. Tec. AlimentosISICABBIOSISSCIELOFSTA Med. VeterináriaISICABBIOSISSCIELOPUBMED Zootecnia/Rec. Pes.ISICABBIOSISSCIELOASFA ISI – Science Citation Index (ISI – USA); BIOSIS – Biological Abstracts (BIOSIS – USA); SCIELO – Scientific Electronic Library Online AGRIS – International Information System for the Agricultural Sciences and Technology (FAO - ITA) FSTA – Food Science and Technology Abstracts (FSTA – USA) PUBMED/MEDLINE – National Library of Medicine Index (USA) ASFA – Aquatic Sciences and Fisheries Abstracts (ASFA - ITA)

44 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Total de Artigos Publicados 2004 a 2006 – Periódicos Científicos Critérios de Classificação de Periódicos Científicos

45 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Total de Artigos Publicados 2004 a 2006 – Periódicos Científicos Critérios de Classificação de Periódicos Científicos

46 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Total de Artigos Publicados 2004 a 2006 – Periódicos Científicos Critérios de Classificação de Periódicos Científicos

47 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Ciências Agrárias I Ciências Agrárias I 2004 a 2006 – Principais Periódicos

48 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Ciência e Tecnologia de Alimentos Ciência e Tecnologia de Alimentos 2004 a 2006 – Principais Periódicos

49 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Medicina Veterinária Medicina Veterinária 2004 a 2006 – Principais Periódicos

50 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Zootecnia e Recursos Pesqueiros Zootecnia e Recursos Pesqueiros 2004 a 2006 – Principais Periódicos

51 Critérios de Avaliação e Acompanhamento : Critérios de Avaliação e Acompanhamento : Triênio 2007 – 2009 Grande Área de Ciências Agrárias I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

52 Quesitos e Pesos n I – Proposta do Programa (sem valorização) n II – Corpo Docente (20%) n III – Corpo Discente, Teses e Dissertações (30%) n IV – Produção Intelectual (40%) n V – Inserção social e Relevância (10%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

53 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 1 – Proposta do Programa (MB, B, R, F, D) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 1.1 Coerência, consistência, abrangência e atualização das áreas de concentração, linhas de pesquisa, projetos em andamento e proposta curricular. [40%] n 1.2 Planejamento do programa com vistas a seu desenvolvimento futuro, contemplando os desafios internacionais da área na produção do conhecimento, seus propósitos na melhor formação de seus alunos, suas metas quanto à inserção social mais rica dos seus egressos conforme os parâmetros da área. [40%] n 1.3 Infra-estrutura para ensino, pesquisa e extensão. [20%]

54 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 2 – Corpo docente (MB, B, R, F, D – 20%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 2.1 Perfil do corpo docente, consideradas titulação, diversificação na origem de formação, aprimoramento e experiência, e sua compatibilidade e adequação à Proposta do Programa [20%] n 2.2 Adequação e dedicação dos docentes permanentes em relação às atividades de pesquisa e de formação do programa. [20%] n 2.3 Distribuição das atividades de pesquisa e de formação entre os docentes do programa [40%] n 2.4 Contribuição dos docentes para atividades de ensino e/ou de pesquisa na graduação, com atenção tanto à repercussão que este item pode ter na formação de futuros ingressantes na PG, quanto (conforme a área) na formação de profissionais mais capacitados no plano da graduação. [20%]

55 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 3 – Corpo Discente, Teses e Dissertações (MB, B, R, F, D – 30%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 3.1 Quantidade de teses e dissertações defendidas no período de avaliação em relação ao corpo docente permanente e à dimensão do corpo discente. [30%] AtributoFaixa (Equivalente Dissertação*) MB 1,0 B0,70 a 0,99 R0,40 a 0,69 F0,10 a 0,39 D< 0,10 Equivalente Dissertação: 1T=2D

56 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 3 – Corpo Discente, Teses e Dissertações (MB, B, R, F, D – 30%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 3.1 Quantidade de teses e dissertações defendidas no período de avaliação em relação ao corpo docente permanente e à dimensão do corpo discente. [30%] n 3.2 Distribuição das orientações das teses e dissertações defendidas no período de avaliação em relação aos docentes do programa. [15%] n 3.3 Qualidade das Teses e Dissertações e da produção de discentes autores da pós-graduação e da graduação na produção científica do programa, aferida por publicações e outros indicadores pertinentes à área. [45%] n 3.4 Eficiência do Programa na formação de Mestres e Doutores. Tempo de formação de mestres e doutores e percentual de bolsistas titulados [10%]

57 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 4 – 4 – Produção Intelectual (MB, B, R, F, D – 35%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 4.1 Publicações qualificadas do Programa por docente permanente [55%] AtributoFaixa, Artigo Equivalente A1* MB 1,20 B0,70 a 1,19 R0,30 a 0,69 F< 0,30 Artigo Equivalente: A1=1; A2 = 0,85A1; B1 = 0,7A1; B2 = 0,6A1; B3 = 0,5A1; B4 = 0,3A1; B5 = 0,1A1 4.1a Número de artigos (Equivalente A1 )/DP/ano

58 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 4 – 4 – Produção Intelectual (MB, B, R, F, D – 35%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 4.1 Publicações qualificadas do Programa por docente permanente [55%] AtributoFaixa MB 1,00 ou média da área B0,60 a 0,99 R0,30 a 0,59 F0,10 a 0,29 D< 0,10 4.1b Número de artigos Qualis A1, A2 e B1/DP/Ano – Qualis – A1: F.I. JCR 1,500; A2: F.I. JCR 0,750 a 1,499; B1: F.I. JCR 0,001 a 0,749.

59 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 4 – 4 – Produção Intelectual (MB, B, R, F, D – 35%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 4.1 Publicações qualificadas do Programa por docente permanente [55%] n 4.2 Distribuição de publicações qualificadas em relação ao corpo Docente Permanente do Programa. [30%] n 4.3 Produção técnica, patentes e outras produções consideradas relevantes [15%]

60 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP 5 – 5 – Inserção Social (MB, B, R, F, D – 10%) Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009 n 5.1 Inserção e Impacto Regional e nacional do programa. [ 60% ] n 5.2 Integração e Cooperação com outros programas com vistas ao desenvolvimento da pesquisa e da pós- graduação. [ 25% ] n 5.3 Visibilidade ou transparência dada pelo programa à sua atuação [15%]

61 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Notas n Conceito 2; n Conceito 3; n Conceito 4; n Conceito 5; n Conceito 6; n Conceito 7. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

62 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Nota Conceito 2 n Conceito de Tendência Dominante dos quesitos inferior a REGULAR. n Proposta Fraca. n Produção Científica média anual do Corpo DP: < 0,30 Artigo Equivalente A1 em periódicos do Qualis / DP; < 0,4 titulado (Equivalente Dissertação)/DP/ano; Fraca distribuição da Produção Científica entre os docentes. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

63 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Nota Conceito 3 n Conceito de Tendência Dominante dos quesitos igual a REGULAR. n Proposta Regular. n 0,3 Artigo Equivalente A1 em periódicos do Qualis / DP/ano. n Boa distribuição da Produção Científica entre os docentes. n 0,4 titulado (Equivalente Dissertação) pelo Programa /DP/ano. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

64 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Nota Conceito 4 n Conceito de Tendência Dominante dos quesitos igual a BOM. n Proposta Boa. n 0,7 Artigo Equivalente A1 em periódicos do Qualis / DP/ano. n 70% dos DP com produção 0,5 Equivalente A1/ano. n Boa distribuição da Produção Científica entre os docentes. n 0,7 titulado (Equivalente Dissertação) pelo Programa /DP/ano. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

65 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Nota Conceito 5 n Conceito MUITO BOM em pelo menos quatro dos cinco quesitos existentes, entre os quais terão que figurar necessariamente os quesitos 3(CDTD) e 4(PI). n 1,2 Artigo Equivalente A1 em periódicos do Qualis / DP/ano. n 1,0 Artigo (ou média da Área) em periódicos Qualis A1, A2 e B1 do Qualis / DP/ano. n 70% dos DP com produção 0,7 Equivalente A1/ano. n 1,0 titulado (Equivalente Dissertação) pelo Programa /DP/ano. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

66 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Nota Conceito 6 n Conceito MUITO BOM em pelo menos quatro quesitos, entre os quais necessariamente hão de figurar os números 2(CD), 3(CDTD) e 4(PI); e no único quesito em que não obtiver MUITO BOM, terá de obter pelo menos BOM. n 1,3 Artigos em periódicos do Qualis A1, A2 e B1/ DP/ano. n 70% dos DP com produção 1,0 Equivalente A1/ano. n Apresentar Inserção Internacional. n 1,2 titulado (Equivalente Dissertação) pelo Programa /DP/ano. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

67 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Critérios Mínimos para Definição de Nota Conceito 7 n Conceito MUITO BOM em pelo menos quatro quesitos, entre os quais necessariamente hão de figurar os números 2(CD), 3(CDTD) e 4(PI); e no único quesito em que não obtiver MUITO BOM, terá de obter pelo menos BOM. n 1,6 Artigos em periódicos do Qualis A1, A2 e B1/ DP/ano. n 70% dos DP com produção 1,2 Equivalente A1/ano. n Apresentar Forte Inserção Internacional. n 1,5 titulado (Equivalente Dissertação) pelo Programa /DP/ano. Critérios de Avaliação : T riênio 2007 – 2009

68 Sistema SIR Sistema de Indicadores de Resultados dos Programas de Pós-Graduação Avaliados pela CAPES I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

69 Quesitos n 1 – Corpo Discente, Teses e Dissertações 1.1 – Formação de mestres e doutores 1.2 – Qualidade do RH formado 1.3 – Distribuição das orientações concluídas n 2 – Produção Intelectual 2.1 – Produção bibliográfica 2.2 – Distribuição da produção bibliográfica SIR: Sistema de Indicadores de Resultados dos Programas de Pós-Graduação Avaliados pela CAPES

70 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP SIR: Sistema de Indicadores de Resultados dos Programas de Pós-Graduação Avaliados pela CAPES

71 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP SIR: Sistema de Indicadores de Resultados dos Programas de Pós-Graduação Avaliados pela CAPES

72 Considerações Finais I Workshop da Pós-Graduação da UNESP

73 n Espera-se aumento da produção em periódicos Qualis A1 e A2, principalmente dos programas de conceito 5, 6 e 7. n O fator de impacto dos periódicos do Qualis A1, A2 e B1 deverá ser aumentado nos próximos triênios. I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Produção Intelectual e Qualis

74 n Maior demanda em programas destinados a qualificação, cooperação interinstitucional e mobilidade de pessoal (PROCAD e DINTER). n Internacionalizar mais a universidade brasileira (participar ativamente dos programas de cooperação internacional; receber mais estudantes estrangeiros). n Escola de Altos Estudos (Participação de professores estrangeiros de altíssimo nível na pós-graduação brasileira). I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Cooperações Nacionais e Internacionais

75 n Crescimento e consolidação de programas em regiões emergentes (Centro-Oeste, Norte e Nordeste). n Crescimento da pós-graduação em instituições de ensino superior particulares. n Crescimento do mestrado profissional em áreas estratégicas (sanidade animal, cadeias produtivas da carne e do leite, etc.). I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Crescimento da Pós-Graduação

76 n Programa de Apoio a Projetos Institucionais com a Participação de Recém Doutores – PRODOC. n Programa Nacional de Pós-Doutorado – PNPD. n Programas de incentivo a absorção de doutores pelas empresas. I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Egressos

77 n Maior peso na avaliação da produção bibliográfica dos discentes, principalmente em periódicos. n Maior consideração dos resultados do Sistema de Indicadores de Resultados (SIR) na avaliação dos Programas de Pós-Graduação. I Workshop da Pós-Graduação da UNESP Avaliação – Sistema SIR

78 I Workshop da Pós-Graduação da UNESP A Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Medicina Veterinária e Zootecnia e Recursos Pesqueiros: Balanço e Perspectivas Paulo Sávio Lopes Coordenador da Área de Zootecnia e Recursos Pesqueiros da CAPES ou Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Muito Obrigado!


Carregar ppt "I Workshop da Pós-Graduação da UNESP A Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Medicina Veterinária e Zootecnia e Recursos Pesqueiros: Balanço."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google