A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mecanismos efetores da resposta imune Profa Dra Ana Paula Ferreira Maio de 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mecanismos efetores da resposta imune Profa Dra Ana Paula Ferreira Maio de 2011."— Transcrição da apresentação:

1 Mecanismos efetores da resposta imune Profa Dra Ana Paula Ferreira Maio de 2011

2 Mecanismos Efetores

3 Principais Características Resposta Imune Humoral –Reconhecimento de antígenos (BCR) –Produção de Ac –Funções efetoras Ação principal contra patógenos extracelulares e toxinas Resposta Imune Celular –Relacionada a atividade efetora de linfócitos T –Reconhecimento de antígenos (TCR+MHC+peptídeo) –Funções efetoras Rejeição de enxertos, resposta a tumores e mais eficiente na resposta contra patógenos intracelulares

4 APCs e co-estímulos diferenças entre LT efetores e LT naives

5 Dois subtipos principais de Linfócitos T CD4+ Célula T helper (Th) ou auxiliar Reconhecimento via MHC II Secreção de citocinas Ação sobre diferentes tipos celulares ( macrófagos, LTc, LB) CD8+ Célula citotóxica (ativação) Reconhecimento via MHC I Morte celular Ação sobre células infectadas e-ou tumorais

6

7 Fase efetora LTh Secreção de citocinas Ação sobre Macrófagos Troca de isótipos Auxílio aos CD8+

8 Subpopulações dos linfócitos T CD4+ Th1 e Th2 dicotomia Secreção diferencial de citocinas Th1 relacionada com ativação da resposta celular Th2 relacionada com ativação da Resposta humoral Th17 Recente Relacionada com auto-imunidade Pró-inflamatória Treg Regulatórias Modulação da resposta IL-4

9

10 Atividade efetora de LTh1 Produção e secreção de IFNγ, TNFα, IL-1 Ativação de macrófagos Produção de IgG Recrutamento e ativação de neutrófilos

11 Atividade efetora de LTh2 Produção e secreção de IL-4, IL-5,IL-13 Supressão de macrófagos Produção de IgG e IgE Recrutamento e ativação de eosinófilos IL-13IL-4

12 Atividade efetora de LTh17 Mobilização de neutrófilos Produção de citocinas pró-inflamatórias associadas a auto-imunidade Homeostase intestinal Crescimento tumoral

13

14 LINFÓCITOS T REGULATÓRIOS (TREGS) Marcador CD4; Alta Expressão CD25 (receptor IL-2); Produzem IL-10 e TGF-beta; Agem na resposta imune central e periférica.

15 Células citotóxicas NK e CTL são os dois principais tipos celulares de ação citotóxica –Remoção de células atípicas –Remoção de células infectadas –Remoção de células tumorais Contudo, o sistema de reconhecimento é bem distinto –CTL reconhece antígenos via MHC I através do TCR.

16 Fase efetora linfócito citotóxico (CTL) mecanismos de morte

17 Vias de Morte Liberação de grânulos contendo enzimas líticas Perforina Granzimas A e B Granulisina Interação Fas e FasL

18

19 Grânulos Granzimas Enzimas proteolíticas que estão presentes em grânulos citoplasmático de linfócitos T citotóxicos e células NK ativam caspases nas células alvo, provocando apoptose. Perforina Uma proteína com a similaridade ao nono componente do complemento. Está presente em grânulos de linfócitos T citotóxicos e células NK. Subunidades de perforina montam um poro na membrana da célula-alvo.

20 Células NK Células Natural killer (NK) são um subconjunto de linfócitos que participam, principalmente, da imunidade inata, mas que também podem ter um papel importante na determinação do resultado das respostas imunes adaptativas. Citotoxicidade: (eliminar diretamente células infectadas ou transformadas através de lise celular) Capacidade de produzir rapidamente citocinas (TNF e IFN γ) Ativar células dendríticas, linfócitos T e B através da liberação de fatores amplificadores solúveis. Produção de quimiocinas (neutrófilos, macrófagos)

21 Modelo do Próprio Perdido Dois sinais Um positivo e outro negativo para a ação citotóxica

22 FUNÇÕES EFETORAS DE LB

23

24 Neutralização O Ac se liga ao microorganismo (Fab) inibindo de forma física a ligação deste com receptores celulares e impede a infecção!!!

25 Neutralização O Ac se liga ao microorganismo(Fab) inibindo de forma física a ligação deste com receptores celulares e impede a infecção das células vizinhas!!!

26 Neutralização O Ac se liga à toxina (Fab) inibindo de forma física a ligação desta com receptores celulares e impede a ação tóxica !!!

27 Opsonização Fab se liga ao antígeno = opsonização Fc se liga ao receptor = fagocitose

28 ADCC citotoxicidade dependente de Ac Célula infectada (antígenos na superfície) Participação de células NK (grânulos citotóxicos) –granzimas e perforinas Receptores da porção Fc dos anticorpos

29 ADCC citotoxicidade dependente de Ac Helmintos (microorganismos complexos e grandes) Participação de eosinófilos –Grânulos: toxicidade e inflamação Receptores da porção Fc dos anticorpos

30 Ativação do complemento Fagocitose Mediadores inflamação Lise direta

31

32 Funções do complemento Lise osmótica: Formação do MAC Morte do microorganismo por lise

33 Questões para Estudo Quais as principais diferenças entre as funções efetoras de LT auxiliares e LT citotóxicos ? Quais são os subtipos de LTh e suas respectivas funções efetoras ? Quais são as células que apresentam função citotóxica e quais os 2 mecanismos de citotoxicidade dos LTc ? Qual é o mecanismo principal de ativação das células NK, frente a células alvo ? Quais os mecanismos efetores desencadeados pelas imunoglobulinas, ou seja, pela ativação dos LB ? Descreva-os.


Carregar ppt "Mecanismos efetores da resposta imune Profa Dra Ana Paula Ferreira Maio de 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google