A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria Porto Alegre, 5 de novembro de 2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria Porto Alegre, 5 de novembro de 2014."— Transcrição da apresentação:

1 Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria Porto Alegre, 5 de novembro de 2014

2 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Fonte: IBGE. *A preços constantes. Participação % da Indústria de Transformação no Total da Economia* – Brasil Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

3 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Fonte: IBGE.. Produção Industrial – Brasil (Nº índice jan/04=100, com ajuste sazonal) Queda em 12 de 23 segmentos Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

4 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Esse período foi marcado por um aumento da concorrência com os produtos importados Saldo da Balança de Manufaturados – BR (Em US$ bilhões) Coeficiente de importação (Indústria de Transformação – Em %) Fonte: MDIC/SECEX. CNI. Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário A indústria perde de participação

5 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Esse período foi marcado por um aumento da concorrência com os produtos importados Saldo da Balança de Manufaturados – BR (Em US$ bilhões) Coeficiente de insumos import. (Indústria de Transformação – Em %) Fonte: MDIC/SECEX. CNI. Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

6 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Fonte: CNI. Indicador de Custos Industriais – BR (N° índice – média 2006 = 100 – com ajuste sazonal) Aumento dos custos industriais (Variação % 1° sem 2014/2008) Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

7 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Fonte: BCB. Operações de crédito PJ (Variação % – jan/08 a set/14) Crédito Rural: Crédito BNDES: Crédito Imobiliário: Part. % no crédito direcionado PJ Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

8 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Fonte: BCB. Operações de crédito PJ (Variação % – jan/08 a set/14) Crédito Rural: Crédito BNDES: Crédito Imobiliário: Taxa média de juros – crédito direcionado PJ (Média jan-set 2014/2012 – var. %) Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

9 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Fonte: CNI. Pesquisa de Investimentos na Indústria. * Pode ultrapassar 100% devido da possibilidade de múltipla escolha. Distribuição média das fontes de financiamento previstas para o investimento planejado (Indústria de Transformação – BR – média 2009-13) Os bancos oficiais de desenvolvimento desempenham um importante papel no investimento industrial Principais fatores que podem impedir (total ou parcialmente) a realização dos investimentos planejados – % de respostas* (Indústria de Transformação – BR – média 2009-13) Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

10 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Fonte: CNI. Sondagem Industrial Situação Financeira: Acesso ao Crédito (Indústria Geral – BR – acima de 50 pontos=fácil) Entretanto, o acesso ao crédito tem ficado cada vez mais difícil Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

11 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS O acesso ao crédito tende a se tornar ainda mais difícil   Aumento dos juros no exterior Taxa de juros dos EUA – nível desejado pelos membros do FOMC (Em % a.a. - Final do ano) Os 17 membros do FOMC apontam que a taxa de juros deva estar em um valor próximo a 4,0% a.a. no longo prazo Fonte: Federal Reserve. Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

12 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS O acesso ao crédito tende a se tornar ainda mais difícil Fonte: BCB. *Relatório FOCUS 31/10/14. Taxa SELIC – Meta definida pelo COPOM (Em % a.a.)   Aumento dos juros no exterior   Aumento dos juros no Brasil Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

13 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Meta “cheia” final do ano Resultado Primário (% PIB – acum. jan-set.) O acesso ao crédito tende a se tornar ainda mais difícil Fonte: BCB.   Aumento dos juros no exterior   Aumento dos juros no Brasil   Restrição fiscal Créditos do Tesouro ao BNDES (% PIB – média anual) 0,7 2008 6,6 2011 8,7 2014 A atual situação das contas públicas deve impor mais rigor em relação aos repasses do Tesouro Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário

14 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário CONSIDERAÇÕES FINAIS O crescimento do mercado de crédito, principalmente o direcionado, foi um dos destaques positivos nesse cenário adverso. Porém, a conjuntura externa, os indicadores internos e as próprias indústrias apontam para um período de maior restrição de recursos.

15 UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Núcleo de Análise de Conjuntura Economistas Oscar André Frank Jr. oscar.frank@fiergs.org.br Thais Waideman Niquito thais.niquito@fiergs.org.br Vanessa Neumann Sulzbach Vanessa.sulzbach@fiergs.org.br Economista-Chefe André Francisco Nunes de Nunes andre.nunes@fiergs.org.br Estagiários Camila Behrends Perez camila.perez@fiergs.org.br Letícia Santos de Medeiros leticia.medeiros@fiergs.org.br Núcleo Estatístico Economista Ricardo Filgueras Nogueira ricardo.nogueira@fiergs.org.br Assistente Administrativo Cristina da Silva Casto cristina.castro@fiergs.org.br Luciane Vieira luciane.vieira@fiergs.org.b economia@fiergs.org.br Av. Assis Brasil, 8787 Fone: (051) 3347.8731 Fax: (051) 3347.8795 Porto Alegre- RS Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria A indústria perde de participação Considerações Finais Menor competividade frente aos importados O Brasil ficou caro para produzir O crédito farto foi fundamental As indústrias já percebem uma mudança no cenário


Carregar ppt "Considerações e perspectivas para o crédito para a indústria Porto Alegre, 5 de novembro de 2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google