A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Hebert Monteiro Ondas e Introdução à Óptica Física.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Hebert Monteiro Ondas e Introdução à Óptica Física."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Hebert Monteiro Ondas e Introdução à Óptica Física

2 Na história da Física, grandes cientistas dedicaram-se ao estudo das ondas. Graças às ondas é que existem muitas das maravilhas do mundo moderno, como a televisão, o rádio, as telecomunicações via satélite, o radar, o forno de microondas, entre outras. Conceitos Iniciais Considere duas pessoas segurando as extremidades de uma corda. Se uma delas fizer um movimento vertical brusco, para cima e depois para baixo, causará uma perturbação na corda, originando uma sinuosidade, que se deslocará ao longo da corda aproximando-se da outra pessoa, enquanto a extremidade que recebeu o impulso retorna à posição inicial, por ser a corda um meio elástico. Ondas

3 Nesse exemplo, a perturbação denomina-se pulso, o movimento do pulso é chamado de onda, a mão da pessoa que faz o movimento vertical é a fonte e a corda, na qual se propaga a onda, é denominada meio. Se provocarmos vários pulsos sucessivos com um movimento sobe-e-desce, teremos várias ondas propagando-se na corda, uma atrás da outra, constituindo um trem de ondas.

4 Um outro exemplo pode ser visto quando se atira uma pedra num lago de águas paradas. A perturbação causada pelo impacto da pedra na água originará um movimento que se propagará pela superfície do lago como circunferências de mesmo centro, afastando-se do ponto de impacto.

5 Denomina-se onda o movimento causado por uma perturbação que se propaga através de um meio. Colocando-se um pedaço de cortiça na água, próximo ao local do lançamento da pedra, verifica-se que a onda, ao atingir a cortiça que fica flutuando na superfície da água, faz com que ela apenas oscile, subindo e descendo, sem variar a direção. Como a rolha não é arrastada, concluímos que a onda não transporta matéria. Porém, como ela se movimenta, implica que recebeu energia da onda. Uma onda transmite energia sem o transporte de matéria.

6 Classificação das Ondas Quanto à natureza Ondas mecânicas: são aquelas que precisam de um meio material para se propagar (não se propagam no vácuo). Exemplo: Ondas em cordas e ondas sonoras (som). Ondas eletromagnéticas: são geradas por cargas elétricas oscilantes e não necessitam de um meio material para se propagar, podendo se propagar no vácuo. Exemplos: Ondas de rádio, de televisão, de luz, raios X, raios laser, ondas de radar etc.

7 Exemplos de ondas Mecânicas

8 Quanto à direção de propagação Unidimensionais: são aquelas que se propagam numa só direção. Exemplo: Ondas em cordas. Bidimensionais: são aquelas que se propagam num plano. Exemplo: Ondas na superfície de um lago. Tridimensionais: são aquelas que se propagam em todas as direções. Exemplo: Ondas sonoras no ar atmosférico ou em metais.

9 Quanto à direção de vibração Transversais: são aquelas cujas vibrações são perpendiculares à direção de propagação. Exemplo: Ondas em corda.

10 Longitudinais: são aquelas cujas vibrações coincidem com a direção de propagação. Exemplos: Ondas sonoras, ondas em molas.

11 Ondas Periódicas Considere uma pessoa executando um movimento vertical de sobe e desce na extremidade livre da corda indicada na figura, em intervalos de tempo iguais.

12 Esses impulsos causarão pulsos que se propagarão ao longo da corda em espaços iguais, pois os impulsos são periódicos. A parte elevada denomina-se crista da onda e a cavidade entre duas cristas chama-se vale. Denomina-se período T o tempo necessário para que duas cristas consecutivas passem pelo mesmo ponto. Chama-se freqüência f o número de cristas consecutivas que passam por um mesmo ponto, em cada unidade de tempo. Entre T e f vale a relação:

13 A distância entre duas cristas ou dois vales consecutivos é denominada comprimento de onda, representado por λ, e a é a amplitude da onda. Como um pulso se propaga com velocidade constante, vale a expressão s = vt. Fazendo s = λ, temos t = T. Logo: Essa igualdade é válida para todas as ondas periódicas – como o som, as ondas na água e a luz.

14 Exercício 1) Ondas sonoras são ondas longitudinais que se propagam no ar. A velocidade do som depende da temperatura: a 20 ºC é igual a 344 m/s. Qual é o comprimento de onda de uma onda sonora no ar a 20 ºC sabendo que a frequência f = 262 Hz ? Qual é o período de propagação dessa onda?

15 Velocidade de Propagação de uma Onda Unidimensional Considere uma corda de massa m e comprimento, sob a ação de uma força de tração Suponha que a mão de uma pessoa, agindo na extremidade livre da corda, realiza um movimento vertical, periódico, de sobe e desce. Uma onda passa a se propagar horizontalmente com velocidade. Cada ponto da corda sobe e desce. Assim que o ponto A começa seu movimento (quando O sobe), B inicia seu movimento (quando O se encontra na posição inicial), movendo-se para baixo.

16 O ponto D inicia seu movimento quando o ponto O descreveu um ciclo completo (subiu, baixou e voltou a subir e regressou à posição inicial). Se continuarmos a movimentar o ponto O, chegará o instante em que todos os pontos da corda estarão em vibração. A velocidade de propagação da onda depende da densidade linear da corda e da intensidade da força de tração, e é dada por: Em que: F = a força de tração na corda. µ =, a densidade linear da corda

17 Exercício 1) Uma corda de comprimento 3 m e massa 60 g é mantida tensa sob ação de uma força de intensidade 800 N. Determine a velocidade de propagação de um pulso nessa corda.

18 2)Uma corda de massa 240 g e de comprimento 1,2 m vibra com freqüência de 150 Hz, conforme indica a figura. a) Qual a velocidade de propagação da onda na corda? b) Qual a intensidade da força tensora na corda?

19 Reflexão de um pulso numa corda Quando um pulso, propagando-se numa corda, atinge sua extremidade, pode retornar para o meio em que estava se propagando. Esse fenômeno é denominado reflexão. Essa reflexão pode ocorrer de duas formas: Extremidade fixa Se a extremidade é fixa, o pulso sofre reflexão com inversão de fase, mantendo todas as outras características. Extremidade livre Se a extremidade é livre, o pulso sofre reflexão e volta ao mesmo semi-plano, isto é, não ocorre inversão de fase.

20 Refração de um pulso numa corda Se, propagando-se numa corda de menor densidade, um pulso passa para outra de maior densidade, dizemos que sofreu uma refração. A experiência mostra que a freqüência não se modifica quando um pulso passa de um meio para outro.

21 Exercício 1) Uma onda periódica propaga-se em uma corda A, com velocidade de 40 cm/s e comprimento de onda 5 cm. Ao passar para uma corda B, sua velocidade passa a ser 30 cm/s. Determine: a) o comprimento de onda no meio B b) a freqüência da onda

22 Princípio da Superposição Quando duas ou mais ondas se propagam, simultaneamente, num mesmo meio, diz-se que há uma superposição de ondas. Como exemplo, considere duas ondas propagando-se conforme indicam as figuras: Supondo que atinjam o ponto P no mesmo instante, elas causarão nesse ponto uma perturbação que é igual à soma das perturbações que cada onda causaria se o tivesse atingido individualmente, ou seja, a onda resultante é igual à soma algébrica das ondas que cada uma produziria individualmente no ponto P, no instante considerado.

23 Após a superposição, as ondas continuam a se propagar com as mesmas características que tinham antes. Os efeitos são subtraídos (soma algébrica), podendo-se anular no caso de duas propagações com deslocamento invertido.

24 Ondas Estacionárias São ondas resultantes da superposição de duas ondas de mesma freqüência, mesma amplitude, mesmo comprimento de onda, mesma direção e sentidos opostos. Pode-se obter uma onda estacionária através de uma corda fixa numa das extremidades. Com uma fonte faz-se a outra extremidade vibrar com movimentos verticais periódicos, produzindo-se perturbações regulares que se propagam pela corda.

25 Dessa forma, as perturbações se superpõem às outras que estão chegando à parede, originando o fenômeno das ondas estacionárias. Uma onda estacionária se caracteriza pela amplitude variável de ponto para ponto, isto é, há pontos da corda que não se movimentam (amplitude nula), chamados nós (ou nodos), e pontos que vibram com amplitude máxima, chamados ventres. É evidente que, entre nós, os pontos da corda vibram com a mesma freqüência, mas com amplitudes diferentes.

26 Exercícios 1) Uma onda estacionária de freqüência 8 Hz se estabelece numa linha fixada entre dois pontos distantes 60 cm. Incluindo os extremos, contam-se 7 nodos. Calcule a velocidade da onda progressiva que deu origem à onda estacionária.

27 Frequência angular Frequência angular (ω) é a taxa de variação temporal de algum ângulo. No Sistema Internacional de Unidades, é medida em radianos por segundo. É apenas um múltiplo da frequência (f) (medida geralmente em hertz ou em rpm):taxa de variaçãotemporal ânguloSistema Internacional de Unidades radianossegundofrequênciahertzrpm

28 Função de uma onda senoidal Nada mais é que uma função da posição x e do tempo t de uma onda, representada algebricamente, por: Y (x,t) = A cos 2π x_ - t_ (Onda senoidal movendo-se para +x) λ T Podemos obter uma forma útil da função de onda se definirmos uma grandeza K, denominada número de onda: K = 2π λ

29 Sendo assim: λ = 2 π/K e f = ω/2π. Se a velocidade da onda pode ser representada por: v = λ.f, então: v = (2π/K). (ω/2π) v = 2πω v = ω 2πK K ω = v. K Podemos então escrever a equação como: y(x,t) = A cos (Kx – ωt)(onda no sentido +x) y(x,t) = A cos (Kx + ωt)(onda no sentido –x) y(x,t) = A cos (Kx ωt) Equação Geral de onda independente do sentido

30 Exercício 1) Uma pessoa está brincando com uma corda de um varal de roupas. Ele desamarra uma das extremidades da corda, mantém a corda esticada e faz essa extremidade oscilar para cima e para baixo senoidalmente com uma amplitude de 0,075 m e uma frequência igual a 2,0 Hz. A velocidade da onda é v = 12,0 m/s. Suponha que nenhuma onda seja refletida na extremidade afastada para perturbar a configuração. a) Encontre a amplitude, a frequência angular, o período, o comprimento de onde e o número de onda desta onda. b) Escreva equações para o deslocamento em função do tempo na extremidade da corda que a pessoa segura e em um ponto a 3,0 m desta extremidade.

31 2) Ondas transversais em uma corda possuem velocidade de 8,0 m/s, amplitude de 0,0700 m e comprimento de onda igual a 0,320 m. As ondas se movem no sentido –x, e tem t = 0 a extremidade x = 0 da corda possui deslocamento máximo para cima. a) Encontre a frequência, o período e o número de onda dessas ondas. b) Ache a função de onda que descreve essa onda. c) Calcule o deslocamento transversal de uma partícula situada no ponto x = 0,360 m no instante t = 0,150 s.

32 Solução

33 Energia no Movimento Ondulatório Todo movimento ondulatório possui uma energia associada a ele. São exemplos a energia que recebemos da luz solar e os efeitos destrutivos dos terremotos. Para exemplificar o conceito de energia no movimento ondulatório vamos examinar novamente uma onda transversal em uma corda. Como a energia é transferida de uma porção da corda para outra? Imaginem uma onda se propagando da esquerda para a direita (sentido positivo), ao longo da corda considere um ponto particular a sobre a corda. A potência (taxa de realização de trabalho) no ponto a é a força transversal Fx (x,t) no ponto a vezes a velocidade transversal Vy (x,t) nesse ponto. Essa potência é a taxa instantânea com a qual a energia é transferida ao longo da corda. Esse valor depende da posição x da corda no tempo t.

34

35 A equação da potência da onda é dada por: Se ω = v.K e então podemos escrever a equação de uma forma alternativa: O sentido de transferência da energia é sempre positivo.

36 O valor máximo da potencia instantânea P (x,t) ocorre quando a função sen 2 atinge o valor igual a um, ficando assim a expressão: A potência média é encontrada quando o o valor da função sen 2 é médio, ou seja, ½, ficando assim a equação:

37 Exercício 1) No exercício da pessoa que brinca com a corda do varal, qual é a taxa de transferência de energia máxima que a pessoa fornece à corda? Ou seja, qual a potencia instantânea máxima? Suponha que a densidade linear da corda do varal seja μ = 0,250 Kg/m e que a pessoa aplique uma tensão F = 36,0 N. b) Qual é a potência média? c) A media que a pessoa vai se cansando a amplitude diminui. Qual é a potência média quando a amplitude diminui para 7,50 mm?

38 2) O fio do piano tem massa igual a 3,0 g e comprimento de 80,0 cm é submetido a uma tensão de 25,0 N. Uma onda com freqüência 120,0 Hz e amplitude igual a 1,6 mm desloca-se no fio. a) Ache a potência média transportada pela onda. b) O que ocorrerá com a potência média se a amplitude da onda for reduzida à metade?


Carregar ppt "Prof. Hebert Monteiro Ondas e Introdução à Óptica Física."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google