A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA."— Transcrição da apresentação:

1 FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA FUNFARME/FAMERP

2 DOENÇAS DA MAMA

3 A dor nas mamas (mastalgia), acompanhada ou não de espessamento mamário, que surge no início da menacme e tende a desaparecer na menopausa, recebe a denominação de "ALTERAÇÕES FUNCIONAIS BENIGNAS DAS MAMAS. São mais freqüentes em nuligestas e em mulheres com baixa paridade. Costumam regredir na menopausa e reaparecer com a reposição hormonal. São mais freqüentes em nuligestas e em mulheres com baixa paridade. Costumam regredir na menopausa e reaparecer com a reposição hormonal. DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

4 QUADRO CLÍNICO - INICIAM-SE POR VOLTA DOS 20 ANOS - Nesta fase, as mamas não costumam apresentar alterações palpatórias importantes. - A sensação dolorosa é quase sempre de leve intensidade, e na grande maioria das vezes apresenta reforço sintomático pré-menstrual, com sinais de ingurgitamento local. - INICIAM-SE POR VOLTA DOS 20 ANOS - Nesta fase, as mamas não costumam apresentar alterações palpatórias importantes. - A sensação dolorosa é quase sempre de leve intensidade, e na grande maioria das vezes apresenta reforço sintomático pré-menstrual, com sinais de ingurgitamento local. - POR VOLTA DOS 30 ANOS: - Existe tendência dor ser acompanhada por espessamento de parênquima. - Evidenciam-se a irregularidade e a nodularidade do tecido, principalmente nos quadrantes súpero-laterais, que se apresentam como áreas granulosas à palpação. - POR VOLTA DOS 30 ANOS: - Existe tendência dor ser acompanhada por espessamento de parênquima. - Evidenciam-se a irregularidade e a nodularidade do tecido, principalmente nos quadrantes súpero-laterais, que se apresentam como áreas granulosas à palpação. DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

5 - Às vezes a acentuada fibrose determina um nódulo dominante, podendo simular neoplasia maligna. - Às vezes a acentuada fibrose determina um nódulo dominante, podendo simular neoplasia maligna. DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 QUADRO CLÍNICO - FLUXO PAPILAR (COMUM): - É quase sempre bilateral, exteriorizando-se por vários orifícios de cada lado mediante expressão. - Apresenta coloração esbranquiçada, amarelada, acastanhada, ou esverdeada. - Raramente é incolor ou serossanguinolento. - FLUXO PAPILAR (COMUM): - É quase sempre bilateral, exteriorizando-se por vários orifícios de cada lado mediante expressão. - Apresenta coloração esbranquiçada, amarelada, acastanhada, ou esverdeada. - Raramente é incolor ou serossanguinolento.

6 - ANAMNESE mastalgia cíclica - EXAME GINECOLÓGICO tendência à nodularidade na palpação - EXAMES COMPLEMENTARES: - MAMOGRAFIA - ULTRA-SOM - ANAMNESE mastalgia cíclica - EXAME GINECOLÓGICO tendência à nodularidade na palpação - EXAMES COMPLEMENTARES: - MAMOGRAFIA - ULTRA-SOM DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 DIAGNÓSTICO

7 1. Dor na região mamária quase sempre não-cíclica, sem reforço pré-menstrual, e de etiologia músculo-esquelética: 1. Dor na região mamária quase sempre não-cíclica, sem reforço pré-menstrual, e de etiologia músculo-esquelética: 2. Mamas em pêndulo, extremamente volumosas: 3. Distúrbios psicossomáticos DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL - Nevralgias intercostais - Inflamação das cartilagens da junção costocondral (caracterizada por dor à compressão ao nível da segunda e terceira articulações) - Traumas de parede torácica - Neuromas decorrentes de cirurgias torácicas - Nevralgias intercostais - Inflamação das cartilagens da junção costocondral (caracterizada por dor à compressão ao nível da segunda e terceira articulações) - Traumas de parede torácica - Neuromas decorrentes de cirurgias torácicas - Dor por distensão nervosa e ligamentar

8 - Excluir a presença de tumor (anamnese, exame físico e radiológico s/n). - Explicar que os sintomas não estão associados ao câncer e que não há risco maior de desenvolver a doença no futuro. - Explicar que os sintomas não estão associados ao câncer e que não há risco maior de desenvolver a doença no futuro. - Muitas mulheres conseguem alívio dos sintomas depois das explicações do médico. Ao conseguirmos a tranqüilidade da paciente e afastado o temor do câncer, ela passa a conviver melhor com o incômodo mamário. - Muitas mulheres conseguem alívio dos sintomas depois das explicações do médico. Ao conseguirmos a tranqüilidade da paciente e afastado o temor do câncer, ela passa a conviver melhor com o incômodo mamário. - Farmacoterapia eficientes durante o tempo de uso. DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 TRATAMENTO

9 FARMACOTERAPIA - ÁCIDO GAMA-LINOLEICO - TAMOXIFENO - BROMOERGOCRIPTINA - LISURIDA - ÁCIDO GAMA-LINOLEICO - TAMOXIFENO - BROMOERGOCRIPTINA - LISURIDA DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, DANAZOL - DIURÉTICO - ANALGÉSICO - ANTI-INFLAMATÓRIO - DANAZOL - DIURÉTICO - ANALGÉSICO - ANTI-INFLAMATÓRIO

10 - Posologia 180 a 360 mg/dia por pelo menos quatro meses. - Geralmente, obtido do óleo de uma flor chamada prímula. - Mecanismo de ação promove, através do aumento de seus precursores, a síntese de prostaglandina E1, que modula a ação estrogênica e prolactínica na mama. - Efeitos colaterais é praticamente desprovido, ainda que não pareça ser comparativamente a droga mais efetiva, tem sido recomendada por alguns como a primeira medida quando a orientação verbal falha. - Posologia 180 a 360 mg/dia por pelo menos quatro meses. - Geralmente, obtido do óleo de uma flor chamada prímula. - Mecanismo de ação promove, através do aumento de seus precursores, a síntese de prostaglandina E1, que modula a ação estrogênica e prolactínica na mama. - Efeitos colaterais é praticamente desprovido, ainda que não pareça ser comparativamente a droga mais efetiva, tem sido recomendada por alguns como a primeira medida quando a orientação verbal falha. DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 ÁCIDO GAMA-LINOLEICO (ÁCIDO GRAXO ESSENCIAL) ÁCIDO GAMA-LINOLEICO (ÁCIDO GRAXO ESSENCIAL)

11 TAMOXIFENO - Posologia 10 mg/dia por 3 a 6 meses. - Mecanismo de ação Anti-estrogênico (compete com os receptores). - Efeitos colaterais alterações menstruais, náuseas, fogachos e irritabilidade. - Mais efetivo na mastalgia cíclica. - Posologia 10 mg/dia por 3 a 6 meses. - Mecanismo de ação Anti-estrogênico (compete com os receptores). - Efeitos colaterais alterações menstruais, náuseas, fogachos e irritabilidade. - Mais efetivo na mastalgia cíclica. DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

12 BROMOCRIPTINA E LISURIDA - Posologia 05 mg/dia e 0,4 mg/dia por 3 a 6 meses - Mecanismo de ação dopaminérgicas - Introdução progressiva da dose (vários dias), para minimizar os efeitos colaterais - Posologia 05 mg/dia e 0,4 mg/dia por 3 a 6 meses - Mecanismo de ação dopaminérgicas - Introdução progressiva da dose (vários dias), para minimizar os efeitos colaterais DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

13 DANAZOL - Posologia 100 a 400 mg/dia e 0,4 mg/dia por 3 a 6 meses - Mecanismo de ação antigonadotrófica - Efeitos colaterais manifestações androgênicas (ganho de peso, acne, hirsutismo e alterações na voz) - Mais efetivo na mastalgia cíclica - Posologia 100 a 400 mg/dia e 0,4 mg/dia por 3 a 6 meses - Mecanismo de ação antigonadotrófica - Efeitos colaterais manifestações androgênicas (ganho de peso, acne, hirsutismo e alterações na voz) - Mais efetivo na mastalgia cíclica DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

14 DIURÉTICO - Mecanismo de ação reduzir a retenção perimenstrual de sódio e água - Prescrever nos dias que antecedem a menstruação - Mecanismo de ação reduzir a retenção perimenstrual de sódio e água - Prescrever nos dias que antecedem a menstruação DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

15 ANALGÉSICOS E ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO HORMONAIS - Mastalgia ocasional e não cíclica DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

16 DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA FIBROADENOMA

17 DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA FIBROADENOMA CALCIFICADOFIBROSEFIBROADENOMA

18 O médico em unidade básica de saúde deve conseguir diferenciar as "alterações funcionais benignas das mamas" de um nódulo mamário. Poderá, então, encaminhar para inter-consulta com ginecologista. Porém, a orientação e o tratamento inicial das "alterações funcionais benignas das mamas" podem e devem ser feitos pelo médico geral devido a melhor qualidade da relação médico-paciente. O médico em unidade básica de saúde deve conseguir diferenciar as "alterações funcionais benignas das mamas" de um nódulo mamário. Poderá, então, encaminhar para inter-consulta com ginecologista. Porém, a orientação e o tratamento inicial das "alterações funcionais benignas das mamas" podem e devem ser feitos pelo médico geral devido a melhor qualidade da relação médico-paciente. ENCAMINHAMENTO: DOENÇAS BENIGNAS DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

19 - No Brasil, nas últimas duas décadas, a taxa de mortalidade por câncer de mama apresentou uma elevação de 68%, passando de 5,77 em 1979, para 9,70 mortes por mulheres em No Brasil, nas últimas duas décadas, a taxa de mortalidade por câncer de mama apresentou uma elevação de 68%, passando de 5,77 em 1979, para 9,70 mortes por mulheres em É a > causa de óbitos por câncer na população feminina, principalmente na faixa etária entre 40 e 69 anos. - É a > causa de óbitos por câncer na população feminina, principalmente na faixa etária entre 40 e 69 anos. - Aproximadamente 80% dos tumores são descobertos pela própria mulher ao palpar suas mamas - Aproximadamente 80% dos tumores são descobertos pela própria mulher ao palpar suas mamas - Cerca de 50% dos casos são diagnosticados em estágios avançados, gerando tratamentos muitas vezes mutilantes - Cerca de 50% dos casos são diagnosticados em estágios avançados, gerando tratamentos muitas vezes mutilantes - Em 2001, segundo as Estimativas da Incidência e Mortalidade por Câncer, serão diagnosticados novos caso de câncer de mama e óbitos - Em 2001, segundo as Estimativas da Incidência e Mortalidade por Câncer, serão diagnosticados novos caso de câncer de mama e óbitos CÂNCER DA MAMA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000

20 FATORES DE RISCO - PARIDADE TARDIA - NÚMERO DE FILHOS REDUZIDOS - NÃO AMAMENTAÇÃO - CONSUMO DE BEBIDAS ALCÓOLICAS - GENÉTICO (FAMILIAR) - PARIDADE TARDIA - NÚMERO DE FILHOS REDUZIDOS - NÃO AMAMENTAÇÃO - CONSUMO DE BEBIDAS ALCÓOLICAS - GENÉTICO (FAMILIAR) DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 CÂNCER DA MAMA

21 PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO - AUTO-PALPAÇÃO - EXAME GINECOLÓGICO - MAMOGRAFIA - ESTUDO ANÁTOMO-PATOLÓGICO POR PUNÇÃO ASPIRATIVA, TROCÁTER, BIÓPSIA INCISIONAL OU BIÓPSIA EXCISIONAL. - AUTO-PALPAÇÃO - EXAME GINECOLÓGICO - MAMOGRAFIA - ESTUDO ANÁTOMO-PATOLÓGICO POR PUNÇÃO ASPIRATIVA, TROCÁTER, BIÓPSIA INCISIONAL OU BIÓPSIA EXCISIONAL. DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 CÂNCER DA MAMA

22 AUTO-PALPAÇÃO - Após a menstruação (7 o ao 10 o dia do ciclo), uma vez/mês DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 CÂNCER DA MAMA QUANDO REALIZAR:

23 AUTO-PALPAÇÃO - DIANTE DO ESPELHO - NO BANHO OU DEITADA - DIANTE DO ESPELHO - NO BANHO OU DEITADA DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 CÂNCER DA MAMA O QUE PROCURAR:

24 Eleve e abaixe os braços. Observe se há alguma anormalidade na pele, alterações no formato, abaulamentos ou retrações. DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 PREVENÇÃO DO CÂNCER DA MAMA AUTO-PALPAÇÃO DIANTE DO ESPELHO O QUE PROCURAR O QUE PROCURAR: - Deformações ou alterações no formato das mamas - Abaulamentos ou retrações - Ferida ao redor do mamilo O QUE PROCURAR O QUE PROCURAR: - Deformações ou alterações no formato das mamas - Abaulamentos ou retrações - Ferida ao redor do mamilo

25 DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 PREVENÇÃO DO CÂNCER DA MAMA AUTO-PALPAÇÃO DEITADA O QUE PROCURAR O QUE PROCURAR: - Caroços nas mamas ou axilas - Secreções pelos mamilos O QUE PROCURAR O QUE PROCURAR: - Caroços nas mamas ou axilas - Secreções pelos mamilos Coloque um travesseiro debaixo do lado esquerdo do corpo e a mão esquerda sob a cabeça. Com os dedos da mão direita, apalpe a parte interna da mama. Inverta a posição para o lado direito e apalpe da mesma forma a mama direita. Coloque um travesseiro debaixo do lado esquerdo do corpo e a mão esquerda sob a cabeça. Com os dedos da mão direita, apalpe a parte interna da mama. Inverta a posição para o lado direito e apalpe da mesma forma a mama direita. Com o braço esquerdo posicionado ao lado do corpo, apalpe a parte externa da mama esquerda com os dedos da mão direita. Com o braço esquerdo posicionado ao lado do corpo, apalpe a parte externa da mama esquerda com os dedos da mão direita.

26 DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 PREVENÇÃO DO CÂNCER DA MAMA AUTO-PALPAÇÃO NO BANHO O QUE PROCURAR O QUE PROCURAR: - Caroços nas mamas ou axilas - Secreções pelos mamilos O QUE PROCURAR O QUE PROCURAR: - Caroços nas mamas ou axilas - Secreções pelos mamilos Com a pele molhada ou ensaboada, eleve o braço direito e deslize os dedos da mão esquerda suavemente sobre a mama direita estendendo até a axila. Faça o mesmo na mama esquerda. Com a pele molhada ou ensaboada, eleve o braço direito e deslize os dedos da mão esquerda suavemente sobre a mama direita estendendo até a axila. Faça o mesmo na mama esquerda.

27 MAMOGRAFIA - INDICAÇÃO: Complementação do diagnóstico detectado através do exame clínico ou do auto exame das mamas e para o ACOMPANHAMENTO de mulheres consideradas com situação de alto risco. - INDICAÇÃO: Complementação do diagnóstico detectado através do exame clínico ou do auto exame das mamas e para o ACOMPANHAMENTO de mulheres consideradas com situação de alto risco. DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 PREVENÇÃO DO CÂNCER DA MAMA - É UM EXAME RADIOLÓGICO QUE PERMITE VISUALIZAR IMAGENS TUMORAIS E CALCIFICAÇÕES. - É UM EXAME RADIOLÓGICO QUE PERMITE VISUALIZAR IMAGENS TUMORAIS E CALCIFICAÇÕES.

28 MAMOGRAFIA QUANDO REALIZAR: - Mulheres com 40 anos ou mais que tenham história familiar de câncer de mama ocorrido na pré-menopausa ou antecedente pessoal de biópsia de mama cujo resultado foi hiperplasia atípica ou carcinoma lobular " in situ" deverão realizar mamografia anualmente - Mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos, assintomáticas, deverão fazer o exame a cada 2 anos - Quando o exame clínico da mama revelar alterações suspeitas e câncer, deverão submeter-se à mamografia segundo a orientação do médico - Mulheres com 40 anos ou mais que tenham história familiar de câncer de mama ocorrido na pré-menopausa ou antecedente pessoal de biópsia de mama cujo resultado foi hiperplasia atípica ou carcinoma lobular " in situ" deverão realizar mamografia anualmente - Mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos, assintomáticas, deverão fazer o exame a cada 2 anos - Quando o exame clínico da mama revelar alterações suspeitas e câncer, deverão submeter-se à mamografia segundo a orientação do médico DOENÇAS DA MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000 PREVENÇÃO DO CÂNCER DA MAMA

29 MAMOGRAFIA DOENÇAS DA MAMA PREVENÇÃO DO CÂNCER DA MAMA MICROCALCIFICAÇÃO CARCINOMA DUCTAL

30 DOENÇAS DA MAMA CÂNCER DA MAMA

31 DOENÇAS DA MAMA CÂNCER DA MAMA

32 DOENÇAS DA MAMA CÂNCER DA MAMA

33 FIM


Carregar ppt "FACULDADE DE MEDICINA DE S. J. DO RIO PRETO DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google