A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Departamento de Obstetrícia Ginecologia e Medicina da Reprodução Aula de Patologia Mamária Anatomia e Desenvolvimento Dr.ª Ana Nobre Pinto Patologia Benigna.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Departamento de Obstetrícia Ginecologia e Medicina da Reprodução Aula de Patologia Mamária Anatomia e Desenvolvimento Dr.ª Ana Nobre Pinto Patologia Benigna."— Transcrição da apresentação:

1 Departamento de Obstetrícia Ginecologia e Medicina da Reprodução Aula de Patologia Mamária Anatomia e Desenvolvimento Dr.ª Ana Nobre Pinto Patologia Benigna Dr. Paulo Santos Patologia Maligna D.ª Dora Simões

2 Anatomia da Mama e Desenvolvimento A mama é a característica que distingue os mamíferos. Vantagens da amamentação: – Para a mãe: Involução uterina – Para o feto: Transmissão de afecto e imunidade

3 Anatomia da Mama e Desenvolvimento O desenvolvimento da mama inicia-se na 5ª semana de gravidez, a partir da ectoderme É independente de influências hormonais nos 2 primeiros trimestres de gravidez

4 Anatomia da Mama e Desenvolvimento No 3º trimestre de gravidez, as hormonas sexuais placentares entram na circulação fetal e induzem a formação dos ductos mamários A diferenciação do parênquimq ocorre entre as s, com desenvolvimento das estruturas lobulo- alveolares

5 Anatomia da Mama e Desenvolvimento Anomalias Congénitas: – Politelia – Polimastia – Hipoplasia – Amastia – Atelia – Amazia

6 Anatomia da Mama e Desenvolvimento Anomalias Adquiridas As mais comuns são iatrogénicas – Biópsias – Radioterapia – Queimaduras

7

8

9 Anatomia da Mama e Desenvolvimento MAMA ADULTA Situa-se entre a 2ª e a 6ª costela no eixo vertical entre o bordo externo do esterno e a linha médio- axilar no eixo horizontal, prolongando-se para a axila através do prolongamento axilar de Spence A mama é constituída por: – pele – tecido subcutâneo – tecido mamário: parênquima estroma

10 Anatomia da Mama e Desenvolvimento A mama é envolvida por tecido fascial, superficial e profundo. Ligando as duas fascias existe uma banda fibrosa que representa o suporte natural da mama e permite a sua mobilidade- Ligamento Suspensor de Cooper

11 Anatomia da Mama e Desenvolvimento LINFÁTICOS O fluxo linfático é tipicamente unidireccional, 97% para a axila e 3% para os gânglios da mamária interna

12 Fig. 2 – Drenagem linfática da mama: grupos ganglionares

13 Anatomia da Mama e Desenvolvimento Grupos Ganglionares: – Grupo da Veia Axilar – Grupo da Mamária Externa – Grupo Escapular – Grupo Central – Grupo Subclavicular – Grupo de Rotter ou Interpeitoral – Grupo Linfático da mamária interna Tanto a axila como os gânglios paraesternais recebem linfa dos 4 quadrantes da mama Nível I Nível II Nível III

14 Anatomia da Mama e Desenvolvimento Vascularização da Mama Deriva principalmente dos ramos perfurantes da artéria mamária interna (60%) e da artéria torácica lateral(30%) e de ramos da toracoacromial, intercostais, subescapular e toracodorsal(10%). As principais veias que drenam a parede torácica e a mama são derivadas da veia torácica

15 Anatomia da Mama e Desenvolvimento Músculos e Nervos Os músculos que têm mais importância em termos cirúrgicos, são: – pequeno peitoral – grande peitoral – grande dentado – músculo oblíquo externo – músculo grande dorsal Nervo longo torácico de Bell

16 FISIOLOGIA Menstruação Gravidez Lactação Menopausa

17 EXAME FÍSICO DA MAMA

18 Avaliação de massas palpáveis A avaliação de doença da mama, benigna ou maligna, necessita sempre de exames complementares. Importância da história clínica, do exame objectivo e de exames anteriores

19 HISTÓRIA CLÍNICA A todas as mulheres: – Idade da menarca – Número de gravidezes – Número de nascimentos vivos – Idade no primeiro parto – História familiar de cancro da mama, incluindo idade de aparecimento, bilateralidade,grau de parentesco – História de biópsias da mama e respetiva histologia

20 HISTÓRIA CLÍNICA Nas mulheres pré- menopausa – Data da última menstruação – Duração e regularidade dos ciclos – Uso de ACO Nas mulheres pós-menopausa – Data da menopausa – Uso de THS

21 Quando o exame está completo,a mulher pode ter 4 possíveis diagnósticos: – sem patologia – aumento da densidade mamária – nódulo aparentemente benigno – nódulo aparentemente maligno

22 EXAMES COMPLEMENTARES A mamografia é o exame standard na avaliação de anormalidades da mama A ecografia complementa a mamografia A ressonância magnética pode esclarecer dúvidas

23 Exames Complementares Massas sólidas necessitam de uma avaliação tripla: – Exame físico – Exames radiológicos – Biópsia

24 Biópsias: – Com agulha fina, obtém material citológico para avaliação – Com agulha, obtém mais tecido e arquitetura histológica – Biópsia excisional, remove a lesão da mama


Carregar ppt "Departamento de Obstetrícia Ginecologia e Medicina da Reprodução Aula de Patologia Mamária Anatomia e Desenvolvimento Dr.ª Ana Nobre Pinto Patologia Benigna."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google