A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A história particular de uma ciência se resume na de seus termos específicos. Uma ciência só começa a existir ou consegue se impor na medida em que faz.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A história particular de uma ciência se resume na de seus termos específicos. Uma ciência só começa a existir ou consegue se impor na medida em que faz."— Transcrição da apresentação:

1 A história particular de uma ciência se resume na de seus termos específicos. Uma ciência só começa a existir ou consegue se impor na medida em que faz existir e em que impõe seus conceitos, através de sua denominação...Denominar, isto é, criar um conceito, é a o mesmo tempo, a primeira e última operação de uma ciência. (BENVENISTE, 1989) Aula 12 31/05

2 Parte 1: Panorama Geral O que é Terminologia? Depende, pois o termo é polissêmico: Como teoria é um conjunto de premissas, argumentos e conclusões necessárias para explicar o relacionamento entre conceitos e termos especializados; Como prática é um conjunto de métodos e atividades voltado para coleta, descrição, processamento e apresentação de termos; Como produto é um conjunto de termos, ou vocabulário, de uma determinada especialidade. (CABRÉ, 1995)

3 O que dizem as normas sobre tal conceito? A Terminologia é uma disciplina teórica e aplicada que se serve da Linguística, das Ciências da Comunicação, das Ciências Cognitivas, da Ciência da Informação e das especialidades particulares. É um campo inter e transdisciplinar (nível comunicacional), e tem como elementos centrais os conceitos e termos. (ISO 704,2000) A Terminologia compreende o estudo científico dos conceitos e respectivos termos considerados no seu funcionamento social e pertencentes à área da experiência humana. (ISO 1087,2000)

4 As Normas Terminológicas As normas terminológicas têm como objetivo prescrever recomendações sobre princípios e métodos do trabalho terminológico, harmonização de conceitos e termos, etc. As principais normas terminológicas são elaboradas pela International Standard Organization – ISO, que são muitas vezes objeto de tradução e adaptação por organismos nacionais. ISO 704- Terminology work- principles and methods. ISO Terminology work-vocabulary.

5 Quais as origens da Terminologia? - A Terminologia surge no contexto pós Revolução Industrial, momento que as comunidades científicas ganham um grande impulso de crescimento, e que por isso necessitam padronizar seus termos para facilitar a comunicação entre especialistas e consolidar suas áreas de especialidade. Obs.: A preocupação com uma fixação terminológica é mais antiga (pensar nos trabalhos de Lavoisier e Lineu), porém é nessa época que há uma sistematização e uma procura por um status científico da Terminologia.

6 Quais as principais vertentes da Terminologia? Vertente da Escola de Viena- Influenciada pela Lógica, preocupava- se em discutir a natureza dos conceitos, a fim de delimitar normas e padrões de usos internacionais. A partir dos trabalhos de Wüster( ), que elencou os princípios gerais da disciplina, houve a elaboração da Teoria Geral da Terminologia.Ele concebe a Terminologia como um instrumento de trabalho da comunidade técnica e científica, considerando-a uma disciplina autônoma e autossuficiente.Tal vertente influenciou outras escolas: A)Escola de Praga- Aliava os princípios de Wüster aos aspectos funcionais da linguagem(VANCURA;KOPECKY;CODA); B) Escola Soviética- Utiliza referências de Wüster e se volta aos princípios teóricos e metodológicos, com objetivo de propor um tratamento concreto dos dados terminológicos. Obs.: Para ambas a Terminologia não é uma disciplina autônoma, mas considerada um apêndice de outras disciplinas.

7 Teoria Geral da Terminologia (TGT) Wüster (1930) Alemanha Objetivo: dar as bases científicas para a eliminação da ambigüidade nos discursos técnicos e científicos. Sem termos polissêmicos, sinônimos ou homônimos. Conteúdo e expressão são independentes. Se não existe uma designação aceitável e única, a Terminologia normativa pode criá-la, respeitando os princípios terminológicos preestabelecidos. 7

8 TGT Pode identificar um conjunto de conceitos de um domínio especializado, organizá-los em um sistema estruturado e defini-los sem mesmo identificar com precisão os termos que os designam. Terminologia descritiva: se ocupa da coleta dos dados terminológicos e da descrição dos termos por meio de definiçõesElaboração de vocabulários Terminologia normativa: ocupa-se da uniformização de conceitos e da atribuição de termos para os designar. Tenta eliminar ou reduzir a sinonímia e a homonímia Normalização 8

9 Vertente da Terminologia contemporânea: Características: Terminologia como disciplina autônoma de caráter interdisciplinar; Abordagem mais pragmática e semiótica, vendo a padronização apenas como um aspecto facilitador da comunicação entre especialistas; Correntes: Teoria Comunicativa- Trabalhos de Cabré e estudiosos do IULA (Instituto de Linguística Aplicada de Barcelona); Socioterminologia- com Gaudin na França e Auger no Canadá; Terminologia Cognitiva com Temmerman na Alemanha; Terminologia Cultural com Marcel Diki-Kidiri no Senegal;

10 Sobre a TCT: Cabré considera o termo como uma unidade linguística composta de forma e conteúdo indissociáveis. A unidade lexical torna-se termo de acordo com o uso em um contexto expressivo e comunicacional específico. Os termos não pertencem a um domínio, são usados em um domínio com valor singularmente específico. A relevância do texto está diretamente vinculada ao princípio comunicacional que postula. Isso corresponde a considerar o texto como o habitat natural das terminologias[...] tais proposições postulam o exame do comportamento das unidades terminológicas em seu real contexto de ocorrência, compreendendo que essas unidades aparecem de maneira natural no discurso[...] os termos sofrem os efeitos de todos os mecanismos sintagmáticos e pragmáticos das cadeias do discurso que dão suporte à comunicação especializada. (KRIEGER; FINATTO, 2004)

11 Quais as principais funções da Terminologia? A) Função de representar um conhecimento especializado, usada na descrição do conteúdo documental (caráter unívoco). Para este fim é uma Terminologia mais rígida e controlada. A constituição de uma terminologia marca, em toda ciência, o advento ou o desenvolvimento de uma conceitualização nova, assinalando, assim,, um momento decisivo de sua história. Poder-se-ia mesmo dizer que a história de uma ciência se resume na de seus termos específicos. (BENVENISTE, 1988, apud, KRIEGER; FINATTO, 2004)

12 Quais as principais funções da Terminologia? B) Função de transmitir um conhecimento especializado, usada na Recuperação da Informação. Voltada ao acesso informacional, possui um caráter mais flexível e variado. Para os especialistas, a terminologia é o reflexo formal da organização conceitual de uma especialidade, e um meio inevitável de expressão e comunicação profissional. (CABRÉ, 1995)

13 Quais os principais cenários do trabalho terminológico? Trabalho Descritivo- Terminologia como atividade de recopilação e ilustração das formas detectadas no discurso especializado (realidade representativa e comunicativa de caráter heterogêneo); Trabalho Prescritivo- terminologia voltada a proporcionar unidades unívocas de expressão e comunicação(realidade homogênea e voluntariamente estabilizada); IMPORTANTE: É só no contexto cultural que o princípios de univocidade e monossemia alcançam seu sentido pleno.

14 Qual o objeto da Terminologia? São as unidades terminológicas (termo); São em si mesmas linguagem e conhecimento; Os termos constituem um subconjunto de signos linguísticos relativos a uma área conceitual e são utilizados na comunicação especializada Têm a função básica de representar e transferir o conhecimento; Termo é diferente de léxico: os termos são usados nos discursos especializados, enquanto o léxico tem como referência a língua e suas possibilidades de uso.

15 Termo X Léxico (palavra) Léxico Indexar- v.t.d- 1. Econ. Tornar (certa importância monetária- depósito de poupança, salário, valor de título governamental, etc.)corrigível automaticamente, de acordo com um índice de preços. 2. Ordenar em forma de índice. (Dicionário Aurélio) Termo Indexar- É a ação de descrever e identificar documentos de acordo com seu assunto. Durante a indexação, os conceitos são extraídos do documento num processo de análise e então traduzidos para os termos dos instrumentos de indexação. (ABDI)

16 Lexicologia X Terminologia Lexicologia- estudo do léxico (unidade lexical composta de um conteúdo e de uma expressão=signo linguístico). O objeto é a palavra no âmbito do sistema linguístico. Terminologia- privilegia a natureza do conceito e as relações estabelecidas entre eles.O signo terminológico é analisado por um enfoque sincrônico.

17 Similaridades e Distinções (CABRÉ, 1995) LexicologiaLexicografiaTerminologiaTerminografia Campo de atuação Língua geral Língua de especialidade Unidade padrão Lexema (palavra) termo Nível de atualização lexical sistema Norma de especialidade Tipo de disciplina Básica (teórica)Básica e aplicada Básica (teórica)Básica e aplicada Tipos de obrasDicionáriosVocabulário controlado, tesauro

18 Quais as relações entre e Terminologia e a Documentação? O trabalho terminológico deve partir de uma seleção e análise de uma documentação* especializada. Além disso, a própria Terminologia editada e recopilada também constitui um documento (o trabalho terminológico produz uma diversidade de produtos: vocabulários, dicionários, léxicos, etc.) A Documentação** utiliza a Terminologia para descrever ou representar de forma normalizada e unívoca o conteúdo de seus documentos, servindo de base para a Indexação e a Recuperação de documentos. Dessa forma, a utiliza para traduzir as unidades de caráter comunicativo (LN) em unidades com caráter operacional(LD). Exemplos de uso: tesauros e descritores. Obs.: *conjunto de documentos ** disciplina

19 Considerando o caráter interdisciplinar da Terminologia, com quais outras disciplinas ela dialoga? Informática- facilita o trabalho terminológico em todas as etapas, agilizando processos, e acrescentando qualidade e fidelização de resultados. Exemplo de aplicação: bancos de dados terminológicos. Tradução- a Terminologia é imprescindível para resolver a prática da tradução especializada, cumprindo o papel de representar um conhecimento e transmiti-lo. Linguística- encara os termos como um conjunto de signos linguísticos que constituem um subconjunto dentro do componente léxico do falante. Filosofia- Terminologia como um conjunto de unidades cognitivas que representam um conhecimento especializado. Disciplinas técnico-científicas- enxergam a Terminologia como um conjunto de unidades de comunicação que permitem a transferência do pensamento especializado.

20 Parte 2- Principais conceitos O termo Definição Os termos constituem um conjunto de unidades de expressão e comunicação que permitem transferir o conhecimento especializado. Uso O termo é a unidade básica da Terminologia e distingue-se da palavra do léxico geral. O termo é a palavra efetivamente usada no discurso. O léxico é um estoque de palavras independente das coisas, sendo resultado de convenções arbitrárias.

21 Área, Domínio e Subdomínio ÁREA: parte do saber cujos limites são definidos segundo um ponto de vista particular de uma ciência ou técnica. DOMÍNIO: subconjunto de uma área determinado por um sistema de noções. SUBDOMÍNIO: cada um dos subconjuntos de um domínio. Ex: Área: Ciências Sociais Aplicadas Domínio: Ciência da Informação Subdomínio: Linguística Documentária SD SB SD A D

22 Conceito, Definição e Noção Conceito: unidade de pensamento constituída por abstração a partir de propriedades comuns atribuídas a um objeto ou a uma classe de objetos e que pode ser expressa por um termo (LARA, 2005). As variações de denominação – noção ou conceito – referem-se às variações de abordagem teórica: para a vertente lógica e cognitiva, conceito, para a vertente mais linguístico-comunicacional, noção. No inglês usa-se conceito e no francês, noção. Conceito individual- Quando o conceito designa um objeto singular representado numa linguagem de especialidade como um nome próprio. Ex.: Universidade de São Paulo.

23 Característica CARACTERÍSTICA é a representação de uma propriedade que serve para delimitar um conceito. Podem ser: Essenciais ou não essenciais- relativo aquilo que é indispensável para o entendimento do conceito num dado campo do conhecimento.Ex: cadeira- usada como assento(função) característica essencial e pés antiderrapantes(composição) característica não essencial. Delimitadoras- Uma característica delimitadora é uma característica essencial que distingue um conceito de outro. Entretanto, o que é delimitador e o que é comum são termos relativos. A mesma característica deve ser delimitadora em relação a um conceito mas não comum em relação a outro conceito. A análise das similaridades e diferenças entre os conceitos, resultará um único conjunto de características que tipifica um dado conceito.

24 Designação A combinação de características é representada numa linguagem de especialidade por uma DESIGNAÇÃO. As designações funcionam como uma síntese da definição. Elas podem se apresentar como: termos(que designam conceitos gerais); nomes (nomes próprios, que designam conceitos individuais); símbolos (que podem designar conceitos gerais ou individuais);

25 Aplicação da noção de valor Os conceitos não existem isoladamente, mas sempre uns em relação aos outros. Para organizar sistemas de conceitos deve-se ter em mente o domínio focalizado e os objetivos e expectativas dos usuários. O campo de assunto deve agir como uma armação dentro do qual o campo conceitual, o conjunto de conceitos não estruturados, é estabelecido. Exemplo: O campo conceitual de papelaria exclui "lápis de olho", que pertence ao campo conceitual dos cosméticos. Para modelar um sistema conceitual, os conceitos do campo conceitual devem ser examinados e comparados observando-se os tipos de relações entre conceitos.

26 Relação termo-conceito Um dado termo, no âmbito de uma linguagem de especialidade deve ser atribuído apenas a um conceito (monossemia), reduzindo assim as possibilidades de ambiguidade, geralmente causadas por homonímias e sinonímias. Ex: rede (entrelaçamento de fios) ou rede (conjunto de computadores interligados). HOMONÍMIA Roupa, vestimenta, indumentária = SINÔNIMOS Assim, nota-se que os conceitos não existem isoladamente, mas sempre uns em relação aos outros. Para organizar sistemas de conceitos deve-se ter em mente o domínio focalizado e os objetivos e expectativas dos usuários.

27 Relações semânticas Significado Significante (conceito) (expressão) Monossemia Polissemia Homonímia (BARBOSA, 1995 apud LARA, 2005)

28 Descritor - Termo escolhido para representar um conceito, geralmente utilizado na indexação e na recuperação de determinado assunto. São denominações que servem de chaves de acesso para a pesquisa, do mesmo modo que os termos são denominações recomendáveis para otimizar a comunicação especializada (LÉRAT, 1995, apud, KRIEGER; FINATTO, 2004). Termo e descritor distinguem-se pela sua natureza e características básicas: o primeiro é uma unidade léxica que assume um valor semântico próprio a uma área de conhecimento, pela razão de integrar uma comunicação especializada. A despeito desse valor especializado, é um elemento natural das línguas naturais comportando variação e sinonímia bem como outros efeitos da linguagem em funcionamento. Diferentemente, o descritor é um componente de uma linguagem constituída pelos gestores de informação, e nessa medida, artificial KRIEGER; FINATTO, 2004).

29 Descritores e não descritores Descritores- Termos preferenciais numa determinada área de especialidade, que tendem a ser monossêmicos. Não descritores- Termos não-preferenciais (sinônimos linguísticos; quase-sinônimos). Exemplo: MERCADO FINANCEIRO Descritor UPMercado de capitais Não-descritor (Usado Para) Mercado de capitais USEMERCADO FINANCEIRO Obs.: Relação de equivalência

30 Tipos de relações entre conceitos a) Relações hierárquicas. relações genéricas. relações partitivas b)Relações associativas

31 Relação hierárquica Os conceitos são organizados em níveis, onde o conceito superordenado é dividido em, pelo menos, um conceito subordinado. Conceitos subordinados no mesmo nível e obedecendo ao mesmo critério de divisão são chamados conceitos coordenados. Ex.: relação hierárquica entre árvore e pinheiro (conceito superordenado e subordinado); ou relação hierárquica entre equinócio, equinócio de primavera e equinócio de outono (conceito coordenado). Árvore Macieira Pinheiro Ipê

32 Relações hierárquicas entre conceitos RELAÇÕES GENÉRICAS - Quando a intensão do conceito subordinado inclui a intensão do conceito superordenado mais, pelo menos, uma característica adicional, ou característica delimitativa. O conceito superordenado numa relação genérica é chamado de conceito genérico e o conceito subordinado, conceito específico. Exemplo: conceito árvore é genérico em relação ao conceito pinheiro; o conceito instrumento de escrita é genérico em relação aos conceitos que lhe são subordinados. RELAÇÃO PARTITIVA- Existe uma relação partitiva quando o conceito superordenado representa o todo, enquanto que o subordinado representa partes desse todo. As partes, juntas, formam o todo. O conceito superordenado em uma relação partitiva é chamado conceito compreensivo (integrante) e o conceito subordinado é chamado conceito partitivo. Conceitos subordinados no mesmo nível compartilham características na mesma dimensão e são chamados conceitos coordenados.

33 Exemplo de relação partitiva Lapiseira Cano mecanismo refil de grafite refil de borracha p/avançar Prendendor punho (Carac. Essenciais) (Carac. Opcionais) Série Vertical de conceitos Série Horizontal de conceitos

34 Relações associativas São relações não-hierárquicas. Existe uma relação associativa quando uma conexão temática pode ser estabelecida entre os conceitos em virtude da experiência. Exemplos : grafite/ lápis==> conteúdo/continente escrever / lápis==> atividade/instrumento gametas / zigotos ==> etapas de um ciclo humidade / corrosão ==> causa-efeito padeiro / pão ==> produtor/produto hora / relógio ===> duração / instrumento de medida pintor / pincel ==> profissão / instrumento típico

35 Exemplo da rede de relações em um tesauro MERCADO FINANCEIRO (Descritor) Financial market/des marchés financiers (correpondente em Tesauro multilíngue) NE é um sistema de distribuição de valores mobiliários que proporciona liquidez aos títulos de emissão de empresas e viabiliza o processo de capitalização. UPMercado de capitais (relação de equivalência) TGMercado TE Mercado financeiro internacional (relação hierárquica) TRBancos comerciais Capital (relação associativa) Títulos Definição do termo no âmbito de uma determinada área de especialidade. (relação Hierárquica)

36 Considerações finais Principal papel da Terminologia: possibilitar a comunicação científica (para especialistas e usuários); Não há ciência sem terminologia... (Benveniste, 1988) Não é uma mera normalização de termos (mesmo que sua origem tenha sido normalizar línguas de especialidades). Ao buscar, descrever e apresentar termos de um determinado domínio, considera suas variantes e as necessidades do usuário. No papel de traduzir a linguagem natural para uma língua de especialidade, a Terminologia atua como uma ponte entre mundos.

37 Referências BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral, I. São Paulo : Ed. Nacional ; EDUSP, CABRÉ, M.T. La terminologia hoy: concepciones, tendencias y aplicaciones. Ciencia da Informação, v.3, n.24, set/dez.1995.Disponível em: Acesso em: 25 ago. 10 ISO 1087(1996). Terminologia - glossário: parte 1. (proposta de versão brasileira, GTE -IBICT/APB). ISO 704 (2000). Terminology work - principles and methods. Généve, ISO. KRIEGER, M.G.; FINATTO, M.J.B. Dos fundamentos. In: ___. Introdução à Terminologia: teoria e prática. São Paulo : Contexto. p KRIEGER, M.G.; FINATTO, M.J.B. (2004). Dos fundamentos. In: ___. Introdução à Terminologia: teoria e prática. São Paulo : Contexto. p , LARA, M.L.G. Elementos de terminologia. São Paulo: ECA-USP, 2005 (Apostila para uso didático). Disponível em: lemterm2005.doc/view Acesso em: 25 ago.10. lemterm2005.doc/view


Carregar ppt "A história particular de uma ciência se resume na de seus termos específicos. Uma ciência só começa a existir ou consegue se impor na medida em que faz."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google