A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TEORIAS PSICOLÓGICAS DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM REVISÃO DO CONTEÚDO: SEGUNDO BIMESTRE Caroline Garpelli Barbosa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TEORIAS PSICOLÓGICAS DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM REVISÃO DO CONTEÚDO: SEGUNDO BIMESTRE Caroline Garpelli Barbosa."— Transcrição da apresentação:

1 TEORIAS PSICOLÓGICAS DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM REVISÃO DO CONTEÚDO: SEGUNDO BIMESTRE Caroline Garpelli Barbosa

2 - Não é uma teoria pedagógica. O foco da psicogênese da língua escrita é pensar como se dá o processo de alfabetização como um aluno aprende? - Influência do construtivismo piagetiano – aluno tem papel ativo na própria aprendizagem. - Criança elabora hipóteses para compreender o processo de alfabetização. Psicogênese da língua escrita – Emília Ferreiro

3 As hipóteses passam pelas seguintes fases/períodos: a)Fase pré-silábica ou Período iconográfico b) Período lingüístico ou fonográfico b.1) Fase silábica b.2) Fase silábico-alfabética c) Fase alfabética

4 a)Fase pré-silábica ou Período iconográfico marca o início do processo de alfabetização. - Início: não diferenciação entre desenho e escrita. I) Desenho: domínio icônico - as formas dos grafismos tentam reproduzir as formas dos objetos. - Gradativamente: descoberta de que desenhar escrever II) Escrita: saída do icônico – grafismos arbitrários. III) Descoberta das letras: i. utilização arbitrária; não diferenciação entre o que uma palavra e outra representa; ii. palavras diferentes têm escritas diferentes.

5 b) Período lingüístico ou fonográfico - Criança começa a perceber que a escrita representa o som das palavras. b.1) Fase silábica - Hipótese da criança: cada letra corresponde a uma sílaba. Exemplo: BARRIGA = BIA UVA = UA BORBOLETA = OOEA ou BOEA

6 b.2) Fase silábico-alfabética - transição da hipótese silábica para a hipótese alfabética. - criança percebe que pode subdividir a fala em unidades ainda menores do que as sílabas – fonemas. Exemplo: - CAVALO = CA-A-O silábica alfabética -BORBOLETA = BO-O-LE-A alfabética

7 c) Fase alfabética - O aluno já compreendeu o sistema de escrita, e entende que cada um dos caracteres da palavra corresponde a um valor sonoro menor do que a sílaba. - A criança ainda escreve exatamente do jeito que ela fala e ouve aquelas palavras – TAQUICI; VAZU - Omissões, trocas e inversões de letras são bem comuns nesse estágio. - Frases: inicialmente é comum encontrarmos frases sem segmentação (separação) entre as palavras.

8 A abordagem cognitivista - Modelo epistemológico construtivista/interacionista. - Pensadores chamados de construtivistas: Piaget; Vygotsky; Wallon; Emília Ferreiro; Paulo Freire, etc. - Termo construtivismo – criado por Piaget. MAS, nem todas as abordagens construtivistas são piagetianas. CONSTRUTIVISMO - Psicogênese da língua escrita - Abordagem cognitivista - Abordagem sócio-cultural

9 Abordagem Cognitivista – características gerais - Principal representante: Piaget. - Estudo da cognição – como o sujeito integra e processa as informações que recebe de seu meio? - Três conceitos fundamentais: assimilação; acomodação; equilibração. - Desenvolvimento da inteligência sempre ocorre por meio do processo desequilíbrio-equilibração.

10 Abordagem cognitivista na educação - Conhecimento e desenvolvimento da inteligência se dão na interação sujeito-objeto. Objetivos/funções da educação: promover o desenvolvimento moral e intelectual dos alunos. Desenvolvimento moral/social: análogo ao processo de desenvolvimento da sociedade. - Sociedade: anarquia; tirania e democracia. - Indivíduo (desenvolvimento moral): anomia; heteronomia e autonomia.

11 - Desenvolvimento cognitivo: - Conhecimento: processo de construção contínua. - Professor-aluno: interação - professor provoca desequilíbrios e desafia o aluno sem, contudo, fornecer-lhes as soluções; o aluno será responsável por construir seu próprio conhecimento a partir das atividades propostas pelo professor. - A escola irá cumprir com sua proposta dando ao aluno a oportunidade de observar a aprender por si próprio - Professor apresenta situações concretas, que permitam ao aluno agir sobre elas. - Metodologia: proposição de problemas que devem ser trabalhados em grupo.

12 A abordagem Sócio-Cultural 1) Ideias gerais - Modelo epistemológico interacionista/construtivista. - Objetivo do processo educacional: formar pessoas que tenham condições se tornarem sujeitos ativos, capazes de transformarem a realidade na qual estão inseridos. - Brasil – principal representante: Paulo Freire. - Visão ampla da educação: fenômeno humano e político educação não é neutra: transforma ou aliena.

13 Educação bancária x Educação libertadora Bancária - Educação morta - Leva à paralisação - Não forma pessoas críticas e capazes de transformar a própria realidade. - Há uma cisão entre homens e mundo – homens não veem que têm poder transformador sobre o mundo. Libertadora - Homem é sócio-histórico-cultural só pode se tornar sujeito a partir de sua reflexão e atuação sobre o mundo.

14 -A sociedade e a cultura nunca são realidades prontas e acabadas, pois são construídas pelos homens; cultura e homens se formam e se constituem conjuntamente. -Conhecimento – constrói-se ligado ao processo de conscientização; implica em pensar e agir ao mesmo tempo; quanto mais ampla de desenvolvida for a minha consciência, maior é o meu conhecimento acerca do mundo. -Três níveis de consciência: I)Consciência intransitiva. II) Consciência transitiva ingênua. III) Consciência transitiva.

15 - Papel da educação: desenvolver uma consciência crítica, reflexiva e com poder transformador. - Superação da relação dicotômica entre professor-aluno. O conhecimento é construído com os alunos e não para eles - relação horizontal; professor e aluno ocupam o papel de educador e de educando. - Papel do professor: questionar junto ao aluno, a realidade na qual a ambos estão inseridos, a fim de que por meio dessa reflexão possa haver alguma transformação. - Metodologia: - Temas geradores ou palavras geradoras. - A palavra não é ensinada mecanicamente; ela deve ter um sentido na experiência da criança; deve ser tratada como um agente de mudança.

16 Teoria das inteligências múltiplas – Howard Gardner -Ampliação do conceito tradicional de inteligência: não suficiente para descrever a variabilidade de habilidades cognitivas que os seres humanos apresentam. - Nove tipos de inteligências: a)Inteligência lingüística b)Inteligência lógico-matemática c)Inteligência musical d)Inteligência espacial e)Inteligência corporal-cinestésica

17 a)Inteligência interpessoal b)Inteligência intrapessoal c)Inteligência naturalista d)Inteligência existencial Consequências para o processo educacional: - Pessoas têm diferentes formas de aprender e, portanto, uma escola precisa se moldar a essas diferenças. - Escola centrada no indivíduo – oportunizar que cada pessoa aprenda uma maneira diferente, de modo que possa maximizar seu potencial intelectual. - Todos são diferentes e, portanto, aprendem em tempos diferentes e de formas diferentes.

18 Teoria da inteligência emocional - Daniel Goleman - Inteligência emocional – capacidade de controlar e conhecer as próprias emoções. Proposta de uma escola baseada na Teoria da inteligência emocional - Ensinar as crianças a importância de saberem reconhecer as próprias emoções. - O objetivo central: elevar o nível de competência social e emocional das crianças. - Proposta: inserir esse tipo de disciplina na formação de todos os alunos.


Carregar ppt "TEORIAS PSICOLÓGICAS DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM REVISÃO DO CONTEÚDO: SEGUNDO BIMESTRE Caroline Garpelli Barbosa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google