A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen – 1925 Tradução de Dr. António Correia Professora: Sônia Afonso Alunas: Carolina Rocha Carvalho Maria Rosa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen – 1925 Tradução de Dr. António Correia Professora: Sônia Afonso Alunas: Carolina Rocha Carvalho Maria Rosa."— Transcrição da apresentação:

1 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen – 1925 Tradução de Dr. António Correia Professora: Sônia Afonso Alunas: Carolina Rocha Carvalho Maria Rosa Tesser Lima Nov 2007

2 Essência da Filosofia Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa 01/47 Nov 2007 INTRODUÇÃO O que é filosofia? - Amor pela sabedoria, desejo de saber (do grego) - Ciência pura e simples (Platão e Aristóteles) - Uma aspiração à virtude ou à felicidade (estóicos e epicuristas) - Ciência dos princípios (Cristian Wolff) Qual o método que devemos utilizar para definir a essência da filosofia? Devemos extrair do conteúdo histórico?

3 Visão histórica da filosofia Teoria do Conhecimento Carolina e Maria Rosa 02/47 Nov 2007 INTRODUÇÃO Sócrates – procura fazer de toda ação humana um saber. (Consciência Filosófica) Platão – a reflexão filosófica estende-se ao conteúdo total da consciência humana. Auto-reflexão do Espírito. (Concepção do Eu) Aristóteles – Filosofia primeira, ou metafísica – O SER. (Concepção do Universo) Descartes, Espinosa e Leibnitz – Concepção do Universo Kant – Concepção do Eu (modelo platônico). Reflexão universal do espírito sobre si mesmo. Prof Johannes Hessen

4 Visão histórica da filosofia Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov 2007 INTRODUÇÃO 03/47 Schelling e Hegel – ressurge o modelo aristotélico e uma renovação do tipo kantiano, o neokantismo. (sec. XIX) Assim, a filosofia adquiriu um caráter puramente formal e metodológico. Concepção do EU X Concepção do UNIVERSO A história apresenta, em suma, um movimento pendular entre estes dois elementos, mas a filosofia é simultaneamente as duas concepções. A filosofia é uma auto-reflexão do espírito sobre o seu comportamento de valor teórico e prático e uma aspiração ao conhecimento das ultimas conexões entre as coisas, a uma concepção racional do universo. (HESSEN, 1925, pg 15)

5 Posição da teoria do conhecimento no sistema filosófico Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov 2007 INTRODUÇÃO 04/47 Teoria da Ciência Teoria dos Valores Teoria da Concepção do Universo Metafísica Concepção do Universo Valores éticos Valores religiosos Valores estéticosFormalMaterial Teoria do Conhecimento Lógica Natureza Espírito

6 Posição da teoria do conhecimento no sistema filosófico Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov 2007 INTRODUÇÃO 05/47 Teoria da Ciência FormalMaterial Teoria do Conhecimento Lógica A lógica pergunta pela correção formal do pensamento, isto é, pela concordância consigo mesmo, pelas suas próprias formas e leis. TEORIA DO PENSAMENTO CORRETO A teoria do conhecimento pergunta pela verdade do pensamento, isto é, pela sua concordância com o objeto. TEORIA DO PENSAMENTO VERDADEIRO

7 História da teoria do conhecimento Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 INTRODUÇÃO John Locke – fundador (1690) – Idade Moderna Como verdadeiro fundador da teoria do conhecimento dentro da filosofia continental apresenta-se Manuel Kant. (1781) Kant dá uma fundamentação crítica do conhecimento científico da natureza (método transcendental) Filosofia de Kant – transcendentalismo ou criticismo Fichte – apresenta como teoria da ciência. Manifesta a confusão entre a teoria do conhecimento e a metafísica. Neokantismo – esforçou-se por traçar uma separação entre os problemas epistemológicos e metafísicos. [197?] Hoje nos encontramos perante uma multidão de direções epistemológicas em conexão sistemática.

8 Investigação fenomenológica preliminar Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA GERAL DO CONHECIMENTO O FENÔMENO DO CONHECIMENTO E OS PROBLEMAS NELE CONTIDOS Teoria do conhecimento é uma explicação ou interpretação filosófica do conhecimento humano. Primeiro devemos examinar escrupulosamente o objeto. É necessário observar com rigor e descrever com exatidão aquilo a que chamamos de conhecimento, esse peculiar fenômeno de consciência (método fenomenológico). SujeitoObjeto Imagem O sujeito é modificado pelo objeto, no conhecimento. O objeto é modificado pelo sujeito, na ação.

9 Investigação fenomenológica preliminar Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA GERAL DO CONHECIMENTO O FENÔMENO DO CONHECIMENTO E OS PROBLEMAS NELE CONTIDOS O conceito de verdade relaciona-se com a essência do conhecimento. Mas, em que consiste a verdade? Na concordância da imagem com o objeto. Mas, não basta ser verdadeiro, precisamos ter certeza de que é verdadeiro. Esta comprovação se encontra além do alcance do problema fenomenológico. Principais problemas Possibilidade do conhecimento Origem do conhecimento Essência do conhecimento Formas do conhecimento O critério de verdade

10 O Dogmatismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO Dogmatismo – doutrina fixada Onde não existe ainda o problema do conhecimento. O dogmatismo crê que os objetos do conhecimento nos são dados absolutamente e não meramente por obra da função intermediária do conhecimento. Teórico Ético Religioso Dogmatismo Conhecimento teórico Conhecimento de valores (moral) Conhecimento de valores (religioso) O dogmatismo é o proceder dogmático da razão pura, sem a crítica do seu próprio poder. (HESSEN, 1925, pg 39)

11 O Cepticismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO Cepticismo – enganar, examinar. Como o sujeito não pode apreender o objeto, não devemos formular qualquer juízo. O cepticismo não vê o objeto. A sua atenção fixa-se tão exclusivamente no sujeito, na função do conhecimento, que ignora completamente a significação do objeto. (HESSEN, 1925, pg 40)

12 O Cepticismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO O cepticismo se anula a si próprio. Afirma que o conhecimento é impossível, mas com isto exprime um conhecimento. O cepticismo apresenta-se como antípoda do dogmatismo. Antigo Acadêmico Intermediário Cepticismo Não há conhecimento! (Pirrón) Abstenção de todo juízo Posterior É impossível um saber rigoroso, apenas probabilidades Sustenta a probabilidade de chegar a uma opinião provável Segue modelo Pirrónico

13 O Subjetivismo e o Relativismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO Há uma verdade, mas esta tem uma validade limitada. O subjetivismo (...) limita a validade ao sujeito que conhece e julga. (HESSEN, 1925, pg 46) (subj. individual ou geral) O relativismo diz que toda a verdade é relativa, apenas tem uma validade limitada. Subjetivismo – depende de fatores que residem no sujeito cognoscente. Relativismo – depende de fatores externos. Assim com o cepticismo, é contraditória. Uma verdade que não seja universalmente válida representa um contra-senso. (HESSEN, 1925, pg 48) A verdade significa a concordância do juízo com a realidade objetiva. Se é verdade, não tem sentido limitá-la.

14 O Pragmatismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO Pragmatismo – ação Segundo o pragmatismo, verdadeiro significa útil, valioso, fomentador de vida. O homem não é essencialmente um ser teórico ou pensante, mas sim um ser prático, um ser de vontade e de ação. O homem é, antes de tudo, um ser ativo. O intelecto não lhe foi dado para conhecer a verdade, mas sim para atuar. (Vaihinger) São verdadeiras aquelas representações que resultaram em motivos de ação adequadas e vital. (Simmel) O erro fundamental do pragmatismo consiste em não ver a esfera lógica, em desconhecer o valor próprio, a autonomia do pensamento humano. (HESSEN, 1925, pg 53)

15 O Criticismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A POSSIBILIDADE DO CONHECIMENTO Criticismo – examinar O criticismo está convencido de que é possível o conheci- mento, de que há uma verdade. (HESSEN, 1925, pg 54) O criticismo examina todas as afirmações da razão humana e não aceita nada despreocupadamente. (HESSEN, 1925, pg 55) O seu comportamento é reflexivo e crítico. É a única posição justa do conhecimento. Dogmatismo Subjetivismo, Relativismo, Pragmatismo Cepticismo antítese Criticismo

16 O Racionalismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Racionalismo – razão Segundo Platão todo o verdadeiro saber se distingue pelas notas da necessidade lógica e validade universal. (HESSEN, 1925, pg 62) Os sentidos não podem nunca conduzir-nos a um verdadeiro saber. E que o mundo da experiência encontra-se em contínua alteração e mudança. (Platão) Da possibilidade do conhecimento existe, além do mundo sensível, o supra-sensível – o mundo das idéias. Platão – diz que o conhecimento é uma reminiscência, que a alma contemplou as idéias numa existência pré-terrena. – teoria da contemplação de idéias, racionalismo transcendente.

17 O Racionalismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Plotino – coloca o mundo das idéias no Nus cósmico, ou seja, Espírito do universo. (Iluminação) Santo Agostinho – As verdades e os conceitos são irradiados por Deus para o nosso espírito. (Iluminação divina) Gioberti – conhecemos as coisas contemplando o absoluto na nossa atividade criadora. (ontologismo) Malebranche – a teoria da intuição racional do absoluto como fonte única, ou pelo menos principal, do conhecimento humano. (teognosticismo) Descartes e Leibnitz – é a teoria das idéias inatas. Que existem em nós em gérmen. Estas formas confundem o problema psicológico e o lógico.

18 O Racionalismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO O pensamento continua sendo a única fonte do conhecimento. O mérito do racionalismo consiste em ter visto e feito sobressair com energia o significado do fator racional do conhecimento humano. (HESSEN, 1925, pg 67) É exclusivista ao fazer do pensamento a única fonte do conhecimento. Outro defeito, consiste em respirar o espírito do dogmatismo.

19 O Empirismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Empirismo – experiência A única fonte de conhecimento humano é a experiência. (HESSEN, 1925, pg 68) O espírito humano está por natureza, vazio. (HESSEN, 1925, pg 68) O empirismo parte dos fatos concretos e o pensamento limita- se a unir diferentes dados da experiência. Tipos de experiência: Interna – percepção de si próprio – reflexão Externa – percepção dos sentidos – sensação (sensualismo)

20 O Empirismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Empiristas tendem para um cepticismo metafísico Estóicos – alma é uma tábua de escrever Locke – a alma é um papel em branco. [16--?] Hume – divide idéias em impressões (vivas sensações) e idéias (representadas por memórias e fantasias). [17--] Todas as idéias procedem das impressões e não são nada mais do que cópias destas. (Hume) Locke e Hume – reconhecem a esfera da matemática como um conhecimento válido. Condillac – só existe uma fonte de conhecimento, a sensação [17--] Mill – até as leis lógicas do pensamento tem a base na sua validade na experiência. [18--]

21 O Intelectualismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Intelectualismo – ler no interior A experiência e o pensamento fazem parte do conhecimento. Aristóteles – coloca o mundo platônico das idéias (racionalista) dentro da realidade empírica. Se as idéias já se encontram incluídas nas coisas empíricas, já não tem razão de ser uma contemplação pré-terrena daquelas, no sentido platônico. A experiência alcança, pelo contrário, uma importância fundamental. (HESSEN, 1925, pg 76) Pensamento receptivo e passivo.

22 O Intelectualismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Coisas concretas CONHECIMENTO Imagens sensíveis Extrai imagens essenciais gerais Recebe em si e julga empíricoracional O fator racional deriva do empírico

23 O Apriorismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Segunda tentativa de mediação entre o racionalismo e o empirismo. O conhecimento apresenta elementos a priori, independentes da experiência. O fator a priori recebe o seu conteúdo do pensamento, da razão. Os conceitos sem as intuições são vazios, as intuições sem s conhecimentos são cegas. (HESSEN, 1925, pg78) Pensamento espontâneo e ativo. Kant – a matéria do conhecimento procede da experiência e a forma procede do pensamento. Intelectualismo – empirismo Apriorismo – racionalismo

24 Crítica e Posição Própria Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO Precisamos separar o problema lógico e psicológico. A psicologia moderna mostra que na gênese dos nossos conceitos tem lugar, não só o pensamento, mas também a experiência. (origem psicológica) O conhecimento é um cruzamento de conteúdos intuitivos e não intuitivos. No racionalismo e empirismo a origem lógica apresenta duas soluções com resultados semelhantes. Racionalismo – ciência ideal (não precisamos perguntar nada a experiência para conhecer sua verdade) – verdades de razão. Empirismo – ciência natural (baseia-se na experiência) – verdades de fato.

25 Crítica e Posição Própria Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ORIGEM DO CONHECIMENTO As duas posições intermediárias, na origem psicológica, possuem um fator racional e um empírico. Problema lógico, as duas possuem necessidade lógica e validade universal, então, estão de acordo com o racionalismo, mas o fundamento é distinto. O intelectualismo baseia-se no empirismo e apresenta uma hipótese metafísica (supõe que a realidade apresenta uma estrutura racional). Não se apóia nos dados psicológicos. O apriorismo evita esta dificuldades. Sem dúvida que poderemos dar já razão ao apriorismo no sentido de que também o conhecimento próprio das ciências reais apresenta fatores a priori. (HESSEN, 1925, pg 84)

26 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Segundo Platão, os objetos são algo dado, algo que representa uma estrutura totalmente definida, estrutura que é reconstruída, digamos assim, pela consciência cognoscente. (HESSEN, 1925, pg 89) O Objeto determina o sujeito Conhecimento – relação entre sujeito e objeto Soluções Pré-Metafísicas O Objetivismo

27 Soluções Pré-Metafísicas O Subjetivismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa 26/47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Santo Agostinho – Seguindo o precedente de PLOTINO, colocou o mundo flutuante das idéias Platônicas no Espírito divino, fazendo das Essências ideais, existentes por si, conteúdos lógicos da razão divina, Pensamento de Deus. A Escola de Maburgo – O Sujeito não é um sujeito metafísico, mas puramente lógico Fundamenta o conhecimento Humano no Sujeito Nov 2007

28 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Há coisas reais independentes da consciência Soluções Metafísicas O Realismo Realismo IngênuoRealismo Natural Realismo Crítico As coisas são exatamente tais como as percebemos Os objetos correspondem exatamente aos conteúdos da percepção Todas as propriedades ou qualidades das coisas que apreendemos só por um sentido, como as cores, sons, odores, sabores, etc., existem unicamente na nossa consciência

29 Soluções Metafísicas O Idealismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Metafísico Epistemológico Sentidos da Palavra A Realidade tem por fundamento forças espirituais, potências ideais. Subjetivo ou Psicológico Objetivo ou Lógico

30 Soluções Metafísicas O Fenomenalismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Kant – O espaço e o tempo são unicamente formas da nossa intuição, funções da nossa sensibilidade, que dispões as sensações numa justaposição e numa sucessão, ou as ordenam no espaço e no tempo de uma forma inconsciente e involuntária. Mundo Fenomênico : O Mundo tal como nos aparece devido à organização a priori da consciência. Teoria segundo a qual não conhecemos as coisas como são em si, mas como se nos apresentam.

31 Soluções Metafísicas Crítica e Posição Própria Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Nem o realismo nem o idealismo pode podem provar-se ou refutar-se por meios puramente racionais. Pois o idealismo não consegue demonstrar que a posição realista é contraditória, e também o realismo também não consegue abater definitivamente o seu adversário.

32 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Soluções Teológicas Para a Solução do Sujeito e do Objeto deve remontar-se ao último princípio da realidade, o absoluto, e tratar de resolver o problema partindo dele. O absoluto como imanente ou transcendente ao mundo, chega a uma solução monista e panteísta ou a uma solução dualista e teísta.

33 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO Soluções Teológicas A Solução Monista e Panteísta Trata de absorver sujeito e objeto numa última unidade. O sujeito e o objeto, o pensamento e o ser, a consciência e as coisas, só aparentemente são uma dualidade; realmente são uma unidade. Spinoza – A ordem e a conexão das idéias é o mesmo que a ordem e a conexão das coisas. Schelling – define o absoluto como a unidade da Natureza e do Espírito, do objeto e do sujeito.

34 Soluções Teológicas A Solução Dualista e Teísta Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 A ESSÊNCIA DO CONHECIMENTO O sujeito e o objeto, o pensamente e o ser, vão parar finalmente a um último princípio comum. Este reside na Divindade, que é a fonte comum do ideal e da realidade, do pensamento e do ser. Platão e Aristóteles – origens Plotino – em substância Santo Agostino e São Tomás de Aquino – principais representantes. Descartes – encontra-se neste terreno Leibnitz – resolve o problema da conexão das coisas mediante a idéia da harmonia pré-estabelecida.

35 O problema da intuição e sua história Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 AS ESPÉCIES DO CONHECIMENTO Intuição Racional Intuição Emocional Intuição Volitiva Razão Emoção Vontade A consciência cognoscente necessita, de dar voltas em torno do seu objeto, para o apreender realmente. Põe o seu objeto em relação com os outros, compara-o com os outros, e tira conclusões. Assim procede o especialista quando quer definir o seu objeto debaixo de todos os pontos de vista; assim faz também o metafísico quando quer conhecer, por exemplo, a essência da alma. (Hessen, 1925, pg 121)

36 Razão e Sem Razão do Intuicionismo Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 AS ESPÉCIES DO CONHECIMENTO O admitir ou não admitir um conhecimento intuitivo paralelamente ao discursivo-racional, depende antes de tudo do que se pense sobre a essência do homem. (Hessen, 1925, pg 135) Homem = Ser Teórico Pensamento Conhecimento Racional Homem = Ser Emocional Aspectos da Realidade Pluralidade das Funções Cognitivas

37 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 O CRITÉRIO DA VERDADE A essência da Verdade reside dentro do próprio pensamento Consiste na produção correta – Conforme as leis – do objeto, isto é, O pensamento concorda com suas próprias leis. Conceito Transcendente Imanente Critério AUSÊNCIA DE CONTRADIÇÃO PRESENÇA OU REALIDADE IMEDIATA Ciências Formais Ciências Ideais Objetos Ideais Objetos Reais EVIDÊNCIA

38 Seu problema Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO T.G.C – Investiga as relações do nosso pensamento com os objetos em geral. T.E.C – Investiga os conceitos básicos mais gerais, por meio dos quais procuramos definir os objetos. Teoria das Categorias Encontra-se na mais estreita relação com a metafísica geral ou ontologia. Pois esta, como teoria do ser, investiga os conceitos mais gerais que se referem ao ser. Origem lógica - A teoria das categorias investiga como brotam os conceitos das leis essenciais do pensamento em concorrência com o caráter do que é dado empiricamente. Origem metafísica – quer chegar a conhecer a estrutura essencial do universo, os princípios de toda a realidade, partindo dos fatos da experiência. (Certeza e Verdade)

39 A essência das categorias Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO Formas do serFormas Categorias Determinações do pensamento Idealista e apriorista Propriedades dos objetos Realista e objetivista Aristóteles – as categorias representam propriedades gerais dos objetos, qualidades objetivas do ser. Kant – as categorias são puras determinações do pensamento, formas e funções a priori da consciência.

40 A essência das categorias Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO Fenomenologia Teoria do objeto Realismo crítico Concepção objetivista das categorias Categorias formais ou lógicas Categorias materiais ou regionais O idealismo não consegue tornar compreensível para a natureza do pensamento, nem a diversidade das próprias formas das categorias, nem a diversidade das suas esferas de validade.

41 O sistema das categorias Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO Aristóteles (Classes de afirmações do ser) 1- Substância ou essência 2- Quantidade 3- Qualidade 4- Relação 5- Lugar 6- Tempo 7- Posição 8- Estado 9- Ação 10- Paixão Kant (Classes de juízos) 1- Categorias da quantidade 2- Categorias da qualidade 3- Categorias da relação substância-acidente, causa-efeito, ação recíproca 4- Categorias da modalidade Hartmann (Categorias) 1- Categorias da sensibilidade (sensação e intuição) 2- Categorias do pensamento (reflexivo e especulativo)

42 O sistema das categorias Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO Windelband (Método lógico transcendental) 1- Categoria reflexiva (a diferença e a igualdade) 2- Categoria construtiva (espécies fundamentais são a objetividade e a causalidade) O método de Windelband é considerado mais pobre, falta considerar o espaço e o tempo e revela-se idealista e apriorista. Apesar dos defeitos devemos considerar a sua idéia fundamental correta. Será considerado a teoria das categorias. Como as categorias construtivas são as mais importantes dedicaremos um exame mais pormenorizado. Mas limitaremos às duas categorias fundamentais da substancialidade e da causalidade.

43 A substancialidade Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO As propriedades do objeto estão aderentes a ele. E se chamam também de acidentes (cair sobre outra coisa, ligar-se). Chama-se ao próprio objeto substância. No conceito de substância há duas características: a independência e a permanência (estável). Nessa categoria aplicamos o princípio de identidade. A substancialidade, ou mais exatamente, a relação de inerência e de subsistência, não é um dado da experiência, mas um produto do pensamento que intervém na experiência. (HESSEN, 1925, pg 179)

44 A causalidade O conceito de causalidade Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO Assim como a substancialidade, a causalidade não é um dado da experiência. Na categoria de causalidade o princípio da razão suficiente nos guia. Não tomamos da experiência a causalidade, mas a criamos para satisfazer as exigências do nosso pensamento. A criamos para a aplicar à experiência. A experiência interna nos serve de modelo tanto para a formação do conceito de substância como para a formação do conceito de causa. (HESSEN, 1925, pg 181)

45 A causalidade O princípio da causalidade Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 TEORIA ESPECIAL DO CONHECIMENTO O princípio de causalidade refere-se à esfera de validade. Toda a mudança, todo um processo tem uma causa. Não há efeito sem causa. (correlativos) A possibilidade de compreender o universo depende logicamente da categoria da causalidade. Geyser, 1909 apud HESSEN, 1925, pg 191) Devemos conceber o princípio de causalidade como um pressuposto necessário a todo o conhecimento científico da realidade. Esse princípio é válido independente da experiência.

46 A Fé e o Saber Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 CONCLUSÃO A relação entre a fé e o saber pode ser definida de muitas maneiras. O autor identificou quatro (04) maneiras principais: Duas de IDENTIDADE essencial Duas de DIFERENÇA essencial Religião (-)Filosofia Sistema Gnóstico da Identidade ReligiãoFilosofia (-) Sistema Tradicionalista de identidade Pg.193 à 201

47 A Fé e o Saber Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov /47 CONCLUSÃO Identidade Parcial Teologia Natural Escolástica Teologia Racional Filosofia da Ilustração Pg.193 à 201 Identidade Dualista

48 Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen Carolina e Maria Rosa Nov 2007 BIBLIOGRAFIA ORIGINAL HESSEN, Johannes, Erkenntnistheorie, Ferd. Dümmiers Verlag 1925, 125 págs. (in Leitfäden der Philosophie vol 2.) TRADUÇÃO HESSEN, Johannes. Teoria do Conhecimento. Tradução de Antônio Correia. Coimbra, Portugal: Arménio Amado, 7. ed, p. 47/47


Carregar ppt "Teoria do Conhecimento Prof Johannes Hessen – 1925 Tradução de Dr. António Correia Professora: Sônia Afonso Alunas: Carolina Rocha Carvalho Maria Rosa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google