A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário de Engenharia Engenharia de Energia Prof. Idalmir Coordenador.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário de Engenharia Engenharia de Energia Prof. Idalmir Coordenador."— Transcrição da apresentação:

1 Seminário de Engenharia Engenharia de Energia Prof. Idalmir Coordenador

2 Tópicos Abordados O que é Engenharia? Como seria o mundo sem Engenheiros? O que o Engenheiro precisa estudar? O que é Engenharia de Energia? Onde está a Energia e como ela é gerada? Porque estudar disciplinas básicas? Quem regulamenta a profissão do Engenheiro? Como atingir meus objetivos?

3 O que é Engenharia?

4 Aplicação da Ciência e da Matemática através da qual as propriedades da matéria e as fontes de energia são tornadas úteis às pessoas. (Dicionário Merriam-Webster) Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas à criação de estruturas, dispositivos e processos que se utilizam para converter recursos naturais em formas adequadas ao atendimento das necessidades humanas. (Dicionário Aurélio Eletrônico)

5 Áreas da Engenharia Energia Elétrica Eletrônica Sistemas de Potência Telecomunicações Civil Química Mecânica Computação Pesca Agrícola Florestal Tráfego Produção Aeroespacial Nuclear Minas Petróleo Naval Aeronáutica, etc

6 O que caracteriza a Engenharia? Uso de Materiais Uso de Ferramentas Criação de Processos baseados em Métodos Desenvolvimento e Implementação de Projetos Administração de Projetos Planejamento, organização, direção, controle, gestão de pessoal Pesquisa de novos materiais, técnicas, métodos, modelos, equipamentos

7 Competências e Habilidades Art. 4° da Resolução n° 11 CNE/CES CNE/CES - Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior Art. 4° – A formação do engenheiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades gerais: I – aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia; II – projetar e produzir experimentos e interpretar resultados; III – conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos; IV – planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia; V – identificar, formular e resolver problemas de engenharia; VI – desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas; VII– supervisionar a operação e a manutenção de sistemas; VIII– avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas; IX – comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica; X – atuar em equipes multidisciplinares; XI – compreender e aplicar a ética e a responsabilidade profissionais; XII – avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental; XIII – avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia; XIV – assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

8 Como seria o mundo sem engenheiros?

9 O Mundo sem Engenheiros

10

11

12

13

14

15 O que o Engenheiro precisa estudar?

16 O Núcleo de Conteúdos Básicos (Diretrizes Curriculares Nacionais) Metodologia Científica e Tecnológica; Comunicação e Expressão; Informática; Expressão Gráfica; Matemática; Física; Fenômenos de Transporte; Mecânica dos Sólidos; Eletricidade Aplicada; Química; Ciência e Tecnologia dos Materiais; Administração; Economia; Ciências do Ambiente; Humanidades, Ciências Sociais e Cidadania.

17 Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes (Diretrizes Curriculares Nacionais) Algoritmos e Estruturas de Dados; Bioquímica; Ciência dos Materiais; Circuitos Elétricos; Circuitos Lógicos; Compiladores; Construção Civil; Controle de Sistemas Dinâmicos; Conversão de Energia; Eletromagnetismo; Eletrônica Analógica e Digital; Engenharia do Produto; Ergonomia e Segurança do Trabalho; Estratégia e Organização;

18 Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes (Diretrizes Curriculares Nacionais) Físico-química; Geoprocessamento; Geotecnia; Gerência de Produção; Gestão Ambiental; Gestão Econômica; Gestão de Tecnologia; Hidráulica, Hidrologia Aplicada e Saneamento Básico; Instrumentação; Máquinas de fluxo; Matemática discreta;

19 Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes (Diretrizes Curriculares Nacionais) Materiais de Construção Civil; Materiais de Construção Mecânica; Materiais Elétricos; Mecânica Aplicada; Métodos Numéricos; Microbiologia; Mineralogia e Tratamento de Minérios; Modelagem, Análise e Simulação de Sistemas; Operações Unitárias; Organização de computadores; Paradigmas de Programação;

20 Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes (Diretrizes Curriculares Nacionais) Pesquisa Operacional; Processos de Fabricação; Processos Químicos e Bioquímicos; Qualidade; Química Analítica; Química Orgânica; Reatores Químicos e Bioquímicos; Sistemas Estruturais e Teoria das Estruturas; Sistemas de Informação; Sistemas Mecânicos;

21 Núcleo de Conteúdos Profissionalizantes (Diretrizes Curriculares Nacionais) Sistemas operacionais; Sistemas Térmicos; Tecnologia Mecânica; Telecomunicações; Termodinâmica Aplicada; Topografia e Geodésia; Transporte e Logística.

22 Núcleo de Conteúdos Específicos (Diretrizes Curriculares Nacionais) O núcleo de conteúdos específicos se constitui em extensões e aprofundamentos dos conteúdos do núcleo de conteúdos profissionalizantes, bem como de outros conteúdos destinados a caracterizar modalidades.

23 Porque aprender disciplinas básicas?

24 Porque aprender as disciplinas Básicas? Parque das Nações, Portugal

25 Porque aprender as disciplinas Básicas? Dipolo magnético supercondutor usado num acelerador do CERN

26 Porque aprender as disciplinas Básicas? Estação Espacial, NASA

27 Porque aprender as disciplinas Básicas? Supercomputador Cray

28 Porque aprender as disciplinas Básicas? Viaduto Japonês

29 O que a Engenharia Necessita? Qualquer formação superior em engenharia tem que necessariamente abordar 3 grandes temas : saber pensar, saber fazer e saber ser. Ao primeiro tema, saber pensar, associamos as Ciências Básicas e as ciências da engenharia. O saber fazer está associado a disciplinas que fazem a integração do saber pensar e do saber ser para o desenvolvimento e projeto de elementos, Para o último tema, saber ser, interessam as ciências sociais e humanas, as artes, a economia, a gestão, a comunicação, línguas,...

30 O Trabalho em Equipe O Engenheiro, como qualquer outro profissional, normalmente trabalha em Equipe. As equipes funcionam melhor obtêm melhores resultados, principalmente na resolução de problemas complexos. Problemas que exigem inovação também exigem trabalho de equipe. Porém, é muito difícil trabalhar em equipe, pois isto gera muitos conflitos.

31 O Trabalho em Equipe Equipe Grupo Equipe: Um grupo de pessoas que trabalham juntas para atingir um propósito comum. Grupo: Coleção de indivíduos, nem sempre possui propósito comum O trabalho em equipe exige: – Interdependência – Responsabilidade Individual – Interação pessoal – Apropriado uso de habilidades humanas – Avaliação regular do funcionamento da equipe

32 O que é Engenharia de Energia?

33 Trata-se de um curso abrangente, interdisciplinar e com foco nos aspectos técnicos relacionados à energia. Os profissionais serão formados para exercer atividades referentes ao planejamento, à concepção, à análise, ao projeto, à implantação, à manutenção, à operação e à gestão de sistemas destinados ao suprimento energético e ao uso de energia em atividades sócio-econômicas, de forma técnica, econômica, social e ambientalmente sustentável.

34 Porque Engenharia de Energia? A riqueza em recursos energéticos do nordeste brasileiro é notória, há muito sol, ventos adequados e um vasto litoral para o uso na produção de energia, além de outras formas de aproveitamento energético não-convencionais. A preocupação com a energia se tornou crítica em todo o mundo há algum tempo devido a escassez dos recursos naturais e seu uso incorreto. O semi-árido nordestino é extremamente rico em fontes de energia alternativa, como luz e calor solar, ventos, litoral, barragens e biomassa, devido a atividade agropecuária e a vida urbana, além da produção de energia convencional, como petróleo e gás natural.

35 Áreas da Engenharia de Energia Desenvolvimento de novos equipamentos Planejamento de sistemas de energia Geração, transmissão, distribuição e processamento Controle e Automação Projetos de instalações de Sistemas de Energia Desenvolvimento de processos industriais, comerciais e residenciais de Energia Fontes Alternativas e Convencionais de Energia Armazenamento Energético Sistemas Isolados, Híbridos e Interligados à Rede de Energia Elétrica

36 Onde o Engenheiro de Energia pode Trabalhar? O Engenheiro de Energia possui um campo de trabalho amplo e crescente. Podem trabalhar em concessionárias de energia (COSERN, COELCE), empresas de telecomunicações (TELEMAR, EMBRATEL), indústrias de fabricação de equipamentos (SIEMENS, WEG), empresas de serviços e consultoria, empresas de automação (SIEMENS, FESTO), empresas da área do petróleo (SHLUMBERGER, HALLIBURTON), usinas de energia (CHESF, TERMOAÇU, PETROBRÁS, PARQUES EÓLICOS), etc.

37 Onde o Engenheiro de Energia pode Trabalhar? Apesar das crises econômicas mundiais, o Engenheiro de Energia terá garantida sua vaga, pois a busca de novas fontes de energia e o melhoramento das fontes de energia atuais é interminável. Há um déficit muito grande de Engenheiros no Brasil. Enquanto há um mercado saturado para profissionais da área de advocacia, por exemplo, há falta de Engenheiros. Isso acontece sempre que a economia de um país vai bem e está se desenvolvendo.

38 Mais Informações O curso possui forte formação em Ciências Básicas, (física, matemática e química), além de formação específica nos diversos tipos de energia, inclusive energia elétrica, nossa principal fonte de energia. As principais aplicações da energia se referem à energia elétrica para o uso industrial, residencial, para os meios de comunicação, agricultura, pecuária, etc. Por esse motivo a energia elétrica é a forma de energia abordada com mais profundidade por este curso, porém sem esquecer outras formas de energia.

39 Mais Informações Existem outros cursos semelhantes, por exemplo, o curso de Energia e Ambiente da Universidade de Lisboa, o curso de Engenharia de Energia e Ambiente do Instituto Politécnico de Portaalegre em Portugal, e o curso de Ingeniería en Energía da Universidad Nacional Del Santa no Peru. No Brasil estes cursos estão apenas no início, como o curso de Engenharia em Energia e Desenvolvimento Sustentável da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, o curso de Engenharia de Energia da PUC de Minas Gerais e o curso de Engenharia de Energia da Universidade do ABC.

40 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Economia, Planejamento, Operação e Controle Controle e Automação Qualidade de Energia Elétrica e Eletromagnetismo Planejamento Integrado de Recursos Análise Econômica e Institucional de Sistemas Energéticos Fontes Renováveis e não Convencionais de Energia Energia, Meio Ambiente e Sociedade Redes Elétricas, Equipamentos e Qualidade de Energia

41 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Sistemas domiciliares Solarimetria Sistemas híbridos Bombeamento Testes e ensaios Eletrificação rural Regulação e controle em sistemas fotovoltaicos Análise e Controle de Sistemas Elétricos de Potência Análise e Controle de Sistemas de Distribuição

42 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Otimização de Sistemas Elétricos Controle e Automação Eletrônica de Potência e Acionamento de Máquinas Energia Eólica Materiais e Fabricação Sistemas e Processos Térmicos Energia e Meio Ambiente Termofluidos

43 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Controle de Processos e Automação Industrial Eletrônica de Potência e Acionamento Aterramento e Proteção de Sistemas Elétricos Otimização de Sistemas de Potência Análise e Modelagem de Problemas de Transferência de Calor e Massa Desenvolvimento de Novos Materiais e Processos de Fabricação Monitoramento e Diagnose de Falhas de Máquinas e Equipamentos Sistemas Solares de Aquecimento

44 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Sistemas de Energia Solar Fotovoltaica Radiação Solar Caracterização e Desempenho de Materiais Reciclados Desenvolvimento e Processamento de Materiais Impacto Ambiental e avaliação de riscos Gestão de Resíduos Planejamento Energético Fontes Renováveis e Uso Racional de Energia

45 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Geração e uso eco-eficiente de energia Combustíveis fósseis e provenientes de biomassa Impactos ambientais na atmosfera, litosfera, hidrosfera e na vida Produção Limpa Nanotecnologia e novos materiais Regulação e gestão Tecnologias Limpas Eficiência Energética

46 Linhas de Pesquisa em Engenharia de Energia Sistemas Energéticos Uso Racional da Energia Planejamento Energético Geração de Energia e Energia Sociedade e Meio Ambiente Engenharia de Reservatório e de Exploração de Petróleo Processamento do Gás Natural e de Óleos Pesados Automação na Indústria de Petróleo Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural

47 Algumas Instituições com Pós- Graduação em Energia PUC MG - Particular USP - Estadual UNICAMP - Estadual UFJF - Federal UFPE - Federal UFRN - Federal UNESP - Estadual UFRGS - Federal ULBRA - Particular CEFET-MG - Federal UNIFEI – Federal UFERSA – Federal etc Áreas Afins: – Engenharia de Energia – Engenharia Elétrica – Engenharia Mecânica – Engenharia de Produção – Engenharia Química – Engenharia de Materiais – Engenharia Agrícola – etc

48 Informações do Curso Código do Curso: Duração do Curso: 5 ANOS (10 PERÍODOS) Criação: Resolução CONSUNI/UFERSA 003/2007, de 28/03/2007 E Resolução do CONSEPE n° 007/2007 de 14/06/2007. Carga Horária: Horas/Aula, sendo de horas aulas, e 360 de Estágio Supervisionado, 62 disciplinas obrigatórias Disciplinas Optativas: 900 Horas/Aula, 16 disciplinas

49 1° Período

50 2° Período

51 3° Período

52 4° Período

53 5° Período

54 6° Período

55 7° Período

56 8° Período

57 9° Período

58 10° Período

59 Optativa 1

60 Optativa 2

61 Optativa 3

62 Optativa 4

63 Optativa 5

64 Disciplinas de Eletricidade Materiais Elétricos e Magnéticos Eletricidade Básica Laboratório de Eletricidade Básica Instalações Elétricas Medidas Elétricas e Instrumentação Laboratório de Medidas Elétricas e Instrumentação Análise de Circuitos Elétricos I Análise de Circuitos Elétricos II Instalações para Produção de Petróleo *

65 Disciplinas de Sistemas de Potência Conversão Eletromecânica de Energia I Conversão Eletromecânica de Energia II Análise de Sistemas de Potência Proteção e Estabilidade de Sistemas de Energia Subestações de Energia Elétrica Sistemas de Transmissão e Distribuição de Energia Sistemas de Aterramento * Técnicas de Alta Tensão * Eletrificação Rural * Escoamento e Métodos de Elevação *

66 Disciplinas de Eletrônica e Eletromagnetismo Circuitos Eletrônicos Laboratório de Circuitos Eletrônicos Eletrônica Digital Laboratório de Eletrônica Digital Eletrônica de Potência Laboratório de Eletrônica de Potência Teoria Eletromagnética de Linhas de Transmissão I Teoria Eletromagnética de Linhas de Transmissão II *

67 Disciplinas de Energia Fontes Alternativas de Energia Técnicas de Conservação e Uso Eficiente de Energia Usinas Geradoras de Energia Captação e Utilização de Energia Solar Captação e Utilização de Energia Eólica Biomassa Biocombustíveis Engenharia do Petróleo I Engenharia do Petróleo II Engenharia do Gás Natural Sistemas de Cogeração de Energia Qualidade de Energia * Pequenas Centrais Hidrelétricas * Células a Combustível *

68 Disciplinas de Controle e Automação e Outras Sistemas de Controle e Automação Automação e Controle de Processos Energéticos * Seleção e Acionamento de Máquinas Elétricas * Acionamento Eletrônico e Controle de Máquinas Elétricas * Instrumentação e Automação de Processos para Indústria do Petróleo * Engenharia de Segurança no Trabalho Desenvolvimento de Novos Empreendimentos * Marketing e Estratégias Empresariais * Desenvolvimento de Novos Empreendimentos *

69 Onde está a energia e como ela é gerada?

70 Onde está a Energia?

71 Em todo lugar...

72 Como a Energia é Gerada?

73

74

75

76

77

78

79

80 Quem regulamenta a profissão do Engenheiro?

81 Conselhos de Engenharia CONFEA - Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia: É uma autarquia federal que regulamenta a profissão do engenheiro. CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia: São autarquias federais que atuam nos estados, fiscalizando o exercício da profissão.

82 Modalidades Profissionais do Sistema CONFEA/CREA Para fins de organização da representação nos plenários dos CREAs e da constituição das câmaras especializadas, o CONFEA definiu oito modalidades profissionais, abrigadas nos grupos da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia. Grupo Engenharia: modalidades Civil, Eletricista, Mecânica e Metalúrgica, Geologia e Minas, Química e Agrimensura; Grupo Arquitetura: modalidade Arquitetura; Grupo Agronomia: modalidade Agronomia.

83 Modalidade Eletricista Inserem-se nesta modalidade os engenheiros eletricistas, os engenheiros de computação, os engenheiros de controle e automação, os engenheiros eletricistas modalidade eletrotécnica, os engenheiros eletricistas modalidade eletrônica, os engenheiros de comunicação, bem como os tecnólogos e os técnicos de nível médio. A Engenharia de Energia será classificada na modalidade Eletricidade, visto que não há uma modalidade mais abrangente e que trate da energia de forma mais geral.

84 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Eletricidade Aplicada e Equipamentos Eletroeletrônicos: – Sistemas da Eletrotécnica – Sistemas da Eletrônica – Eletromagnetismo – Circuitos – Redes – Tecnologia dos Materiais: Elétricos, eletrônicos, magnéticos e ópticos – Fontes de Energia – Conversão de Energia – Máquinas Elétricas – Instalações e Equipamentos da Engenharia e da Indústria Eletroeletrônicas

85 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Eletricidade Aplicada e Equipamentos Eletroeletrônicos: – Sistemas de Medição Elétrica – Sistemas de Medição Eletrônica – Instrumentação Elétrica e Eletroeletrônica – Controle Elétrico e Eletrônico – Avaliação de Impactos Ambientais Energéticos – Monitoramento de Impactos Ambientais Energéticos – Mitigação de Impactos Ambientais Energéticos

86 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Eletrotécnica – Geração, transmissão, distribuição e utilização de Energia Elétrica – Potencial Energético de Bacias Hidrográficas – Sistemas Elétricos em Geral – Instalações Elétricas em Baixa e Alta Tensão – Eficientização de Sistemas Energéticos – Conservação de Energia * – Fontes Alternativas de Energia * – Fontes Renováveis de Energia * – Auditorias Energéticas * – Gestão Energética * – Diagnósticos Energéticos * – Engenharia de Iluminação – Sistemas Preventivos contra Descargas Atmosféricas

87 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Eletrônica e Comunicação – Sistemas Eletrônicos em Geral – Sistemas de Eletrônica Analógica, Digital e de Potência – Sistemas de Som e Vídeo – Sistemas Telefônicos, de Redes Lógicas, de Cabeamento Estruturado e de Fibras Ópticas – Sistemas de Controle de Acesso em Geral – Sistemas de Segurança Patrimonial em Geral – Sistemas de Detecção de Incêndio e de Alarme de Incêndio – Equipamentos Eletrônicos Embarcados

88 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Controle e Automação – Sistemas Discretos e Contínuos – Métodos Eletroeletrônicos de Controle e de Automação – Controle Lógico-programável – Automação de Equipamentos – Administração de Sistemas de Fabricação – Instalações Mecânicas, Elétricas, Eletrônicas, Magnéticas, Ópticas nos Campos de Atuação da Engenharia Informática Industrial – Sistemas e Automação de Manufatura – Projeto e Fabricação Assistido por Computador – Redes e Protocolo de Comunicação Industrial Engenharia de Sistemas e de Produtos

89 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Informação – Sistemas da Informação – Sistemas da Computação Sistemas Operacionais – Organização de Computadores – Compiladores – Paradigmas de Programação – Algoritmos – Estrutura de Dados Pesquisa Operacional – Modelagem de Sistemas – Análise de Sistemas – Simulação de Sistemas – Expressão Gráfica Computacional

90 Campo de Atuação Profissional: Âmbito da Engenharia Elétrica Hardware – Redes Lógicas – Técnicas Digitais – Instalações de Mecânica Fina da Engenharia de Computação – Instalações Elétricas, Eletrônicas, Magnéticas e Ópticas da Engenharia de Computação Informação e Comunicação – Tecnologia da Informação – Sistemas de Comunicação e de Telecomunicação Sistemas Operacionais – Processamento de Radiodifusão – Telefonia e Radiocomunicação fixa e móvel – Radar e Satélite – Comunicação Multimídia Tecnologia – Monitoramento de Impactos Ambientais causados por Equipamentos Eletrônicos e de Telecomunicações

91 Como atingir meus objetivos?

92 Estudar é mesmo importante? Quem garante uma boa qualidade no ensino? É a Universidade? NÃO! Ela apenas dá um impulso. São os Professores? NÃO! Eles apenas nos indicam a direção e nos guiam no caminho das pedras. Então quem garante? VOCÊ!

93 O que fazer?


Carregar ppt "Seminário de Engenharia Engenharia de Energia Prof. Idalmir Coordenador."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google