A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Um Panorama Atual da Engenharia da Produção Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Aula Inaugural do Curso de Engenharia da Produção Faculdades de Taquara -FACCAT.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Um Panorama Atual da Engenharia da Produção Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Aula Inaugural do Curso de Engenharia da Produção Faculdades de Taquara -FACCAT."— Transcrição da apresentação:

1 Um Panorama Atual da Engenharia da Produção Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Aula Inaugural do Curso de Engenharia da Produção Faculdades de Taquara -FACCAT 19/08/2002 – Taquara, RS ABEPRO – Associação Brasileira de Engenharia da Produção

2 Estrutura da Palestra Raízes Históricas da Engenharia da Produção Campo de atuação da Engenharia da Produção –Legislação cursos: MEC, ABEPRO profissional: CONFEA-CREA –Áreas abrangidas –Perfil profissional O papel da ABEPRO

3 Raízes Históricas da Engenharia da Produção Ciências da Engenharia: até a Revolução Industrial e após Mudança do foco da demanda pela solução de problemas Especialização: surgimento de diversos ramos da Engenharia Surgimento da Engenharia da Produção Ciências da Engenharia: até a Revolução Industrial e após Mudança do foco da demanda pela solução de problemas Especialização: surgimento de diversos ramos da Engenharia Surgimento da Engenharia da Produção

4 Raízes Históricas da Engenharia da Produção T /1750 Sociedade Industrial Sociedade Coletora 8000 AC Sociedade Agrícola Sociedade Pós-Industrial Predomínio do Emprego da Mão-de-Obra em Serviços Problemas da Produção

5 Raízes Históricas da Engenharia da Produção

6 Ensino da Engenharia no Brasil: Decreto de D. Pedro II (de Portugal) cria a profissão – 1699 Início efetivo do ensino – 1792, Rio de Janeiro (Casa do Trem) MEC: Década de 1970: Portaria CFE nº 48/76 Ano 2002: novas Diretrizes Curriculares ao abrigo da nova LDB do Ensino ( Lei nº 9.394, 1996) CONFEA: Lei nº 5194 (1966) Ensino da Engenharia no Brasil: Decreto de D. Pedro II (de Portugal) cria a profissão – 1699 Início efetivo do ensino – 1792, Rio de Janeiro (Casa do Trem) MEC: Década de 1970: Portaria CFE nº 48/76 Ano 2002: novas Diretrizes Curriculares ao abrigo da nova LDB do Ensino ( Lei nº 9.394, 1996) CONFEA: Lei nº 5194 (1966)

7 Campo de atuação da Engenharia da Produção Definição: O Engenheiro de Produção atua sobre a concepção, viabilização, operação de sistemas de produção de bens e serviços Emprego de métodos de organização da produção (componente gerencial) Emprego de técnicas de otimização do emprego de recursos produtivos (muitas delas de cunho estatístico) Obs.: Engenharia de Produção Industrial Definição: O Engenheiro de Produção atua sobre a concepção, viabilização, operação de sistemas de produção de bens e serviços Emprego de métodos de organização da produção (componente gerencial) Emprego de técnicas de otimização do emprego de recursos produtivos (muitas delas de cunho estatístico) Obs.: Engenharia de Produção Industrial

8 Campo de atuação da Engenharia da Produção Relacionamento da EP com as Ciências da Administração:

9 Campo de atuação da Engenharia da Produção Legislação: CONFEA: Reconhecimento do ramo Engenharia da Produção (Resolução nº 235, 1975) Complementou a Resolução nº 218 de 1973 Engenharia de Produção (na modalidade Plena) MEC/CFE: cria a Produção como habilitação específica dos 6 ramos clássicos (Civil, Mecânica, Elétrica, Química, Metalurgia e Minas) CONFEA: Resolução nº 288 (1983) estabelece a Produção como habilitação específica dos 6 ramos (Civil, Mecânica, Elétrica, Química, Metalurgia e Minas) Foi um ajuste determinado pela 48/76 (MEC/CFE) Legislação: CONFEA: Reconhecimento do ramo Engenharia da Produção (Resolução nº 235, 1975) Complementou a Resolução nº 218 de 1973 Engenharia de Produção (na modalidade Plena) MEC/CFE: cria a Produção como habilitação específica dos 6 ramos clássicos (Civil, Mecânica, Elétrica, Química, Metalurgia e Minas) CONFEA: Resolução nº 288 (1983) estabelece a Produção como habilitação específica dos 6 ramos (Civil, Mecânica, Elétrica, Química, Metalurgia e Minas) Foi um ajuste determinado pela 48/76 (MEC/CFE)

10 Campo de atuação da Engenharia da Produção Legislação: Após a 48/76, portanto, havia, teoricamente, dois tipos de Engenharia da Produção: Modalidade Plena A qual o CREA deve conferir a carteira de engenheiro da produção Modalidade Habilitação Específica de outro ramo A qual o CREA confere a carteira de engenheiro civil, mecânico, eletricista, metalurgista, químico ou de minas com habilitação em produção Legislação: Após a 48/76, portanto, havia, teoricamente, dois tipos de Engenharia da Produção: Modalidade Plena A qual o CREA deve conferir a carteira de engenheiro da produção Modalidade Habilitação Específica de outro ramo A qual o CREA confere a carteira de engenheiro civil, mecânico, eletricista, metalurgista, químico ou de minas com habilitação em produção

11 Campo de atuação da Engenharia da Produção

12 Legislação: Novas diretrizes curriculares dos cursos de Engenharia (MEC/CNE): Resolução nº 11/2002 (CNE) (11/03/2002) Projeto de Resolução CNE/CES nº 100 (13/03/2002) –Carga horária não é restringida/especificada Por enquanto, mantêm-se as mesmas definições CONFEA/CREA (logo, também as definições anteriormente vistas para modalidades) Legislação: Novas diretrizes curriculares dos cursos de Engenharia (MEC/CNE): Resolução nº 11/2002 (CNE) (11/03/2002) Projeto de Resolução CNE/CES nº 100 (13/03/2002) –Carga horária não é restringida/especificada Por enquanto, mantêm-se as mesmas definições CONFEA/CREA (logo, também as definições anteriormente vistas para modalidades)

13 Campo de atuação da Engenharia da Produção Relacionamento da EP com os demais ramos de Engenharia:

14 Campo de atuação da Engenharia da Produção

15 Definição das (10) áreas abrangidas pela EP (cf. ABEPRO): 1. Engenharia do Produto Planejamento do Produto Projeto do Produto 2. Projeto de Fábrica Análise de Localização –Instalações Industriais –Arranjo Físico –Movimentação de Materiais Definição das (10) áreas abrangidas pela EP (cf. ABEPRO): 1. Engenharia do Produto Planejamento do Produto Projeto do Produto 2. Projeto de Fábrica Análise de Localização –Instalações Industriais –Arranjo Físico –Movimentação de Materiais

16 Campo de atuação da Engenharia da Produção Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 3. Processos Produtivos Processos Discretos de Produção Processos Contínuos de Produção Fundamentos de Automação Planejamento de Processos 4. Gerência da Produção Planejamento e Controle da Produção Organização e Planejamento da Manutenção Logística e Distribuição Estratégia da Produção Gestão Ambiental Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 3. Processos Produtivos Processos Discretos de Produção Processos Contínuos de Produção Fundamentos de Automação Planejamento de Processos 4. Gerência da Produção Planejamento e Controle da Produção Organização e Planejamento da Manutenção Logística e Distribuição Estratégia da Produção Gestão Ambiental

17 Campo de atuação da Engenharia da Produção Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 5. Qualidade Gestão da Qualidade Controle Estatístico da Qualidade Normalização e Certificação Metrologia, Inspeção e Ensaios Confiabilidade 6. Pesquisa Operacional Programação Matemática Processos Estocásticos Simulação de Sistemas de Produção Avaliação e Apoio à Tomada de Decisão Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 5. Qualidade Gestão da Qualidade Controle Estatístico da Qualidade Normalização e Certificação Metrologia, Inspeção e Ensaios Confiabilidade 6. Pesquisa Operacional Programação Matemática Processos Estocásticos Simulação de Sistemas de Produção Avaliação e Apoio à Tomada de Decisão

18 Campo de atuação da Engenharia da Produção Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 7. Engenharia do Trabalho Organização do Trabalho Ergonomia Higiene e Segurança do Trabalho Engenharia de Métodos e Processos 8. Estratégia e Organizações Planejamento Estratégico Organização Industrial Economia Industrial Gestão Tecnológica Sistemas de Informação Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 7. Engenharia do Trabalho Organização do Trabalho Ergonomia Higiene e Segurança do Trabalho Engenharia de Métodos e Processos 8. Estratégia e Organizações Planejamento Estratégico Organização Industrial Economia Industrial Gestão Tecnológica Sistemas de Informação

19 Campo de atuação da Engenharia da Produção Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 9. Gestão Econômica Engenharia Econômica Custos da Produção Viabilidade Econômica-Financeira 10. Ensino da Engenharia da Produção Definição de áreas abrangidas pela EP (ABEPRO): 9. Gestão Econômica Engenharia Econômica Custos da Produção Viabilidade Econômica-Financeira 10. Ensino da Engenharia da Produção

20 Campo de atuação da Engenharia da Produção Perfil do profissional de Engenharia (MEC): I - aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia II - projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados III - conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos IV - planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia V - identificar, formular e resolver problemas de engenharia Perfil do profissional de Engenharia (MEC): I - aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia II - projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados III - conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos IV - planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia V - identificar, formular e resolver problemas de engenharia

21 Campo de atuação da Engenharia da Produção Perfil do profissional de Engenharia (MEC): VI - desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas VII - supervisionar a operação e a manutenção de sistemas VIII - avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas IX - comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica X - atuar em equipes multidisciplinares Perfil do profissional de Engenharia (MEC): VI - desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas VII - supervisionar a operação e a manutenção de sistemas VIII - avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas IX - comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica X - atuar em equipes multidisciplinares

22 Campo de atuação da Engenharia da Produção Perfil do profissional de Engenharia (MEC): XI - compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais XII - avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental XIII - avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia XIV - assumir a postura de permanente busca de atualização profissional Perfil do profissional de Engenharia (MEC): XI - compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais XII - avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental XIII - avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia XIV - assumir a postura de permanente busca de atualização profissional

23 Campo de atuação da Engenharia da Produção Perfil do engenheiro de produção (ABEPRO): Ser capaz de dimensionar e integrar recursos físicos, humanos e financeiros a fim de produzir, com eficiência e ao menor custo, considerando a possibilidade de melhorias contínuas Ser capaz de utilizar ferramental matemático e estatístico para modelar sistemas de produção e auxiliar na tomada de decisões Ser capaz de projetar, implementar e aperfeiçoar sistemas, produtos e processos, levando em consideração os limites e as características das comunidades envolvidas Perfil do engenheiro de produção (ABEPRO): Ser capaz de dimensionar e integrar recursos físicos, humanos e financeiros a fim de produzir, com eficiência e ao menor custo, considerando a possibilidade de melhorias contínuas Ser capaz de utilizar ferramental matemático e estatístico para modelar sistemas de produção e auxiliar na tomada de decisões Ser capaz de projetar, implementar e aperfeiçoar sistemas, produtos e processos, levando em consideração os limites e as características das comunidades envolvidas

24 Campo de atuação da Engenharia da Produção Perfil do engenheiro de produção (ABEPRO): Ser capaz de prever e analisar demandas, selecionar tecnologias e know-how, projetando produtos ou melhorando suas características e funcionalidade Ser capaz de incorporar conceitos e técnicas da qualidade em todo o sistema produtivo, tanto nos seus aspectos tecnológicos quanto organizacionais, aprimorando produtos e processos, e produzindo normas e procedimentos de controle e auditoria Ser capaz de prever a evolução dos cenários produtivos, percebendo a interação entre as organizações e os seus impactos sobre a competitividade Perfil do engenheiro de produção (ABEPRO): Ser capaz de prever e analisar demandas, selecionar tecnologias e know-how, projetando produtos ou melhorando suas características e funcionalidade Ser capaz de incorporar conceitos e técnicas da qualidade em todo o sistema produtivo, tanto nos seus aspectos tecnológicos quanto organizacionais, aprimorando produtos e processos, e produzindo normas e procedimentos de controle e auditoria Ser capaz de prever a evolução dos cenários produtivos, percebendo a interação entre as organizações e os seus impactos sobre a competitividade

25 Campo de atuação da Engenharia da Produção Perfil do engenheiro de produção (ABEPRO): Ser capaz de acompanhar os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço da demanda das empresas e da sociedade Ser capaz de compreender a interrelação dos sistemas de produção com o meio ambiente, tanto no que se refere a utilização de recursos escassos quanto à disposição final de resíduos e rejeitos, atento à sustentabilidade Ser capaz de utilizar indicadores de desempenho, sistemas de custeio, bem como avaliar a viabilidade econômica e financeira de projetos Ser capaz de gerenciar e otimizar o fluxo de informação nas empresas utilizando tecnologias adequadas. Perfil do engenheiro de produção (ABEPRO): Ser capaz de acompanhar os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço da demanda das empresas e da sociedade Ser capaz de compreender a interrelação dos sistemas de produção com o meio ambiente, tanto no que se refere a utilização de recursos escassos quanto à disposição final de resíduos e rejeitos, atento à sustentabilidade Ser capaz de utilizar indicadores de desempenho, sistemas de custeio, bem como avaliar a viabilidade econômica e financeira de projetos Ser capaz de gerenciar e otimizar o fluxo de informação nas empresas utilizando tecnologias adequadas.

26 O papel da ABEPRO A ABEPRO, Associação Brasileira de Engenharia da Produção, atua na defesa dos interesses da área de EP no Brasil. Congrega, entre sócios individuais e institucionais, nas suas diversas modalidades: –todo o pessoal da área acadêmica (docentes, pesquisadores, alunos de graduação e de pós- graduação) –instituições da área acadêmica (IES: cursos de graduação e de pós-graduação) –profissionais egressos dos cursos e interessados em geral no ramo de EP –empresas e instituições que tenham interesse nos assuntos inerentes à EP A ABEPRO, Associação Brasileira de Engenharia da Produção, atua na defesa dos interesses da área de EP no Brasil. Congrega, entre sócios individuais e institucionais, nas suas diversas modalidades: –todo o pessoal da área acadêmica (docentes, pesquisadores, alunos de graduação e de pós- graduação) –instituições da área acadêmica (IES: cursos de graduação e de pós-graduação) –profissionais egressos dos cursos e interessados em geral no ramo de EP –empresas e instituições que tenham interesse nos assuntos inerentes à EP

27 O papel da ABEPRO Produtos ABEPRO: ENEGEP (Encontro Nacional de Engenharia da Produção) – anual ENCEP (Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de Engenharia da Produção) – anual Revista Produção Revista Produção Eletrônica Sita da ABEPRO (www.abepro.org.br)www.abepro.org.br Produtos ABEPRO: ENEGEP (Encontro Nacional de Engenharia da Produção) – anual ENCEP (Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de Engenharia da Produção) – anual Revista Produção Revista Produção Eletrônica Sita da ABEPRO (www.abepro.org.br)www.abepro.org.br

28 O papel da ABEPRO Atuação na defesa dos interesses da área de EP: MEC –CAPES (cursos de pós-graduação) –SESu/INEP (avaliação de cursos de graduação) CONFEA –Subsidiando informações para nova regulamentação Creditação de cursos (?) Exame de ordem (?) CREAs –Subsidiando informações sobre reconhecimento de diplomas para fins de habilitação profissional Atuação na defesa dos interesses da área de EP: MEC –CAPES (cursos de pós-graduação) –SESu/INEP (avaliação de cursos de graduação) CONFEA –Subsidiando informações para nova regulamentação Creditação de cursos (?) Exame de ordem (?) CREAs –Subsidiando informações sobre reconhecimento de diplomas para fins de habilitação profissional


Carregar ppt "Um Panorama Atual da Engenharia da Produção Prof. Dr. Gilberto Dias da Cunha Aula Inaugural do Curso de Engenharia da Produção Faculdades de Taquara -FACCAT."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google