A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Projeto de Redes Top-Down Capítulo 3 Caracterizando a Rede Existente Copyright 2004 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Wilmar Oliveira de Queiroz - PUCGOIÁS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Projeto de Redes Top-Down Capítulo 3 Caracterizando a Rede Existente Copyright 2004 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Wilmar Oliveira de Queiroz - PUCGOIÁS."— Transcrição da apresentação:

1 Projeto de Redes Top-Down Capítulo 3 Caracterizando a Rede Existente Copyright 2004 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Wilmar Oliveira de Queiroz - PUCGOIÁS 2012

2 Qual é o ponto de partida ? Segundo Abraham Lincoln: –Se pudéssemos saber primeiro onde estamos e qual a nossa tendência, poderíamos julgar melhor o que fazer e como fazer

3 Onde estamos ? Caracterize a rede existente em termos de: –Infraestrutura Estrutura lógica (modularidade, hierarquia, topologia) Estrutura física –Endereçamento e nomes –Tipos e comprimento de cabeamento –Mídias –Restrições arquitetônicas e ambientais

4 O que deve fazer parte do Mapa da Rede ? Informações geográficas, como países, estados, cidades e campus Conexões de WANs Edifícios e andares e, possivelmente, salas ou equipamentos Conexões de WANs e LANs entre edifícios e campus Indicação de tecnologia da camada de enlace de dados para WANs e LANs Nome do provedor de serviços para WANs Localização de roteadores, switches e hubs Localização e alcance de todas as VPNs que conectem os sites da empresa através da WAN de um provedor de serviços

5 O que deve fazer parte do Mapa da Rede ? Localização dos principais servidores Localização dos mainframes Localização das principais estações da administração de rede Localização e o alcance de todas as VLANs Topologia de quaisquer sistemas de segurança por firewall Localização de quaisquer sistemas de discagem (dial-up) Alguma indicação de onde residem as estações de trabalho Representação da topologia lógica ou da arquitetura da rede

6 Exemplo de Mapa da Rede Gigabit Ethernet Eugene Ethernet 20 usuários Servidor Web/FTP Grants Pass HQ 16 Mbps Token Ring FEP (Processador de Front-end) Mainframe IBM T1 Medford Fast Ethernet 50 usuários Roseburg Fast Ethernet 30 usuários Frame Relay CIR = 56 Kbps DLCI = 5 Frame Relay CIR = 56 Kbps DLCI = 4 Grants Pass HQ Fast Ethernet 75 usuários Internet T1

7 Caracterize o Endereçamento e a Nomenclatura dos Nomes Endereçamento IP dos principais dispositivos, clientes de rede, servidores, etc Existe alguma singularidade no endereçamento, tais como descontinuidade de sub-redes Existe alguma estratégia para endereçamento e nomes ? –Por exemplo, os sites podem ser nomeados através de códigos de cidades usados em aeroportos Goiânia = GYN, Brasília = BSB

8 Exemplo de Sub-redes Descontínuas Área 1 Sub-rede a Área 0 Rede Área 2 Sub-rede a Roteador A Roteador B

9 Caracterize o Cabeamento e a Mídia Fibra óptica monomodo Fibra óptica multimodo Par trançado blindado (STP) Par trançado não blindado (UTP) Cabo coaxial Microondas Laser Ondas de rádio (IEEE ou Bluetooth, por exemplo) Infra-vermelho

10 Armário de Telecomunicações Cabeamento Horizontal Área de Trabalho Caixa de Distribuição Sala Principal de Cruzamento de Conexões (Quadro Principal de Distribuição) Edifício A - SedeEdifício B Cabeamento Vertical (Backbone) Backbone de Campus Cabeamento de Rede de Campus Sala Intermediária de Cruzamento de Conexões (Quadro Intermediário de Distribuição)

11

12 Restrições Arquitetônicas Certifique-se de que os itens abaixo são suficientes –Ar condicionado –Aquecimento –Ventilação –Energia elétrica –Proteção contra interferências eletromagnéticas –Caminhos livres para transmissões sem fio e ausência de superfícies refletoras confusas –Portas que possam ser trancadas

13 Restrições Arquitetônicas Certifique-se que há espaço para: –Cabeamento –Patch panels –Racks de Equipamentos –Áreas de trabalho para os técnicos que instalam e resolvem problemas do equipamento

14 Problemas de Redes sem Fio Reflexão Absorção Refração Difração

15 Reflexão - Reflexão faz com que o sinal retorne sobre si mesmo. O sinal pode interferir com ele próprio e afetar a capacidade do receptor para discriminar entre o sinal e o ruído no meio ambiente. A reflexão é causada por superfícies metálicas, como vigas de aço, andaimes, estantes de aço, pilares e portas metálicas. Absorção - Uma parte da energia eletromagnética do sinal pode ser absorvida pelo material em objetos através do qual ele passa, resultando em um nível de sinal reduzido. A água tem propriedades de absorção significativas. Pessoas em movimento também podem afetar o nível do sinal. Refração - Quando um sinal de RF passa de um meio com uma densidade para outro meio com uma outra densidade, o sinal pode ser inclinado, muito parecido com luz que passa através de um prisma. O sinal muda de direção e pode interferir com o sinal não-refratado. Pode tomar um caminho diferente e encontrar outras obstruções, e chegar distorcido ou atrasado ao destinatário. Um tanque de água não só apresenta absorção, mas a diferença na densidade entre a atmosfera e a água pode mudar a direção do sinal de RF. Difração - Difração, que é semelhante à refração, acontece quando uma região através do qual o sinal de RF pode passar livremente está adjacente a uma região na qual as obstruções refletoras existem. O sinal de RF contorna a borda da região difrativa e pode então interferir com a parte do sinal de RF que não está dobrado. Problemas de Redes sem Fio

16 Verifique a Saúde da Rede Existente Desempenho Disponibilidade Utilização da largura de banda Precisão Eficiência Tempo de resposta Status dos principais roteadores, switches, e firewalls

17 Caracterize a Disponibilidade Corporação Segmento 1 Segmento 2 Segmento n MTBFMTTR Data e Duração do Último Período de Inatividade Importante Causa do Último Período de Inatividade importante

18 Utilização da rede em intervalos de minutos

19 Utilização da rede em intervalos de horas

20 Utilização da largura de Banda pelos Protocolos Protocolo 1 Protocolo 2 Protocolo 3 Protocolo n Utilização Relativa da Rede Utilização Absoluta da Rede Taxa de Broadcast Taxa de Multicast

21 Caracterize o tamanho dos Pacotes

22 Caracterize o Tempo de Resposta Node A Node B Node C Node D Node ANode BNode CNode D X X X X

23 Check o Status dos principais Routers, Switches e Firewalls Buffers Ambientes Interfaces Memórias Processos Configurações Versão

24 Ferramentas Analizadores de Protocolos Multi Router Traffic Grapher (MRTG) Remote monitoring (RMON) Cisco Discovery Protocol (CDP) Cisco IOS NetFlow technology CiscoWorks Cisco IOS Service Assurance Agent (SAA) Cisco Internetwork Performance Monitor (IPM)

25 Summary Caracterizethe exiting internetwork before designing enhancements Helps you verify that a customers design goals are realistic Helps you locate where new equipment will go Helps you cover yourself if the new network has problems due to unresolved problems in the old network

26 Review Questions What factors will help you decide if the existing internetwork is in good enough shape to support new enhancements? When considering protocol behavior, what is the difference between relative network utilization and absolute network utilization? Why should you Caracterizethe logical structure of an internetwork and not just the physical structure? What architectural and environmental factors should you consider for a new wireless installation?


Carregar ppt "Projeto de Redes Top-Down Capítulo 3 Caracterizando a Rede Existente Copyright 2004 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Wilmar Oliveira de Queiroz - PUCGOIÁS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google