A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS."— Transcrição da apresentação:

1

2 A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS

3 ASSOCIADOS DA ABIAPE

4 Autoprodução de Energia AlumínioCimentoEnergiaMineraçãoSiderurgia Papel e Celulose ABIAPE EM NÚMEROS Presença em 52 países Faturamento R$ 223,1 bilhões/ano Impostos e Tributos R$ 42,0 bilhões/ano Empregos Diretos 259 mil Investimentos Sócio- ambientais R$ 2,5 bilhões/ano

5 MW (7.045 MW) Operação 9 PCHs 35 UHEs 18 UTEs MW (1.011 MW) Belo Monte Construção 1 UHE MW (2.103 MW) Projeto 5 UHEs 1.Santa Isabel – MW; 2.Pai Querê – 292 MW; 3.Tijuco Alto – 129 MW; 4.São João – 60 MW; 5.Cachoeirinha – 45 MW. 2 UTEs PARTICIPAÇÃO DA ABIAPE – MATRIZ ELÉTRICA

6 Paradigma da Indústria Energo-intensiva: Competitividade Redução de Emissões Segurança do Suprimento GESTÃO ENERGÉTICA Dono ativo, agrega valor insumo Maior flexibilidade, escolha fonte A posse da energia, traz segurança ao suprimento

7 EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA (MWmédio) MWm Competitividade = mín. 65% Autoprodução PLANO ABIAPE 2020

8 A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS

9 Formas de ganho de potência hoje conhecidos: Repotenciação mínima: Recuperação de rendimento por reparo na turbina e gerador, cerca de 2,5% de ganho da capacidade; Repotenciação Leve: Repotenciação da turbina e gerador, ganho de aproximadamente 10% da capacidade; Repotenciação Pesada: Ganhos de eficiência por troca do rotor, obras pesadas. Ganhos em torno de 20 a 30% (viável em usinas antigas); Inserção de nova máquina: Investimentos pesados em máquinas a fim de se aumentar a potência disponível (normalmente já prevista no projeto). CONCEITOS

10 A ABIAPE participa de 35 UHEs com autoprodução: 3 entraram em operação antes de 1980 (153 MW); 3 entre 1981 e 1990 (105,7 MW); 9 entre 1991 e 2000 (2.147,9 MW); 20 entre 2001 e 2010 (6.045,6 MW). Fonte: ABIAPE SITUAÇÃO DAS USINAS DA ABIAPE

11 Maioria das usinas relativamente novas; A princípio, não possuem poços preparados para novas Unidades Geradoras; Expansão hidrelétrica dos autoprodutores é uma incógnita; Repotenciação é alternativa para ampliar a potência hidrelétrica dos autoprodutores. SITUAÇÃO DAS USINAS DA ABIAPE

12 A necessidade de maior disponibilidade de potência é um fato; Acréscimo de potência prevista na NT demandaria em torno de R$ 8 bilhões; Investimento na repotenciação deve ser aberto ao setor; Reforma de máquinas e ganhos de eficiência também devem ser entendidas como repotenciação; CENÁRIO DA REPOTENCIAÇÃO

13 A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS

14 Leilão proposto pela ANEEL (linhas gerais): 1.Empreendimentos seriam listados, precedidos pelo ONS; 2.Receita estabelecida (anual/mensal) pelo investidor; 3.Preço teoricamente menor que térmicas a serem despachadas; 4.Aumento de GF poderia ocorrer (acessória). Sendo complementar, pode reduzir o preço de lance do empreendedor; 5.Os custos finais dos lances vencedores são remunerados por ESS. Usinas potenciais ONS Empreendimentos realizam entre si leilão por menor preço do R$/kW (Considerando ganhos acessórios) PROPOSTA ANEEL

15 Usinas estão em diferentes localidades. Leilão pode sofrer falta de ofertantes, causando distorções na prática; Definição do início de operação comercial da nova unidade geradora, do prazo para remuneração e do preço teto de contratação; Indefinição sobre o futuro das concessões do setor elétrico; As informações relativas à alteração na garantia física, (mesmo que se tratando de montante acessório), deve ser informada previamente ao leilão; Em debate está a segurança operativa e investimentos em recursos para todo o SIN. Oportunidades iguais devem ser oferecidas aos investidores. DESAFIOS DA PROPOSTA DA ANEEL

16 Proposta para o leilão caso haja alteração da GF: 1.Empreendimentos seriam listados, precedidos pelo ONS; 2.Normas técnicas dos equipamentos emitidas pela ANEEL/UHE; 3.Divulgação prévia de eventuais acréscimos de GF; 4.Abertura do leilão aos autoprodutores. Necessário possuir garantias suficientes para o aporte; 5.Vence o agente que propor o menor custo a ser ressarcido por ESS. Vencedor detém o acréscimo referente à GF. APE pode ser o vencedor do leilão para repotenciação da UHE pertencente ao PIE; Custos menores PROPOSTA ABIAPE – 1 Usinas potenciais ONS

17 Proposta para o leilão caso haja alteração marginal na GF: 1.Seguindo os mesmos passos anteriores, no caso de acréscimo marginal da GF, uma possibilidade seria a alocação da energia secundária proveniente da repotenciação diretamente ao APE vencedor; 2.Contabilizado pela energia efetivamente acrescentada no despacho ou pela proporção de acréscimo na potência final. Exemplo: Parcela adicional da secundária, seria alocada ao APE investidor. PROPOSTA ABIAPE – 2

18 Dados levantados demonstram alta capacidade de geração adicional relacionada à UHE Tucuruí PROPOSTA ABIAPE – 3

19 Estimou-se a energia vertida turbinável para os cenários de repotenciação descritos (2 últimos anos): PROPOSTA ABIAPE – 3 A ABIAPE propõe a oportunidade de investimento dos APEs na repotenciação específica da UHE Tucuruí.

20 Proposta de Diferente Alocação da Energia Secundária: 1.Como forma de motivação à repotenciação voluntária dos proprietários das usinas (reformas leves/médias dos equipamentos) e à eficiência, sugerimos um mecanismo alternativo de alocação da Energia Secundária no MRE; MRE operação fictícia superavitária Parcela liquidada 70% no PLD e 30% usada como lastro de energia para venda/autoconsumo; PROPOSTA ABIAPE – 4

21 A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS

22 Exposição de possibilidades para investimentos na repotenciação Interesse de investimentos por APEs. Incentivo ao menor ESS. Restrição de Potência (RPO) DESAFIO Restrição de Potência (RPO) DESAFIO Motivadores: Maior competição gera maior deságio; Restrição estrutural. Custos rateados, oportunidades também devem ser divididas isonomicamente; Autoprodutor investindo na segurança do seu próprio suprimento. CONCLUSÕES

23 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS INVESTIDORES EM AUTOPRODUÇÃO DE ENERGIA (61) MUITO OBRIGADO!


Carregar ppt "A ABIAPE: Autoprodução como fator de Competitividade; Repotenciação - Considerações; Repotenciação - Propostas; Conclusão. TÓPICOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google