A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA REPRODUTOR. I. ANATOMIA: 1. Masculino:. Testículos:. Túbulos seminíferos: produção de espermatozóides.. Células de Leydig (intersticiais): testosterona..

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA REPRODUTOR. I. ANATOMIA: 1. Masculino:. Testículos:. Túbulos seminíferos: produção de espermatozóides.. Células de Leydig (intersticiais): testosterona.."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA REPRODUTOR

2 I. ANATOMIA: 1. Masculino:. Testículos:. Túbulos seminíferos: produção de espermatozóides.. Células de Leydig (intersticiais): testosterona.. Células de Leydig (intersticiais): testosterona.. Epidídimo: armazenamento de espermatozóides.. Canal deferente: condução dos espermatozóides.. Ducto ejaculatório: condução dos espermatozóides.. Uretra: eliminação dos espermatozóides.. Vesícula seminal: líquido seminal (nutrição).. Próstata: líquido prostático (nutrição e alteração de pH).. Glândula bulbouretral ou de Cowper: lubrificação.. Pênis: corpos cavernosos e esponjosos (ereção).

3 Células intersticiais (Leydig) – produção de testosterona

4 Canal deferente Vesícula seminal Próstata Pênis Epidídimo Glande Prepúcio Abertura da uretra Bexiga Vértebras Intestino Ânus Uretra Testículo Escroto

5 2. Feminino:. Órgãos externos: pudendo feminino (vulva):. Lábios maiores.. Lábios menores.. Clitóris: tecido erétil.. Abertura da uretra: eliminação da urina.. Abertura da vagina.. Órgãos internos:. Vagina: órgão copulador.. Útero: revestido pelo endométrio (gestação).. Tubas uterinas: mucosa ciliada para conduzir o óvulo.. Ovários: produção de óvulos e hormônios.

6 Pavilhão da tuba Ovário Tuba uterina Útero Colo do útero Vagina Orifício urinário Orifício genital Lábios Coluna vertebral Bexiga Intestino Ânus

7

8 II. CONTROLE HORMONAL : 1. Masculino: Hipófise Hormônio Luteinizante Hormônio Folículo (LH) Estimulante (FSH) (LH) Estimulante (FSH)Testículos Hormônio Testosterona espermatozóides Hormônio Testosterona espermatozóides Características sexuais secundárias Características sexuais secundárias Feedback negativo

9 . Início: desenvolvimento embrionário.. Formação de espermatogônias é lento até a puberdade e na velhice.. 16 dias: de espermatogônias até espermatozóide. 350 milhões de espermatozóides na ejaculação

10 2. Feminino: Hipófise FSH LH folículos ovarianos ovulação corpo lúteo estrógeno progesterona estrógeno progesterona características sexuais secundárias endométrio desenvolvido características sexuais secundárias endométrio desenvolvido desenvolvimento do endométrio queda de progesterona=menstruação desenvolvimento do endométrio queda de progesterona=menstruação Feedback negativo Feedbach negativo 10

11

12

13 Ciclo menstrual: +ou- 28dias.1ºao 5º:. Menstruação – diminuição da taxa de progesterona..6ºao 9º:. FSH estimula desenvolvimento dos folículos ovarianos.. Produção e liberação de estrógeno.. Produção e liberação de estrógeno.. 10º:. Alta concentração de estrógeno inibe o FSH.. 14º:. Secreção de LH – romper o folículo ovariano e liberar o gameta feminino. gameta feminino.. 15º:. folículo ovariano chamado corpo lúteo ou amarelo.. Inicia a produção/secreção de progesterona (preparação. Inicia a produção/secreção de progesterona (preparação para a gestação). para a gestação).. Alta concentração de progesterona inibe o LH (pré-mens-. Alta concentração de progesterona inibe o LH (pré-mens- trual). trual).

14 . Desenvolvimento embrionário – ínício. Nascimento – 400 mil ovócitos I (maioria degenera).. Puberdade – ovócito I em ovócito II (ovulação).. Meiose se completa após a fecundação.

15 IV. FECUNDAÇÃO:. Na tuba uterina.. Espermatozóide tem que atravessar a corona radiata (células ao redor do ovócito provenientes do ovário). redor do ovócito provenientes do ovário).. Cabeça do espermatozóide adere a zona pelúcida (camada glico- protéica ao redor do ovócito). protéica ao redor do ovócito).. Reação acrossômica: liberação das enzimas do acrossomo do es- permatozóide e digestão. permatozóide e digestão.. Fusão da membrana plasmática do espermatozóide com a do ovó- cito e penetração do núcleo do espermatozóide. cito e penetração do núcleo do espermatozóide.. Reação cortical: formação da membrana de fecundação através da liberação do conteúdo das vesículas corticais do óvulo. liberação do conteúdo das vesículas corticais do óvulo.. Fusão dos núcleos e formação do zigoto.

16 corona radiata zona pelúcida núcleo haplóide citoplasma ovócito

17

18

19

20

21 Placenta do embrião produz HCG (gonadotrofina coriônica) que induz o corpo lúteo a secretar progesterona para manter a gravidez.

22 Desenvolvimento embrionário: A. ovócito. B. zigoto ou ovo. C. início da primeira clivagem. D. 2 blastômeros. E. 4 blastômeros. F. 4 blastômeros. G. 8 blastômeros. H. mórula. I. blástula.

23 Embrião humano com 5 semanas.

24 Embrião humano com 10 semanas

25

26 16 semanas

27 Feto humano com 20 semanas.

28 Feto humano com 32 semanas.

29

30

31

32

33

34 V. MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS: Reversíveis: 1. Coito interrompido – não eficiente. 2. Tabelinha: sem relações sexuais no período de ovulação. não eficiente. não eficiente. 3. Medida da temperatura basal: na ovulação a temperatura se eleva – não eficiente. se eleva – não eficiente. 4. Análise do muco vaginal: no período fértil o muco vaginal se torna mais viscoso e abundante – não eficiente. se torna mais viscoso e abundante – não eficiente. 5. Camisinha: De fácil acesso e quando usado corretamente previne-se também de DSTs. previne-se também de DSTs.

35 5. Diafragma vaginal: colocado dentro da vagina antes da relação e retirado da vagina antes da relação e retirado depois, impede a passagem dos depois, impede a passagem dos espermatozóides. espermatozóides. 6. Dispositivo intra-uterino (DIU): Colocado pelo médico dentro do útero, Colocado pelo médico dentro do útero, apresenta um filamento de cobre atuando apresenta um filamento de cobre atuando como espermicida e impedindo a nidação. como espermicida e impedindo a nidação. 7. Anticoncepcionais hormonais: hormônios em doses adequa- das impedem a ovulação (ex.: pílula anticoncepcional). Taxas das impedem a ovulação (ex.: pílula anticoncepcional). Taxas de estrógeno/progesterona bloqueando o FSH e LH, impedin- de estrógeno/progesterona bloqueando o FSH e LH, impedin-

36 do o desenvolvimento dos folículos ovarianos e a ovulação. Vantagens: regulariza o ciclo menstrual e diminui as cólicas mens- truais. Irreversíveis: 1. Laqueadura tubária: procedimento cirúrgico nas tubas uteri- nas impedindo a passagem do óvulo e sem fecundação. nas impedindo a passagem do óvulo e sem fecundação.

37 2. Vasectomia: seccionamento cirúrgico do canal deferente, impe- dindo a passagem e eliminação dos espermatozóides. dindo a passagem e eliminação dos espermatozóides.

38

39 Pílula do dia seguinte: Contraceptivo de emergência toma- Contraceptivo de emergência toma- do após uma relação sexual desprote gida, pode impedir a ovulação e a ni- dação. Primeiro comprimido até 72h da relação sexual e o segundo 12h após o primeiro. Não tem 100% de eficácia e pode Não tem 100% de eficácia e pode provocar alguns efeitos colaterais co mo vômitos e náuseas. Só deve ser vendido com receituário médico.

40 V. DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (DSTs): 1. Sífilis:. Causador: bactéria Treponema pallidum.. Quadro clínico:. 7 a 15 dias após a relação sexual - Cancro duro (lesão na genitália externa).. 2 meses após o aparecimento do cancro duro - Lesões na. 2 meses após o aparecimento do cancro duro - Lesões na pele (pontos avermelhados) e no sistema nervoso, circulatório e urinário – morte.. A doença pode permanecer latente durante um tempo.. Tratamento e cura com antibióticos (fase inicial).

41 Treponema pallidum – uma espiroqueta. Lesões na pele (sífilis secundária).

42 2. Gonorréia ou blenorragia:. Infecção na uretra – corrimento leitoso e amarelado e ardor ao urinar. urinar.. Causador: bactéria Neisseria gonorrheae (diplococo)

43 3. Cancro mole:. Ulceração dolorida e mole na genitália externa.. Causada pela bactéria Hemophilus ducreyi.. Tratamento com antibióticos.

44 4. Linfogranuloma venéreo:. Causada pela bactéria Chlamydia trachomatis.. Pequenas vesículas na genitália externa e inflamação na região inguinal. Pode atingir os olhos causando conjuntivite (tracoma). inguinal. Pode atingir os olhos causando conjuntivite (tracoma). Tracoma Chlamydia trachomatis

45 5. Condiloma acuminado ou Crista-de-galo:. Causado pelo papilomavírus humano (HPV).. Lesões verrugosas na região genital.. Vírus pode permanecer latente na pessoa por muito tempo sem se manifestar. manifestar.. Outras formas de HPV está relacionado com câncer de colo do útero. útero.

46 6. Pediculose pubiana:. Causada pelo inseto Phthirius pubis (chato) – piolho pubiano.. Provoca coceira e pontos de sangue.

47 7. Tricomoníase:. Causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis.. Corrimento (vaginal ou uretra) e ardor. Trichomonas vaginalis – um flagelado.

48 8. Síndrome da Imunodeficiência adquirida (AIDS ou SIDA): HIV atacando linfócito. Representação esquemática do HIV.

49 . HIV.: retrovírus envelopado. Retrovírus: transcrição ao contrário (RNA DNA).. Através da enzima transcriptase reversa.. Capsídeo protéico + envelope lipídico. Transmissão:. Fluídos corpóreos: sêmen (relação sexual), sangue (transfusões e seringas contaminadas), leite materno e líquidos vaginais. seringas contaminadas), leite materno e líquidos vaginais.. Placenta (mães contaminadas). Ciclo de vida do HIV.:. Proteína G120 do HIVproteína CD4 do linfócito T.. DNA viral (provírus) que se incorpora ao DNA celular.

50 . DNA viral pode permanecer em latência (janela imunológica).. Formação de novos vírus e liberação. Reprodução controlada do vírus (sem destruição a célula).. Lise celular (destruindo a célula).

51 . Outras células atacadas: linfócitos B, células da pele, encéfalo, me- dula óssea vermelha e intestino. dula óssea vermelha e intestino. HIV liberado do linfócito T.

52

53 Características da síndrome:. Síndrome: conjunto de sintomas – enfermidade.. Imunodeficiência adquirida: queda de imunidade provoca apareci- mento de infecções oportunistas. mento de infecções oportunistas.. Sintomas: fadiga, febre, inchaço dos linfonodos, dores de cabeça, infecção (vírus Herpes simples e fungo Candida albicans), infecção (vírus Herpes simples e fungo Candida albicans), pneumonia, cegueira, inflamação do trato gastrointes- pneumonia, cegueira, inflamação do trato gastrointes- tinal, tuberculose, meningite, sarcoma de Kaposi, cân- tinal, tuberculose, meningite, sarcoma de Kaposi, cân- cer de reto e linfóide, perda de locomoção e morte. cer de reto e linfóide, perda de locomoção e morte.Profilaxia:. Uso de preservativo nas relações sexuais.. Recorrer a bancos de sangue confiáveis (transfusões seguras).

54 . Utilizar seringas descartáveis e materiais cirúrgicos esterilizados.. Tratamento de mulheres grávidas.. Mães soropositivas não amamentar. Sarcoma de Kaposi.

55

56

57


Carregar ppt "SISTEMA REPRODUTOR. I. ANATOMIA: 1. Masculino:. Testículos:. Túbulos seminíferos: produção de espermatozóides.. Células de Leydig (intersticiais): testosterona.."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google