A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica."— Transcrição da apresentação:

1 D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica

2 Atividades do Centro Espírita ATIVIDADES BÁSICAS (...) reuniões de Estudo e Educação da Mediunidade - Realizar reuniões de Estudo e Educação da Mediunidade, com base nos princípios e objetivos espíritas, esclarecendo e preparando trabalhadores para as atividades mediúnicas. - Realizar Reuniões Mediúnicas destinadas à prática da assistência aos desencarnados necessitados de orientação e esclarecimento.

3 Allan Kardec – O Livro dos Médiuns Natural é, entre os que se ocupam com o Espiritismo, o desejo de poderem pôr-se em comunicação com os Espíritos. (Introdução) trata-se da Humanidade. (Cap. XX) Não creiais que a faculdade medianímica seja dada para corrigir uma ou duas pessoas, não; o objetivo é maior: trata-se da Humanidade. (Cap. XX)

4 Mudança de Paradigma ImprecisãoPrecisão FragmentaçãoUnidade IncoerênciaCoerência MecanicismoIntencionalidade Do Senso Comum Para Senso Crítico

5 OCE A liberdade característica da Doutrina Espírita, reflete-se na atuação do adepto. Mas é preciso não confundir livre inicia- tiva lastreada no conhecimento adquirido com licença para fazer o que se bem entenda.

6 Allan Kardec – LM, cap. XXIX As reuniões espíritas oferecem grandíssimas vantagens, por permitirem que os que nelas tomam parte se esclareçam, mediante a permuta de idéias pelas questões permuta de idéias pelas questões e observações que se façam... e observações que se façam... Elas apresentam caracteres muito Elas apresentam caracteres muito diferentes conforme o fim com diferentes conforme o fim com que se realizam; podem ser que se realizam; podem ser frívolas, experimentais ou instrutivas. frívolas, experimentais ou instrutivas.

7 Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Frívolas -Compõem-se de pessoas que só vêem o lado do passatempo e do divertimento das manifestações. - Divertem-se perguntando banalidades de toda sorte. - Pedem soluções e previsões do futuro aos Espíritos, exploram a curiosidade...

8 Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Experimentais -Objetivam a produção de manifes tações físicas, particularmente. - Causam admiração, mas nem sempre trazem convencimento. - São promovidas pelos Espíritos superiores para que se revelem aos homens as leis que regem o mundo invisível e suas relações com o mundo físico. Alcançam melhor resultado quando dirigi- das com método e prudência.

9 -São as em que se pode haurir o verdadeiro ensino, pois são sérias, ou seja, cogitam de coisas úteis. -Não carregam a presunção da infalibilidade. -Há exame crítico das comunicações, que deve ser realizado com apreciação imparcial. -Primar pelo recolhimento e a comunhão de pensamentos entre os participantes, regularidade e pontualidade. Allan Kardec – LM, cap. XXIX Reuniões Instrutivas

10 Allan Kardec – LM, cap. III / Parte 1ª O meio mais simples de se obviar a este inconveniente, consiste em se começar pela teoria. Aí todos os fenômenos são apreciados, explicados... Ainda outra vantagem apresenta o estudo prévio da teoria: a de mostrar imediata- mente a grandeza do objetivo e o alcance da ciência.

11 Reuniões Mediúnicas Estudo e Educação da Mediunidade Reunião Mista ou Prática Desobsessão Reunião de Irradiação ou Vibrações Tratamento Espiritual (Assistência a Enfermos)Orientação Efeitos Físicos

12 Estudo e Educação da Mediunidade OBJETIVO OBJETIVO Preparar e educar os médiuns para o exercício equilibrado de suas faculdades medianímicas, em bases evangélicas e com a segurança que a Doutrina Espírita proporciona.

13 Estudo e Educação da Mediunidade Desenvolvimento - Estudos atinentes à mediunidade. - Exercícios psíquicos para oferecer aos médiuns: condições de exercer a faculdade, controle de suas manifestações, identifica- ção dos espíritos pelas vibrações, etc. - Equipe: coordenador geral, coordenador adjunto, pessoal de apoio e candidatos ao estudo e educação.

14 Reunião Mista ou Prática OBJETIVO OBJETIVO Estudos evangélico-doutrinários e prática mediúnica. Essa reunião é conhecida como reunião prática.

15 Reunião Mista ou Prática Desenvolvimento - Estudos. - Intercâmbio mediúnico visando socorrer os necessitados, de forma geral. -Avaliação. - Equipe: Dirigente, auxiliares do dirigente e médiuns.

16 Reunião de Desobsessão OBJETIVO OBJETIVO - Assistência a encarnados/desencarnados através de auxílio às entidades vincula- através de auxílio às entidades vincula- das a processos individuais ou coletivos. das a processos individuais ou coletivos. - Defesa do Centro Espírita contra as investidas dos Espíritos. investidas dos Espíritos.

17 Reunião de Desobsessão Desenvolvimento - Preparação do ambiente espiritual (leitura/ música,...) música,...) - Atendimento às entidades. - Encerramento / avaliação. - Equipe: dirigente, auxiliares do dirigente, passistas experientes, elementos passistas experientes, elementos de sustentação e médiuns de sustentação e médiuns educados e experimentados. educados e experimentados.

18 Reunião de Irradiação ou Vibrações OBJETIVO OBJETIVO Prestar assistência fluídica e espiritual para os enfermos.

19 Reunião de Irradiação ou Vibrações Desenvolvimento - Preparação do ambiente/prece. - Leitura ou citação dos nomes previamente registrados (um por vez ou uma leitura registrados (um por vez ou uma leitura inicial). inicial). - Preces, vibrações e doação de fluidos. - Manifestação do Mentor Espiritual para as observações julgadas necessárias. observações julgadas necessárias. - Equipe: dirigente, elementos de apoio e doação fluídica, médiuns. doação fluídica, médiuns.

20 Reunião de Tratamento (Assistência a Enfermos) OBJETIVO OBJETIVO Cooperar com os enfermos físicos, através do tratamento magnético- espiritual.

21 Reunião de Tratamento (Assistência a Enfermos) DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO - Preparação do ambiente espiritual. - Relato das observações. - Doação magnética. - Recomendações sugeridas. - Encerramento/avaliação. - Equipe: dirigente, auxiliar, passistas, elementos de apoio e doação fluídica, médiuns.

22 A casa espírita NÃO DEVE entrar na área de tratamento material de enfermos físicos, porque: 1º) O objetivo da DE não é a cura física; é o progresso moral. 2º) As leis do país proíbem a prática médica sem habilita- ção profissional. (Art. 282, 283 e 284 – Código Penal). Reunião de Tratamento (Assistência a Enfermos)

23 Código Penal Título VIII Título VIII Dos Crimes contra Incolumidade Dos Crimes contra Incolumidade Pública Pública Capítulo III Capítulo III Dos crimes contra a saúde Dos crimes contra a saúde

24 Código Penal - Art. 282 Exercer ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites. Pena - detenção, de 06 meses a 02 anos.

25 Código Penal - Art. 283 Inculcar ou anunciar Inculcar ou anunciar cura por meio secreto ou infalível. Pena - detenção, de 03 meses a 01 ano e multa. (Charlatanismo)

26 Código Penal - Art. 284 Exercer o curandeirismo: Exercer o curandeirismo: I - prescrevendo, ministrando ou aplicando habitualmente, qualquer substância; habitualmente, qualquer substância; II - usando gestos, palavras ou qualquer outro meio; outro meio; III - fazendo diagnósticos. Pena - detenção, de 06 meses a 02 anos.

27 Reunião de Orientação OBJETIVO OBJETIVO Orientar acerca de problemas cuja Orientar acerca de problemas cuja complexidade ultrapassa a capaci- complexidade ultrapassa a capaci- dade de ajuda dos encarnados. dade de ajuda dos encarnados.

28 Reunião de Orientação DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO - Preparação do ambiente. - Leitura dos nomes e exposição concisa do problema, para as ponderações da equipe problema, para as ponderações da equipe espiritual a serem transmitidas. espiritual a serem transmitidas. -Equipe: dirigente e médiuns. Obs: Desta reunião são indicados os nomes dos pacientes para as demais reuniões da Casa. as demais reuniões da Casa.

29 Reunião de Efeitos Físicos OBJETIVO OBJETIVO Produção de efeitos físicos, com Produção de efeitos físicos, com destaque para a materialização destaque para a materialização de espíritos. de espíritos.

30 Reunião de Efeitos Físicos DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO - Preparação do ambiente. - Produção dos fenômenos. - Encerramento / avaliação. Equipe: dirigente, médiuns (efeitos físicos) e participantes ( em pequeno número ) e participantes ( em pequeno número )

31 Allan Kardec, LM – item 341 Perfeita comunhão de vistas e de sentimentos; cordialidade recíproca entre os membros; ausência de todo sentimento contrário à verdadeira caridade cristã; o desejo único dos participantes de se instruírem e melhorarem por meio dos ensinos dos Espíritos; recolhimento e silêncio respeitosos; isenção, nos médiuns, de todo sentimento de orgulho, de amor – próprio e de supremacia.

32 Referências Bibliográficas Básica - KARDEC, Allan – O Livro dos Médiuns. - FEB – Orientação ao Centro Espírita. - UEM – Mediunidade: Reuniões Mediúnicas. - AZEVEDO, G. de (org.) – Projeto Manoel P. de Miranda (Reuniões Mediúnicas) - OLIVEIRA, Therezinha – R. Mediúnicas. - PALHANO Jr. - Reuniões Mediúnicas: teoria e prática. - FERGS – Dirigente de Grupo Mediúnico. - DENIS, Léon – No Invisível.


Carregar ppt "D epartamento D epartamento O rientação O rientação M ediúnica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google