A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Políticas para uma Rede do Patrimônio Cultural da Saúde: desafios e perspectivas Paulo Elian Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ 8º. Congresso Brasileiro de Saúde.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Políticas para uma Rede do Patrimônio Cultural da Saúde: desafios e perspectivas Paulo Elian Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ 8º. Congresso Brasileiro de Saúde."— Transcrição da apresentação:

1 Políticas para uma Rede do Patrimônio Cultural da Saúde: desafios e perspectivas Paulo Elian Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ 8º. Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva Agosto de 2006

2 Introdução Contexto geral: aspectos históricos e conceituais O Patrimônio na Saúde Objetivos da rede Desafios

3 1– INTRODUÇÃO: Projeto Chileno : Unidade do Patrimônio Cultural da Saúde/ MS (2000); aproximação com o Brasil (Casa de Oswaldo Cruz/ Fiocruz; MS; Bireme) (2004) TCC – Projeto de Cooperação Técnica entre países: Brasil e Chile Fortalecimento do Patrimônio Cultural da Saúde – COC/Fiocruz e UPCS/MS/ (2005) Termo de Cooperação celebrado entre os ministérios da Cultura e da Saúde do Brasil (2005) GT História e Patrimônio Cultural da Saúde / 4ª. Reunião de Coordenação Regional da BVS / 7º.CRICS (2005) aprovação do Termo de Constituição da Rede Latino- americana de História e Patrimônio Cultural da Saúde

4 2 – Contexto geral: tendências conflitantes : globalização e identidade. revolução das tecnologias da informação e comunicação / reestruturação do capitalismo introduziram a sociedade em rede. aceleração do tempo e compressão do espaço alheamento quanto aos ambientes de origem; fragmentação; etc redes dominantes e dinâmicas / espaço do tempo instantâneo a memória e a cultura como patrimônios perdem sentido e a história tem sua morte anunciada. avanço de expressões poderosas de identidades coletivas desafiando a globalização e o cosmopolitismo em função da singularidade e diversidade cultural ; movimentos sociais. a cultura e o patrimônio cultural.

5 3. O Patrimônio na Saúde: Década de 1980: no contexto da redemocratização; movimentos de valorização da memória e da história. Conformação dos campos da história, da memória, e da educação e divulgação em ciências e saúde. Saúde, como esfera de política pública, desempenhou papel crucial na construção e consolidação da Nação, do Estado e das suas relações com a sociedade. Diversidade de atores institucionais e sociais da saúde.

6 4. Objetivo da Rede: Promover o intercâmbio, a formulação de políticas, a capacitação, o desenvolvimento científico e tecnológico, e o aproveitamento de recursos entre os membros da rede. 5. Desafios: Agenda de desenvolvimento: ambiente Rede BVS- Bireme (Fontes de Informação); tecnologias/metodologias. Gestão: adesões / ampliação da rede; fórum específico para constituição de uma rede nacional / articulação rede latino-americana. Contexto latino-americano e brasileiro: A formulação e implementação de políticas deve considerar a complexidade e extensão dos acervos, a dispersão do patrimônio, as urgências sociais, e a carência crônica de recursos.

7 Atividades como estímulo a responsabilidade coletiva contribuir para a consolidação de políticas de inclusão social, reabilitação e sustentabilidade do patrimônio. Associar políticas de patrimônio cultural e de memória social ao desenvolvimento urbano, em diferentes contextos regionais. Políticas devem ser operadas com base em ações descentralizadas. A implementação de políticas deve considerar, na identificação e seleção de bens patrimoniais, os marcos identitários reconhecidos pelas próprios grupos e comunidades.


Carregar ppt "Políticas para uma Rede do Patrimônio Cultural da Saúde: desafios e perspectivas Paulo Elian Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ 8º. Congresso Brasileiro de Saúde."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google