A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dra. Ana Maria Franklin de Oliveira FCM /Unicamp o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE AGENTES COMUNITÁRIOS o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dra. Ana Maria Franklin de Oliveira FCM /Unicamp o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE AGENTES COMUNITÁRIOS o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE."— Transcrição da apresentação:

1 Dra. Ana Maria Franklin de Oliveira FCM /Unicamp o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE AGENTES COMUNITÁRIOS o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE

2 Um pouco da história e da minha gratidão aos Agentes Comunitários Comecei com S. da família em 97 editando os Agentes em Ação – foi uma injeção de ânimo na veia – viajar o Brasil e conhecer aquele trabalho maravilhoso de resgate da solidariedade na saúde Déc. De 70/80 Experiências isoladas Ceará –Estado Pioneiro 91- Programa Nacional -PACS 92 – Maior visibilidade – controle da Epidemia de cólera na Amazônia Prêmio da UNICEF – redução da Mortalidade infantil no NE

3 Os profissionais de saúde podem se sentir parte integrante do território? Nas comunidades menores e mais atrasadas, as diferenças culturais são menores e o sentimento de pertencimento maior. Nas metrópoles, as diferenças são imensas, o distanciamento maior e mais difícil de ser vencido. Território é mais que espaço geográfico, é cultural, político, afetivo e ético.

4 Que imagens e sentimentos temos do território em que vivemos? Minha imagem: Território cindido Minha imagem: Território cindido

5 Violência – onde os diferentes territórios se encontram A violência revela o que negamos: o apartheid social em que vivemos Não estabelecemos os nexos entre a violência e a organização social que criamos

6 Como Promover a Saúde, sem a solidariedade e a inclusão? As relações de solidariedade são escassas numa cultura individualista. Como construir oportunidades, trabalho, educação, lazer, auto-estima?

7 Como promover a paz, a convivência solidária, estilos de vida saudáveis? Quando o espaço das ruas, das escolas, das praças, não é mais o espaço do aprendizado, das trocas, da convivência pacífica?

8 Quando a vida é violenta e as pessoas se encarceram nas casas?

9 Cada um reage como pode Alguns exageram? Cercas eletrificadas, muralhas, fossos arames farpados... O pior é que muitos se desiludem e vivem só para si

10 Nossas doenças são frutos da sociedade que criamos uma guerra de todos contra todos, marcada pela indiferença social

11 Acreditamos na cura fora de nós e queremos milagres Sofremos de um tipo de lepra social, que vai nos deixando insensíveis resolvemos abolir a dor –como se houvesse fármacos até para as dores existenciais

12 Responsabilizamos sempre os outros. Faz parte das nossas defesas Responsabilizamos a equipe, a chefia, o Secretário, o PT,os bandidos, os pais, os maridos,... É muito difícil assumirmos a nossa parte e mudarmos a prática cotidiana Nos acomodamos e nos acovardamos no território daquilo que já é conhecido

13 Onde as raízes de nossas dores? Stress, cardiopatias, hipertensão, diabetes,, obesidade, anorexia, dependência química, depressão, ansiedade, violência no trânsito, nas casas, nas ruas-

14 Estilo de vida American Way of Life Time is money Por trás de uma vida desequilibrada estão os valores de uma época. Descuidamos do corpo e daquilo que nos faz bem e traz equilíbrio emocional.

15 Sócio e psico patologias: doenças da nossa modernidade Ora nos sentimos onipotentes ora impotentes.. Onde a nossa a potência?

16 Como melhorar nossas práticas? Atividades físicas Cultuamos a poltrona de TV e o sedentarismo. Amanhã nos prometemos os trinta minutos que fazem a diferença Que tal hoje? Ainda é tempo...

17 Economia: gastamos mais com médicos que com lazer e academia - U$ 1 dólar em atividade física economiza U$ 3, 2 em custos médicos. - Os indivíduos fisicamente ativos economizam U$ 500 por ano com custos médicos. -Austrália -> 1% no nível de atividades físicas /adultos economiza 7 milhões de custos potenciais com tratamentos

18 Alimentação desequilíbrio metabólico >Refeições prontas x Alimentação natural excesso de amidos e açúcares refinados grande produção de insulina, Aumento do consumo de gordura hidrogenada obesidade, diabetes e hipertensão arterial

19 Causas externas: Acidentes e Violência estão entre as principais causas de mortalidade (anos 80) segundo lugar no ranking, superados apenas pelas doenças do aparelho circulatório ( anos 90). Antídoto: Educação e Solidariedade

20 Acidentes de Trânsito Ocupam o segundo lugar dentre as causas externas 60% destes acidentes ocorreram no sudeste. Educação no trânsito também dá resultados, além das multas, radares, boas condições nas estradas...

21 Violência de Gênero... Violência Doméstica... A violência baseada na desigualdade de gênero não é devidamente diagnosticada no país. A violência doméstica contra crianças e adolescentes é fruto da banalização da violência

22 É possível construir pontes sobre abismos? Os abismos não são intransponíveis Mas, necessitam esplendidas obras de engenharia

23 É possível modificar nossa relação com a comunidade? Combater a desesperança? Conviver melhor com as diferenças? Construir projetos Intersetoriais?

24 Como promover a mobilização social? Acreditando... Como dizia o poeta: Sonhar um sonho só, é sonho... Sonhar um sonho junto, é realidade... Não somos uma ilha de egoísmo e desesperança

25 Agentes Comunitários são parte dessa esplêndida obra de reengenharia social Ajudam a transpor e unir éticamente o espaço social em que vivemos.

26 Os desafios de promover a saúde Promover saúde é abrir um enorme leque de possibilidades de atuação intersetorial. As ações devem ser eminentemente participativas e transformadoras.

27 Promover a Saúde É mudar posturas, hábitos, promover a mobilização comunitária, a educação em saúde, mudar a organização dos serviços, privilegiando sempre a saúde em detrimento da doença. Fácil como toda mudança paradigmática. Não é?

28 Promover a Saúde e Construir a Cidadania Como desenvolver uma nova ética para promover a saúde e construir a cidadania? O que está em jogo é a ética e o sentido da cidadania


Carregar ppt "Dra. Ana Maria Franklin de Oliveira FCM /Unicamp o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE AGENTES COMUNITÁRIOS o S DESAFIO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google