A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O processo saúde-doença e a família Profa. Dra Sueli Rezende Cunha Instituto Fernandes Figueira/FIOCRUZ a a partir de 25 anos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O processo saúde-doença e a família Profa. Dra Sueli Rezende Cunha Instituto Fernandes Figueira/FIOCRUZ a a partir de 25 anos."— Transcrição da apresentação:

1 O processo saúde-doença e a família Profa. Dra Sueli Rezende Cunha Instituto Fernandes Figueira/FIOCRUZ a a partir de 25 anos

2 As duas faces do viver humano: adoecimento e saúde Equilíbrio e desequilíbrios nos processos da vida. A busca da homeostase A doença como símbolo. O adoecimento como linguagem da alma: o sintoma como manifestação do que precisa ser visto. Sinal de advertência de algo não esta em ordem Não há harmonia. O que precisamos corrigir. Olhar com profundidade.

3 Equilíbrios e Desequilíbrios Durante os Ciclos da Vida Os desequilíbrios na infância, juventude, maturidade e velhice. Compreender as idades da vida e o processo de viver A infância: início de uma caminhada,as conseqüências do adoecer. As leis dos ciclos e sua importância para os profissionais de saúde A emergência das Crianças dependentes de tecnologia

4 O adoecimento na infância e suas conseqüências A vida é movimento, mudança, a vida é um processo constante de transformação. O ritmo dos viventes. Quem é a Criança Dependente de Tecnologia: origem doenças genéticas e adquiridas. O avanço tecnológico. Os agravos da doença: invisibilidade, isolamento, impacto no corpo, re- internaçoes freqüentes.

5 A emergência de crianças dependentes de tecnologia. A necessidade de cuidados especiais. O preparo das famílias para o cuidado As necessidades a serem trabalhadas: fisiológicas, de segurança, sociais, de autonomia. O nascer e o crescer, a linguagem,o desenvolvimento afetivo. O preparo do sistema de saúde e articulação entre os níveis de atendimento.

6 A experiência com famílias de crianças dependentes de tecnologia O caminhar desde o hospital até o domicílio O trabalho com famílias no bairro da Rocinha A metodologia crítico reflexiva de Paulo Freire e o método criativo sensível de Ivone Cabral O grupo educativo como estratégia para promover saúde

7 A interdependência dos processos de cuidar-educar A criação do Programa de Atenção e Cuidado à família da criança ostomizada. Atendimento diário centrado na família e na criança Os modelos assistências possíveis: foco na comunidade. Evitar reproduzir modelos. Necessidade de Inovar. O grupo educativo de famílias: uma visão interdisciplinar da construção do conhecimento necessários à vida. O ponto de encontro e fortalecimento

8 Pesquisar-Educar-Cuidar A necessidade de diálogo como ferramenta em saúde A inter-relação entre os sistemas: indivíduo,família, comunidade, sociedade A inter-relação entre os níveis de atendimento: primária, secundário e terciário. Novos modos de operar em produção da saúde: formação plural dos grupos, todos juntos na busca de soluções.

9 Os desafios da Saúde pública para lidar com grupos vulneráveis A crianças dependentes de tecnologia Doenças crônicas degenerativas Violência As doenças da civilização O envelhecimento da população.

10 As equipes de saúde e o cuidado em saúde dos indivíduos, famílias e comunidades:Interdisciplinaridade e a clinica de cuidados Ampliar os focos da lentes: a clínica ampliada: O acolhimento: empatia e compreessão. A comunidade como objeto da ação A reformulação dos modelos mentais: doença para saúde A possibilidade de produzir saber focado na criatividade, intuição e abertura para o novo. O NUPCTIS/IFF/FIOCRUZ como pólo gerador de inovação: O desenvolvimento da ciência aplicada para gerar soluções

11 Programa de Educação para Vida Uma abordagem educativa que tem por finalidade tornar melhor a as pessoas, contribuir para qualidade de vida individual e coletiva. Estar a serviço dos grupos que tenham o objetivo de auto-conhecimento. Tem por finalidade cultivar o belo, a harmonia e a sintonia com as qualidades superiores do homem que habita em cada um de nós. Semear uma nova consciência que estimule a prática da espiritualidade como bem maior da vida

12 Educação para Vida e Promoção da Saúde Confia na existência dos ritmos e afirma que o alinhamento com ele pode curar doenças da modernidade. A transformação é a lei máxima da vida e da evolução Confia nas possibilidades das pessoas, na potencia latente de cada um Cada um de nós é uma semente Alinhar nosso pensar, sentir e agir

13 Educação para Vida e Promoção da Saúde O homem é um ser de criação, auto- eco-organizado Carta de Otawa: Promoção da saúde é um processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria da qualidade de vida e saúde... Para atingir um completo bem estar físico, mental, social, os indivíduos devem saber identificar aspirações, satisfazer necessidades e modificar favoravelmente o ambiente

14 Promoção da Saúde Criação de ambientes favoráveis à saúde Reforço na ação comunitária Desenvolvimento de habilidades pessoais: Estratégias Educativas: Labirinto da Vida, A vida tem a cor que a gente pinta, ser semente. Re-orientação dos sistemas e serviços de saúde Mudanças no estilo de vida Alimentação Saudável: Projeto Germinar Só o que é aplicado à vida tem um valor prático e mantém sua vitalidade

15 No universo nada permanece estagnado: A Vida flui, renovando e transformando a sua própria criação. A Paz Existe-Trigueirinho )


Carregar ppt "O processo saúde-doença e a família Profa. Dra Sueli Rezende Cunha Instituto Fernandes Figueira/FIOCRUZ a a partir de 25 anos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google