A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Dra. Laura Feuerwerker Médica – Especialista em Clínica Médica e Administração de Serviços de Saúde Doutora em Saúde Pública Professora de Saúde.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Dra. Laura Feuerwerker Médica – Especialista em Clínica Médica e Administração de Serviços de Saúde Doutora em Saúde Pública Professora de Saúde."— Transcrição da apresentação:

1

2 Prof. Dra. Laura Feuerwerker Médica – Especialista em Clínica Médica e Administração de Serviços de Saúde Doutora em Saúde Pública Professora de Saúde Coletiva Universidade Federal Fluminense Reflexões críticas sobre a formação dos profissionais de saúde para o cuidado crítico

3 Processo de Trabalho em Saúde Tecnologias envolvidas no fazer Duras Equipamentos Medicamentos Clínica Epidemiologia Leve- duras Leves Relacionais, intersubjetivas Sempre envolve a relação entre duas pessoas Trabalho Vivo Trabalho Morto O outro pessoa singularidade, subjetividade afecção, incerteza, imprevisibilidade O outro objeto fragmentação, padronização, procedimentos

4 O ensino das profissões da saúde Conceito de Saúde O trabalho em saúde Conceito de Educação Aprendizagem Ativa e Significativa Articulação entre teoria e prática e entre os campos do saber Biológico Ampliado: biológico, social, subjetivo, cultural Orienta do às necessi dades Orientado aos procedimentos e à especialização DISPUTA Transmissão e fragmentação do conhecimento DISPUTA X X X

5 Os problemas Dificuldade de operacionalizar um conceito ampliado de saúde, que articule contexto, coletivo, subjetividade e singularidade: tecnologias, meios, equipes Nas práticas hegemônicas: perda da dimensão cuidadora das práticas de saúde Nossos conceitos (cada vez mais elaborados) não produzem as práticas imaginadas, desejadas?

6 O ensino das profissões da saúde Orientado pela concepção biológica da saúde, organizado com foco uniprofissional e por disciplinas Ainda está centrado no hospital de ensino, particularmente nas enfermarias e emergências Quando há diversificação de cenários, ela está orientada à atenção primária à saúde e raramente inclui a atenção secundária ou atenção domiciliar

7 O ensino das profissões da saúde, portanto Fragmentado e descontextualizado Centrado no profissional e não nas necessidades dos usuários Não possibilita vínculo, responsabilização, singularização e acompanhamento Não possibilita aprendizagem de diagnóstico precoce, nem de cuidados paliativos Não possibilita aprendizagem da integralidade: linhas de cuidado construídas em equipe Debate ético: limites da intervenção??

8 Pressupostos Necessidade de transformar formação e trabalho em saúde simultaneamente Todos os trabalhadores e todos os usuários são portadores de conceitos e projetos em relação à saúde e ao trabalho em saúde Numa organização, todos governam (de acordo com suas possibilidades) Ninguém muda, nem adota novos conceitos sem estar convencido de que vale a pena mudar (aprendizagem significativa) É complexa a teia de relações e motivações que movem os trabalhadores (disputas de poder e de projetos, subjetividade, constrangimentos institucionais)

9 Educação Permanente em Saúde Propiciar a criação de espaços coletivos nos espaços de trabalho para construir novos pactos de convivência e compromisso, tendo em vista as necessidades de saúde dos usuários A alteridade é fundamental para a problematização (produção de incômodos) e o coletivo pode ser um espaço de produção de potência (articulação, cooperação, compromisso, continuidade) Possibilidade de produzir relações de cooperação e apoio que ampliem a caixa de ferramentas dos profissionais, indispensável para aumentar a capacidade de acolhimento e resposta da rede de serviços em todos os seus pontos

10 Pólos, facilitadores, municípios colaboradores, AprenderSUS, VERSUS Vários dispositivos para ampliar a interface entre instituições formadoras e o SUS (gestores, trabalhadores, usuários) Problemas: –Pólos: idealização dos atores e de suas possibilidades de intervenção; territorialidade não orgânica; lentidão dos encaminhamentos administrativos –AprenderSUS e VERSUS – movimentos iniciais de articulação e construção de dispositivos – Facilitadores e municípios colaboradores: experiência esterilizada em processo pela falta de suporte técnico e político

11 Políticas de Educação para o SUS Precisam ser resgatadas para aproximar perfil e distribuição das oportunidades de formação das necessidades das pessoas e do sistema de saúde para o desenvolvimento dos profissionais e para as mudanças de prática: educação permanente em saúde Para propiciar o diálogo entre Clínica e Saúde Coletiva para ampliação do conceito de saúde, contextualização e produção de novas tecnologias para o cuidado

12 Contatos


Carregar ppt "Prof. Dra. Laura Feuerwerker Médica – Especialista em Clínica Médica e Administração de Serviços de Saúde Doutora em Saúde Pública Professora de Saúde."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google