A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parasitoses Intestinais. Referência.Melo MCB et al. Parasitoses Intestinais. In: Leão E et al. Pediatria Ambulatorial.Coopmed 5ed. 2013 B.Horizonte, cap.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parasitoses Intestinais. Referência.Melo MCB et al. Parasitoses Intestinais. In: Leão E et al. Pediatria Ambulatorial.Coopmed 5ed. 2013 B.Horizonte, cap."— Transcrição da apresentação:

1 Parasitoses Intestinais

2 Referência.Melo MCB et al. Parasitoses Intestinais. In: Leão E et al. Pediatria Ambulatorial.Coopmed 5ed B.Horizonte, cap 40, p

3 . Situam-se entre as doenças mais comuns do globo terrestre..Endêmicas em países do terceiro mundo-proble- ma de Saúde Pública..Agrava a anemia carencial e a desnutrição.OMS:450milhões de pessoas doentes,geralmente crianças; mortes por parasitoses, e outras por ascaridíase; E.histolytica:48milhões de infectados massivamente, morrem Brasil(estudo multicêntrico):55,3% em crianças,ge- ralmente poliparasitadas

4 Parasitoses Intestinais -No Brasil, a esquistossomose é considerada uma endemia. -A teníase é encontrada com elevada frequência nos estados de SP, MG, PR e GO. -A amebíase intestinal é muito comum na Amazônia.

5 Parasitoses Intestinais -Nos últimos anos ampliou-se o espectro das enteroparasitoses em humanos, com a identi- tificação de espécies consideradas raras e até desconhecidas, diagnosticadas com mais fre- quência em imunodeprimidos: protozoários Cryptosporidium parvum, Isospora belli, Cyclospora cayetanesis, Microsporídeos e o comensal Blastocystis hominis

6 Parasitoses Intestinais -Fatores predisponentes:.déficit de saneamento e de fornecimento de água tratada;.escassez de programas de educação para a saúde -Grupos de risco:.população infantil,gestantes e lactantes

7 Modos de transmissão: -G.lamblia e E.histolytica: água,alimentos contaminados com cistos -Cryptosporidium e Isospora:água,alimentos contaminados -Balantidium coli:pessoas que lidam com suínos -

8 Modos de transmissão: -A.lumbricoides e T.trichiurus:ingestão de ovos do solo -N.americanus e S.stercoralis:penetração de larvas do solo -E.vermicularis:ingestão ou inalação de ovos no ar,ou fômites -H.nana:ingestão de ovos das fezes -T.solium e T.saginata:ingestão de cisticercos em carnes

9 Parasitoses Intestinais Repercussões: -depressão da capacidade absortiva da mucosa -perda de atividade de enzimas -alterações na permeabilidade da mucosa digesti- va com perda de proteínas para o lúmen intestinal -alteração do metabolismo dos sais biliares -favorecimento de proliferação bacteriana -sangramento intestinal -redução do tempo de trânsito no delgado e do tempo de contato entre nutrientes e mucosa

10 Parasitoses Intestinais Repercussões: -alteração do metabolismo dos sais biliares; -favorecimento de proliferação bacteriana; -sangramento nos locais de lesão intestinal; -alterações na motilidade encurtando o tempo de trânsito no intestino delgado e o tempo de contato entre os nutrientes e a mucosa.

11 Parasitoses Intestinais SINTOMATOLOGIA -bastante variável: depende de fatores relaciona- dos com o hospedeiro e agente:.carga parasitária, mecanismo de lesão,resposta terapêutica,localização habitual ou anômala..estado nutricional, idade,hábitos devida, sistema sistema imunológico,presença de doença de base.quadros leves:manifestações inespecíficas(anore- xia,irritabilidade,vômitos,distúrbios do sono, diarré- ia,dor abdominal

12 Parasitoses Intestinais SINTOMATOLOGIA -Manchas de pele e ranger de dentes são relacio- nados popularmente com parasitoses intestinais, sem confirmação científica -Anemia ferropriva pode ser conseqûencia -Prolapso retal(tricocefalíase)e obstrução intestinal(ascaridíase)são mais frequentes em desnutridos -Esquistossomose e amebíase podem cau- sar enterorragia

13 Parasitoses Intestinais SINTOMATOLOGIA -Várias enteroparasitoses, incluindo infecções por Cryptosporidium parvum e Giardia lamblia: diarréia persistente com graves consequências sobre o estado nutricional e o DNPM -Quadros graves são mais comuns em imunode- primidos, desnutridos, portadores de neoplasias, doenças do colágeno, anemia falciforme, TBC, esplenectomia prévia, ou naqueles em uso prolon- gado de corticóides.

14 Parasitoses Intestinais -Isosporíase(I.belli): diarréia autolimitada e em imunodeprimidos, diarréia crônica com síndrome de má-absorção; podem ocorrer no curso da doença: adenite mesentérica, invasão do baço e fígado, colecistite acalculosa. -Criptosporíase: na maioria dos imunocompetentes a infecção é assintomática, mas alguns podem ter diarréia autolimitada; em lactentes e pré-escolares diarréia persistente é uma manifestação possível; menos frequentemente pode causar má-absorção, doenças hepatobiliares e pancreatite.

15 Parasitoses Intestinais Giardïase:pode ser assintomática, mas pode cursar com diarréia crônica,dor abdominal (epigástrica ou periumbilical),enteropatia perdedora de proteínas,edema, deficiências de ferro, vitaminas A /E /B12 /ácido fólico /zinco; anorexia, náuseas e vômitos; artralgia.

16 -Amebíase(E. histolytica): durante a infecção pode ocorrer cólicas abdominais,colite disentérica,fe- bre,distensão abdominal, flatulência,tenesmo, desnutrição,colite necrosante; amebomas, cólon irritável,abscessos fígado/pulmão/pele,pericár- dio/aparelho genito-urinário /cérebro.

17

18 Parasitoses Intestinais -Balantidíase(B. coli): mais comumente colite, semelhante à amebíase intestinal. -Estrongiloidíase: a invasão cutânea pelas larvas pode provocar prurido e urticária;nas infecções maiores sobressaem manifestações cutâneas, pulmonares e intestinais, inapetência, dor abdomi- nal, diarréia, anemia e tosse seca -Oxiuríase: prurido anal intenso insônia,irritabilida- de,irritação da genitália com secreção. -Ascaridíase: vômitos,cólicas,anorexia;tosse seca

19

20 -Ancilostomíase(A.duodenale):a invasão da pele pelas larvas pode provocar prurido e urticária;sobressaem tosse seca, vômitos, dor abdominal, diarréia e anemia. -Teníase(T.solium, T.saginata):dor abdominal, flatulência,vômitos,diarréia,emagrecimento -Tricocefalíase(T.trichiurus):irritabilidade,pera de sono,dor abdominal,diarréia,anemia

21

22

23

24 -Esquistossomose :penetração das cercá- rias(dermatite urticariforme, prurido); fase aguda:diarréia com sangue,dor abdomi- nal, sintomas cutâneos,febre;fase crônica: hepatoesplenomegalia, hipertensão porta/ pulmonar, hiperesplenismo.

25

26

27 Parasitoses Intestinais -Himenolepíase(H.nana): maioria assintomática; infecções maciças : agitação, irritabilidade, insônia, diarréia, dor abdominal, emagrecimento. -Ciclosporíase(C.Cayetanensis):em imunodeprimi- dos pode ocorrer diarréia intensa e má-absorção; imunocompetentes:diarréia auto-limitada;é uma das causas da diarréia do viajante. -Microsporíase(Enterocytozoon bieneusi):diarréia aguda auto-limitada, mais comum em imunodeprimidos, outros sintomas incluem manifestações oculares, intestinais, pulmonares, musculares e renais.

28 Parasitoses Intestinais DIAGNÓSTICO -Epidemiológica :fundamental. -Áreas de alta prevalência: diagnóstico laboratorial pode ser desnecessário. -Alguns parasitas podem ser identificados macroscopicamente (áscaris, oxiurus e tricocéfalus). -Dentre os exames complementares o EPF é o mais utilizado.

29 Parasitoses Intestinais Exames mais usados: -qualitativo por sedimentação espontânea (Lutz ; Hoffman, Pons e Janer):cistos de protozoários, ovos e larvas de helmintos -quantitativo (Kato-Katz):ovos de helmintos -direto:ovos e larvas de helmintos e trofozoítos e cistos de protozoários -hematoxilina férrica:trofozoítos e cistos de protozoários -Baermann-Moraes:larvas de Strongyloides stercoralis -swab anal (fita gomada):ovos de Enterobius vermicularis -Ziehl-Nielsen modificado :oportunistas (Cryptosporidium, Cyclospora).

30 Parasitoses Intestinais DIAGNÓSTICO -Eosinofilia:esquistossomose,ascaridíase, necatoríase,ancilostomíase,estrongiloidias e. -Reações imunológicas (ELISA,Imunofluo- rescência direta) nas fezes: elevadas sensi- bilidade e especificidade, mas ainda pouco usadas em nosso meio.

31 Parasitoses Intestinais DIAGNÓSTICO -Esquistossomose,fase aguda: dado epidemiológi- co,quadro clínico,exames complementares:.ovos viáveis de S.mansoni nas fezes;leucocito- se e eosinofilia.eventualmente: punção-biópsia hepática, en- doscopia retal e oograma -Esquitossomose,fase crônica:epidemiologia,qua- dro clínico, exames:.EPF reiteradamente negativo biópsia retal.reação de fixação decomplemento,ELISA,intra- dermorreação

32 Parasitoses Intestinais DIAGNÓSTICO -Esquistossomose,fase crônica / forma hepato-es- plênica:.hemograma completo( hiperesplenismo).RX tórax (acometimento pulmonar).ECG e Ecocardiograma (cor pulmonale).estudo radiológico do esôfago e/ou esofagoscopia (varizes esofagianas).função hepática, US abdominal (fibrose periportal).

33 Parasitoses Intestinais TRATAMENTO- Giardíase:.metronidazol: 20mg/kg/dia 7d (2doses/dia).tinidazol: 50mg/kg, dose única.secnidazol: 30mg/kg, dose única..albendazol: 400mg/dia 5d,dose única/dia.furazolidona:7 mg/Kg/dia 7d (12/12 h) -Amebíase:.metronidazol:30mg/Kg/dia 7d.tinidazol:50mg/Kg 2-5d,1dose/dia.secnidazol:30mg/Kg,dose única

34 Parasitoses Intestinais TRATAMENTO -Balantidíase:.metronidazol: mg/Kg/dia 7-10 d TRATAMENTO – Isosporíase Sulfa-trimetoprim: 10 mg/Kg/dia de trimetroprim (4 doses/dia) por 21 dias

35 Parasitoses Intestinais Ascaridíase:.mebendazol:100mg 12/12h, 3d (primeira escolha).albendazol:400mg dose única(maiores de 2anos).levamisol: 80 mg ( 7 anos).ivermectina: 200 microgramas/kg,dose única.pamoato de pirantel: 10mg/kg,dose única.piperazina:25mg/kg (até 2,5g) em 3 doses/dia 7d

36 Parasitoses Intestinais Estrongiloidíase :.tiabendazol: 50 mg/kg/dia dose única ou 20 a 30 mg/Kg/dia 3 d.albendazol: 400 mg/dia 3 d.cambendazol: 5mg/kg,dose única.ivermectina: microgramas/kg,dose única

37 Parasitoses Intestinais Ancilostomíase:.mebendazol:100 mg12/12h por 3 dias (primeira escolha)..albendazol: 400 mg,dose única. Oxiuríase:.mebendazol:100 mg,dose única,repetir com 14d.albendazol: 400 mg,dose única.pamoato de pirvínio:10mg/kg,dose única

38 Parasitoses Intestinais Tricocefalíase :.mebendazol: 100 mg de 12/12 h 3 dias (primeira escolha)..albendazol: 400 mg,dose única..ivermectina 200 microgramas/kg,dose única + albendazol.

39 Parasitoses Intestinais Teníase:.praziquantel*10-20 mg/Kg 1dose/dia 4 d. * cisticercose cerebral: mg/Kg 3vezes/dia dias + dexametasona em doses habituais..albendazol: 400 mg/dia 3 d..mebendazol: 200 mg 12/12 h 3 d..niclosamida: < 35 Kg:1 g (em jejum) dose única > 35 Kg:2 g (primeira escolha)

40 Parasitoses Intestinais Esquistossomose:.praziquantel: 60 mg/kg dose única para crianças..oxamniquina: 20mg/kg dose única ou dividida em 2 tomadas com intervalo de 4-6 horas para crianças. Himenolepíase:.praziquantel: 25 mg/Kg,dose única.niclosamida: dose igual à teníase 5 d

41 Parasitoses Intestinais Ciclosporíase:.TMP-SMZ :10 mg/Kg/dia de trimetroprim (4doses/ dia) 7d. Blastocitose:.metronidazol: mg/Kg/dia 7-10 d. Microsporíase (não auto-limitada):.albendazol: 400mg (2 vezes/dia) por várias semanas até melhora do quadro

42 Parasitoses Intestinais PREVENÇÃO -Melhores condições de vida como um todo -Locais de alta endemicidade (OMS): vermifuga- ção periódica; justificativas:.baixo custo do tratamento,.alta segurança das drogas (tais como mebendazol e albendazol),.praticidade.alto impacto sobre a saúde do indivíduo.


Carregar ppt "Parasitoses Intestinais. Referência.Melo MCB et al. Parasitoses Intestinais. In: Leão E et al. Pediatria Ambulatorial.Coopmed 5ed. 2013 B.Horizonte, cap."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google