A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Márcia M. Rios Ribeiro Mestrando: Danniel Claudio de Araújo Universidade Federal de Campina Grande Centro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Márcia M. Rios Ribeiro Mestrando: Danniel Claudio de Araújo Universidade Federal de Campina Grande Centro."— Transcrição da apresentação:

1 Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Márcia M. Rios Ribeiro Mestrando: Danniel Claudio de Araújo Universidade Federal de Campina Grande Centro de Tecnologia e Recursos Naturais POLUIÇÃO DO AR

2

3

4

5

6 Fontes de poluição do ar Naturais As atividades humanas são responsáveis por grande parte do dano que é feito à atmosfera, no entanto muitas situações de poluição têm causas naturais. Vulcões – as erupções vulcânicas lançam para a atmosfera grandes quantidades de poeiras e cinzas, bem como enxofre e cloro. Pólen – as plantas produzem grandes quantidades de pólen que são responsáveis por alergias e outros problemas de saúde. Tempestade de areia – lançam areia e pó a grandes distâncias, colocando uma enorme quantidade de partículas na atmosfera. Incêndios florestais – responsáveis pela emissão de monóxido e dióxido de carbono, bem como fumos e cinzas. Atividade de plantas e animais – emissão de metano.

7 Antropogénicas Apesar de existir poluição do ar com causas naturais, o Homem é o grande causador de poluição atmosférica e quem produz os poluentes mais perigosos. As principais fontes de poluição são: Fontes estacionárias – Centrais termoelétricas, fábricas, incineradoras, etc. Fontes móveis – Meios de transporte. Incêndios florestais controlados ou outros causados pelo Homem. Substancias voláteis libertadas de tintas, vernizes, solventes, revestimentos, eletrodomésticos, aerossóis. Resíduos em aterro – libertam metano. Atividades militares – liberam substâncias radioativas e gases tóxicos.

8

9

10 Fatores Meteorológicos A temperatura - A instabilidade térmica é a condição ideal para dispersar poluentes no ar, executando o processo de convecção, onde uma massa de ar mais quente sobe e se expande por toda a troposfera. A precipitação – Os poluentes podem ficar presos nas gota desde a formação das mesmas pelos núcleos de condensação até quando ela cai. Os ventos – São os principais responsáveis por arrastar os poluentes para locais mais distantes de suas fontes...

11 CO ( MONÓXIDO DE CARBONO ) Principais fontes: Veículos Efeitos na saúde: - Liga-se à hemoglobina, substância do sangue que leva o oxigênio às células, formando a carboxihemoglobina, e diminui a oxigenação do sangue; - Causa tontura e vertigens; - Causa alterações no sistema nervoso central; - Pode ser fatal em doses altas, em ambientes fechados;

12

13 NO² (DIÓXIDO DE NITROGÊNIO) Principais fontes: Processo de combustão em geral Efeitos na saúde: - Pode provocar desconforto respiratório, diminuição da resistência a infecções e alterações celulares.

14

15 SO² ( DIÓXIDO DE ENXOFRE ) Principais fontes: Indústrias e veículos a diesel Efeitos na saúde: - Provoca coriza, catarro e danos irreversíveis aos pulmões; - Em doses altas pode ser fatal; - Também afeta plantas e espécies mais sensíveis e contribui para a destruição do patrimônio histórico, acidificação do solo e corpos d'água.

16 MP ( MATERIAL PARTICULADO ) Principais fontes: Veículos movidos a diesel, indústrias, desgastes dos pneus e freios de veículos em geral Efeitos na saúde: - Agrava quadros alérgicos, de asma e bronquite; - Pode ser carcinogênico; - As poeiras mais grossas ficam retidas no nariz e na garganta, causando irritação e facilitando a propagação de infecções gripais;

17

18 O³ (OZÔNIO) Princiáis fontes: Ação da luz solar sobre os hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio, resultantes do processo de queima de combustíveis, principalmente por veículos Efeitos na saúde: - Causa envelhecimento precoce; - Diminui a resistência às infecções; - Provoca irritação nos olhos, nariz e garganta, e desconforto respiratório

19 CAMADA DE OZÔNIO gás ozônio (O3) é uma forma de oxigênio cuja molécula tem três átomos, em vez de dois (do gás oxigênio), como costuma ser encontrada na natureza. O ozônio existe tanto na troposfera quanto na estratosfera. É um gás azul-claro com um cheiro penetrante (o odor no ar após um raio, numa tempestade, é do ozônio). A estratosfera contém cerca de 90% do ozônio da Terra.

20 Os raios ultravioleta (UV-B), com comprimento de onda entre 290 a 320 nanômetros, são mais nocivos ao homem, são denominados de radiação biologicamente ativa. A maior parte dessa radiação é absorvida pela camada de ozônio, mas uma pequena porção que chega à superfície já é suficiente para causar danos à saúde humana. Conseqüências da destruição dessa camada

21

22 Chuva Ácida A queima de carvão e de combustíveis fósseis e os poluentes industriais lançam dióxido de enxofre e de nitrogênio na atmosfera. Esses gases combinam-se com o hidrogênio presente na atmosfera sob a forma de vapor de água. O resultado são as chuvas ácidas. As águas da chuva, assim como a geada, neve e neblina, ficam carregadas de ácido sulfúrico ou ácido nítrico. Ao caírem na superfície, alteram a composição química do solo e das águas, atingem as cadeias alimentares, destroem florestas e lavouras, atacam estruturas metálicas, monumentos e edificações.

23 Como se forma a Chuva Ácida ? Inicialmente, é preciso lembrar que a água da chuva já é naturalmente ácida. Devido à uma pequena quantidade de dióxido de carbono (CO2) dissolvido na atmosfera, a chuva torna-se ligeiramente ácida, atingindo um pH próximo a 5,6. Ela adquire assim um efeito corrosivo para a maioria dos metais, para o calcário e outras substâncias.

24 PREJUÍZOS PARA O HOMEM SAÚDE: A chuva ácida libera metais tóxicos que estavam no solo. Esses metais podem alcançar rios e serem utilizados pelo homem causando sérios problemas de saúde. PRÉDIOS, CASAS, ARQUITETURA: a chuva ácida também ajuda a corroer os materiais usados nas construções; PREJUÍZOS PARA O MEIO AMBIENTE LAGOS: os lagos podem ser os mais prejudicados com o efeito da chuva ácida, pois podem ficar totalmente acidificados; DESMATAMENTOS: a chuva ácida faz clareiras, matando duas ou três árvores. Imagine uma floresta com muitas árvores utilizando mutuamente, agora duas árvores são atingidas pela chuva ácida e morrem; AGRICULTURA: a chuva ácida afeta as plantações quase do mesmo jeito que das florestas..

25 Padrões de Qualidade do Ar

26 Medidas Indiretas Ações que visam à eliminação, redução, diluição, segregação ou afastamento dos poluentes. (Planejamento urbano, estações de tratamento de resíduos, etc.) Medidas Diretas Ações que visam reduzir a qualidade de poluentes descarregada na atmosfera, através da instalação de equipamentos de controle (Filtros de Ar). Infelizmente temos no Brasil e também no exterior, exemplos de falta de planejamento, do ponto de vista ambiental, da localização de complexos industriais, provocando graves problemas de poluição do ar.

27 EFEITO ESTUFA O efeito estufa é um fenômeno natural, ele mantém a Terra aquecida ao impedir que os raios solares sejam refletidos para os espaço e que o planeta perca seu calor, sem ele a Terra teria temperaturas medias abaixo de 10ºC negativos. O que vem ocorrendo é o aumento do efeito estufa causado pelas intensas atividades humanas, sendo a principal delas a liberação de CO 2 (dióxido de carbono) na atmosfera. Ele é um dos gases que naturalmente contribuem para a o efeito estufa normal do planeta, mas que agora com seu aumento na atmosfera pode intensificar esse efeito, levando a uma aquecimento maior do planeta.

28

29 PEQUIM

30

31

32

33

34 MEDIDAS DE CONTROLE Planejamento territorial e zoneamento Redução ou eliminação das emissões Controle das emissões

35

36

37

38


Carregar ppt "Disciplina: Ciências do Ambiente Professora: Márcia M. Rios Ribeiro Mestrando: Danniel Claudio de Araújo Universidade Federal de Campina Grande Centro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google