A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Marcelo Peixoto Parte 3. PROJETO DE INSTALAÇÕES Normas técnicas a serem consultadas na elaboração de um projeto elétrico NBR 5410; Normas da concessionária.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Marcelo Peixoto Parte 3. PROJETO DE INSTALAÇÕES Normas técnicas a serem consultadas na elaboração de um projeto elétrico NBR 5410; Normas da concessionária."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Marcelo Peixoto Parte 3

2 PROJETO DE INSTALAÇÕES Normas técnicas a serem consultadas na elaboração de um projeto elétrico NBR 5410; Normas da concessionária elétrica local (AMPLA).

3 Critérios para a elaboração de projetos Acessibilidade; Flexibilidade; Reserva de carga; Confiabilidade. PROJETO DE INSTALAÇÕES

4 Etapas da elaboração de um projeto de instalação elétrica Informações preliminares Projeto arquitetônico Projetos complementares Informações do proprietário Quantificação do sistema Levantamento da previsão de cargas Potência e quantidade de pontos PROJETO DE INSTALAÇÕES

5 Tensão Elétrica voltagem Símbolo - U Unidade - Volt (V) Diferença de potencial entre dois condutores elétricos (fase e neutro) No Rio de Janeiro (exceto Nova Friburgo) Tensão Fase-Neutro - 127V Tensão Fase-Fase - 220V. UNIDADES

6 Corrente Elétrica amperagem Símbolo - i Unidade - Ampère (A) Passagem de energia elétrica por um condutor elétrico submetido a uma diferença de potencial UNIDADES

7 Resistência Elétrica Símbolo - R Unidade - Ohm () Resistência à passagem de corrente elétrica em um condutor elétrico UNIDADES

8 Potência Símbolo - P Unidade - Watt (W) Energia instantânea, o consumo em cada instante de um aparelho elétrico UNIDADES

9 Energia Símbolo - E Unidade - Watt-hora (Wh) Capacidade de realizar trabalho; potência num intervalo de tempo UNIDADES

10 R = U / i U = R x i i = U / R P = U x i i = P / U P = R x i 2 P = U 2 / R E = P x t (tempo, em horas) FORMULÁRIO

11 Limites de fornecimento: Unidades consumidoras com potência instalada < 75kW Tensão padronizada: Nas redes de distribuição secundária da AMPLA, as tensões padronizadas são de 127/220V Classificação dos tipos de fornecimento: Monofásico: 2 fios (fase e neutro) 127V Potência até 8kW Bifásico: 3 fios (2 fases e neutro) 127/220V Potência entre 5 e 12kW Trifásico: 4 fios (3 fases e neutro) 127/220V Potência entre 8 e 75kW CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA

12 Cada aparelho ou dispositivo elétrico (lâmpadas, aparelhos de aquecimento dágua, eletrodomésticos, motores para máquinas diversas, etc.) solicita da rede uma determinada potência. O objetivo da previsão de cargas é a determinação de todos os pontos de utilização de energia elétrica (pontos de consumo ou cargas) que farão parte da instalação. Nesta etapa são definidas a potência, a quantidade e a localização de todos os pontos de consumo de energia elétrica da instalação PREVISÃO DE CARGAS DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA

13 Os equipamentos de utilização de uma instalação podem ser alimentados diretamente (elevadores, motores), através de tomadas de corrente de uso especifico (TUE) ou através de tomadas de corrente de uso uso geral (TUG). A carga a considerar para um equipamento de utilização é a sua potência nominal absorvida, dada pelo fabricante ou calculada a partir de V x I x fator de potência (quando for o caso – motores) – nos casos em que for dada a potência nominal fornecida pelo equipamento (potência de saída), e não a absorvida, devem ser considerados o rendimento e o fator de potência PREVISÃO DE CARGAS DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA

14 Critérios para a determinação da quantidade mínima de pontos de luz Pelo menos 1 ponto de luz no teto para cada recinto, comandado por interruptor de parede Para recintos com área < 6m2, atribuir um mínimo de 100W Para recintos com área > 6m2, atribuir um mínimo de 100W para os primeiros 6m2, acrescidos de 60W para cada aumento de 4m2 Para iluminação externa em residências a norma não estabelece critérios – cabe ao projetista e ao cliente a definição ILUMINAÇÃO

15 Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUG Banheiros – no mínimo 1 tomada junto ao lavatório, independentemente da área Cozinhas e copas – 1 tomada para cada 3,5m ou fração de perímetro, independente da área, sendo que acima da bancada da pia devem ser previstas no mínimo 2 tomadas no mesmo ponto ou em pontos distintos; Em varandas, deve ser previsto pelo menos 1 ponto de tomada TOMADAS

16 Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUG Recintos com área inferior a 2,25m2 – 1 tomada – admite- se que o ponto seja posicionado do lado de fora do recinto até 80cm da porta de acesso Recintos com área superior a 2,25m2 e igual o inferior a 6m2 – no mínimo 1 tomada Recintos com área supeior a 6m2 – no mínimo 1 tomada para cada 5m ou fração de perímetro, espaçadas tão uniformemente quanto possível TOMADAS

17 Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUG Banheiros, cozinhas, copas, áreas de serviço, lavanderias e assemelhados – atribuir 600W por tomada, para as 3 primeiras tomadas e 100W para cada uma das demais. Quando o total de tomadas for superior a 6, admite-se as 2 primeiras tomadas com 600W e 100W para cada uma das demais Demais recintos – atribuir 100W por tomada TOMADAS

18 Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUE A quantidade de TUE é estabelecida de acordo com o número de aparelhos de utilização, devendo ser instaladas a no máximo 1.5m do local previsto para o equipamento a ser alimentado Atribuir para cada TUE a potência nominal do equipamento a ser alimentado TOMADAS


Carregar ppt "Prof. Marcelo Peixoto Parte 3. PROJETO DE INSTALAÇÕES Normas técnicas a serem consultadas na elaboração de um projeto elétrico NBR 5410; Normas da concessionária."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google