A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ciência, Tecnologia, Estado e Grandes Corporações: a era da Big Science.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ciência, Tecnologia, Estado e Grandes Corporações: a era da Big Science."— Transcrição da apresentação:

1 Ciência, Tecnologia, Estado e Grandes Corporações: a era da Big Science

2 Objetivo Apresentar a formação das condições institucionais que deram origem ao que mais tarde ficou conhecido como a Big Science. Destacar o papel estratégico que a ciência começa a exercer na sociedade contemporânea

3 Posicionamento Entre 1930 a 1960 EUA, Europa em menor dimensão. Eletrônica, microeletrônica, Aeronáutica, química orgânica (plásticos), nuclear, bélica, espacial Estado, Grandes corporações, instiuições de pesquisa

4 A ciência se basta economicamente A partir da II Rev Industrial passa a ser elemento essencial da produção - Primeira fase – final do séc. XIX ciência privada, empresarial - Segunda fase – a partir anos 20/30 ciência industrial, laboratórios próprios, pesquisa pública ampliada e subsidiada -Terceira fase – ciência governamental, gastos atingem centenas de milhões

5 Aumentos de escala e de escopo Há formidável elevação de escala para se fazer ciência e é o Estado quem pode financiar O crescimento de escala esteve e está associado ao crescimento do escopo: a ciência em tudo… Estabelece-se a dimensão estratégica da ciência

6 Um princípio realmente diferente "o da possibilidade universal de usar as ciências naturais, imediatamente ou com um atraso de poucos meses ou qdo muito de escassos anos, na formulação e resolução de qualquer problema posto pela vida prática......Aquilo que acontecia quase por acaso no século xix, ou que era conseguido pelo gênio e força de vontade de um inventor solitário como Bessemer ou de um cientista dedicado como Pasteur, é hoje uma meneira reconhecida e quase rotineira de olhar para os problemas industirais, agrícolas ou de saúde pública. (Bernal, 715)

7 Que inovações marcaram essa época? 1a. metade do século: Automóveis, tratores, radar (década de 20, desenvolvido pelo governo a partir dos 30), aviões, rádio (1897-Marconi, depois RCA), televisão (1939 comercial-RCA, 1950 color-RCA), cinema e fotografia, nylon, antibióticos etc. 2a. metade: energia atômica, transistores e computadores Novos setores são criados e tradicionais são transformados: têxteis, alimentos, materiais de construção, máquinas ferramenta, editoração e processos químicos.

8 Materiais sintéticos Plásticos: inovações obtidas no inteior das gdes empresas químicas Produtores dos produtos que seriam substituídos pelos plásticos não tomaram parte: a têxtil não ingressou no rayon, mas o rayon ingressou na têxtil Necessidade de scale up, necessidade de grandes investimentos e verticalização das plantas Do laborartório à produção comercial - rotina especializada de desenvolvimento, que exigia capacitação

9 Caso IG Farben Entre 1925 e 1939 a IG Farben - trust formado ppor Bayer, BASF e Hoechst - tinha o programa de P&D mais importante do mundo Gastos com P&D eram da ordem de 7% do faturamento A IG Farben entre 31 e 45 possuia mais de um terço de todas as patentes de 30 maiores firmas químicas Entre 1925 e 30 a IG registrou o dobro das patentes de plásticos comparado a qualquer outra firma do mundo durante todo o periodo 1791 a 1930! Pós-Guerra houve a liquidação da empresa e a pilhagem das patentes

10 A escala e a diversificação na química a noção de desenvolvimento passa a ter mais importância que a do invento O PVC (desenvolvido pela IG Farben) demorou cerca de 100 anos da descobeerta do produto no laboratório de Liebig em 1835 até o desenvolvimento de um produto comercial pela IG no início dos anos 1930 O polietileno pela ICI foi um processo de desenvolvimento feito como desdobramento indireto de outras pesquisas. Sua "descoberta" se deu por acaso

11 Eletrônica - TV Reduzida importância da figura do inventor Baseada nos deptos de P&D e, posteriormente, nas demandas governamentais TV - RCA implantou programa de P&D entre , 15 anos para o lançamento; invenção do começo do século Entre 30 e 39 RCA gastou 2,7 milhões de dólares na P&D da TV e outros dois com patentes; mais 1,5 milhão para testar o sistema de transmissão e recepção = 6,2 milhões TV colorida - RCA mais de 130 milhões de dólares, 8 anos de desenvolvimento; primeiras vendas em 1954

12 Eletrônica - Computador computadores se desenvolveram nos anos 40, com o Z3 e Z4 alemães, o ASCC inglês e o ENIAC americano. À exceção dos Z, todos foram desenvolvidos com o apoio de agências governamentais, especialmente militares Primeiro computador eletrônico, o ENIAC, desenv. entre nos EUA, tinha 18 mil válvulas Nos EUA órgãos públicos contratam universidades e empresas do ramo: Remington Rand e depois IBM Em 18 anos (1947 a 65) custos de desenvolvimento de computadores passou de US$ 500 mil para US$ 500 milhões

13 Formação do sistema de pesquisa americano antes de 1945 firmas com laboratórios de pesquisa segundo o setor nos EUA

14 Pessoal técnico-científico empregado nos EUA por setor industrial % do total

15 Intensidade de Pesquisa (pessoal científico/1000 assalariados) Extraído de Mowery & Rosenberg (1989)

16 Crescimento de firmas especializadas: o negócio da P&D No período entre 1921 e 46 aumentou significativamente a presença de pequenas firmas fazendo pesquisa, tornando-se especializadas em atividades intensivas em P&D Entre foram criadas nos EUA cerca de 350 laboratórios independentes A partir da Segunda Guerra as relações entre tamanho da firma e intensidade de pesquisa ficaram mais evidentes em favor das gdes cias

17 A participação dos fundos públicos de pesquisa Até final do anos 1930 setor privado respondia por 2/3 do gasto total nos EUA No gasto público, até 1940 predominava a pesquisa agrícola (39% do gasto público em P&D) A partir daí os gastos militares passam a ser predominantes

18 Breve comparação com Reino Unido Intensidade de pesquisa nas firmas britânicas era um terço das similares americanas Enquanto em % firmas americanas tinham laboratórios de p&d, na inglaterra somente 10% Apenas após a primeira guerra que se formaram gigantes britânicas como ICI e Unilever Do ponto de vista qualitativo havia diferenças: a tradição britânica de ensino separava o cientista do engenheiro e este na firma não fazia ligações entre a P&D e a produção

19 A situação no Pós-Guerra EUA emergem da guerra como nação lider em todos os sentidos, inclusive no tecnológico em áreas nas quais antes de 1940 não tinham liderança Gastos públicos com defesa e saúde dominam o cenário Laboratórios goveranmentais passaram a ser centrais de geração e de difusão para aplicações privadas 1940 gastos governamentais de cerca de US$ 83,2 milhões; 1945 US$ 1,3 bilhão Projeto Manhattan em 44 e 45 teve budget maior que o próprio DOD

20

21

22 Conclusão: A espiral da P&D criar capacidade de gerar coisas próprias e imitar alheias A capacitação interna das firmas dependeu em grade parte nos anos 50 dos avanços feitos na pesquisa pública Outro traço deste período é o da formação de um conflito de consciência do trabalho do cientista, entre a condição de liberdade de criação, a pureza de seu trabalho e as aplicações dos resultados Aproximação do engenheiro do cientista e vice- versa A demanda militar


Carregar ppt "Ciência, Tecnologia, Estado e Grandes Corporações: a era da Big Science."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google