A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ambulatório de Neurologia Orientação: Dr.Milton Marchioli Aluna: Eliana Mendes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ambulatório de Neurologia Orientação: Dr.Milton Marchioli Aluna: Eliana Mendes."— Transcrição da apresentação:

1 Ambulatório de Neurologia Orientação: Dr.Milton Marchioli Aluna: Eliana Mendes

2 Será coisa dos maus espíritos?

3 Epilepsia A palavra se origina do grego epilambaneim, surpresa com características fundamentais: Distúrbio cerebral causado por predisposição persistente do cérebro em gerar crises caracterizado pela ocorrência de duas crises/ano sem evidência de febre, ingestão de álcool, intoxicação e ou abstinência de drogas ( new england 2008 ) 1.Descarga súbita excessiva, rápida da substância cinzenta 2.É uma doença neurológica crônica e com crises epilépticas recorrentes 1.Descarga súbita excessiva, rápida da substância cinzenta 2.É uma doença neurológica crônica e com crises epilépticas recorrentes

4 Epilepsia Crise Pode ser dividida em quatro fases: 1.Fase intercrítica 2.Fase subcrítica 3.Fase crítica 4.Fase pós-crítica

5 Epilepsia Conceitos importantes Crise: Refere-se a TODO ATAQUE de origem CEREBRAL, não importa a causa. Convulsão: CONTRAÇÃO involuntária da musculatura corporal não permanente.

6 Epilepsia Epidemiologia Afeta 45 milhões de pessoas no MUNDO No EUA a incidência é de 6 a 8 pessoas por 1000 A prevalência é de 26 a 40 pessoas por ano Altas taxas entre crianças e idosos

7 Epilepsia 70% dos adultos a crise é do tipo FOCAL 62% a causa é desconhecida 9% causado por AVE 9% causado por trauma encefálico 4% causado por doença degenerativa 6% causada por álcool 3.5% encefalopatia 3% Tumor cerebral 2% infecção

8 Epilepsia Paciente com 65 anos ou mais Principal Causa: Cerebrovascular 25% a 40% a causa é desconhecida

9 Epilepsia

10 Epilepsia Crises Hiperatividade dos neurônios e circuitos cerebrais capaz de gerar descargas elétricas sincrônicas anormais Os sintomas paroxísticos podem ser diferentes dependendo da área do cérebro onde se origina a crise

11 Epilepsia Crises Córtex: origina CRISE FOCAL Sistema reticular: origina CRISES GENERALIZADA Descargas que se iniciam no córtex podem atingir o sistema reticular: crises GENERALIZADAS SECUNDÁRIAS

12 Epilepsia Crise: classificação Crise Generalizad a Crise Generalizada primária Crise Generalizada secundária

13 Epilepsia Crise: Classificação Crise Parcial Crise parcial simples Crise parcial complexa

14 Epilepsia Crises

15 Ocorrem por excesso de excitação: GLUTAMATO Ou falta de Inibição: ácido gaba aminobutírico (GABA)

16 Epilepsia Crise Focal ou Parcial Simples: motora, sensitiva, visual Complexa: comprometimento da consciência

17 Epilepsia

18 Epilepsia Crise de Lobo Temporal 1. Aura 2. Parada e fixação do olhar 3. Alteração motora contralateral com automatismos simples 4. Automatismos complexos 60% das Crises focais Freqüente em ADULTOS

19 Epilepsia Crise temporal: semiologia Sensações viscerais de difícil caracterização Palidez, sudorese, taquicardia Medo, irritabilidade Alucinações e ilusões como as olfatórias Vocalização e emissão de frases repetidas

20 Epilepsia Crise do Lobo Frontal Inicio e término abruptos Auras não específicas Pode ocorrer várias vezes ao dia e ou noite Automatismos motores: debater, balançar, pedalar, chutar com emissão de gruídos ou gemidos Manipulação genital 20 a 30% das crises focais

21 Epilepsia Crise dos lobos parietal e occipital São raras Distúrbio de imagem corporal Distúrbios visuais e alucinações visuais

22 Epilepsia Crise Generalizada

23 Epilepsia Generalizadas Tônica Clônica Tônico clônica Atônica Mioclônica Ausência

24 Epilepsia O sistema reticular ativador ascendente é precocemente acometido pelas descargas A consciência é sempre acometida exceto na mioclônica

25 Epilepsia

26 Crises Clônicas: Cada contração muscular é seguida de relaxamento com abalos musculares

27 Epilepsia Crise Tônica Contração muscular mantida com duração de poucos segundos a minutos

28 Epilepsia Crise tônico clônica O grande mal Duração: um minuto Perda abrupta da consciência Contração Tônica e depois clônica dos quatro membros Sialorréia, liberação esficteriana, apnéia e mordedura de língua Grito epiléptico: ar expulso pela glote fechada Período pós-crítico: confusão mental e sonolência

29 Epilepsia Crise Atônica: Há perda do TONO postural Queda lenta quando paciente em pé

30 Epilepsia Crises Mioclônicas Contrações musculares súbitas muito breves semelhantes a choques Podem afetar a musculatura facial, o tronco, uma extremidade ou um grupo muscular Aparece de forma isolada ou repetida Ocorrem após privação de SONO, ao despertar e ao adormecer

31 Epilepsia Mioclônicas Palpebrais contração rápida da pálpebra ao fechamento dos olhos Ocasiona rápido desvio do globo ocular para cima Pode associar-se a crise de ausência

32 Epilepsia Ausência Típica: Inicio abrupto Duração: 10 a 30 segundos Desencadeado por hiperventilação Episódios de comprometimento da consciência Manifestações motoras discretas Com automatismos orais, manuais, piscamento, aumento ou diminuição do tono muscular

33 Epilepsia Conduta Avaliar diagnósticos diferenciais Classificar Crise Verificar os critérios de epilepsia Classificar a síndrome Buscar a Etiologia

34 Epilepsia Etiologia Idiopática Sintomática Criptogênica

35 Epilepsia Sintomática Esclerose mesial temporal (EMT) Tumores SNC Malformações vasculares Abscessos Doença neuroinfecciosa Pós AVE

36 Epilepsia Esclerose Mesial Temporal Principal causa de epilepsia no Adulto Alteração da região mesial temporal Hipocampo vai atrofiando e esclerosando ( perda de memória) Descarga anormal que gera crise parcial simples e evolui pra complexa

37 Epilepsia

38 Epilepsia Generalizada Sintomática Síndrome de West: Inicio de 3 a 12 meses Espasmos em salvas, involução do DNPM Síndrome de Lennox-Gastaut Compreende várias tipos de crise tônica

39 Epilepsia Epilepsias idiopáticas Generalizadas: Epilepsia Ausência da Infância Epilepsia Ausência Juvenil Epilepsia Mioclônica Juvenil (EMJ)

40 Epilepsia Diagnóstico História clínica com paciente e pessoa próxima caracterizando cada crise Dados clínicos são importantes Registros eletroencefalográficos em virgília, sonolência e sono e principalemnte pós privação de sono com procedimento de ativação como hiperventilação e estimulação luminosa

41 Epilepsia Eletroencefalograma Vídeo - EEG 24 horas de avaliação com registro de imagem e eletroencefalográfico Neuro Imagem: TC e RM

42 Epilepsia Tratamento Valproato de Sódio Diazepam Vigabatrina Gabapentina Topiramato Lamotrigina Fenobarbital Fenitoína Carbamazepina

43 Epilepsia Bibliografia 1. Nitrini,Ricardo A neurologia que todo médico deve saber - São Paulo: Editora Ateneu, Kolb,Brayan Neurociência do comportamento-São Paulo: Editora Manole, New England

44


Carregar ppt "Ambulatório de Neurologia Orientação: Dr.Milton Marchioli Aluna: Eliana Mendes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google