A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

André P. L. Mattar. Epidemiologia 4 a 10% da população geral 1% dos atendimentos pediátricos de emergência nos EUA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "André P. L. Mattar. Epidemiologia 4 a 10% da população geral 1% dos atendimentos pediátricos de emergência nos EUA."— Transcrição da apresentação:

1 André P. L. Mattar

2 Epidemiologia 4 a 10% da população geral 1% dos atendimentos pediátricos de emergência nos EUA

3 Definições Crise epiléptica Convulsão Crise parcial (simples e complexa) Crise generalizada Epilepsia Estado de mal epiléptico

4 Etiologia Causas de Crises Epilépticas em Crianças e Adolescentes InfecciosasMeningite, encefalite, neurocisticercose, abcesso cerebral, crise febril NeurológicasLesões de parto, anomalias congênitas, doença cerebral degenerativa, encefalopatia hipóxico- isquêmica não progressiva, síndromes neuro-cutâneas, disfunção de derivação ventrículo- peritoneal MetabólicasHipercarbia, hipocalcemia, hipoglicemia, hipomagnesemia, hipoxemia, erros inatos do metabolismo, deficiência de piridoxina Traumáticas ou vasculares Concussão cerebral, acidente vascular cerebral, abuso à infância, trauma de crânio, hemorragia intracraniana ToxicológicasÁlcool, anfetaminas, anti-histamínicos, anticolinérgicos, cocaína, monóxdo de carbono, isoniazida, chumbo, lítio, hipoglicemiantes orais, fenotiazinas, salicilatos, simpatomiméticos, anti-depressivos tricíclicos, teofilina, anestésicos tópicos; Abstinência a álcool e anticonvulsivantes IdiopáticaEpilepsia ObstétricaEclampsia OncológicasTumores do sistema nervoso central, metástases, hiperviscosidade Adaptado de Friedman, MJ & Sharief, GQ Seizures in Children Pediatr Clin N Am 53 (2006) Crises sintomáticas agudas:

5 Manifestações Clínicas História Aura Movimentos tônicos, clônicos ou tônico-clônicos Movimentos anômalos dos olhos Perda de consciência Perda do controle enfincteriano Cianose Pós-ictal

6 Manifestações clínicas Fatores desencadeantes Doença sistêmica atual, febre ou infecção Sintomas neurológicos, convulsões prévias Trauma Ingestão de medicamentos ou tóxicos Vacinação recente Doenças crônicas Exame Clínico: geral, sinais de hipertensão intracraniana, sinais de irritação meníngea, exame neurológico

7 Diferencial

8 Exames Complementares Glicemia capilar à beira do leito (realizar imediatamente, em todos os casos); Eletrólitos e gasometria arterial; Hemograma e hemocultura (se suspeita de infecção); Triagem toxicológica (quando não houver causa aparente); Amônia sérica e pesquisa de erros inatos do metabolismo (através da dosagem de aminoácidos na urina e de ácidos orgânicos no sangue; quando houver sinais de doença sistêmica e não houver causa identificada); Dosagem sérica de drogas antiepilépticas (para todas as crianças que usarem habitualmente estas drogas). Eletroencefalografia Ambulatorial Crise ou pós-ictal prolongado

9 Indicações de TC História ou sinais externos de trauma Doença neurocutânea Pacientes com DVP Sinais clínicos de hipertensão intra-craniana Crises parciais Déficits neurológicos focais Pós-ictal prolongado Estados hipercoaguláveis – ex. anemia falciforme, sd. Nefrótica Doenças hemorrágicas – ex. hemofilias, plaquetopenias Estados de imunossupressão – ex. AIDS e neoplasias

10 Indicações de LCR Sinais de irritação meníngea Período pós-ictal prolongado ou alteração mantida de consciência Crises no período neonatal Crises febris Presença de sinais meníngeos < 1 ano < 18 meses (recomendação alta) Uso prévio de antibióticos

11 Evolução Lesão Neuronal Estado de mal epiléptico: Hipoxemia; Acidemia; Hiperglicemia (fase inicial) ou hipoglicemia (EME prolongado); Hipertensão (fase inicial) ou hipotensão (EME prolongado); Hipertermia; Rabdomiólise; Hipercalemia; Mioglobinúria; Insuficiência renal aguda.

12 Tratamento

13

14 Convulsão Febril Crises Neonatais

15 Convulsão febril 1 mês a 5 anos – 5% das crianças Classificação Simples (80%) <15 minutos Sem recorrência Generalizadas Sem déficits focais Complexas (20%) >15 minutos Focais Recorrentes Paresia de Todd

16 Convulsão febril Familiar Diminuição do limiar convulsivo Tratamento igual ao das demais crises Chance de recorrência de 30% Chance de epilepsia 2 a 4% Alta na maioria dos casos Internação Crises complexas Crises prolongadas

17

18 Crises neonatais Cérebro neonatal Imaturo Não sustenta atividade epileptiforme organizada Súbitas/reconhecimento difícil Movimentos anômalos olhos, lábios e língua Movimentos de pedalar Apnéia Causas Eventos hipóxico-isquêmicos (60%) Hemorragias (15%) Infecção (5-10%)

19 Crises neonatais Tratamento Diazepínicos Fenobarbital

20 Sugestões de leitura


Carregar ppt "André P. L. Mattar. Epidemiologia 4 a 10% da população geral 1% dos atendimentos pediátricos de emergência nos EUA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google