A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Barroco. Contexto Barroco é o nome dado ao estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI até meados do século XVIII, inicialmente na.

Cópias: 1
Barroco. Contexto Barroco é o nome dado ao estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI até meados do século XVIII, inicialmente na.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Barroco. Contexto Barroco é o nome dado ao estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI até meados do século XVIII, inicialmente na."— Transcrição da apresentação:

1 Barroco

2

3

4 Contexto Barroco é o nome dado ao estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI até meados do século XVIII, inicialmente na Itália, difundindo-se em seguida pelos países católicos da Europa e da América, antes de atingir, em uma forma modificada, as áreas protestantes e alguns pontos do Oriente.

5 História social do Barroco De certo modo o Barroco foi uma continuação natural do Renascimento, porque ambos os movimentos compartilharam de um profundo interesse pela arte da Antiguidade clássica. Enquanto no Renascimento as qualidades de moderação, economia formal, austeridade, equilíbrio e harmonia eram as mais buscadas, o tratamento barroco de temas idênticos mostrava maior dinamismo, contrastes mais fortes, maior dramaticidade, exuberância e realismo e uma tendência ao decorativo, além de manifestar uma tensão entre o gosto pela materialidade opulenta e as demandas de uma vida espiritual. Mas nem sempre essas características são evidentes ou se apresentam todas ao mesmo tempo.

6 A linguagem Barroca Em termos estilísticos, a literatura barroca em linhas gerais praticou um culto exagerado à forma e ao virtuosismo no intuito de maravilhar o leitor, o que implicava o uso constante de figuras de linguagem e outros artifícios retóricos, como a metáfora, a antítese, o paradoxo e a hipérbole, com grande atenção ao detalhe e à ornamentação como partes integrais do discurso.

7 Padre Antônio Vieira Maior expressão do Barroco em Portugal Veio ao Brasil estudar com os jesuítas na Bahia A maior parte de sua obra foi escrita no Brasil Temas ligados as atividades que o autor desempenhou no país como religioso e conselheiro do Rei de Portugal, mediador e representante de Portugal em relações políticas e econômicas.

8 Defesa dos índios Não apoiava os negros Catequese O Sermão da Sexagésima foi um dos mais famosos, entre tantos. Foi proferido na Capela real de Lisboa em março de Através dele, o pregador esmerou-se na retórica, contando com sua memória prodigiosa e rara habilidade no domínio da palavra.

9 O sermão é um todo de 10 pequenos capítulos e é considerado seu mais importante sermão: uma crítica monumental ao estilo barroco, sobretudo ao Cultismo. Como foi pregado na Capela Real, em Portugal, podemos concluir que o auditório era particular, composto por católicos da nobreza portuguesa da época.

10 O tema do Sermão da Sexagésima é a Parábola do semeador. Neste sermão, o Padre Vieira usa de uma metáfora: pregar é como semear. Vieira resume e comenta a parábola: um semeador semeou as sementes que caíram pelo caminho, pelas pedras ou entre os espinhos.

11 Em O Sermão da Sexagésima, Vieira expôs o método que adotava nos seus sermões: 1. Definir a matéria. 2. Reparti-la. 3. Confirmá-la com a Escritura. 4. Confirmá-la com a razão. 5. Amplificá-la, dando exemplos e respondendo às objeções, aos "argumentos contrários". 6. Tirar uma conclusão e persuadir, exortar.

12 Gregório de Matos

13 Projeto Literário do Barroco Desencadear reação em um público específico/provocar o espanto do público Produzir textos sofisticados

14 O maior Gregório de Matos Guerra ( ) alcunhado de Boca do Inferno ou Boca de Brasa, foi um advogado e poeta do Brasil. É considerado o maior poeta barroco do Brasil e o mais importante poeta satírico da literatura em língua portuguesa, no período.

15 A alcunha boca do inferno foi dada a Gregório por sua ousadia em criticar a Igreja Católica, muitas vezes ofendendo padres e freiras. Criticava também a "cidade da Bahia", ou seja, Salvador.

16 "Que falta nesta cidade? Verdade./ Que mais por sua desonra? Honra. Falta mais que se lhe ponha? Vergonha./O demo a viver se exponha/ Por mais que a fama a exalta/ Numa cidade onde falta/ Verdade, honra e vergonha." Assim Gregório de Matos abre um poema criticando a Bahia de seu tempo. A sátira política tornou-se uma das vertentes mais conhecidas de sua obra poética.

17 A cada canto um grande conselheiro. que nos quer governar cabana, e vinha, não sabem governar sua cozinha, e podem governar o mundo inteiro. Em cada porta um frequentado olheiro, que a vida do vizinho, e da vizinha pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha, para a levar à Praça, e ao Terreiro. Muitos mulatos desavergonhados, trazidos pelos pés os homens nobres, posta nas palmas toda a picardia. Estupendas usuras nos mercados, todos, os que não furtam, muito pobres, e eis aqui a cidade da Bahia.

18 Vale lembrar que a fama de Gregório de Matos - um dos grandes poetas barrocos não só do Brasil, mas da língua portuguesa - é devida a uma obra efetivamente sólida, em que o autor soube manejar os cânones da época, seja de modo erudito em poemas líricos de cunho filosófico e religioso, seja na obra satírica de cunho popularesco. O virtuosismo estilístico de Gregório de Matos não encontra um rival a altura na poesia portuguesa do mesmo período.


Carregar ppt "Barroco. Contexto Barroco é o nome dado ao estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI até meados do século XVIII, inicialmente na."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google