A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BRASIL-PERU PAINEL 1- POLÍTICAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BRASIL-PERU PAINEL 1- POLÍTICAS."— Transcrição da apresentação:

1 Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BRASIL-PERU PAINEL 1- POLÍTICAS E PERSPECTIVAS PARA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BRASIL-PERÚ Rio de Janeiro, 15/05/2009 Ministério de Minas e Energia Promoção: GESEL-Grupo de Estudos do Setor Elétrico-UFRJ

2 SUMÁRIO REGIÃO SULAMERICANA BRASIL INTEGRAÇÃO ELÉTRICA-ENERGÉTICA BRASIL/PERU

3 Potencial Hidrelétrico 607,4 GW (20% em operações ou em construção) Gás Natural Reserva Produção x 10 9 m x 10 9 m 3 (55 anos) Carvão Mineral Reserva Produção 17,8 x 10 9 ton 135 x 10 6 ton (> 130 anos) Petróleo Reserva Produção 102 x 10 9 bbl 135 x 10 6 bbl/dia (42 anos) Recursos Energéticos e Reservas Fonte: BP Statisticl Review of World Energy – june 2007 e OLADE REGIÃO SULAMERICANA

4 Hidro 12% Biomassa 19% Petróleo 40% Nuclear 1% Carvão 4% Gás Natural 24% 462,5 milhões de teps Oferta de Energia no Ano 2006 (%) MATRIZ ENERGÉTICA SULAMERICANA Fonte: OLADE

5 Potencial (GW)Potencial Desenvolvido (%) Capacidade teórica total Capacidade tecnicamente explorável Capacidade teórica total Capacidade tecnicamente explorável Argentina Bolívia Brasil* Chile Colômbia Equador Paraguai Peru Uruguai , Venezuela Outros Total Fonte: World Energy Council (2007), *PNE 2030 POTENCIAL HIDRELÉTRICO SULAMERICANO

6 % 20% 40% 60% 80% 100% AR BO BRCH CO EQ PI PE UR VE OUT TOTAL Térmica Hidro CAPACIDADE INSTALADA SULAMERICANA EM 2006 (%) Fonte: OLADE

7 POTENCIAL HIDRELÉTRICO SULAMERICANO Potencial Hidroelétrico Total Sulamericano: 730 GW (Capacidade Teórica Total); Potencial Hidroelétrico Total Sulamericano: 360 GW (Capacidade Tecnicamente Explorável); Potencial Desenvolvido: 128 GW (18% da Capacidade Teórica Total ou 36 % da Capacidade Tecnicamente Explorável ) Geração Hidroelétrica Total da Sulamericana: 620 TWh (2006); Geração de Energia Elétrica Total Sulamericana : 870 TWh (2006) Fonte: IEA e Word Energy Council

8 CONSUMO FINAL DE ENERGIA NO BRASIL ENERGIA (tep milhões) E ENERGIA ELÉTRICA (TWh) 3,6% ao ano Fonte: BEN 2008; PNE 2030/Cenário B1 (%) Crescimento do Consumo de Energia (%) 1980/20072,5 / ano 2000/20073,1 / ano (%) Crescimento do Consumo de Energia (%) 1980/20072,5 / ano 2000/20073,1 / ano Crescimento do Consumo de Energia Elétrica (%) 1980/20074,8 ano 2000/2007 3,5 ano Crescimento do Consumo de Energia Elétrica (%) 1980/20074,8 ano 2000/2007 3,5 ano Energia (tep milhões) Energia Elétrica (TWh) 3,6% ao ano Obs. Inclusive autoprodução clássica, conservação e excluído consumo do setor energético inclui conservação

9 Ø Interconexões com cerca de 86,4 mil km de linhas de alta tensão (final de 2007) Ø Expansão 2008/2017 de cerca de 36,4 mil km de linhas de alta tensão (a partir de 230kV) Fonte: Eletrobrás, PDE SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL

10 Projetos de longo-prazo de integração energética com benefícios oriundos da diversidade hidrológica das bacias hidrográficas da região. Aumento da confiabilidade e da segurança do suprimento, reduzindo custos operacionais e necessidade de reserva energética para todos os países da região. Projetos bi-nacionais em Operação no Mercosul*: Itaipu, Yaciretá e Salto Grande. Projetos em Estudo: Hidrelétrica de Garabi (Brasil/Argentina), Interconexão Elétrica Brasil/Venezuela, Geração Hidrelétrica Peru/Brasil. HIDRELÉTRICAS SULAMERICANAS E INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS ELÉTRICOS NACIONAIS *MERCOSUL- (Mercado Comum do Sul) é um Acordo de Comércio Regional (ACR) entre Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai iniciado em 1991 pelo Tratado de Assunção, que posteriormente foi emendado e atualizado pelo Tratado de Ouro Preto em 1994.

11 Ø – Assinatura do Memorando de Entendimento para o Estabelecimento de uma Comissão Mista Permanente em Matério Energética Geológica e de Mineração, entre o MME/Brasil e MEM/Peru. Ø – Primeira reunião da Comissão Mista Permanente. Nesta reunião foi definida a criação doGrupo de Trabalho ad hoc de Integração Energética com o objetico de desenvolver estudos sobre o potencial de integração energética entre os dois países. HISTÓRICO 1/6

12 Ø 07 e – Primeira reunião do Grupo de Trabalho ad hoc de Integração Energética. Elaborada minuta de Convênio de integração energética entre os dois países. Ø – Assinatura do Convênio de Integração Energética entre o Brasil e o Peru que estabeleceu as bases para a realização de estudos de interconexão energética entre os dois países. Ø – Segunda reunião doGrupo de Trabalho ad hoc de Integração Energética. Elaborada minuta de Convênio de integração energética entre os dois países. HISTÓRICO 2/6

13 Ø – Segunda reunião do Convênio de Integração Energética entre o Brasil e o Peru. Nesta reunião foi realizada uma discussão detalhada das características de dados técnicos dos projetos com potencial de exportação de energia ao Brasil, além do atendimento elétrico na região de fronteira Assis- Brasil/Inambari. Dos 15 projetos hidroelétricos (>200 MW) totalizando MW foram selecionados para análise inicial as UHEs: Urubamba (950 MW), Sumambeni (1080 MW), Paquitzapango (1380 MW) e Inambari (2.000 MW). HISTÓRICO 3/6

14 Ø – Viagem da delegação brasileira ao Peru (Eletrobrás e MME), com o objetivo de dar início as tratativas de realização dos estudos de viabilidade dos projetos hidrelétricos selecionados. Por orientação do Sr. Ministro de Estado de Minas e Energia estes estudos de viabilidade seriam coordenados pela Eletrobrás. Foram adicionadas ao elenco prioritário para estudo as usinas de Cuquipampa (800 MW) e Vizcatán (750 MW). HISTÓRICO 4/6

15 Ø Para a condução dos estudos de viabilidadeforam constituidos os seguintes Grupos de Trabalho: GT A – para desenvolver estudos de viabildade técnica e econômica dos projetos de geração; GT B – para analisar os requisitos legais e regulatórios da importação de energia elétrica pelo Brasil. HISTÓRICO 5/6

16 Ø – Encontro dos presidentes do Brasil e do Peru em Rio Branco no Acre. Firmado o Compromisso de Rio Branco, uma série de protocolos, que prevê acordos de integração econômica e social entre o Brasil e o Peru Assinando o Memorando de Entendimento para Apoio aos Estudos de Interconexão Elétrica entre o Brasil e o Peru. HISTÓRICO 6/6

17 EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS EM ESTUDO NO PERU

18 SISTEMAS ELÉTRICOS DO BRASIL E DO PERU Fontes: COES/PERU 2008, BEN/2008 e ONS

19 LINHA DE TRANSMISSÃO PARA INTERLIGAÇÃO DOS SISTEMAS DO BRASIL E PERU SE Mantaro 750 km 300 km 355 km 200 km

20 SISTEMA PERUANO LINHA DE TRANSMISSÃO PARA INTERLIGAÇÃO DOS SISTEMAS DO BRASIL E PERU 200 km

21 INTERLIGAÇÃO ELÉTRICA BRASIL- PERU Sistema Interligado Peruano SE MantaroSE Coletora das UHE´s Inambari 200 km300 km355 km 750 km Fronteira Peru - Brasil P. Velho - RO km Araraquara - SP Linhas a construir no Território Peruano: 855 km Linhas a construir no Território Brasileiro: 750 km km Sistema Interligado Nacional


Carregar ppt "Altino Ventura Filho Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA BRASIL-PERU PAINEL 1- POLÍTICAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google