A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

+ Coordenação: Ana Lúcia Tatsch (UNISINOS) Pesquisador: Sérgio Wesner Viana (UNISINOS e IFRS) Pesquisador Colaborador: Cláudio Farias (IFRS) O caso do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "+ Coordenação: Ana Lúcia Tatsch (UNISINOS) Pesquisador: Sérgio Wesner Viana (UNISINOS e IFRS) Pesquisador Colaborador: Cláudio Farias (IFRS) O caso do."— Transcrição da apresentação:

1 + Coordenação: Ana Lúcia Tatsch (UNISINOS) Pesquisador: Sérgio Wesner Viana (UNISINOS e IFRS) Pesquisador Colaborador: Cláudio Farias (IFRS) O caso do RS e do ASPIL vitivinícola da Serra Gaúcha Rio de Janeiro, 05 de julho de 2011

2 + APL vitivinícola da Serra Gaúcha Cerca de 90% da produção nacional de vinhos está concentrada no RS, notadamente na Serra Gaúcha Especialmente nos municípios de Bento Gonçalves, Flores da Cunha, Farroupilha, Caxias do Sul, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Nova Pádua, São Marcos e Antonio Prado

3 + A cultura/produção do vinho no RS pode ser dividida em 4 grandes momentos: a) de 1875 a produção de produtos da uva destinada ao consumo familiar e local; b) a partir de a inauguração da estrada de ferro permitiu o escoamento de produtos coloniais para as principais localidades do estado e do país; c) as décadas de 60 e 70 foram marcadas pela entrada de empresas internacionais como Chandon, Maison Forestier, Martini, National Distillers, Chateau Lacave, Welch Foods (Suvalan), entre outras, na produção e comercialização de vinhos e sucos; d) a partir dos anos 90, a tecnologia se disseminou, chegando até às pequenas vinícolas, que começaram a controlar as fermentações, a utilizar leveduras e enzimas e usar tanques de aço inoxidável, ampliando a qualidade e a competitividade das firmas gaúchas

4 + Segmento vinícola do APL vitivinícola Fomento: representação, promoção e apoio Financiamento Fornecedores de Máquinas, Equipamentos e Insumos enológicos Ensino, Pesquisa e Laboratórios

5 + Estrutura do APL Quanto às empresas, três segmentos distintos: Empresas com grande capacidade de produção, que atuam principalmente na produção de vinhos finos e espumantes grandes empresas de capital nacional Pequenas vinícolas e cooperativas, porém responsáveis por mais de 50% da produção de vinhos do arranjo Grande parte se dedica à produção de vinhos comuns, e apenas nos últimos anos têm iniciado a produção de vinhos finos Pequenas cantinas familiares, que têm se especializado na produção de vinhos finos e conquistado nichos do mercado nacional

6 + Fomento: representação, promoção e apoio Governo Estadual SEDAI: Apoio a SLPs/APLs Secretaria da Agricultura e Abastecimento do RS: EMATER GTP – APL

7 + Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (APROVALE) congrega vinícolas que produzem vinhos finos conta com 31 vinícolas associadas e 39 associados não produtores de vinho, entre hotéis, pousadas, restaurantes, artesanatos, queijarias e outros Associação dos Vinicultores de Garibaldi (AVIGA) que busca representar os produtores de Garibaldi Central de Compras para os associados União Brasileira de Vitivinicultura (UVIBRA) Associação dos Produtores dos Altos Montes (APROMONTES), Associação dos Produtores de Monte Belo (APROBELO), Associação Gaúcha de Vinicultores (AGAVI), Associação dos Produtores de Vinhos de Montanha (ASPROVINHO), e Federação das Cooperativas Vinícolas (FECOVINHO).....

8 + Instituto Brasileiro do Vinho (IBRAVIN) importante papel na governança do APL 700 empresas participantes pertencentes aos diversos elos da cadeia produtiva ações no sentido de ampliar a comercialização dos vinhos nacionais no mercado interno, bem como fortalecer a imagem do vinho nacional nos mercados internacionais em parceria com a APEX, lançou, em 2002, o consórcio Wines From Brazil, que conta com a participação de 38 vinícolas, sendo 34 delas localizadas no APL ações de marketing através de outras campanhas institucionais, como: Vinhos do Brasil, uma boa escolha e "Abra e se abra. Abra sua cabeça, abra um vinho brasileiro"

9 + Sebrae RS Sebrae Serra Gaúcha (Caxias do Sul e Bento Gonçalves) tem importante papel no APL, ações desde 2005/2006 Programa Visão 2025: diretrizes, metas e ações para o desenvolvimento do Setor Vitivinícola do RS Juntos para Competir com SENAR e FARSUL Até 2009, os consultores do Sebrae atuaram em associações e com grupos de empresários. Em 2010, há uma mudança na abordagem de atuação do Sebrae RS atuação junto às associações não é mais realizada e a figura do consultor deixa de existir O foco são de fato as MPEs Nessa nova abordagem, foram construídas trilhas de capacitação, nas quais os empresários participantes do APL capacitam-se em gestão.

10 + Projeto Desenvolver a Fruticultura em Caxias do Sul e Campestre da Serra duração de 2 anos objetivo geral aumentar a produção e comercialização de frutas das propriedades rurais, através do desenvolvimento de ferramentas administrativas Projeto Fortalecer o Setor Vitivinícola da Serra Gaúcha duração de 3 anos, tem como foco de ação a produção de vinhos na Serra objetivos são: aumentar o volume de vendas e promover a melhoria na qualidade dos produtos vitivinícolas chamada pública, no formato de edital, para divulgar tal projeto e atrair as empresas para participar. Ao todo são 98 empresas participantes do projeto

11 + Ensinos, Pesquisa e Laboratórios IFRS (Colégio de Viticultura e Enologia de Bento Gonçalves 1959 CEFET) UCS Embrapa Uva e Vinho FEPAGRO Laboratório de Referência Enológica (LAREN)

12 + Fornecedores de Máquinas, Equipamentos e Insumos enológicos

13 + Financiamento A região conta com uma grande variedade de instituições Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal BB Giro APL O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal linha de crédito: PROGER - Programa de Geração e Renda, com recursos oriundos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). No caso do APL de vinho, a linha mais utilizada é o PROGER turismo.

14 + Desafios, Oportunidades e Ações Agendas produtores: vinhos finos e espumantes, vinhos comuns, e produtores de uva O setor vitivinícola tem sofrido com a pressão dos produtos importados Em 2010, foram importados 75 milhões de litros de vinhos finos, o que representa 75% do comercializado no Brasil Mesmo com todo o investimento realizado visando melhorar a qualidade nacional, a produção brasileira tem participação muito pequena no próprio mercado doméstico Isso se explica especialmente pelos preços dos vinhos importados que são inferiores aos dos similares nacionais

15 + Para a reversão desse quadro, não bastam os investimentos em inovações tecnológicas, é também necessária uma política tributária mais adequada O quesito qualidade hoje não interfere na hora do consumidor comprar um vinho nacional ou importado nossos vinhos já estão com um padrão de qualidade muito mais elevado que a dez anos atrás, porém o preço é um dos problemas que o setor ainda enfrenta O conjunto das tributações incidentes sobre o vinho brasileiro supera a 40% do preço ao consumidor, já nos principais países concorrentes - Argentina, Uruguai e Chile - este valor fica em torno de 20% Cenário às empresas vinícolas brasileiras perda de capacidade competitiva, tanto para vender o produto nacional no exterior quanto para se manterem competitivas no próprio mercado interno

16 + Em que pese este cenário, o setor está investindo no aumento da qualidade dos vinhos e na promoção de indicações geográficas buscando a valorização do produto pelos valores territoriais e culturais Inúmeras empresas (vitícolas e vinícolas) vêem investindo no incremento de seus negócios originais, indo para além da produção de uvas e vinhos agregando valor às suas marcas através de uma série de produtos, tais como restaurantes, pousadas, hotéis, cosméticos etc. Oportunidade do enoturismo serviços relativos

17 + Pesquisa tecnológica junto à produção da uva Divulgação do vinho nacional Falta de mão de obra Capacitação enólogos produção familiar gestão empresarial serviços vinculados ao enoturismo

18 + sucos de uva Em anos recentes, a agroindústria de suco conseguiu se destacar pela qualidade e singularidade do produto elaborado, conquistando também mercados internacionais exigentes A demanda doméstica por suco de uva tem crescido Merenda escolar Há atualmente um forte apelo, no mundo todo, pelo suco natural e orgânico; o que abre um importante nicho de atuação para as empresas do APL

19 + espumantes Outro segmento que tem ganhado destaque é o de espumantes Valorização da qualidade dos espumantes nacionais A produção gaúcha tem sido completamente absorvida dada suas características e sua elevada qualidade Em 2010, os espumantes brasileiros apresentaram aumento de 68,42% no volume exportado e 284,73% no valor dessas exportações


Carregar ppt "+ Coordenação: Ana Lúcia Tatsch (UNISINOS) Pesquisador: Sérgio Wesner Viana (UNISINOS e IFRS) Pesquisador Colaborador: Cláudio Farias (IFRS) O caso do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google