A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programas de Prevenção de IH e Programas de Qualidade: Desafios para a Prática da Assistência à Saúde Enfa. Maria Clara Padoveze HC - UNICAMP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programas de Prevenção de IH e Programas de Qualidade: Desafios para a Prática da Assistência à Saúde Enfa. Maria Clara Padoveze HC - UNICAMP."— Transcrição da apresentação:

1 Programas de Prevenção de IH e Programas de Qualidade: Desafios para a Prática da Assistência à Saúde Enfa. Maria Clara Padoveze HC - UNICAMP

2 Garantir que o processo modifique suas práticas de trabalho tendo foco no cliente. Programas de Qualidade

3 Programa de Qualidade Possuir claro e profundo entendimento do processo alvo para conseguir as melhorias do mesmo.

4 Os valores organizacionais são a base do sucesso para os serviços prestados. Programa de Qualidade

5 Os profissionais devem ter consciência de estar continuamente melhorando o seu processo de trabalho Programa de Qualidade

6 Fazer a mesma coisa, da mesma forma e esperar resultados diferentes é insanidade. Albert Einstein Programa de Qualidade

7 Evidências: – consolidação das informações de medições (indicadores). Identificação de objetivos propostos Programa de Qualidade

8 produtividade: acrescer valor com menos recursos adaptabilidade: – melhoria contínua – inovações Programa de Qualidade

9 Princípios da Qualidade 1. Satisfação do cliente 2. Gerência participativa 3. Desenvolvimento de RH 4. Constância de propósitos 5. Aperfeiçoamento contínuo 6. Gerência de processos 7. Delegação 8. Disseminação de informações 9. Garantia de qualidade 10. Não aceitação de erros

10 "Não existe vento favorável para quem não sabe aonde chegar." (Sêneca)

11 Conceitos na Gestão da Qualidade Aplicados ao Controle de IH

12 Gastamos a maior parte do tempo apagando incêndios.

13 Plan Do Study Act

14 PDSA Planejar (Plan) descrever o objetivo da mudança; o que se espera da mudança; selecionar indicadores: – demonstrar que a mudança resultou em uma melhoria, – colher os dados anteriores à implantação da mudança, para cada indicador escolhido

15 responder as questões: – o que será feito, – quem fará, – quando, – onde, – quanto custará PDSA Fazer (Do)

16 Colher os dados após a mudança Comparar os dados colhidos ( antes e após a intervenção) Confrontar o resultado com as predições feitas na etapa planejamento PDSA Analisar (Study)

17 Sugerir novos ciclos de melhorias para novas mudanças que venham a surgir; Reavaliar as ações da etapa D - Fazer PDSA Agir (Act)

18 Programa de Qualidade Escolha de um indicador - características: ser objetivo bem definido sensível (detectar a maioria dos casos) específico (precisão no diagnóstico) detectar problemas de qualidade ser de fácil coleta

19 Programa de Qualidade e Controle de Infecção CCIH: – a maioria dos indicadores está ligada ao processo de atendimento A idéia não é controlar. Trata-se de estabelecer objetivos cada vez mais próximos ao ideal e tentar alcançá-los. Padoveze, MC; Campos, E.R.; Lima, M.B.P.B. Prática Hospitalar, 2005

20 Programa de IH Portaria 2616, 1998: exigência de um Programa de Controle de Infecção Hospitalar. Resolução n. 48, de 2000: roteiro de inspeção do programa.

21 Programa de IH Programa de Controle de Infecção Hospitalar (PCIH): conjunto de ações desenvolvidas, deliberada e sistematicamente, para a máxima redução possível da incidência e da gravidade das infecções hospitalares. RDC n.48, 02/06/00

22 Programa de IH Sistema de vigilância epidemiológica metodologia para identificação e avaliação sistemática prevenção e a redução da incidência Sistema de vigilância epidemiológica das infecções hospitalares: metodologia para identificação e avaliação sistemática das causas de infecção hospitalar, em um grupo de pacientes submetidos a tratamento e ou procedimentos hospitalares, visando a prevenção e a redução da incidência das IH RDC n.48, 02/06/00

23 Utilização de estratégias de vigilância – indicadores para avaliação do desempenho da assistência. Indicadores de Resultados: – avaliam a ocorrência de infecções Indicadores de processos: – avaliam a qualidade de práticas de assistência Manual de Avaliação da Qualidade de Práticas de Controle de Infecção Hospitalar, junho Melhoria nas práticas de prevenção

24 Selecionar práticas de prevenção baseadas em evidências poucas práticas a serem avaliadas inicialmente programar intervenção – normativa, educativa, outras avaliar os indicadores de qualidade das práticas: pré e pós intervenção monitorar o impacto dos programas de intervenção

25 Estabelecer mecanismos de retroalimentação – manter viva a chama da melhoria contínua dos processo Manter o foco no cliente Melhorias na práticas de prevenção

26 Vigilância é um processo circular 1. Implementação dos objetivos da vigilância, definições, protocolos, coleta de dados 2. Retro- alimentação e disseminação de dados, análise, interpretação, comparações, discussão 4. Avaliação do impacto das IH pelas tendências na vigilância e outros estudos 3. prevenção: decisões e ações corretivas

27 Programa de IH Características de sucesso: Ser baseado em vigilância Eliminar problemas pela identificação de resultados adversos – detectar causas – propor medidas corretivas. Ser baseado em evidências científicas

28

29 Programa de IH Aprimorar o processo Atingir desempenho melhor do que atual Procedimentos de prevenção Prevenção de Infecção Hospitalar

30


Carregar ppt "Programas de Prevenção de IH e Programas de Qualidade: Desafios para a Prática da Assistência à Saúde Enfa. Maria Clara Padoveze HC - UNICAMP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google