A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tabaco e Local de Trabalho Ricardo A. Amaral Coordenador do Programa de Prevenção em Álcool, Tabaco e Outras Drogas dos Servidores do Complexo HC Você

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tabaco e Local de Trabalho Ricardo A. Amaral Coordenador do Programa de Prevenção em Álcool, Tabaco e Outras Drogas dos Servidores do Complexo HC Você"— Transcrição da apresentação:

1 Tabaco e Local de Trabalho Ricardo A. Amaral Coordenador do Programa de Prevenção em Álcool, Tabaco e Outras Drogas dos Servidores do Complexo HC Você HC Você HC

2 Principais fatores de risco e causas de doenças Países desenvolvidosPaíses em desenvolvimento Alta mortalidadeBaixa mortalidade 1 Desnutrição Álcool Tabaco 1 Desnutrição Álcool Tabaco 2 DST Pressão arterial Pressão arterial 2 DST Pressão arterial Pressão arterial 3 Água poluída Tabaco Álcool 3 Água poluída Tabaco Álcool 4 Fumaça Desnutrição Colesterol 4 Fumaça Desnutrição Colesterol 5 Def. de Zn IMC IMC 5 Def. de Zn IMC IMC 6 Def. de Fe Colesterol Cons. de vegetais 6 Def. de Fe Colesterol Cons. de vegetais 7 Def. de Vit. A Cons. de vegetais Sedentarismo 7 Def. de Vit. A Cons. de vegetais Sedentarismo 8 Pressão arterial Fumaça de comb. sólidos Drogas ilícitas 8 Pressão arterial Fumaça de comb. sólidos Drogas ilícitas 9 Tabaco Deficiência de Fe DST 9 Tabaco Deficiência de Fe DST 10 Colesterol Água poluída Def. de Fe 10 Colesterol Água poluída Def. de Fe 11 Álcool DST Exposição ao Pb 11 Álcool DST Exposição ao Pb OMS, 2002

3 Carga Global das Doenças Uso de drogas: 8,9% em termos de DALY: Disability Adjusted Life Years) Uso de drogas: 8,9% em termos de DALY: Disability Adjusted Life Years) Tabaco 4,1% Tabaco 4,1% Álcool 4% Álcool 4% Ilícitas 0,8% Ilícitas 0,8% OMS, 2002 Em ambientes com exposição ao tabaco, o número de partículas no ar expirado chega a 242 μg/m 3, enquanto em ambientes sem tabaco a os resultados ficam entre 10 e 50 μg/m 3 Em ambientes com exposição ao tabaco, o número de partículas no ar expirado chega a 242 μg/m 3, enquanto em ambientes sem tabaco a os resultados ficam entre 10 e 50 μg/m 3 Repace e Lowery, 1980; First, 1984

4 Programas de controle do Tabaco Aproximadamente, para cada 8 mortes relacionadas ao tabaco, uma morte está relacionada ao fumo passivo Aproximadamente, para cada 8 mortes relacionadas ao tabaco, uma morte está relacionada ao fumo passivo Fichtenberg e Glantz, 2002 A exposição à fumaça do tabaco no local de trabalho está mais relacionada aos mais jovens, ao trabalhadores manuais homens e às trabalhadoras com menos capacitação. A exposição à fumaça do tabaco no local de trabalho está mais relacionada aos mais jovens, ao trabalhadores manuais homens e às trabalhadoras com menos capacitação. Moussa et al., 2004

5 Programas de controle do Tabaco Em 1992, a Philip Morris Tobacco Company divulgou em memorando interno que se todos os locais de trabalho fossem livres do tabaco, o consumo total cairia por volta de 10% (parada ou redução do uso) Em 1992, a Philip Morris Tobacco Company divulgou em memorando interno que se todos os locais de trabalho fossem livres do tabaco, o consumo total cairia por volta de 10% (parada ou redução do uso) Heironimous, 1992 O tabaco, devido às características de seu uso, vem sendo tratado a partir de políticas específicas como proibição do fumo em determinados ambientes, o estímulo ao tratamento com subsídio de medicamentos, gomas de mascar e adesivos de nicotina. O tabaco, devido às características de seu uso, vem sendo tratado a partir de políticas específicas como proibição do fumo em determinados ambientes, o estímulo ao tratamento com subsídio de medicamentos, gomas de mascar e adesivos de nicotina. SENAD, 2008 SENAD, 2008

6 Programas de controle do Tabaco Além de reduzir ou cessar o uso de tabaco por fumantes, esses programas reduzem o uso diário de cigarros, melhoram relações entre profissionais, os riscos de doenças relacionadas e a exposição ambiental. Além de reduzir ou cessar o uso de tabaco por fumantes, esses programas reduzem o uso diário de cigarros, melhoram relações entre profissionais, os riscos de doenças relacionadas e a exposição ambiental. Griffiths e Grieves, 2002; Fichtenberg e Glantz, 2002 Os programas são considerados de baixo custo, e esses custos podem ser recompensados ou superados em 3 e 4 anos, respectivamente. Os programas são considerados de baixo custo, e esses custos podem ser recompensados ou superados em 3 e 4 anos, respectivamente. Warner et al., 1996

7 Quem você acha que deveria ajudar? GlobalEuropaÁsiaBrasil Halpern e Taylor, 2010 Respostas dos trabalhadores Respostas dos empregadores no Brasil 91% 34% 54% 29% 24% 18% 24% 5% 19% SeguradorasPatrões 94% 20% 24% 9% 16% 6% 11% 7% 6%

8 Você acha que a empresa deveria ajudar? SIMGlobalBrasilTrabalhadores48%69% Patrões69%87% Halpern e Taylor, 2010

9 Você acha que a empresa deveria ajudar? Projeto de Tratamento do Tabagismo para servidores do Complexo HCProjeto de Tratamento do Tabagismo para servidores do Complexo HC Grupos psicoterapêuticosGrupos psicoterapêuticos Intervenção BreveIntervenção Breve 5 sessões, durante 5 semanas5 sessões, durante 5 semanas Distribuição de material informativoDistribuição de material informativo Kit fissuraKit fissura Testagem com monoxímetroTestagem com monoxímetro Tratamento medicamentoso quando necessárioTratamento medicamentoso quando necessário 70% dos fumantes querem parar, mas apenas 3% a 5% atingem essa meta sem ajuda de um profissional, índice que aumentaria para 50% com tratamento especializado OMS, % dos fumantes querem parar, mas apenas 3% a 5% atingem essa meta sem ajuda de um profissional, índice que aumentaria para 50% com tratamento especializado OMS, 2011

10 Você acha que a empresa deveria ajudar?

11


Carregar ppt "Tabaco e Local de Trabalho Ricardo A. Amaral Coordenador do Programa de Prevenção em Álcool, Tabaco e Outras Drogas dos Servidores do Complexo HC Você"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google