A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ESTRATÉGIAS GENÉRICAS POR CARLOS REIS. Em seu artigo, O que É Estratégia? de 1996, Porter argumenta sobre a distinção entre eficácia operacional e estratégia,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ESTRATÉGIAS GENÉRICAS POR CARLOS REIS. Em seu artigo, O que É Estratégia? de 1996, Porter argumenta sobre a distinção entre eficácia operacional e estratégia,"— Transcrição da apresentação:

1 ESTRATÉGIAS GENÉRICAS POR CARLOS REIS

2 Em seu artigo, O que É Estratégia? de 1996, Porter argumenta sobre a distinção entre eficácia operacional e estratégia, mostrando que a confusão entre estratégia e ações estratégicas já estava presente. Para Porter, a eficácia operacional - o desempenho de atividades de forma mais eficiente e eficaz do que os concorrentes - é um requisito para a sobrevivência da empresa, enquanto a estratégia competitiva é o diferencial, a vantagem competitiva.

3 EFICÁCIA OPERACIONAL Significa fazer o mesmo que os concorrentes, só que com resultados melhores; É necessária mas não suficiente. A razão mais óbvia para isso é a rápida difusão das melhores práticas entre os concorrentes (ex.: tecnologia); Eficácia operacional não significa vantagem competitiva.

4 ESTRATÉGIA A estratégia empresarial é..., numa palavra, a vantagem competitiva. O único objetivo do planejamento estratégico é capacitar a empresa a ganhar, de maneira mais eficiente possível uma vantagem sustentável sobre seus concorrentes. A estratégia coorporativa significa, deste modo, uma tentativa de alterar o poder de uma empresa em relação a seus concorrentes, da maneira mais eficaz. (Ohmae, 1983).

5 Vantagem Competitiva... uma empresa que obtém retornos superiores dentro da sua indústria tem de vantagem competitiva sobre seus concorrentes. (Ghemawat, 1999). Linha de Valor doSetor Farmacêutico(E.U.A., ) 18%

6 Estratégias Genéricas Ao enfrentar as cinco forças competitivas, existem três abordagens estratégicas genéricas potencialmente bem sucedidas para superar as outras empresas em uma indústria: –Liderança no custo total; –Diferenciação e; –Enfoque. (Porter, 1980)

7 Liderança em Custo... atingir a liderança em custo no custo total em uma indústria através de políticas funcionais orientadas a : –Produtos padronizados; –Pessoas sensíveis ao preço pago. (Porter, 1980)

8 Diferenciação... diferenciar o produto ou o serviço oferecido pela empresa, criando algo que seja considerado único ao âmbito de toda a indústria nas dimensões: –Projeto ou imagem da marca; –Tecnologia; –Serviços sob encomenda; –Rede de fornecedores; –Outras dimensões. (Porter, 1980)

9 Enfoque... escolher e elaborar as políticas funcionais de forma a atender muito bem a um alvo determinado: –um grupo comprador; –um segmento da linha de produtos ou; –um mercado geográfico. Conseqüentemente a empresa atinge a diferenciação por satisfazer melhor as necessidades de seu alvo particular, ou custos mais baixos na obtenção deste alvo, ou ambos. (Porter, 1980)

10 Estratégias Genéricas Alvo Estratégico Vantagem Estratégica Cadeia de Valor Posicionamento

11 TRADE-OFF (OPÇÃO EXCLUDENTE) X ESTRATÉGIA PATO Se você tem dúvidas no que oferecer aos clientes, comece definindo o que não oferecer; Implica em decidir entre alternativas, muitas vezes, conflitantes ou incompatíveis; Emanam das próprias atividades, ou seja, diferentes opções de produtos, serviços, clientes, tecnologias e sistema de gestão; Se não houver trade-off, não haverá vantagem.

12 TRADE-OFF CUSTO- DIFERECIAÇÃO Criar mais valor para seus clientes a custo mais alto ou; Criar o mesmo valor que os concorrentes a um custo mais baixo. Exemplo: Ford, para vender o modelo T a US$ 500,00 só fabricava na cor preta.

13 POSICIONAMENTO (Enfoque) A essência do posicionamento estratégico é escolher atividades que são diferentes dos rivais; Posicionamento visa posicionar a empresa em um segmento de mercado onde ela possa neutralizar as forças de competitivas de mercado.

14 BASES DO POSICIONAMENTO VARIEDADE: escolha de variedades de produtos ou serviços ao invés do segmento do cliente; (mercado: variedade de carnes) NECESSIDADE: é servir a maioria das necessidades de um grupo particular de clientes, (açougue: carne para churrasco) ACESSO: clientes são acessíveis de maneiras diferentes (entrega em casa).

15 Exemplos de Segmentação (Setor de Alimentação) 1 - VARIEDADE (TIPO DE COMIDA): Peixes e frutos do mar; Carnes; Massas; Sopas; Exótico; Comidas regionais e internacionais 2 – ACESSO (TIPO DE SERVIÇO): À la card; Prato feito; Rodízio; Self-service; A peso; Personalizado, 3 – NECESSIDADE (TIPO DE CLIENTE): Que gosta de pagar exatamente o que comeu; Que vai a um restaurante pelo status ou pelo conforto; Que vai a um restaurante para realizar negócios; Que está de dieta Que come pouco ou que come muito; Que tem tempo ou que tem pressa.

16 POSICIONAMENTO DA EMPRESA Você que trabalha no Centro, não tem tempo, quer uma comida boa e um ambiente confortável, venha almoçar conosco. Venha ser o número um no edifício número um da Av. Rio Branco e desfrute uma das criações de nossos Chefes da cozinha internacional.

17 Nichos de Mercado Posicionamento estratégico não é geralmente óbvio nem fácil; Encontra-los requer criatividade e perspicácia; E consiste em escolher posições únicas que estão disponíveis porem simplesmente toleradas pelos competidores estabilizados.

18


Carregar ppt "ESTRATÉGIAS GENÉRICAS POR CARLOS REIS. Em seu artigo, O que É Estratégia? de 1996, Porter argumenta sobre a distinção entre eficácia operacional e estratégia,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google